Videocasts Café Brasil
Palestra O Meu Everest
Palestra O Meu Everest
Meu amigo Irineu Toledo criou um projeto chamado ...

Ver mais

Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

691 – Os agilistas
691 – Os agilistas
Conversei com o Marcelo Szuster no LíderCast 175, um ...

Ver mais

690 – Vale quanto?
690 – Vale quanto?
Cara, você aceita pagar pelo ingresso de um show a ...

Ver mais

689 – A Missão
689 – A Missão
De quando em quando publicamos no Café Brasil a íntegra ...

Ver mais

688 – Doar órgãos é doar vida
688 – Doar órgãos é doar vida
A doação de órgãos é um ato de generosidade, é o ...

Ver mais

LíderCast 178 – Tristan Aronovich
LíderCast 178 – Tristan Aronovich
Ator, músico, escritor, diretor e produtor de cinema, ...

Ver mais

LíderCast 177 – Rodrigo Ricco
LíderCast 177 – Rodrigo Ricco
CEO da Octadesk, empresa focada na gestão de ...

Ver mais

LíderCast 176 – Willians Fiori
LíderCast 176 – Willians Fiori
Professor, podcaster e profissional de marketing e ...

Ver mais

LíderCast 175 – Marcelo Szuster
LíderCast 175 – Marcelo Szuster
O cara do “Business Agility", que trata da capacidade ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

A chave de fenda
Chiquinho Rodrigues
Toninho Macedo era um daqueles músicos de fim de semana. Amava música e tocava seu cavaquinho “de brincadeira” (como ele dizia) aos sábados e domingos em uma banda de pagode ali do bairro onde ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 3 – Morfologia Sincategoremática (parte 6)
Alexandre Gomes
A MORFOLOGIA SINCATEGOREMÁTICA se refere a PALAVRAS que só tem significado quando associadas a outras PALAVRAS.   Bom, se tais palavras se referente a outras palavras, então as funções delas ...

Ver mais

Vilmoteca
Chiquinho Rodrigues
Ser músico e ter viajado por esse imenso Brasil são dádivas que agradeço todo dia ao Papai do Céu! Ter colecionado experiências e conhecido os mais variados tipos de malucos acabaram fazendo de ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 3 – Palavras Atributivas: verbos, advérbios e adjetivos (parte 5)
Alexandre Gomes
Continuando a tratar de VERBOS, irei expor agora sobre as classes de verbos:   TRANSITIVOS: aqueles que expressam uma ação que começa no sujeito (agente) e “vai até” (trans + ire) o objeto ...

Ver mais

Cafezinho 229 – Manicômio Legal
Cafezinho 229 – Manicômio Legal
O manicômio legal no qual estamos presos.

Ver mais

Cafezinho 228 – O medo permanente
Cafezinho 228 – O medo permanente
Enquanto destruíam nosso sistema de justiça criminal ...

Ver mais

Cafezinho 227 – Paralisia por análise
Cafezinho 227 – Paralisia por análise
A falta de experiência e repertório dessa moçada ...

Ver mais

Cafezinho 226 – O MCSC
Cafezinho 226 – O MCSC
Um movimento que independe de partidos, de políticos, ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10

Videocast Nakata T02 10

Ciça Camargo -

REFLETINDO SOBRE LIDERANÇA

“Todo dia ela faz tudo sempre igual, me sacode às seis horas da manhã…”

O versinho escrito e cantado por Chico Buarque esconde muito mais pérolas do que as rimas cadenciadas. Quer ver?

Eu já falei 75% do que fazemos ao longo do dia é repetir o que fizemos no dia anterior. Assim é perfeitamente natural que desenvolvamos hábitos. E hábitos nada mais são que:

“Comportamentos que aprendemos e repetimos frequentemente, sem pensar como executá-los. Usos, costumes; maneira de viver; modo constante de comportar-se, de agir.”

Vou repetir aqui os pontos mais importantes: comportamentos que repetirmos sem pensar como executá-los. Entendeu? Repetir sem pensar.

E isso tem tudo a ver com a forma como o nosso cérebro funciona.

As duas medidas do hábito no cotidiano

Hábitos são fundamentais, pois nos ajudam a economizar energia. Quando adquirimos um hábito, não precisamos mais gastar neurônios fazendo escolhas, pensando em como agir. Entra no automático e nossa mente pode se dedicar a atividades outras. Habitos nos ajudam a sobreviver.

Quem aprendeu a dirigir um automóvel sabe como é. Quando criança, olhando seus pais dirigindo, aquela dança de troca de marchas e pedais e retrovisores, parece impossível! Mas aí você aprende e, com a prática, nem se dá conta do que está  fazendo enquanto conduz o carro. Virou hábito.

Com isso, podemos pensar naquele “repetir sem pensar como executar”, que pode rapidamente se transformar em algo negativo. Vamos ver.

A estabilidade do ambiente de fábrica

Uma fábrica é um lugar que produz um produto ou serviço, é cheio de controle e medições, possui foco na redução de custos e onde alguém diz a você o que fazer.

Identificou-se com essa definição? E não precisa ser um ambiente de uma fábrica cheia de máquinas. Qualquer empresa que siga essa definição pode ser considerada uma fábrica, até mesmo um escritório de advocacia, uma clínica ou um banco.

E fábricas dependem de estabilidade. Precisam de uma rotina que torne tudo previsível e controlado.

Num ambiente de rotinas, com o tempo, sem perceber você pode se transformar num robô, numa engrenagem que, caso aparente algum problema, pode ser facilmente substituída.

Viu como o hábito pode ser útil e prejudicial ao mesmo tempo? Onde está a saída?

Não deixe que a repetição limite a sua imaginação ou que incapacite o surgimento de novas ideias. Você tem que ser o elemento que agrega valor, que traz ideias, que busca incessantemente novas formas de ser mais produtivo. Agindo assim, mesmo sendo apenas uma engrenagem, será a engrenagem indispensável!

Foi Erasmo de Roterdã quem um dia disse que “Não há nada tão absurdo que o hábito não torne aceitável.”

Entendeu? O conformismo, a repetição, a limitação… Tudo isso faz com que absurdos passem a se tornar aceitáveis! Precisa chegar alguém de fora para nos abrir os olhos para uma atitude, um processo, um comportamento que não é mudado pois entrou na rotina e nos acostumamos com ele.

Portanto, temos que ser mais que bovinos resignados. Aqueles que se conformam e aceitam, repetem suas ações indefinidamente e nunca saem do lugar. Mas tenha em mente uma coisa: pessoas criativas, que questionam, devem entender que ambientes estáveis são resistentes a mudanças. Não gostam de quem inova, pois a inovação implica em mudanças. E mudanças provocam instabilidades. Tudo aquilo que a fábrica não quer, perceba?  

Por isso é fundamental aprender a argumentar. E, como um lutador de MMA, saber resistir aos golpes que com certeza virão.

Pense nisso. Só mudamos nossas vidas quando questionamos nossos hábitos e, em vez de amarras, os transformamos em ferramentas para aumentar nossa produtividade.