Assine o Café Brasil
Podcast Café Brasil com Luciano Pires
Culpa e vergonha
Culpa e vergonha
Culpa e vergonha. Um artigo de 2007 revela o tamanho da ...

Ver mais

Por que eu?
Por que eu?
Ela foi a primeira mulher a assumir publicamente que ...

Ver mais

Cobertor de solteiro
Cobertor de solteiro
Cobertor de solteiro. Isca intelectual de Luciano Pires ...

Ver mais

O véinho
O véinho
Isca intelectual de Luciano Pires que pergunta: que ...

Ver mais

538 – Caçadores da verdade perdida
538 – Caçadores da verdade perdida
Podcast Café Brasil 538 - Caçadores da verdade perdida. ...

Ver mais

537 – VAMO, VAMO CHAPE
537 – VAMO, VAMO CHAPE
Podcast Café Brasil 537 - Vamo,vamo, Chape. Este é um ...

Ver mais

536 – A política da pós-verdade
536 – A política da pós-verdade
Podcast Café Brasil 536 - A política da pós-verdade. ...

Ver mais

535 – Hallelujah
535 – Hallelujah
Podcast Café Brasil 535 - Hallelujah. Poucos dias atrás ...

Ver mais

LíderCast 052 – Thiago Oliveira
LíderCast 052 – Thiago Oliveira
LiderCast 052 - Hoje vamos conversar com Thiago ...

Ver mais

LíderCast 050 – Bia Pacheco
LíderCast 050 – Bia Pacheco
LiderCast 050 - Hoje vamos conversar com Bia Pacheco, ...

Ver mais

LíderCast 051 – Edu Lyra
LíderCast 051 – Edu Lyra
LiderCast 051 - Hoje conversaremos com Edu Lyra, um ...

Ver mais

LíderCast 049 – Luciano Dias Pires
LíderCast 049 – Luciano Dias Pires
Lídercast 049 - Neste programa Luciano Pires conversa ...

Ver mais

045 – Recuperando do trauma
045 – Recuperando do trauma
Quando terminar o trauma, quando o Brasil sair deste ...

Ver mais

Vem Pra Rua!
Vem Pra Rua!
Um recado para os reacionários que NÃO vão às ruas dia ...

Ver mais

44 – Tudo bem se me convém – Palestra no Epicentro
44 – Tudo bem se me convém – Palestra no Epicentro
Apresentação de Luciano Pires no Epicentro em Campos de ...

Ver mais

43 – Gloria Alvarez – Sobre República e Populismo
43 – Gloria Alvarez – Sobre República e Populismo
Gloria Alvarez, do Movimento Cívico Nacional da ...

Ver mais

A carta que mudou a minha vida
Mauro Segura
Transformação
Mauro Segura conta em vídeo uma história pessoal, que teve origem numa carta recebida há 30 anos.

Ver mais

Tempo de escolher
Tom Coelho
Sete Vidas
“Um homem não é grande pelo que faz, mas pelo que renuncia.” (Albert Schweitzer)   Muitos amigos leitores têm solicitado minha opinião acerca de qual rumo dar às suas carreiras. Alguns ...

Ver mais

O caso é o caso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Sobre a morte do assassino nojento, tudo já já foi dito; Fidel Castro foi tarde e deve estar devidamente instalado no caldeirão-suíte número 13, com aquecedor forte, decoração vermelha e vista ...

Ver mais

SmartCamp: as startups transformam o mundo
Mauro Segura
Transformação
Vivemos o boom das startups no Brasil e no mundo. O que está por trás disso? Mauro Segura esteve no SmartCamp, que é uma competição global de startups, e fez um vídeo contando a sua experiência.

Ver mais

535 – Hallelujah

535 – Hallelujah

Luciano Pires -

Poucos dias atrás morreu Leonard Cohen, autor canadense que um dia nos presenteou com uma daquelas obras primas que impactam a vida da gente, a canção Hallelujah. É sobre ela o programa de hoje. Olha, este é um daqueles programas que você deve ouvir quietinho, no seu canto…

Posso entrar?

Amigo, amiga, não importa quem seja, bom dia, boa tarde, boa noite, este é o Café Brasil e eu sou o Luciano Pires.

Este programa chega até você com o apoio do Itaú Cultural e do Auditório Ibirapuera que, como sempre, estão aí, a um clique de distância. facebook.com/itaucultural e facebook.com/auditorioibirapuera.

E quem vai levar o meu e-book Me engana que eu gosto é o Wallace Graciano:

“Bom dia, boa tarde, boa noite, Luciano, Ciça e Lalá, meu nome é Wallace Graciano, eu falo atualmente de Belo Horizonte, onde eu faço um período de férias, mas eu sou mestrando em comunicação em Lisboa. 

O que acontece é que eu resolvi mandar esse áudio porque aconteceram certas circunstâncias essa semana e não são especificamente sobre o último programa, mas sim sobre o Café Brasil como um todo. 

No último final de semana eu fui a um show do Lô Borges com o Samuel Rosa em Ouro Preto, eu acho uma cidade que todo mundo deveria visitar, uma belíssima cidade, com uma cultura riquíssima e nesta quarta feira eu, quando eu mando esse áudio, eu voltando a pé de uma campanha aí que eu participo, escutei o podcast e como não havia mais nenhum podcast na minha playlist, resolvi colocar o Clube da Esquina. A primeira música que me aparece é Tudo que você devia ser.  Nela o Milton Nascimento ele se dirige a alguém que perdeu o espírito revolucionário, tanto que ele falou: “você não fala mais do anel e nem das botas”, na verdade eu inverti agora… Mas, ele cita isso e ele cita essa pessoa, “você ainda pensa e é melhor do que nada” é uma das frases dessa música. Impactante essa música, uma belíssima música, belíssima composição a dos meninos. 

Isso me fez pensar muito, como que eu estava com o Café Brasil muito na cabeça, isso me fez lembrar o período de Portugal porque, quando você está sozinho, quando você precisa se colocar à prova, você tem um auto descobrimento, você passa por vários desafios. O Café Brasil nesse momento ele foi muito importante como estímulo de ideias. Vocês não souberam somente me dar novas ideias como reificaram as que eu precisava. Isso foi muito importante.  Eu lembro de alguns programas… e de certa forma foram extremamente cirúrgicos em alguns pontos, pelo menos pra mim. 

Eu lembro um dia, eu estava pegando um ônibus pra ir pra faculdade, eu estava muito apressado porque eu tinha que defender pra banca como e que seria… a minha pré banca, como é que seria a minha tese. E vocês me colocaram e eu escutei o Eureka naquele minuto que tinha saído em Portugal que havia quatro horas de diferença, naquele minutinho eu escutei em vinte minutos, o tempo de chegar lá e eu consegui mudar tudo. Então assim, eu lembro esse programa me marcou muito, não foi só ele, foram vários, sobre a dicotomia quando você trabalhou, sobre vários assuntos que você me fez pensar e pensar muito bem. Algumas coisas eu não concordo, várias eu… me fez pensar muito e ampliar a minha visão. Isso eu agradeço muito o Café Brasil. E  também não me fez perder esse espírito que eu tenho, não só revolucionário, o espírito, né? Os meus ideais. 

E hoje, aí voltando ao Clube da Esquina, hoje eu sonho, eu volto a sonhar, eu volto a planejar, eu tenho as metas que o Luciano falou há três ou quatro podcasts atrás, salvo engano. E eu busco essas metas, porque, como diria o Milton, os sonhos não envelhecem. 

Então, eu gostaria de deixar meu muito obrigado e ficar com essa mensagem e agradecer por tudo que vocês fizeram. Vocês fizeram uma grande diferença na minha vida. 

Grande Wallace, que a esta altura deve estar de volta a Lisboa, não . Muito bom saber que nosso trabalho está te inspirando e é nessa linha que quero seguir com o programa de hoje: como o trabalho de outras pessoas pode nos impactar a ponto de provocar reflexões que mudam nossa visão de mundo. Segure-se!

Muito bem. O Wallace receberá um KIT DKT, recheado de produtos PRUDENCE, como géis lubrificantes e preservativos masculino e feminino. Vai usar no balanço do mar, olha que luxo! PRUDENCE é a marca dos produtos que a DKT distribui como parte de sua missão para conter as doenças sexualmente transmissíveis e contribuir para o controle da natalidade.  O que a DKT faz é marketing social e você contribui quando usa produtos Prudence. facebook.com/dktbrasil.

Vamos lá então! Lalá, o Wallace está em Lisboa…

Na hora do amor, use

Lalá – Prudence ó pá!

Luciano – Tá bom, vai…

Então. Há poucos dias morreu Leonard Cohen, um escritor e músico canadense que pouca gente conhece por aqui.  E de repente vimos a notícia de sua morte por todo lado, e artistas de todo o mundo prestando homenagens. E fica a pergunta: meu, quem era esse cara, hein?

Leonard Cohen teve uma carreira longa e celebrada, tornando-se uma das mais reverenciadas personalidades não só do Canadá, mas da América do Norte. Seu trabalho explorava temas como religião, política, sexualidade e  relacionamentos. Começou na música aos 33 anos de idade e deixou definitivamente sua marca nos 14 álbuns lançados ao longo da carreira. Um carreira longa cara, de mais de cinquenta anos.

Em meio a sua obra, uma canção despontou: Halleluja.

Hallelujah
Leonard Cohen

Hallelujah
I’ve heard there was a secret chord
That David played and it pleased the Lord
But you don’t really care for music do you?
It goes like this, the fourth, the fifth
The minor fall and the major lift
The baffled King composing Hallelujah

Hallelujah, hallelujah, hallelujah, hallelujah

Your faith was strong but you needed proof
You saw her bathing on the roof
Her beauty in the moonlight overthrew you
She tied you to a kitchen chair
She broke your throne, she cut your hair
And from your lips she drew the hallelujah

Hallelujah, hallelujah, hallelujah, hallelujah

Now, Maybe there’s a God above
And all I ever learned from love
Is how to shoot at someone who outdrew you
But it’s not a cry you can hear at night
It’s not somebody who’s seen the light
It’s a cold and it’s a broken hallelujah

Hallelujah, hallelujah, hallelujah, hallelujah

Maybe I’ve been here before
I know this room, I’ve walked this floor
I used to live alone before I knew you
And I’ve seen your flag on the marble arch
Love is not a victory march
It’s a cold and it’s a broken hallelujah

Hallelujah, hallelujah, hallelujah, hallelujah

There was a time you let me know
What’s really going on below
But now you never show it to me, do you?
And remember when I moved in you
And the Holy Dark was moving too
And every breath we drew was hallelujah

Hallelujah, hallelujah, hallelujah, hallelujah
Hallelujah, hallelujah, hallelujah, hallelujah

Aleluia

Aleluia

Ouvi dizer que existe um acorde secreto
Que Davi tocou e alegrou o senhor
Mas você não liga muito para música, certo?
E vai assim, a quarta, a quinta
O menor cai e o grande ascende
O Rei frustrado compondo Aleluia

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia

Sua fé era grande, mas precisava de provas
Você a viu banhando-se no telhado
Sua beleza ao luar derrubou você
Ela te amarrou numa cadeira de cozinha
Ela destruiu seu trono, ela cortou seu cabelo
E dos seus lábios tirou o aleluia

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia

Agora, talvez haja um Deus acima
E tudo o que aprendi com o amor
É como atirar naquele que desarmou você
Mas isto não é um choro que podes ouvir a noite
Não é alguém que tenha visto a luz
É um frio e quebrado aleluia

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia

Talvez eu tenha estado aqui antes
Eu conheço este quarto, eu já andei nesse chão
Eu costumava viver sozinho antes de te conhecer
E eu vi sua bandeira na arca de mármore
Amor não é uma marcha de vitória
É um frio e quebrado aleluia

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia

Tinha um tempo em que você me deixava saber
O que realmente se estava a passar
Mas agora você não me mostra mais, não é?
Eu me lembro quando me apaixonei por você
E o Escuro sagrado também se movia
E cada cada respiração nossa era aleluia

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia
Aleluia, Aleluia, Aleluia, Aleluia

Leonard Cohen lançou a canção em 1984 em seu álbum Various Positions, e aconteceu… nada. Quando o disco foi apresentado ao presidente da gravadora CBS, ele teria dito: “Mas o que é isso? Isso não é música pop. Não vamos lançar isso. Isso é um desastre…”. E o disco não foi lançado nos Estados Unidos.

Mas outros artistas foram descobrindo Hallelujah ao longo do tempo e apenas em 1994, dez anos após a gravação original, a mágica aconteceu. Foi quando o cantor e compositor norte americano Jeff Buckley gravou o que muitos consideram a versão definitiva da canção…

Que tal, hein? Assim como a versão original de Leonard Cohen, a gravação de Buckley não teve sucesso comercial. Até que, em 1997, ao sair para nadar num canal do rio Mississipi, Jeff Buckley morreu afogado aos 30 anos de idade. O impacto da notícia deu à sua interpretação de Hallelujah um significado especial e a gravação estourou.

A versão de Jeff Buckley é simples, sentida, transitando da glória à tristeza, da beleza ao sofrimento, causando um impacto emocional em que a ouve.

Muito bem. Dali para a frente dezenas, centenas de outros artistas gravaram Hallelujah, e diferentes versões da canção foram ouvidas em filmes e séries para a televisão, aparecendo até mesmo numa animação, no Shrek. Coloquei no roteiro deste programa no Portal Café Brasil um link para dezenas de versões.

http://www.huffingtonpost.com/entry/without-further-ado-here-is-every-cover-of-leonard-cohens-hallelujah-we-could-find_us_58260923e4b0c4b63b0c63da

Quando perguntado sobre o significado da canção, Leonard Cohen dizia que “O mundo está cheio de conflitos e de coisas que não podem ser reconciliadas, mas existem momentos nos quais podemos nos reconciliar e assimilar essa confusão toda. Foi isso o que eu quis dizer com Hallelujah.”

Ao longo dos anos a Hallelujah foi se metamorfoseando, de uma canção elegante num álbum rejeitado pela gravadora até se transformar num místico canto pop-soul que é tocado até hoje em todo tipo de cerimônia, de casamentos a funerais.

Muito bem. Quero falar um pouco mais dessa música, mas antes, deixe-me dar um a você algumas referências. Primeiro, uma outra música:

Hallelujah
George Friedrich Händel

Hallelujah hallelujah hallelujah hallelujah hallelujah
Hallelujah hallelujah hallelujah hallelujah hallelujah

For the lord God omnipotent reigneth
Hallelujah hallelujah hallelujah hallelujah
For the lord God omnipotent reigneth
Hallelujah hallelujah hallelujah hallelujah
For the lord God omnipotent reigneth
Hallelujah hallelujah hallelujah hallelujah

Hallelujah hallelujah hallelujah hallelujah
Hallelujah hallelujah hallelujah hallelujah
(For the lord God omnipotent reigneth)
Hallelujah hallelujah hallelujah hallelujah

For the lord God omnipotent reigneth
(Hallelujah hallelujah hallelujah hallelujah)
Hallelujah

The kingdom of this world;
is become
the kingdom of our Lord,
and of His Christ
and of His Christ

And He shall reign for ever and ever
And he shall reign forever and ever
And he shall reign forever and ever
And he shall reign forever and ever

King of kings forever and ever hallelujah hallelujah
and lord of lords forever and ever hallelujah hallelujah
King of kings forever and ever hallelujah hallelujah
and lord of lords forever and ever hallelujah hallelujah
King of kings forever and ever hallelujah hallelujah
and lord of lords
King of kings and lord of lords

And he shall reign
And he shall reign
And he shall reign
He shall reign
And he shall reign forever and ever

King of kings forever and ever
and lord of lords hallelujah hallelujah
And he shall reign forever and ever

King of kings and lord of lords
King of kings and lord of lords
And he shall reign forever and ever

Forever and ever and ever and ever
(King of kings and lord of lords)

Hallelujah hallelujah hallelujah hallelujah
Hallelujah

Aleluia

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia
Aleluia, aleluia

Para o Senhor Deus onipotente
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia
Para o Senhor Deus onipotente
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia
Para o Senhor Deus onipotente
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia
(Para o Senhor Deus onipotente)
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia

Para o Senhor Deus onipotente
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia

O reino deste mundo é tornado o reino de nosso Senhor
E do Seu Cristo, e do Seu Cristo

E reinará para todo o sempre
E ele reinará eternamente
E reinará eternamente
E reinará eternamente

Ao Rei dos reis eternamente e sempre
Aleluia, aleluia
E Senhor dos senhores eternamente e sempre
Aleluia, aleluia
Ao Rei dos reis eternamente e sempre
Aleluia, aleluia
E Senhor dos senhores eternamente e sempre
Aleluia, aleluia
Ao Rei dos reis eternamente e sempre
Aleluia, aleluia
E Senhor dos senhores eternamente e sempre
Aleluia, aleluia

E reinará
E reinará
E reinará, reinará
E reinará eternamente e sempre

Ao Rei dos reis eternamente e sempre
E Senhor dos senhores eternamente e sempre
Aleluia, aleluia
E reinará eternamente e sempre

Ao Rei dos reis eternamente e sempre
E Senhor dos senhores eternamente e sempre
Aleluia, aleluia
E reinará eternamente e sempre

Eternamente e sempre e sempre e sempre
(Rei dos reis e Senhor dos senhores)

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia, aleluia

Esse é o quadragésimo segundo movimento de um oratório chamado O Messias, composto por Händel, que você certamente conhece. Deve ser a música mais conhecida onde a palavra Aleluia tem presença fundamental.

Hallelujah é um termo de origem hebraica, formado pela junção de Hallelu, que significa “louvor”, com Yah, que significa Deus. Hallelujah é, portanto, uma expressão de louvor a Deus. Mas é mais que isso.

Aleluia é a palavra que usamos para expressar um sentimento de conquista quando algo que desejamos acontece: aleluia!

Mas aleluia, numa interpretação mais vernacular, também pode significar “A vida é maravilhosa”.

Outra referência importante é a história bíblica de Davi, o jovem pastor que numa batalha matou o gigante Golias com  uma pedrada, você lembra hein? Pois é. Davi virou rei e conta-se no Velho Testamento que uma noite, ao caminhar pelo palácio, avistou uma mulher maravilhosa tomando banho naquilo que hoje seria uma laje. Era Betsabá. Davi, enfeitiçado pela beleza da mulher, pediu que a trouxessem ao palácio onde, encantado, fez o que os poderosos reis faziam. Betsabá engravidou, mas havia um problema. Ela era casada com Urias, um soldado do rei, que estava nos campos de batalha. Davi combinou com Betsabá que traria Urias de volta para que ela se deitasse com ele, assim todos achariam que o filho seria legítimo. Mas Urias se recusou a deixar os companheiros em guerra para ficar com a esposa. Para ele, abandonar os amigos enquanto desfrutava dos encantos da mulher seria indigno. Davi então ordenou que ele fosse enviado para a mais violenta frente de batalha, onde as chances de ser ferido e morto eram altas. E foi assim que aconteceu.

Passado o luto, Betsabá tornou-se a mulher do rei Davi.

O termo Hallelujah, que é repetido trinta e três vezes na canção, é usado como uma reafirmação da vida, de toda a vida. O próprio Cohen dizia que “ existe um Hallelujah religioso, mas existem muitos outros Hallelujahs. Quando olhamos para o mundo e para nossa vida, só há uma palavra a dizer: ‘Hallelujah’.(…) Eu queria indicar que Hallelujah poderia vir de outras coisas que nada tem a ver com religião.”

O que levou Leonard Cohen a escrever essa canção, então, foi um profundo desejo de falar que a vida, apesar dos pesares, vale a pena.

Muito bem. Vamos então à canção, hein? Aqui eu vou com uma versão ao vivo realizada por Cohen em Londres em 2009. Leonard Cohen escreveu uma canção que trata das dualidades da vida, do bom e mau, do amor e da perda, da fé e do medo e apesar de tudo, reafirma que a vida é maravilhosa.

Conta-se que ele escreveu cerca de oitenta versos antes de gravar os definitivos, mas que cantava a letra de forma diferente em diversas ocasiões. Fica então a suspeita de que a letra de Aleluia não seja algo pronto, definitivo. Dependendo dos versos que se escolhe, a canção tem um caráter mais religioso, ou amoroso, fala de sofrimento ou de tristeza… ou até mesmo tem um caráter sexual. Portanto, como as grandes obras de arte, e eu disse o mesmo nos programas sobre Bohemian Rahpsody e Stairway To Heaven, não existe consenso sobre o que quer dizer a letra.

Vou aqui com uma interpretação. Experimente dar a sua….

A letra começa falando lá do rei David, que era um músico habilidoso, e considerava a música como um meio de busca pelo divino. Leonard descreve a tentativa do rei de compor uma melodia que o colocasse em contato com seu Deus. Mas David procura saber se Deus estaria satisfeito com ele e então surge a história de Betsabá tomando banho no telhado. A beleza da mulher o atinge com a força da luz da lua e ele é totalmente conquistado por ela, numa citação que lembra a história de Dalila que corta o cabelo de Sansão, privando-o de sua força.

Ouvi dizer que existe um acorde secreto
Que Davi tocou e alegrou o Senhor
Mas você não liga muito para música, não é?
E assim vai, a quarta, a quinta
O menor descende e o grande ascende
O rei frustrado compondo Aleluia

Sua fé era grande, mas precisava de provas
Você a viu banhando-se no telhado
Sua beleza ao luar derrubou você
Ela te amarrou numa cadeira da cozinha
Ela destruiu seu trono, ela cortou seu cabelo
E dos seus lábios tirou o aleluia

Existe um componente sexual na canção, combinado com a religiosidade. Leonard Cohen explica assim: “(…) é assim que construímos relacionamentos, naquela ampla gama de atividades que chamamos de sexo. Mas sexo não é apenas o ato sexual em si, é toda a compreensão de que somos irresistivelmente atraídos um pelo outro e temos de lidar com isso. Temos de lidar com nossos corpos, nossas mentes, corações e almas.

Ao mesmo tempo temos o outro lado, a religiosidade, que é a mesma atividade: o mesmo apetite por significância no cosmos, quando cada um de nós compreende sua solitude e busca alguma afirmação com o criador.”

Talvez exista um Deus acima de nós
E tudo o que aprendi com o amor
É como atirar naquele que desarmou você
Mas isto não é um choro que você pode ouvir a noite
Não é alguém que tenha visto a luz
É um frio e quebrado aleluia

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia

Talvez eu tenha estado aqui antes
Eu conheço este quarto, eu já pisei neste chão
Eu vivia sozinho antes de conhecer você
E eu vi sua bandeira no arco de mármore
Amor não é uma marcha de vitória
É um frio e quebrado aleluia

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia

Houve um tempo em que você me deixava saber
O que realmente estava se passando
Mas agora você não me mostra mais, não é?
Eu me lembro quando me apaixonei por você
E o Escuro sagrado também se movia
E cada respiração nossa era aleluia

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia

E na sequência a letra fala de um amor que acabou, do gosto amargo da perda de alguém que se ama, fala da relação sexual que já não alcança o gozo, do fim da paixão. E ele termina dizendo que tentou o melhor, mas não deu certo. E que apesar de tudo, a vida vale a pena…

Eu dei o melhor de mim, mas não foi suficiente
Eu não conseguia sentir, então tentei tocar
Eu disse a verdade, não vim para enganar você
E mesmo que tudo tenha dado errado
Me colocarei diante do Senhor da Canção
Com nada na fala, a não ser Aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia

Num mundo onde a noção de amor se tornou lugar comum e desvalorizada, onde a divisão, o confronto e o ódio são explorados para ganhos pessoais e políticos, a voz de Leonard Cohen nos oferece uma espécie de espelho de nossas almas e com Hallelujah consegue aquela coisa misteriosa, quando a música é magicamente transformada em algo que a gente não apenas ouve, mas sente.

Que outra explicação podemos ter para a emoção que uma música cuja letra não compreendemos, nos traz, hein?

O mais fantástico é que músicas assim nos fazem pensar, lembrar, sonhar. Sentimentos de amor, perda, morte e vida tomam conta, e mudam a forma como olhamos a realidade.

Pois é. Mas eu sou um rocket man e escohi para terminar este programa a versão avassaladora de Popa Chubby. Segura aí, meu:

E é assim então, ao som de Hallelujah com a guitarra e a voz poderosa de Popa Chubby, que este Café Brasil vai saindo… Hallelujah!

É… Hallelujah é assim viu… trata da paixão de um homem  por uma mulher que conquista sua alma, trata de atração, de tentação. Mas trata também do amor por um deus, da busca por um contato com o divino e, principalmente, da constatação de que estar vivo, vale a  pena.

Com o maravilhado Lalá Moreira na técnica, a emocionada Ciça Camargo na produção e eu, hallelujah!, Luciano Pires, na direção e apresentação.

Estiveram conosco o ouvinte Wallace Graciano , Popa Chubby, Jeff Buckley, Ukulele Moon e… Leonard Cohen. Vá em paz, mestre.

O Café Brasil só chega até você porque a Nakata, também resolveu investir nele.

A Nakata, você sabe, é uma das mais importantes marcas de componentes de suspensão do Brasil, fabricando os tradicionais amortecedores HG. E tem um canal no Youtube repleto de informações interessantes, até mesmo com os videocasts que eu fiz pra eles. Dê uma olhada lá que vale a pena. youtube.com/componentesnakata.

Tudo azul? Tudo Nakata!

Este é o Café Brasil. Que chega a você graças ao apoio do Itaú Cultural e do Auditório Ibirapuera. De onde veio este programa tem muito mais. Visite para ler artigos, para acessar o conteúdo deste podcast, para visitar a nossa lojinha no … portalcafebrasil.com.br.

Mande um comentário de voz pelo WhatSapp no 11 96429 4746. Pra quem está fora do Brasil é o: 55 11 96429 4746. E também estamos no Telegram, com o grupo Podcast Café Brasil.

Olha! Eu não canso de falar. Vem pra Confraria. Tem um monte de gente legal aqui, se reunindo, conversando, trocando ideias e ampliando muito mais a percepção do mundo através das dicas aqui do Café Brasil. Acesse o portalcafebrasil.com.br e clique no banner “cérebro tanquinho”  e vem pra cá!

E para terminar, Leonard Cohen:

O único momento no qual você pode viver confortavelmente em meio a tantos conflitos é quando você os assimila  e diz: “Olha, não tô entendendo porra nenhuma, Aleluia!” Esse é o único momento no qual vivemos aqui, integralmente, como seres humanos.