Videocasts Café Brasil
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

683 – O peixe
683 – O peixe
E aí, hein? Dar o peixe ou ensinar a pescar? Será que ...

Ver mais

682 – LíderCast 13
682 – LíderCast 13
É isso que é o LíderCast. Uma homenagem a quem ...

Ver mais

681 – Agrotóxicos: remédio ou veneno
681 – Agrotóxicos: remédio ou veneno
Agrotóxicos surgiram na Segunda Guerra Mundial, para ...

Ver mais

680 – Nova Previdência 2
680 – Nova Previdência 2
A Nova previdência é o primeiro passo para colocar o ...

Ver mais

LíderCast 170 – Rodrigo Galvão
LíderCast 170 – Rodrigo Galvão
Rodrigo Galvão assumiu aos 35 anos de idade a posição ...

Ver mais

LíderCast 169 – Marília Guimarães e Eduardo Dantas
LíderCast 169 – Marília Guimarães e Eduardo Dantas
Marilia Guimarães e Eduardo Dantas – a dupla ...

Ver mais

LíderCast 168 – Pedro Hipólito
LíderCast 168 – Pedro Hipólito
CEO da Five Thousand Miles, empresa portuguesa que se ...

Ver mais

LíderCast 167 – João Kepler
LíderCast 167 – João Kepler
Especialista em empreendedorismo, startups, marketing e ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Por que Bolsonaro exagera?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Como se já não enfrentássemos todos os problemas possíveis – e mais uns imaginados – Bolsonaro parece se esforçar para piorar os reais e parir os imaginários. Por qual razão o ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPÍTULO 3 – CARACTERÍSTICAS GRAMATICAIS DOS SUBSTANTIVOS (parte 3)
Alexandre Gomes
Até agora mostrei maneiras um pouco diferentes de se ver um SUBSTANTIVO. Usando um tanto de Lógica e  Filosofia para explicar SUBSTANTIVOS e ADJETIVOS. E só para te lembrar: toda a Realidade é ...

Ver mais

Viva Narciso
Jota Fagner
Origens do Brasil
A nossa vaidade nos impede de construir um ambiente mais tolerável A palavra “insentão”, popularizada nos últimos anos, serve para classificar a pessoa que não se deixa iludir pelo canto da ...

Ver mais

O hábito da leitura e seu impacto no desenvolvimento
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O hábito da leitura e seu impacto no desenvolvimento  “A leitura é a chave para se ter um universo de ideias e uma tempestade de palavras.” Eduarda Taynara Gonçalves Pereira  (ex-aluna da EEEP ...

Ver mais

Cafezinho 213 – Entropia
Cafezinho 213 – Entropia
Encontrar e consertar uma goteira ou uma trinca é ...

Ver mais

Cafezinho 212 – Cérebros roídos
Cafezinho 212 – Cérebros roídos
Na República das Banalidades, o que não é visto e nem ...

Ver mais

Cafezinho 211 – O crítico e o criativo
Cafezinho 211 – O crítico e o criativo
Basta uma olhada nos jornais televisivos diários para ...

Ver mais

Cafezinho 210 – Gosto médio
Cafezinho 210 – Gosto médio
Vida em sociedade implica no exercício diário da ...

Ver mais

Videocast Nakata T2 01

Videocast Nakata T2 01

Luciano Pires -

Quem é você, durante a crise econômica?

A pergunta é mais uma provocação do que uma questão reflexiva: afinal de contas, como você tem reagido aos ecos da mais recente crise no País?

Eu pergunto isso porque, se você puxar pela memória e pela própria história do Brasil, verá que o brasileiro e as crises são paralelos de uma mesma trajetória.

E quer saber? Nós saímos cada vez mais fortalecidos delas. Está no nosso DNA, praticamente.

Eu, por exemplo: corintiano desde o berço, só vi o Corinthians campeão depois de mais de 20 anos.

Além disso, o Brasil não estava nos seus melhores momentos quando eu nasci, em 1956, com o país em Estado de Sítio. E veja que beleza a sequência:

  • Renúncia de Jânio Quadros (1961);
  • Golpe Civil-Militar de 1964;
  • Repercussões da Guerra Fria (que durou até a queda do Muro de Berlim, em 1989);
  • Crise do Petróleo (1973);
  • Congresso fechado pelo presidente Geisel (1977);
  • Diretas Já (1984).
  • Democracia no Brasil (1985).

Veja quantas coisas enfrentamos, em quase 30 anos, desde 1956!

Acha pouco? Pois, de 1980 a 1994 tivemos uma inflação crônica, que chegou a 80% ao mês! Passamos, também, por 1 confisco monetário, 2 recessões, 2 colapsos cambiais, 5 planos econômicos diferentes, 6 moedas (e 1 quase moeda), 11 ministros da economia, 14 presidentes do banco central e 1 impeachment presidencial.

Mas não se sinta desanimado. É engraçado levantar essas questões porque percebemos que, mesmo diante de tantas, mas tantas adversidades, nós nos erguemos e nos reerguemos.

Daí o meu interesse em saber quem é você, durante a crise econômica. Sabe por quê?

“Coisas ruins acontecem. É a forma como reajo a elas que define meu caráter e a qualidade de minha vida”.

Walter Anderson

Porque a frase acima define bem a capacidade do brasileiro de enfrentar as dificuldades. Mas isso não significa que devemos esperar pelo fim da crise, muito pelo contrário! Devemos seguir a nossa natureza humana.

Você já deve ter ouvido falar na cidade japonesa de Hiroshima, que foi devastada por uma bomba atômica norte-americana em 1945, e por um tufão no mesmo ano.

Sabia que a população local havia sido reduzida a pouco mais de 100 mil habitantes após o ataque atômico? E que, atualmente, a cidade é um importante polo industrial e conta com pouco mais de 2 milhões de habitantes em sua região metropolitana? Você acha que a solução encontrada foi esperar a crise passar?

O que eu quero dizer é: não importa o nome da crise, suas consequências e como ela nos confronta todos os dias. Importa o que faremos com o que a crise tem feito conosco.

Em momentos de crise, temos que nos recolher, é claro. Mas para nos fortalecer!

A sugestão é seguir alguns passos:

  1. Não permita que suas emoções tomem conta de você, elas o impedem de agir racionalmente.
  2. Não leve tudo para o lado pessoal, fique calmo e não se transforme numa pessoa defensiva que só pensa em justificar seus pensamentos e ações.
  3. Mantenha uma atitude mental positiva, é ela que ajudará você a sair do caos e vencer a negatividade.
  4. Cuidado com o medo, ele torna você vulnerável, traz o pânico, congela mentalmente e faz perder o foco. O medo é necessário para nos manter vivos, mas é ruim quando paralisa.
  5. Responda com decisão. Procure ter convicção em seus atos, isso gera confiança, autoridade e, especialmente, a sensação de que você não perdeu o controle.

Tempos de crise são a hora de arrumar a casa, reduzir os gastos, compreender o momento e planejar as etapas seguintes. Pois, se você estiver pronto para o que vier a seguir, você se erguerá no fim do dia — e ainda mais forte do que estava antes da crise bater à porta.

O Brasil e o mundo já passaram por coisas terríveis. E aqui estamos. A pergunta é: como você vai reagir, a partir de agora, com a crise que assola o País?

A resposta é a nossa própria história. Um dia de cada vez, planejando sempre o dia seguinte.