Podcast Café Brasil com Luciano Pires
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

587 – Podres de Mimados
587 – Podres de Mimados
Você já reparou como estão mudando os padrões morais, ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

LíderCast 087 – Ricardo Camps
LíderCast 087 – Ricardo Camps
Ricardo Camps, empreendedor e fundador do Tocalivros, ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

O que aprendi com o câncer
Mauro Segura
Transformação
Esse é o texto mais importante que escrevi na vida. Na ponta da caneta havia um coração batendo forte. Todo o resto perto a importância perto do que vivemos ao longo desse ano.

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Cafezinho 24 – Não brinco mais
Cafezinho 24 – Não brinco mais
Pensei em não assistir mais, até perceber que só quem ...

Ver mais

Café Brasil Curto 01 – É TUDO SODA

Café Brasil Curto 01 – É TUDO SODA

Luciano Pires -

Sheena Iyengar, professora na escola de negócios de Columbia, nos EUA, desenvolve um trabalho de pesquisa sobre como as pessoas realizam suas escolhas. Durante pesquisa realizada com pessoas que cresceram sob regimes socialistas/comunistas, ela fez uma curiosa descoberta. Ao receber os grupos, Sheena oferecia sete diferentes tipos ou marcas de refrigerantes, perguntando qual as pessoas desejavam. E repetidamente, ouvia “qualquer uma”, afinal era tudo soda. A percepção só mudou quando foram oferecidos água e suco além das sete sodas. Então as pessoas passaram a ver três opções: soda, água e suco.

Sheena percebeu a diferença entre quem cresceu debaixo de um regime socialista, sem opções e sem exposição ao marketing, e os norte-americanos, por exemplo, com sua devoção quase religiosa às marcas.

E ela concluiu: para nós, que estamos expostos a opções de escolha e propagandas associadas a essas opções, escolher uma marca tem mais a ver com quem nós somos do que com o que o produto é.

Essa reflexão me surgiu neste final de semana ao ver as capas das revistas semanais e as mídias sociais definindo de vez que todos os políticos e todos os partidos são iguais: é tudo soda!

A crise política que a cada dia se torna mais profunda está causando a destruição de marcas construídas ao longo dos últimos 30 anos. Partidos e políticos que laboriosamente elaboraram suas narrativas, estão se desfazendo diante da percepção popular de que é tudo soda. E isso é péssimo, pois se é tudo igual, o jeito é escolher o menos ruim.

Mas quem escolhe o menos ruim, continua escolhendo o ruim.

Moral da história: assim como fomos expostos às propagandas das sodas que consumimos, mas no final escolhemos aquelas cujo sabor mais apreciamos, fomos expostos às propagandas dos políticos e partidos e percebemos os que têm gosto ruim. E se concluímos que todos têm gosto ruim, tá na hora de mudar pra suco. Ou água.

Abra os olhos para novas narrativas, para novas propostas, para marcas que você nunca viu. Mas jamais se esqueça: o produto que você escolher tem mais a ver com quem você é do que com a marca em si.