Podcast Café Brasil com Luciano Pires
Podpesquisa 2018
Podpesquisa 2018
Em sua quarta edição, a PodPesquisa 2018 recebeu mais ...

Ver mais

Como decidi em quem votarei para Presidente
Como decidi em quem votarei para Presidente
Não sei se estou certo, não fui pela emoção, não estou ...

Ver mais

Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

639 – Chega de falar de política
639 – Chega de falar de política
Diversos ouvintes mandam mensagens pedindo para que eu ...

Ver mais

638 – O efeito Dunning-Kruger
638 – O efeito Dunning-Kruger
Cara, eu fico besta com a quantidade de gente que ...

Ver mais

637 – LíderCast 10
637 – LíderCast 10
Olha só, chegamos na décima temporada do LíderCast. Com ...

Ver mais

636 – As duas éticas da eleição
636 – As duas éticas da eleição
Gravei um LíderCast da Temporada 11, que só vai ao ar ...

Ver mais

LíderCast 132 – Alessandro Loiola
LíderCast 132 – Alessandro Loiola
Médico, escritor, um intelectual inquieto, capaz de ...

Ver mais

LíderCast 131 – Henrique Szklo e Lena Feil
LíderCast 131 – Henrique Szklo e Lena Feil
Henrique Szklo e Lena Feil – Henrique se apresenta como ...

Ver mais

LíderCast 130 – Katia Carvalho
LíderCast 130 – Katia Carvalho
Mudadora de vidas, alguém que em vez de apenas lamentar ...

Ver mais

LíderCast 129 – Guga Weigert
LíderCast 129 – Guga Weigert
DJ e empreendedor, que a partir da experiência com a ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Quem não é capaz de rir de si mesmo será sempre um intolerante em potencial
Henrique Szklo
Humorista de verdade não tem lado, não tem ideologia, não tem bandeira. Independentemente de sua posição pessoal, tem de ser livre o suficiente para atirar em tudo o que se mexe e no que não se ...

Ver mais

Capitalismo Versus Esquerdismo*
Alessandro Loiola
Uma das consequências involuntárias do capitalismo é que ele coloca diferentes culturas e sociedades em contato direto muito mais amplo umas com as outras. Liga as pessoas entre si muito mais ...

Ver mais

A cavalgada de um cowboy
Jota Fagner
Origens do Brasil
Cowboy não havia dormido bem. Tinha feito corridas até às duas da manhã. O trabalho como moto-taxista costumava não render muito, mas em época de alta temporada a demanda era muito grande. ...

Ver mais

O ENEM e a (anti-)educação
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Nos dois últimos fins-de-semana, milhões de candidatos ao ensino superior realizaram as provas do ENEM. O vestibular é o telos do ensino fundamental e médio no Brasil. As escolas privadas assumem ...

Ver mais

Cafezinho 125 – O chute
Cafezinho 125 – O chute
Se o governador mentiu ou se enganou, peço desculpas ...

Ver mais

Cafezinho 124 – À luz do sol
Cafezinho 124 – À luz do sol
É assim, com a luz do sol, que a gente faz a limpeza.

Ver mais

Cafezinho 123 – A zona da indiferença
Cafezinho 123 – A zona da indiferença
Ter consciência sobre o que é certo e errado todo mundo ...

Ver mais

Cafezinho 122 – Vira a chave
Cafezinho 122 – Vira a chave
Mudar de assunto no calor dos acontecimentos é ...

Ver mais

594 – Sultans of Swing

594 – Sultans of Swing

Luciano Pires -

Láááááá em 1977 uma obscura banda inglesa começou a jornada para se transformar numa das mais conhecidas da história: o Dire Straits. E chegaram chegando, com um clássico chamado Sultans of Swing. Senta que lá vem bronca…

Posso entrar?

Amigo, amiga, não importa quem seja, bom dia, boa tarde, boa noite, este é o Café Brasil e eu sou o Luciano Pires.

E quem vai levar o e-book Me engana que eu gosto é a Natassia

“Luciano, já é o segundo Café Brasil que eu comento. Só queria dizer assim que, sempre que você pôs as músicas brasileiras ou jazz ou algo assim muito fora do meu gosto musical, eu sempre curti porque você explica a música, explica o contexto e tudo, mas dessa vez devo te dizer, puta que pariu, cê acertou nas músicas, viu? Ééééé Podres de mimados, se não me engano o nome do Café. Tipo, cara, eu sou nascida em 83, meu pai me pôs desde bebê escutando ACDC, Guns’ Roses, Metallica, entendeu? Até o Hanson me representou nesse podcast, cara. Melhor podcast ever musical que eu achei. Na hora que começou Enter the sandman, falei não agora, agora, esse é meu podcast agora,agora  vai falar…”

Rarararaa… a reação da Natassia é a mesma de um monte de gente que se identificou com as músicas daquele programa, daquela época, viu? Olha, não tem jeito, não. Músicas marcam momentos da vida da gente e não há quem resista ao turbilhão de lembranças e emoções que elas provocam. Como no programa de hoje, por exemplo…

Muito bem. A Natassia receberá um KIT DKT, recheado de produtos PRUDENCE, como géis lubrificantes e preservativos masculino e feminino. PRUDENCE é a marca dos produtos que a DKT distribui como parte de sua missão para conter as doenças sexualmente transmissíveis e contribuir para o controle da natalidade.  ai? O que a DKT faz é marketing social e você contribui quando usa produtos Prudence. facebook.com/dktbrasil

Lalá, vamos então comemorar nós dois aqui hoje, vai? É mais um ano que se passa e a DKT conosco aqui, a gente vai comemorar muito bem hoje. Vamo lá:

Lalá – Na hora do amor

Luciano – Use Prudence.

Lalá – É isso aí!

Vamos ao Café Brasil Premium, a  nossa “Netflix do Conhecimento” Aquele ambiente educacional repleto de conteúdos originais. Olha! Estou olhando aqui agora, neste momento são 1112 assinantes recebendo todo mês sumários de livros, vídeos, podcasts, áudios… cara! É um monte de conteúdo, como eu disse ali, original, uma festa para quem quer crescer. Conheça nossa proposta,  junte-se aos assinantes que já estão viajando por lá.

cafebrasilpremium.com.br

Conteúdo extra-forte.

Lalá, tudo pronto mais uma vez, hein? Liga aí a nossa nave… Vambora pra 1977?

Anarchy In The U.K.
Sex Pistols

I’m an anti-christ
I’m an anarchist
Don’t know what I want, but I know how to get it
I wanna destroy passer by

‘Cause I wanna be anarchy
No dog’s body

Anarchy for the U.K.
It’s coming sometime and maybe
I give a wrong time, stop a traffic line
Your future dream is a shopping scheme

‘Cause I, I wanna be anarchy
In the city

How many ways to get what you want
I use the best, I use the rest
I use the N.M.E.
I use anarchy

‘Cause I wanna be anarchy
It’s the only way to be

Is this the M.P.L.A.
Or is this the U.D.A.
Or is this the I.R.A.?
I thought it was the U.K.

Or just another country
Another council tenacy

I wanna be anarchy

And I wanna be anarchy
Know what I mean

And I wanna be an anarchist
I get pissed, destroy

Anarquia no Reino Unido

Eu sou um anticristo
Eu sou um anarquista
Não sei o que eu quero, mas sei como conseguir
Eu quero destruir transeuntes

Porque eu quero ser anarquia
Não o cachorro de alguém

Anarquia para o Reino Unido
Virá em algum momento e talvez
Dou o tempo errado, paro o fluxo de trânsito
Seu sonho futuro é um esquema comercial

Porque eu, eu quero ser anarquia
Na cidade

Quantas formas existem para conseguir o que se quer
Eu uso o melhor, eu uso o resto
Eu uso a N.M.E.
Eu uso anarquia

Porque eu quero ser anarquia
É a única maneira de ser

Isso é a M.P.L.A.
Ou é o U.D.A.
Ou é o I.R.A.?
Eu pensei que fosse o Reino Unido

Ou apenas outro país
Outra propriedade do conselho

Eu quero ser anarquia

E eu quero ser anarquia
Sabe o que eu quero dizer

E eu quero ser um anarquista
Eu fico bravo, destrua

Uau! Estamos na Inglaterra… mais uma vez… desta vez em 1977 e esse aí ao fundo era o clima por lá… Alguns meses antes, o Sex Pistols incendiavam o mundo com  o som punk de Anarchy in the Uk.

Enquanto o movimento punk quebrava tudo, um professor de inglês com 28 anos de idade chamado Mark, seu irmão mais novo, David e um estudante de sociologia chamado John Illsley, dividiam um flat em Stepford, no sul de Londres.

Mark e David Knopfler eram filhos de um arquiteto e aprenderam a tocar guitarra na adolescência. Em 1977 Mark dividia seu tempo entre ensinar literatura e ensaiar com seu irmão David e com o companheiro de apartamento, John. Também um bateirista de estúdio chamado Pick Withers os acompanhava.  A garotada queria formar uma banda. E usando o nome de uma banda antiga de Mark, Café Racers, o grupo fez sua primeira apresentação num festival punk. Um amigo de Pick, vendo a situação financeira caótica do grupo sugeriu que eles adotassem o nome de Dire Straits, expressão em inglês que significa estar numa situação desesperadora, estar indo de mal a pior.

Sacou? Dire Straits, seria algo como “os fudidos”…

Com um estilo econômico, Dire Straits foi influenciado pelo blues rock de J.J. Cale, músico norte americano falecido em 2013, que é cultuado por muita gente boa. Cale é autor de muitos sucessos, um deles que explodiu com Eric Clapton, e que você certamente conhece.

Cocaine
J. J. Cale

If you wanna hang out you’ve got to take her out
Cocaine
If you wanna get down, down on the ground
Cocaine

She don’t lie
She don’t lie
She don’t lie
Cocaine

If you got bad news, you wanna kick them blues
Cocaine
When your day is done and you wanna run
Cocaine

She don’t lie
She don’t lie
She don’t lie
Cocaine

If your thing is gone, and you wanna ride on
Cocaine
Don’t forget this fact, you can’t get it back
Cocaine

She don’t lie
She don’t lie
She don’t lie
Cocaine

She don’t lie
She don’t lie
She don’t lie
Cocaine

Cocaína

Se você quer dar uma volta, tem que levá-la
Cocaína
Se você quer ficar deprimido, arrasado no chão
Cocaína

Ela não mente
Ela não mente
Ela não mente
Cocaína

Se você recebe notícias ruins, quer expulsar as tristezas
Cocaína
Quando seu dia está terminado e você quer fugir
Cocaína

Ela não mente
Ela não mente
Ela não mente
Cocaína

Se o seu assunto acabou e você quer continuar
Cocaína
Não esqueça deste fato, você não pode recuperá-lo
Cocaína

Ela não mente
Ela não mente
Ela não mente
Cocaína

Ela não mente
Ela não mente
Ela não mente
Cocaína

Essa é Cocaine, com JJ Cale, por quem Mark Knopfler assumiu uma certa obsessão. O Dire Straits também tem influências do jazz e do country. As letras de Mark se assemelham ao estilo da narrativa de Bob Dylan.

Tentando fazer com seu trabalho aparecesse, o grupo juntou 120 libras e gravou um demo tape com cinco canções, entre elas uma chamada Sultans of swing. A gravação daquela demo é esta. Solta aí Lalá…

Sultans of swing
Mark Knopfler

You get a shiver in the dark
It’s raining in the park, but meantime
South of the river you stop and you hold everything
A band is blowin’ dixie double four time
You feel alright when you hear that music ring

And now you step inside, but you don’t see too many faces
Comin’ in out of the rain, you hear the jazz go down
Competition in other places
Oh, but the horns, they blowin that sound
Way on down south, way on down south London town

You check out guitar, George
He knows all the chords
Mind he’s strictly rhythm
He doesn’t wanna make it cry or sing
Yes, and an old guitar is all he can afford
When he gets up under the lights to play his thing

And Harry doesn’t mind if he doesn’t make the scene
He’s got a daytime job, he’s doin’ alright
He can play the “Honk Tonk” like anything
Savin’ it up for friday night
With the “Sultans”
With the “Sultans of Swing”

And a crowd of young boys, they’re fooling around in the corner
Drunk and dressed in their best brown baggies and their platform soles
They don’t give a damn about any trumpet playing band
It ain’t what they call rock and roll
And the “Sultans”
Yeah, the ‘Sultans’ played Creole, Creole

And then the man, he steps right up to the microphone
And says, “At last”, just as the time bell rings
“Goodnight, now it’s time to go home”
And he makes it fast with one more thing
We are the “Sultans”, we are the “Sultans of Swing”

Sultões do balanço

Você sente um arrepio na escuridão
Está chovendo no parque, mas enquanto isso
Ao sul do rio você para e presta atenção
Uma banda toca Dixie em quatro tempos dobrados
Você se sente bem quando escuta aquela música

E agora você entra, mas não vê muitos rostos
Saindo da chuva, você escuta o jazz soar
Competição em outros lugares
Oh, mas os trompetes, eles tocam aquele som
A caminho do sul, caminho do sul de Londres

Você checa as guitarras, George
Ele sabe todos os acordes
Percebe que ele é só ritmo
Ele não quer fazer a guitarra gritar ou cantar
Sim, e uma velha guitarra é tudo que ele pode pagar
Quando entra debaixo das luzes para tocar seu instrumento

E Harry não se incomoda se ele não roubar a cena
Ele tem um trabalho regular, ele está no caminho certo
Ele pode tocar “Honky Tonk” como ninguém
Guardando-a para a noite de sexta
Com os “Sultões”
Com os “Sultões do Balanço”

E uma turma de jovens garotos está zoando em um canto
Bêbados e vestidos em suas melhores calças marrons e seus calçados plataforma
Eles não ligam para a banda tocando trompete
Isso não é o que eles chamam rock and roll
E os “Sultões”
Sim, os ‘Sultões’ tocaram Creole, Creole

E então um homem caminha até o microfone
E diz, “Finalmente”, quando o sino toca
“Boa noite, agora é a hora de ir para casa”
E faz isso rapidamente, só mais uma coisa
Somos os “Sultões”, somos os “Sultões do Balanço”

Essa fita demo chegou às mãos de um disk jóquei de rádio e  talentoso caçador de talentos. O pessoal levou pra ouvir algumas dicas, que ele teria a dar, mas o  cara pegou e botou no ar. Ele a tocou em seu programa… um executivo da Phonogram estava ouvindo e logo o Dire Straits estava assinando um contrato com o selo Vertigo. Entre fevereiro e março de 1978, após abrir uma turnê do Talking Heads, eles gravaram seu primeiro LP, que incluía Sultans of swing, Water of love e Six blade knife. O orçamento? 12.500 libras de 1977, que equivalem hoje a 250 mil reais.

Mark Knopfler compôs Sultans of swing usando uma guitarra simples e a princípio achou que a canção era enfadonha. Até que ele comprou sua primeira Fender Stratocaster em 1977. Era um modelo lendário de 1961, e Mark diz: “…aí tudo mudou. Apesar da letra permanecer a mesma, a canção ganhou vida assim que a toquei em minha Stratocaster.”

Foi Sultans of swing  que apresentou ao mundo uma marca registrada do Dire Straits, o diálogo dos vocais de mark Knopfler com os solos de guitarra. Aliás, Mark desenvolveu um estilo único de tocar. Um dia,  tocando num violão Gibson, Mark deixou de lado palheta e experimentou tocar com os dedos. Pronto. Deu-se a mágica. Mark adotou um estilo muito pessoal, na contramão dos grandes guitarristas do rock.

No roteiro deste programa no portalcafebrasil.com.br publico um vídeo onde Mark explica sua transição da palheta para o que eles chamam de fingerstyle.

Cara, é sensacional… faz até parecer que é fácil…

A letra de Sultans of swing  fala de uma banda com poucos músicos, que Mark viu tocando num jazz club ou num pub meio vazio na Inglaterra. A canção trata a banda como um grupo de amigos que ama o que faz, toca pelo prazer de tocar, sem a obsessão de estourar para o sucesso. Não estão ali como um estágio para algo maior, estão para viver aquele momento, para dar o melhor de si. Quando a banda terminou sua apresentação, o cantor disse que eles eram os Sultans of swing . O contraste entre o nome suntuoso e o contexto em que a banda se apresentava, chamou a atenção de Mark. Mas o título da canção tem outras inspirações. Primeiro num grupo formado pelo saxofonista Al Cooper no final dos anos 1930 e que você ouve aí ao fundo…

Além disso, o lendário DJ e promotor Alan Freed liderou por um período uma banda de uma escola de dança chamada Sultans of swing …

Bem, esse é o baixo de John Illsley em Sultans of swing …  A letra começa descrevendo um contexto de um parque, na escuridão da noite, uma chuva que dá arrepios… quando você percebe que uma banda toca dixie, um tipo de música do sul dos Estados Unidos… Você está a caminho da zona Sul de Londres e conforme se aproxima, saindo da chuva para ouvir o jazz tocar,  percebe que não tem muita gente. Você repara no guitarrista, George, que com uma velha guitarra, toca direitinho, sem se interessar por grande performances… ele só quer tocar a sua música. E também tem o Harry, que só quer tocar sua música, mesmo de graça em cabarés. Especialmente nas noites de sexta feira… com o Sultans of Swing, os Sultões do Balanço. O Guitar Goerge o Harry são George Young e Harry Vander, que eram guitarristas na banda The Easybeats. George era o irmão mais velho de Malcolm e Angus Young os fundadores do AC/DC…

Enquanto a banda toca, uma garotada fica zombando na esquina… eles não estão nem aí com o som, afinal, não é rock´n roll. E, sem se importar, os Sultans tocam como Jimmy Hendrix…. E quando chega o final do show, um homem pega o microfone e diz: “Boa noite, agora é hora de ir pra casa… nós somos os sultões… os sultões do balanço…”

O estilo de cantar de Mark Knopfler é minimalista, não tem arroubos, não tem vozeirão… Lalá, manda aí…

Legal, não é? Parece que ele está falando com a gente… Ô Lalá, vamos botar aí a batera do Pick Withers?

Pronto… tá quase no ponto aí, ó. Vamos botar agora  as guitarras do Mark e do David?

Cara… Era a primeira vez que o mundo ouvia aquela banda! E os caras chegam com um clássico!

Dentro da canção está um dos solos de guitarra mais famosos da história! Aliás, foi o solo de Mark Knopfler que deu a Sultans of swing o status de clássico. A revista Guitar World colocou esse solo em vigésimo segundo lugar entre os maiores solos de todos os tempos.

É o máximo, não? Qualquer estudante de guitarra tem como objetivo um dia tocar esse solo parecido com Mark, cara…

Ao ser lançada, a canção chegou ao 8º lugar no ranking dos singles na Inglaterra, e em 4º. Lugar no Billboard Hot 100. Sultans of swing  conta uma história de amor pela música. A história é simples, mas a fluência narrativa detalhada, contém um dos solos de guitarra mais impactantes desde Hendrix e Clapton, e ele continua, cara, executado por um artista que compreendeu, como poucos guitarristas, o valor do comedimento. Esperar o momento certo antes de liberar a energia. Ser capaz de, humildemente, dar um passo atrás, causando uma impressão muito mais profunda do que aqueles guitarristas que atingem você na cabeça com toda pirotecnia. Se algum dia você ouvir essa  expressão “fazer mais com  menos”, pense em Mark Knopfler…

E o Dire Straits não parou mais. Depois de seu primeiro álbum, vieram mais quatro, até chegar no quinto, em 1985, Brothers in arms.

Money for nothing
Mark Knopfler
Sting

Now look at them yo-yo’s that’s the way you do it
You play the guitar on the MTV
That ain’t workin’, that’s the way you do it
Money for nothin’ and chicks for free
Now that ain’t workin’, that’s the way you do it
Lemme tell ya, them guys ain’t dumb
Maybe get a blister on your little finger
Maybe get a blister on your thumb

We gotta install microwave ovens
Custom kitchen deliveries
We gotta move these refrigerators
We gotta move these colour TV’s

See the little faggot with the earring and the makeup
Yeah, buddy, that’s his own hair
That little faggot got his own jet airplane
That little faggot he’s a millionaire

We gotta install microwave ovens
Custom kitchens deliveries
We gotta move these refrigerators
We gotta move these colour TV’s

We gotta install microwave ovens
Custom kitchens deliveries
We gotta move these refrigerators
We gotta move these colour TV’s

I shoulda learned to play the guitar
I shoulda learned to play them drums
Look at that mama, she got it stickin’ in the camera
Man, we could have some fun
And he’s up there, what’s that? Hawaiian noises?
Bangin’ on the bongoes like a chimpanzee
That ain’t workin’ that’s the way you do it
Get your money for nothin’, get your chicks for free

We gotta install microwave ovens
Custom kitchen deliveries
We gotta move these refrigerators
We gotta move these colour TV’s

Now that ain’t workin’, that’s the way you do it
You play the guitar on the MTV
That ain’t workin’, that’s the way you do it
Money for nothin’ and your chicks for free
Money for nothin’ and chicks for free
Money for nothin’ and chicks for free

Dinheiro para nada

Olha só para a grana deles é assim que se faz
Tocar guitarra na MTV
Aquilo não é trabalhar, é assim que se faz
Dinheiro por nada e garotas de graça
Aquilo não é trabalhar, é assim que se faz
Me deixe te dizer, aqueles caras não são burros
Talvez alguns bolhas em seu dedo mindinho
Talvez uma bolha em seu polegar

Temos que instalar fornos de microondas
Entrega de cozinhas customizadas
Temos que mover esses refrigeradores
Temos que mover essas televisões em cores

Está vendo aquela bichinha com brincos e maquiagem
Sim, parceiro, aquele é o cabelo dele
Aquela bichinha tem seu próprio jato
Aquela bichinha é milionária

Temos que instalar fornos de microondas
Entrega de cozinhas customizadas
Temos que mover esses refrigeradores
Temos que mover essas televisões em cores

Temos que instalar fornos de microondas
Entrega de cozinhas customizadas
Temos que mover esses refrigeradores
Temos que mover essas televisões em cores

Eu deveria ter aprendido a tocar guitarra
Eu deveria ter aprendido a tocar bateria
Olha só para aquela gracinha, ela está enfiando na câmera
Cara, nós poderíamos nos divertir um pouco
E ele está lá em cima, o que é isso? Barulhos havaianos?
Batucando nos bongôs como chimpanzés
Aquilo não é trabalhar, é assim que se faz
Pegue o seu dinheiro para nada e suas garotas de graça

Temos que instalar fornos de microondas
Entrega de cozinhas customizadas
Temos que mover esses refrigeradores
Temos que mover essas televisões em cores

Aquilo não é trabalhar, é assim que se faz
Você toca guitarra na MTV
Aquilo não é trabalhar, é assim que se faz
Dinheiro para nada e suas garotas de graça
Dinheiro para nada e garotas de graça
Dinheiro para nada e garotas de graça

Alavancado pelo clássico Money for nothing, Brothers in arms tornou-se um fenômeno mundial, vendendo 26 milhões de cópias no mundo todo. Mas o disco tinha outros petardos, como Walk of life

Walk of life
Mark Knopfler

Here comes Johnny singing Oldies, Goldies
Be-bop-a-lula, baby, what I say
Here comes Johnny singing I gotta woman
Down in the tunnels, trying to make it pay

He got the action, he got the motion
Oh yeah, the boy can play
Dedication, devotion
Turning all the night time into the day

He do the song about the sweet lovin’ woman
He do the song about the knife
And he do the walk, he do the walk of life
Yeah, he do the walk of life

Here comes Johnny goin’ tell you the story
Hand me down my walkin’ shoes
Here come Johnny with the power and the glory
Backbeat, the talkin’ blues

He got the action, he got the motion
Yeah, the boy can play
Dedication, devotion
Turning all the night time into the day

He do the song about the sweet lovin’ woman
He do the song about the knife
And he do the walk, he do the walk of life
Yeah, he do the walk of life

Here comes Johnny singing oldies, goldies
Be-bop-a-lula, baby what I say
Here comes Johnny singing “I Gotta Woman”
Down in the tunnels, trying to make it pay

He got the action, he got the motion
Oh yeah, the boy can play
Dedication, devotion
Turning all the night time into the day

And after all the violence and double talk
There’s just a song in all the trouble and the strife
You do the walk, you do the walk of life
Hum, you do the walk of life

Andar da vida

Aqui vem Johnny cantando Oldies, Goldies
Be-bop-l-lula, querida, é o que digo
Aqui vem Johnny cantando I Gotta Woman
No metrô, tentando conseguir um trocado

Ele tem a ação, ele tem o movimento
Sim, o garoto pode tocar
Dedicação, devoção
Tornando todas as noites em dias

Ele toca a música sobre uma doce amada mulher
Ele toca a música sobre a faca
E ele faz o andar, ele faz o andar da vida
Sim, ele faz o andar da vida

Aqui vem Johnny e ele irá te contar a história
Me alcance meus sapatos ambulantes
Aqui vem Johnny com o poder e a glória
Backbeat, o Blues falante

Ele tem a ação, ele tem o movimento
Sim, o garoto pode tocar
Dedicação, devoção
Tornando todas as noites em dias

Ele toca a música sobre uma doce amada mulher
Ele toca a música sobre a faca
E ele faz o andar, ele faz o andar da vida
Sim, ele faz o andar da vida

Aqui vem Johnny cantando Oldies, Goldies
Be-bop-l-lula, querida, é o que digo
Aqui vem Johnny cantando “I Gotta Woman”
No metrô, tentando conseguir um trocado

Ele tem a ação, ele tem o movimento
Sim, o garoto pode tocar
Dedicação, devoção
Tornando todas as noites em dias

E depois de toda a violência e discussão
Há apenas uma canção em todo problema e conflito
Você faz o andar, você faz o andar da vida.
Hum, você faz o andar da vida

… mas tinha mais, cara! Tinha também “So Far Away”

So far away
Dire Straits

Now here I am again in this mean old town
And you’re so far away from me
Now where are you when the sun goes down?
You’re so far away from me

You’re so far away from me
So far I just can’t see
You’re so far away from me
Alright

I’m tired of being in love and being all alone
When you’re so far away from me
I’m tired of making out on the telephone
‘Cos you’re so far away from me

You’re so far away from me
So far I just can’t see
You’re so far away from me
Alright

And I get so tired when I have to explain
That you’re so far away from me
See you’ve been in the sun and I’ve been in the rain
And you’re so far away from me

You’re so far away from me
So far I just can’t see
You’re so far away from me
Take it down

So far away
You’re so far away from me
You’re so far
Oh, it’s so far away from me

Yeah, it’s so far away from me
So far away from me
You’re so far
And you’re so far away from me

So far away from me
You’re so far
So far away from me

You’re so far away from me
So far away from me
So far away
You’re so far

So far away from me
Yeah, yeah
So far away from me
You’re so far

Alright
You’re so far
And it’s so far away from me

Tão distante

Aqui estou eu de novo nesta maldita cidade velha
E você está tão longe de mim
E onde você está quando o sol se põe?
Você está tão longe de mim

Você está tão longe de mim tão longe
Que eu nem enxergo
Você está tão longe de mim
É isso aí

Estou cansado de estar amando e sozinho
Quando você está tão longe de mim
Estou cansado de namorar pelo telefone
Porque você está tão longe de mim

Você está tão longe de mim
Tão longe que eu nem enxergo
Tão longe de mim
É isso aí

E eu fico cansado quando tenho que explicar
Que você está tão longe de mim
Você está tomando sol e eu estou tomando chuva
E você está tão longe de mim

Tão longe de mim
Tão longe que eu nem enxergo
Você está tão longe de mim
Saca só

Tão longe
Você está tão longe de mim
Você está tão longe
Oh, é tão longe de mim

Sim, é tão longe de mim
Tão longe de mim
Você está tão longe
E você está tão longe de mim

Tão longe de mim
Você está tão longe
Tão longe de mim

Você está tão longe de mim
Tão longe de mim
Tão longe
Você está tão longe

Tão longe de mim
Yeah, yeah
Tão longe de mim
Você está tão longe

É isso aí
Você está tão longe
E é tão longe de mim

Brothers in Arms se transformou no primeiro CD a vender mais de um milhão de cópias e o primeiro a ultrapassar as vendas do LP.

Por volta de 1982 Mark Knopfler escreveu uma música que falava de uma prostituta, com a intenção de lançar no álbum Love Over Gold do Dire Straits. Chegaram a gravar o instrumental, mas Mark desistiu de gravar a canção, achando que a letra não tinha nada a ver com uma voz masculina. A canção permaneceu guardada por dois anos, até que em 1984 chegou às mãos de Tina Turner…

Private dancer
Mark Knopfler

All the men come in these places
And the men are all the same
You don’t look at their faces
And you don’t ask their names
You don’t think of them as human
You don’t think of them at all
You keep your mind on the money
Keeping your eyes on the wall

I’m your private dancer
A dancer for money
I’ll do what you want me to do
I’m your private dancer
A dancer for money
And any old music will do

I wanna make a million dollars
I wanna live out by the sea
Have a husband and some children
Yeah, I guess I want a family
All the men come in these places
And the men are all the same
You don’t look at their faces
And you don’t ask their names

Deutschmarks or dollars
American Express will do nicely…Thank You!
Let me loosen up your collar
Tell me do you wanna see me do the shimmy again

Dançarina particular

Todos os homens vem nestes lugares
E os homens são todos os mesmos
Voce não olha para seus rostos
E voce não pergunta seus nomes
Voce não pensa neles como humanos
Voce absolutamente não pensa neles
Voce se concentra no dinheiro
Fixando seus olhos na parede

Eu sou uma dançarina particular
Uma dançarina por dinheiro
Eu farei o que voce quer que eu faça
Eu sou uma dançarina particular
Uma dançarina por dinheiro
Qualquer musica velha eu dançarei

Eu quero fazer um milhão de dolares
Eu quero viver perto do mar
Ter um marido e alguns filhos
Sim, eu acho que quero uma familia
Todos os homens vem nesses lugares
E os homens são todos os mesmos
Voce não olha para seus rostos
E voce não pergunta seus nomes

Marcos alemães ou dólares
American express será gentil…obrigada!
Deixe-me soltar seu colarinho
Diga-me voce não quer me ver rebolar novamente

… É, meu caro, Private dancer era para ter sido gravada pelo Dire Straits…

Muito bem. Mark Knopfler nunca parou, dedicou-se a escrever músicas para o cinema e quando o Dire Straits se separou em 1995, lançou uma série de álbuns solo que, embora fossem sucessos de crítica, nunca repetiram o sucesso comercial da banda.

Sabe o mais legal dessa história, hein? É que as coisas não acontecem por acaso e algumas ironias são notáveis. Tirando um ou outro músico, quando o Dire Straits explodiu mundialmente, era a mesma banda que apenas dez anos antes estava competindo por um espaço com outras dezenas de bandas obscuras em festivais obscuros da Inglaterra. O fato deles atingirem o sucesso justamente com uma canção que descreve o dia a dia de uma banda obscura, não pode ser só coincidência, cara!

É mágica…

O Dire Straits esteve junto por menos de vinte anos, tempo suficiente para se transformar numa das mais bem sucedidas bandas inglesas e ao mesmo tempo uma das mais subestimadas.  Procure os shows deles no Youtube, em especial um em Sidney, em 1986, que é fantástico…

É nele que está esta versão em calipso de SO FAR AWAY, com a qual vamos saindo no suíngue.

Com o entusiasmado Lalá Moreira na técnica, a encantada Ciça Camargo na produção e eu que fiquei ainda mais fã do Dire Straits, Luciano Pires, na direção e apresentação.

Estiveram conosco a ouvinte Natassia, JJ Cale, Tina Turner e Mark Knopfler, David Knopfler, John Illsley e Pick Withers, Allan Clark, Guy Fletcher, Terry Williams e Omar Hakim, de diversas formações do Dire Straits.

Este é o Café Brasil. De onde veio este programa tem muito mais. Visite para ler artigos, para acessar o conteúdo deste podcast, para visitar nossa lojinha no … portalcafebrasil.com.br.

Mande um comentário de voz pelo WhatSapp no 11 96429 4746. Quem estiver fora do país, é o: 55 11 96429 4746. E também estamos no Telegram, com o grupo Café Brasil.

Mergulhe fundo no mundo do Café Brasil acessando: cafebrasilpremium.com.br.

Conteúdo provocativo, grupos de discussão e uma turma da pesada, reunida para trocar ideias de forma educada, compartilhando conhecimento e no fim, todo mundo crescendo junto!

Hoje vou terminar o programa de uma forma diferente. Primeiro com uma frase de Mark Knopfler, seguida de Sultans of Swing, mas na versão de William Lee, o guitarrista e artista de rua que encantava a todos que o ouviam e que perdemos em 2017…

Primeiro a frase:

Eu não gosto de definições, mas se existe uma definição para liberdade, deve ser quando você tem controle sobre sua realidade para transformá-la, em vez de tê-la imposta sobre você. Não dá para querer mais que isso.