Podcast Café Brasil com Luciano Pires
A “Netflix de Conteúdo”
A “Netflix de Conteúdo”
Surge o Café Brasil Premium, uma espécie de "Netflix do ...

Ver mais

OrgulhoDeSerCorrupto
OrgulhoDeSerCorrupto
Isca intelectual de Luciano Pires. Neste Brasil ...

Ver mais

O moço do Uber
O moço do Uber
Isca intelectual de Luciano Pires relatando uma ...

Ver mais

A terceirização e os brontossauros
A terceirização e os brontossauros
A terceirização e os brontossauros. Isca intelectual de ...

Ver mais

558 – O Café Brasil Premium
558 – O Café Brasil Premium
Podcast Café Brasil 558 - O Café Brasil Premium. No ...

Ver mais

557 – Três princípios para falar de Justiça
557 – Três princípios para falar de Justiça
Podcast Café Brasil 557 - Três princípios para falar de ...

Ver mais

556 – Certos abraços – Revisitado
556 – Certos abraços – Revisitado
Podcast Café Brasil 556 - Certos abraços - Revisitado. ...

Ver mais

555 – Uma proposta para reforma da Previdência
555 – Uma proposta para reforma da Previdência
Podcast Café Brasil 555 - Uma proposta para transformar ...

Ver mais

LíderCast 065 – Antonio Carlos Sartini
LíderCast 065 – Antonio Carlos Sartini
Hoje recebo Antonio Carlos de Moraes Sartini, Bacharel ...

Ver mais

LíderCast 064 – Luiz Henrique Romagnoli
LíderCast 064 – Luiz Henrique Romagnoli
Hoje recebo o Roma, Luiz Henrique Romagnoli, que faz ...

Ver mais

LíderCast 063 – Diogenes Lucca
LíderCast 063 – Diogenes Lucca
Hoje converso com Diogenes Luca, fundador e ex-comando ...

Ver mais

LíderCast 062 – Felipe Pires e Katiusca Carvalho
LíderCast 062 – Felipe Pires e Katiusca Carvalho
Hoje recebemos Felipe Pires e Katiusca Carvalho. O ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Champagne a 21 mil dólares: como funciona a melhor balada de Hollywood
Raiam Santos
Se você tá chegando agora nesse humilde site, bem vindo! Meu nome é Raiam Santos, vivo de escrever livros, não levo minha vida muito a sério e gosto de fazer uns “experimentos ...

Ver mais

Uma nova vida em dois anos
Tom Coelho
Sete Vidas
“Semeia um pensamento, colhe um ato; semeia um ato, colhe um hábito; semeia um hábito, colhe um caráter; semeia um caráter, colhe um destino.” (Marion Lawense)   A vida me tem sido um ...

Ver mais

Quando sucesso e dinheiro não resolvem teu problema
Raiam Santos
Esse aqui é um post que foge um pouco da pegada recente aqui do MundoRaiam.com. Hoje não tem Fiverr, não tem audiolivros, não tem viagem pra Ásia e nem experimento social. Acho que nunca escrevi ...

Ver mais

Duas listas diferentes
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Já assistiu A Lista de Schindler? Não? Assista, é excelente. Já viu? Veja de novo. Uma das cenas mais tocantes é a da elaboração da lista de pessoas que o protagonista pretende “comprar” do ...

Ver mais

538 – Caçadores da verdade perdida

538 – Caçadores da verdade perdida

Luciano Pires -

No programa em que tratei da pós-verdade, comentei que as mídias sociais estão repletas de mentiras que, de tanto circular, acabam sendo confundidas com verdades. O que é que podemos fazer a respeito, hein?

Posso entrar?

Amigo, amiga, não importa quem seja, bom dia, boa tarde, boa noite, este é o Café Brasil e eu sou o Luciano Pires.

Este programa chega até você com o apoio do Itaú Cultural e do Auditório Ibirapuera que, como sempre, estão aí, a um clique de distância. facebook.com/itaucultural e facebook.com/auditorioibirapuera.

E quem vai levar o meu livro Me engana que eu gosto é o Roberto lá de Goiás…

“Luciano! Bom dia, boa tarde, boa noite. Aqui  o Roberto, sou do estado de Goiás, sou funcionário estadual. Bem, eu acabei de ouvir o programa Folhas secas, eu atrasei um pouquinho pra ouvir, geralmente eu fico esperando, assim que sai eu já ouço…

Bom: essa questão do discernimento e o julgamento, eu tenho observado muito na cidade que eu moro, no interior, onde eu tenho um amigo que é candidato da oposição à prefeitura e uma outra pessoa que eu prezo muito, que é o candidato da situação, não à reeleição, é o candidato pra prefeito.

Então eu  vejo assim, que eles levam… eles fazem uma campanha… assim… aparentemente justa, bem fiel aos seus princípios e bem ética até então. Porém a gente não observa o mesmo com as pessoas que estão… os seus correligionários. Então, a gente vê ofensas, pessoas que até então só fazem julgamento. Eu acho que eles precisavam de uma pitadinha de Café Brasil. 

Um abraço e muito obrigado.”

Rarara grande Roberto, o que mais a gente vê por aí é isso mesmo, viu: a tribo do candidato indo pra cima da outra na porrada. Parece torcida de time de futebol cara, não há argumentação lógica que dê conta de um credo. E é isso que quero tratar no programa de hoje.

Muito bem. O Roberto receberá um KIT DKT, recheado de produtos PRUDENCE, como géis lubrificantes e preservativos masculino e feminino. PRUDENCE é a marca dos produtos que a DKT distribui como parte de sua missão para conter as doenças sexualmente transmissíveis e contribuir para o controle da natalidade.  O que a DKT faz é marketing social e você contribui quando usa produtos Prudence. www.facebook.com/dktbrasil

Vamos lá então! Hoje tem visita aqui. Olha, hoje eu quero com torcida.

Na hora do amor, use

Lalá e visita – Prudence, Prudence, Prudence…

Em 1996 a professora Bella DePaulo, psicóloga social da Universidade de Virgínia, realizou um estudo com 147 pessoas com idades entre 18 e 71 anos. Pediu que todos mantivessem um diário no qual registrassem as mentiras que disseram ao longo da semana. Ela descobriu que a maioria das pessoas mente uma ou duas vezes por dia. Tanto quanto escovam os dentes. Homens e mulheres mentem em um quinto das interações sociais que duram mais de dez minutos e ao longo da semana, enganam cerca de 30% das pessoas com as quais mantêm contato. E mais, alguns tipos de relações, especialmente entre pais e filhos adolescentes, são fábricas de mentiras… A pesquisa mostrou que jovens mentem para suas mães em uma de cada duas conversas.  O filósofo Nietzsche disse uma vez que mentir é uma condição da vida.

É, meu caro, minha cara… Vivemos num mundo de mentiras.

Eu menti pra você
Karina Buhr

Eu sou uma pessoa má
Eu menti pra você
Eu sou uma pessoa má
Eu menti pra você
Você não podia esperar ouvir uma mentira de mim
que pena, eu não sou o que você quer de mim 

Se você tiver que escolher entre você e o seu amor
você escolhe quem, você escolhe quem?
Se você tiver que escolher entre você e o seu amor
Your love, your love, your love

Talvez o tempo possa me livrar da culpa
que eu não sei se vem de mim ou da cruz de Jesus
Mas eu tenho ainda um grande amor pra te dar
Quero saber se você aceita ele como for
My love is your love

Opa. A baiana Karina Buhr nos traz EU MENTI PRA VOCÊ…

Pois é… Mas uma coisa me intriga, viu. Se eu minto para uma autoridade, para um júri, eu vou pra cadeia. Pago multas. Porque é que a gente vê tanto político mentindo e nada acontece com eles, hein? Bem, quase nada, não é? O Eduardo Cunha dançou porque mentiu sobre suas contas no exterior, mas a gente sabe que não foi bem por isso, não é? O Lula deve pegar uma cana brava por mentir sobre seu tríplex…

Mas parece que a sociedade faz uma diferenciação entre os que mentem para nós e os que mentem por nós. Sacou? A mentira para você é diferente da mentira por você.

Os estudiosos da mente têm uma série de termos para os truques mentais que usamos para confiar e acreditar somente naquilo que queremos.  Tratei disso no Café Brasil 508 – Dissonância Cognitiva. Usamos ferramentas de nosso subconsciente que nos ajudam a interpretar as informações  para fazer os julgamentos e tomar as decisões que são melhores para nós. E quando praticamos a negação subjetiva dos fatos, escolhendo acreditar em nossos sentimentos e não na realidade, abrimos caminho para acreditar nas mais absurdas mentiras. E isso não acontece porque somos maus ou idiotas. Acontece porque esse tipo de raciocínio, de acreditar naquilo que queremos que seja verdade, está conectado a nada menos que nossa percepção de segurança e sobrevivência.

Veja o caso das pesquisas políticas. A gente quer acreditar naquela pesquisa que diz que nosso candidato está à frente. Isso faz com que nos sintamos pertencentes a uma tribo.

A Ciça quer acreditar que o sítio e o tríplex não são do Lula. Ela precisa disso para se sentir fiel à sua tribo. E não há argumento lógico que consiga mudar essa crença. Se isso acontecer ela entra em pane.

Apoiar a tribo acreditando na sua visão, apoiando os pronunciamentos dos líderes, acreditando nas suas verdades, aumenta a coesão tribal, ajudando a tribo a vencer seus inimigos. Ser parte de uma tribo é, portanto, fundamental para animais sociais como nós. Dependemos de nossas tribos para nossa saúde física e mental, portanto tendemos a acreditar em nossos líderes mesmo quando dizem uma mentira cabeluda diante de nossos narizes. É quando damos as cambalhotas cognitivas para enxergar os fatos do jeito que eles querem que enxerguemos, e não objetivamente.

Objetividade não é o objetivo. Coesão social e sobrevivência sim.

Sacou?

Deixe-me voltar àquele conceito do mentir para mim e mentir por mim.

Lalá manda aí o Naldo Luiz com MENTIR PRA QUÊ, do professor Pereirinha.

Quando acreditamos que um político, especialmente um candidato, está mentindo em nome do sucesso da nossa tribo ou partido, aquela cambalhota cognitiva do inconsciente nos diz assim ó:

– Olha, ele está mentindo pelo seu bem!

Já os membros da tribo adversária pensarão bem diferente:

– Olha, ele está mentindo para nosso mal!

Entendeu onde a mente nos leva, hein? Assim somos diariamente bombardeados por argumentos que tentam transformar a mentira para nós em mentira por nós.

– A pedalada foi para pagar a bolsa família!

– O caixa dois foi para o partido ganhar a eleição e nos defender!

– O confisco de seu dinheiro foi pelo bem da nação!

– Botei fogo na banca de revista do seu João por um Brasil melhor!

Repare no seu dia a dia quanta  gente tentará que você acredite que a mentira é por você, para seu bem…

E o pior é que a gente acredita!

Imagine agora um político ou um candidato a um cargo público… ele só mente para os membros da outra tribo! E o que se vê é isso aí: um monte de gente na rua pelo impeachment, outro monte contra o impeachment. Gente gritando “é golpe” e gente dizendo “não é golpe”. Gente gritando viva Fidel! E gente gritando “vai pro inferno Fidel”. E todos achando que quem está errado é o outro…

Só quando todos acreditamos que um indivíduo ou uma organização estão mentindo para todos é que nos unimos e botamos o desgraçado na cadeia. Ou o demitimos.

Veja o que aconteceu quando os deputados começaram a se articular para aprovar projeto que possibilitaria uma anistia para o crime da caixa dois… de repente me vi compartilhando posts de gente que sempre esteve no meu oposto ideológico, mas que agora estava ao meu lado, contra uma ação que faria mal para todos nós. E escrevi um post assim no Facebook:

Passei o dia trancado no estúdio. Quando saio vejo minha timeline tomada por coxinhas, mortadelas, liberais, conservadores, socialistas, comunistas, feministas, machistas, religiosos, ateus e carnavalescos. Todos indignados gritando a mesma coisa: vergonha pela tentativa de melar a Lava Jato, vergonha por Geddel, vergonha pelos conchavos para anistiar o Caixa 2.

Parabéns presidente Temer. Parabéns senhores congressistas!

Vocês estão unindo o Brasil.

Eu te amo meu Brasil
Dom
As praias do Brasil ensolaradas
O chão onde o país se elevou
A mão de Deus abençoou
Mulher que nasce aqui tem muito mais amor
O céu do meu Brasil tem mais estrelas
O sol do meu país mais esplendor
A mão de Deus abençoou
Em terras brasileiras vou plantar amor

Eu te amo meu Brasil, eu te amo
Meu coração é verde, amarelo, branco, azul anil
Eu te amo meu Brasil, eu te amo
Ninguém segura a juventude do Brasil

As tardes do Brasil são mais douradas
Mulatas brotam cheias de calor
A mão de Deus abençoou
Eu vou ficar aqui porque existe amor
No carnaval os gringos querem vê-las
No colossal desfile multi-cor
A mão de Deus abençoou
Em terras brasileiras vou plantar amor

Adoro meu Brasil de madrugada
Nas horas que eu estou com meu amor
A mão de Deus abençoou
A minha amada vai comigo aonde eu vou
As noites do Brasil tem mais beleza
A hora chora de tristeza e dor
Porque a natureza sopra
E ela vai se embora enquanto eu planto amor

Olha só. Trio Esperança com EU TE AMO MEU BRASIL, aquela composição de Dom, da dupla Dom e Ravel, que um dia foi um hino deste país…

O que fazer então, hein? Bem, não quero aqui tratar da questão das mentiras pessoais, de indivíduo para indivíduo. Quero ir na linha do programa sobre a pós-verdade, o povo que espalha mensagens falsas por aí.

Uia… você está onvindo VIROU BAIXARIA, do violonista e compositor Rodrigo Torino.

Mas vamos lá então, ver o que é que dá pra fazer. Primeiro é ficar certo de que todos temos os elementos necessários para detectar as mentiras que nos cercam e nos proteger delas. Taí ó. Na sua caixa de ferramenta, dentro do cérebro.

Em primeiro lugar um exercício de humildade: é preciso ter a consciência de que a gente não entende de tudo. O mundo é complexo demais, as interações, as questões políticas, econômicas e sociais são realmente muito complicadas e a quantidade de informações que circula pela web é enorme. Apesar de termos um cérebro sofisticado e equipado com as ferramentas para lidar com tanta informação e especialmente para identificar as coisas que não fazem sentido, ficar confuso ou se sentir incapaz de acompanhar uma argumentação é algo perfeitamente normal.

Especialmente quando lidamos com assuntos fora de nossa alçada de experiências. Ou pior ainda, conflitante com nossas experiências. Sendo assim, admitir que não entendemos ou desconhecemos algo é o primeiro passo para escapar das mentiras.

Primeiro passo então: reconheça sua ignorância e estude para acabar com ela.

Segundo passo: comece a contestar o que você vê nas mídias sociais perguntando a si próprio porque você concorda ou discorda do assunto de forma tão intensa, hein? Sua reação vem de onde? De sua experiência de vida? Do que você aprendeu na escola? De um artigo que você leu? De algo que alguém lhe contou?  Do fato daquilo ter sido compartilhado por alguém em quem você confia? Ou apenas porque parece que a informação está certa, hein? Geralmente acreditamos numa informação não porque tenhamos refletido ou estudado sobre ela, mas porque ela parece certa. Ela se encaixa naquilo que nós acreditamos.

Quando acreditamos em alguma coisa apenas porque ela se encaixa naquilo em que acreditamos, estamos lidando com um preconceito. Todos temos preconceitos. E o primeiro passo para aprender alguma coisa nova é reconhecer nossos preconceitos.

Com os preconceitos reconhecidos, devemos então partir para o trabalho duro: descobrir se a informação é verdadeira ou não.

A primeira coisa para saber se uma informação é verdadeira ou não, é descobrir qual sua origem. De onde vem, hein? Buscar a fonte primária. E o Google é a grande ferramenta para isso.

Eu faço esse exercício diariamente: sempre que recebo um post interessante parto para descobrir a sua origem, quem escreveu, o que o especialista escreveu antes, em que tipo de veículo de imprensa ele escreve, hein? Os norte-americanos têm um termo para isso: fact checking, checagem dos fatos.

E vou te passar um truque me salvou centenas de vezes: quando recebo uma informação importante pego a palavra-chave, vou para o Google e digito na busca a palavra mais o termo hoax (agá-o-a-xis). Hoax quer dizer dizer “engano”, “embuste” ou “pregar uma peça”. O que surge na sequência são os sites que já se debruçaram na caça da mentira.

Você pode digitar outras palavras, como farsa, embuste ou coisa parecida. Eu uso hoax e nunca deu errado.

Existem vários sites especializados, um dos principais é o e-farsas.com.br na verdade é o e traço farsas, que vira e mexe está desvendando os mistérios que circulam pela web. Recomendo uma visita ao canal deles no Youtube.

Aliás, o Gilmar Lopes, criador do E-farsas fez uma palestra mostrando como é que ele faz o trabalho dele. Vou colocar o link no roteiro deste programa no portalcafebrasil.com.br . Olha, vale a pena, viu?

https://www.youtube.com/user/Efarsas

Outro ponto fundamental: as fontes. As fontes… Coisas como “eu sei”, “dizem” , “muitas pessoas estão dizendo”, “todo mundo sabe”, “uma pesquisa demonstrou” já bastam para acender a luzinha vermelha. Essas frases são usadas para pegar você por seus sentimentos e preconceitos, para ultrapassar a barreira do pensamento crítico.

-Pô meu, se todo mundo tá dizendo, deve ser verdade, né?

Isso é especialmente importante quando se fala de números, especialmente estatísticas. Sempre que você trombar com as estatísticas, com aquelas informações sobre percentual, tipo 60% dos entrevistados dizem isso ou aquilo, fique esperto. Números, percentuais e estatísticas que não sabemos como foram obtidos ou de onde vieram são uma fonte valiosa para quem quer pregar uma mentira.

Sempre que recebo uma informação rica em estatísticas, vou atrás de alguma fonte. Recentemente eu estava fazendo um levantamento sobre quantidade de mortos na guerra do Iraque e achei um número. Mas foi só aprofundar a pesquisa para encontrar outros totalmente diferentes. Parei então para ver quem bancava os sites que eu estava consultando, quem eram seus patrocinadores. Que tipo de interesse comercial ou político estava por trás daquela informação. E assim pude fazer uma escolha, que não é necessariamente a verdade, mas ao menos me permitiu exercitar meu sendo crítico para escolher aquela que eu julguei a mais verídica.

A dica sobre a tal pesquisa de Bella DePaulo, por exemplo, encontrei num artigo que trata de verdade sobre as mentiras num site dos Estados Unidos. A primeira coisa que fiz foi ir ao Google para ver se Bella DePaulo existe, o que faz e confirmar se a informação tinha veracidade. E só depois de confirmar é que parti para este texto.

E os sites de jornais e revistas, hein? Podem ser sim uma fonte de informação, mas estão muito longe de trazerem apenas verdades. Especialmente se o assunto for política ou alguns dos temas quentes em discussão na sociedade. Normalmente jornais e revistas não mergulham fundo nos temas e, se bobear, tem ali a opinião de um ou dois jornalistas apenas. Vá mais fundo meu. Busque outras fontes. Você também achava que a Hillary Clinton tinha 85% de chances de ganhar as eleições nos Estados Unidos, não é? E viu isso onde? Pois é…

Uma outra fonte de pesquisas valiosa é a Wikipedia, mas ela só deve ser usada para introduzir você a um determinado tema. Quando estou pesquisando e recorro à Wikipedia, vou para as áreas de ligações externas e referências e saio buscando informações mais aprofundadas. Dependendo do tema, eu vou para a Wikipedia em inglês.

Dá trabalho? Claro que sim. Mas a alternativa é fazer papel de idiota.

Muito bem… vivemos tempos complicados, ameaçadores, repletos de desafios. Somos diariamente confrontados com mentiras contadas por salvadores da humanidade. Nos sentimos fragilizados, em perigo. Esse é um contexto que se torna polarizado, tribal. Tempos em que os líderes podem contar as mentiras mais cabeludas e mesmo assim inspirar nosso apoio e não revolta.

Preste então atenção às informações que você recebe, compartilha e acredita. Políticos não estão interessados na verdade. Estão interessados nas divisões tribais, no conflito, na vitória em nome do poder, controle e segurança…da sua tribo.

Se para isso tiverem de liquidar com a verdade, que assim seja.

E nós fazemos o quê? Damos um nome pomposo à mentira, dizemos que todos agem assim, inclusive o nosso lado… e reclamar nos dá um conforto, não é? No fundo, é só isso que interessa.

Malandro moderno
Bezerra da Silva

Malandro moderno, colarinho branco
Só usa bons ternos, não liga pro azar
Dólar na Suíça, mansão beira-mar
Seu nome é corrupção, pra que trabalhar?

Diga aí

Pois é… quem te viu, quem te vê! Malandragem!
Não consegue acreditar… Não consegue acreditar!
Sindicalista de outrora
Desfruta belas senhoras, uma em cada lugar
Quem te viu? Quem te vê?

Quem te viu, quem te vê! Malandragem!
Não consegue acreditar… Não consegue acreditar!
Sindicalista de outrora, desfruta belas senhoras, uma em cada lugar

Mas tenho certeza, que você é bem feliz
Porque conseguiu na vida tudo aquilo que sonhou!
Roubou o dinheiro do povo e vive na tranquilidade
Sua sorte é que você vive no país da impunidade
Sua sorte é que você vive no país da impunidade

E malandro moderno

E é assim então, ao som do MALANDRO MODERNO, com o mestre Bezerra da Silva, que este Café Brasil vai saindo de mansinho. Aliás no embalo, no sambinha, no passinho…

Com o atento Lalá Moreira na técnica, a desconfiada Ciça Camargo na produção e eu, o eterno caçador da verdade perdida, Luciano Pires, na direção e apresentação.

Estiveram conosco o ouvinte Roberto, Trio Esperança, Naldo Luiz, Rodrigo Torino, Bezerra da Silva e Karina Buhr.

O Café Brasil só chega até você porque a Nakata, também resolveu investir nele.

A Nakata, você já sabe, é uma das mais importantes marcas de componentes de suspensão do Brasil, fabricando os tradicionais amortecedores HG. E tem uma página no Youtube repleta de informações interessantes para quem gosta de automóveis. Tem até os videocasts que eu fiz pra eles, cara. Dê uma olhada lá: youtube.com/componentesnakata.

Tudo azul? Tudo Nakata!

Este é o Café Brasil. Que chega a você graças ao apoio do Itaú Cultural e do Auditório Ibirapuera. De onde veio este programa tem muito mais. Visite para ler artigos, para acessar o conteúdo deste podcast, para visitar nossa lojinha no … portalcafebrasil.com.br.

Mande um comentário de voz pelo WhatSapp no 11 96429 4746. E se você está fora do país é o: 55 11 96429 4746. E também estamos no Telegram, com o grupo Podcast Café Brasil.

E se você acha que vale a pena ouvir o Café Brasil, gosta do programa, vem pra cá, chega mais perto, cara. Vem pra Confraria Café Brasil. Tem um monte de gente aqui mais de seiscentos e setenta no grupo do Telegram, por exemplo, trocando ideias, conversando com elegância, trocando ideias com gente que pensa diferente cara! De um jeito que a internet não sabe como é. Vem pra cá. Confraria Café Brasil. Acesse o portalcafebrasil.com.br e clique lá no banner que tem um cérebro tanquinho.

E para terminar, vamos de Nietzsche

A principal mentira é a que contamos a nós mesmos.