Videocasts Café Brasil
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

601 – Alfabetização para a Mídia II
601 – Alfabetização para a Mídia II
Publicamos um videocast sobre Alfabetização para a ...

Ver mais

600 – God Save The Queen
600 – God Save The Queen
Café Brasil 600... Chegou a hora de comemorar outra ...

Ver mais

599 – Gastando tempo
599 – Gastando tempo
Quem ouve o Café Brasil há algum tempo sabe da minha ...

Ver mais

598 – O bovárico
598 – O bovárico
Madame Bovary é um livro clássico que nos apresenta a ...

Ver mais

LíderCast 97 – Michael Oliveira
LíderCast 97 – Michael Oliveira
Michael Oliveira, que é criador e apresentador do ...

Ver mais

LíderCast 96 – Ricardo Geromel
LíderCast 96 – Ricardo Geromel
Ricardo Geromel, que sai do Brasil para jogar futebol, ...

Ver mais

LíderCast 95 – Pascoal da Conceição
LíderCast 95 – Pascoal da Conceição
Pascoal da Conceição, que fala sobre a vida de ator no ...

Ver mais

LíderCast 94 – Marcelo e Evelyn Barbisan
LíderCast 94 – Marcelo e Evelyn Barbisan
Marcelo e Evelyn Barbisan. O Marcelo é médico, a Evelyn ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Mostrem essa coragem toda!
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não há mais o que falar, esmiuçar ou palpitar sobre a intervenção federal na Segurança do Rio de Janeiro. Entre especialistas da área, especialistas do nada, gente se fingindo de especialista e ...

Ver mais

Como não combater a inflação
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Como não combater a inflação  O livro que, infelizmente, poucos leram “Os controles são profunda e intrinsecamente imorais. Substituindo o governo da lei e da cooperação voluntária no mercado ...

Ver mais

Como vencer um debate tendo razão
Bruno Garschagen
Ciência Política
O estrondoso sucesso do psicólogo canadense Jordan Peterson tem mostrado coisas extremamente interessantes sobre como parte da sociedade reage diante de alguém que sabe defender corajosamente as ...

Ver mais

O oitavo círculo
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Faz uns bons anos, no departamento de trânsito de uma pequena e pacata cidade do interior paulista. Um cliente sofreu alguns danos em seu carro, devido aos quebra-molas exagerados, muito acima ...

Ver mais

Cafezinho 48 – As reformas
Cafezinho 48 – As reformas
Reformas estruturais implicam em mudanças na forma como ...

Ver mais

Cafezinho 47 – Os poblema
Cafezinho 47 – Os poblema
Como as mídias sociais revelaram o tamanho do desastre ...

Ver mais

Cafezinho 46 – Experimente
Cafezinho 46 – Experimente
Experimente abrir uma empresa. Seja o dono.

Ver mais

Cafezinho 45 – O louco
Cafezinho 45 – O louco
Na semana passada, quase sete anos após a apresentação ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09

Videocast Nakata – T02 09

Ciça Camargo -

REFLETINDO SOBRE MARCAS

Quando pensamos na construção de uma marca, o que você imagina? Certamente num logotipo de fácil identificação, numa propaganda, num cartão de visitas que o faça reconhecer a marca imediatamente ou mesmo um slogan que grude na cabeça e não saia mais. No entanto, nada isso é marca. Essas coisas são ferramentas para construção da marca.

Vou dar um exemplo. Imagine que você recebe a visita do José da Silva, que você não conhece. Tem um contado educado, tudo bem, estão ele lhe dá seu cartão de visitas, e você lê: José da Silva, coordenador de vendas, Nakata. Pronto! Não é mais o José da Silva. É o José da Silva da Nakata! Uau!

Percebeu? Se aquele “Nakata” é um símbolo bem trabalhado, passa a ser o que chamo de “fator UAU”. Quero fazer negócio com o José da Silva, pois ele é da Nakata, a marca que eu conheço e respeito!

Viu só? Marca vai muito além da representação física ou gráfica da empresa.

A marca é a percepção do cliente

Pelo título, já dá para ter uma base da onde eu quero chegar. A marca, no fim das contas, é intangível. Marca é o conjunto organizado de percepções  e de sentimentos  que identificam o indivíduo, a empresa, seus produtos e serviços e os diferenciam de seus eventuais concorrentes.

É só pensar comigo: se um vendedor atende você com uma lábia afiada, um corte de cabelo ajeitado e uma roupa cara, mas não transmite nenhuma confiança… Você continuaria a fazer negócio com ele? Ou voltaria para fazer um novo negócio?

Esses elementos são importantes, é claro, uma boa apresentação e argumentação são essenciais, mas não são tudo, pois a construção da marca está sendo feita a partir da percepção do cliente. De novo ela… É na cabeça do cliente que sua marca será construída.

A construção de marca é muito mais sensorial do que palpável. Por isso quero falar um pouquinho sobre reputação, um elemento-chave nessa longa equação que é a satisfação do cliente.

Construindo sua reputação

Provavelmente, você já deve ter ouvido falar naquele mantra querido de profissionais de RH:

Pessoas são o nosso ativo mais importante.

Pois eu penso diferente:

Pessoas CERTAS são o nosso ativo mais importante

Percebeu? Eu quero que as pessoas certas trabalhem comigo. Se eu conseguir ter a meu lado  as pessoas certas, fica mais fácil construir a reputação da marca, a mantê-la e fazer com que seja percebida de forma positiva pelos clientes.

Um indivíduo já é suficiente para manchar a reputação da sua marca. Por isso, SEJA a pessoa certa para a sua empresa!

O consultor e escritor Michael Hammer, autor do livro Reengenharia, definiu muito bem:

Uma companhia não é definida por seus produtos e serviços, mas por seus processos.

A empresa na qual você trabalha, não é definida pelos produtos que ela fabrica ou os serviços que presta. Você não é definido pelos produtos que vende ou o serviço que presta.

O que define você e sua empresa é o jeitão com que você faz isso. Jeitão, entendeu? É por seu jeitão que as pessoas vão escolher você e não o outro vendedor. Sua empresa e não a outra.

Com seu jeitão, você faz o cliente se apaixonar por você. Com seu jeitão, você mostra o quanto é uma pessoa nutritiva. É seu jeitão, que ajudará a construir ou destruir a reputação tanto de sua empresa como de você mesmo.

Entendeu? Preste atenção no seu jeitão.