Podcast Café Brasil com Luciano Pires
Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

É tudo soda
É tudo soda
Isca intelectual de Luciano Pires lembrando que ...

Ver mais

A selhófrica da pleita
A selhófrica da pleita
Isca intelectual de Luciano Pires tratando do nonsense ...

Ver mais

Freestyle
Freestyle
Isca Intelectual de Luciano Pires dizendo que quando ...

Ver mais

Café Brasil Curto 12 – Viver do passado
Café Brasil Curto 12 – Viver do passado
Que triste sina. Em vez de aprender com o passado, ...

Ver mais

Café Brasil Curto 11 – Os mais vivos
Café Brasil Curto 11 – Os mais vivos
Os vivos serão sempre, e cada vez mais, governados ...

Ver mais

570 – LíderCast 6
570 – LíderCast 6
Hoje apresentamos nosso elenco de convidados da ...

Ver mais

Café Brasil Curto 10 – Os porquês
Café Brasil Curto 10 – Os porquês
Nestes tempos de novilíngua, de “mentiras simbólicas” e ...

Ver mais

LíderCast 073 Lucas Mendes
LíderCast 073 Lucas Mendes
LíderCast 073 Lucas Mendes está à frente da implantação ...

Ver mais

LíderCast 072 Oscar Maroni
LíderCast 072 Oscar Maroni
Oscar Maroni se identifica como “dono de uma empresa ...

Ver mais

LíderCast 071 Bene Barbosa
LíderCast 071 Bene Barbosa
LíderCast 071 Bene Barbosa é um dos mais ferrenhos ...

Ver mais

LíderCast 070 – Alexandre Barroso
LíderCast 070 – Alexandre Barroso
Hoje conversamos com Alexandre Barroso, num programa ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

A Era da Integração
Tom Coelho
Sete Vidas
“Eu sou eu mais as minhas circunstâncias.” (José Ortega y Gasset)   Um dia você apanha um velho álbum de fotografias e começa a revisitar seu passado. Entre as imagens registradas nas fotos ...

Ver mais

Nas redes sociais, você é o que publica
Mauro Segura
Transformação
A facilidade e a displicência com que publicamos algo numa rede social são incríveis. As vezes publicamos coisas que não entendemos bem e nem temos consciência do impacto que causamos.

Ver mais

Abaixo a polícia, viva o bandido!
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não, pára. Tudo bem que nós, viventes dessa nau dos insensatos chamada Brasil, estamos com o couro grosso de tanta asneira, e achávamos que discursos de Dilma seriam o ápice da fronteira entre a ...

Ver mais

O Festival de Besteira que Assola a Esquerda Brasileira
Bruno Garschagen
Ciência Política
Diante da condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, intelectuais, professores, artistas, estudantes e os demais suspeitos de sempre negam que Lula tenha cometido os crimes pelos ...

Ver mais

531 – A invasão dos caras de pau

531 – A invasão dos caras de pau

Luciano Pires -

Não sei se é impressão minha, ou até mesmo birra, mas pra todo lado que eu olho vejo cada vez mais gente cara de pau. Parece uma invasão, meu! É no trabalho, é na televisão, nos jornais… como identificá-los e nos defender deles, hein?

Posso entrar?

Amigo, amiga, não importa quem seja, bom dia, boa tarde, boa noite, este é o Café Brasil e eu sou o Luciano Pires.

Este programa chega até você com o apoio do Itaú Cultural e do Auditório Ibirapuera que, como sempre, estão aí, a um clique de distância. facebook.com/itaucultural e facebook.com/auditorioibirapuera.

E quem vai levar o exemplar de meu livro Me engana que eu gosto é… cara, ele não mandou o nome  na gravação, é um comentário de janeiro de 2016 e a gente perdeu o contato. Se ele ouvir, estamos aí….

“Luciano. Nesses últimos dias eu venho ouvindo mais sobre o Café Brasil e ouvindo mais Café Brasil e consumindo mais teu conteúdo e eu ouvi também o programa do Bohemian Rhapsody e que me tocou muito as faixas separadas, eu arrepiei quando ouvi e ouvi também o LiderCast com o Kiko Loureiro e que me inspirou a treinar mais, treinar mais o meu instrumento. Os meus instrumentos. Me inspirou a treinar e a mandar esse áudio de mim tocando a minha apresentação do Bohemian Rhapsody na minha guitarrinha. Então é isso. Tenha uma boa vida e tchau”.

Taí… viu só como funciona o processo, hein? O ouvinte teve a cara de pau de mandar a gravação com sua guitarra e milhares de pessoas puderam ouvi-lo aqui no Café Brasil! Tá vendo como uma certa dose de cara de pau funciona? Pois é… mas não mandou o nome, pô…

Muito bem. Nosso guitarrista desconhecido receberá um KIT DKT, recheado de produtos PRUDENCE, como géis lubrificantes e preservativos masculino e feminino. PRUDENCE é a marca dos produtos que a DKT distribui como parte de sua missão para conter as doenças sexualmente transmissíveis e contribuir para o controle da natalidade.  O que a DKT faz é marketing social e você contribui quando usa produtos Prudence. facebook.com/dktbrasil

Vamos lá então! Lalá, hoje quero sem nome.

Na hora do amor, use: (mudo)

Começo com um texto que encontrei na internet, de autoria de Johnny Maza, que eu não sei quem é, que explica de onde vem a expressão “cara de pau”. Diz ele que sua mãe é india, tem 86 anos, e contou essa história. Não sei se é verdade, mas achei tão legal que vou usar aqui.

Existiu uma época em que as embarcações sofriam muitos naufrágios, por má construção, falta de conservação, intempéries ou falta de conhecimento de navegação. E os marinheiros que se salvaram, para não levar a culpa, alegavam que tinham confrontado monstros marinhos, sereias, fantasmas, piratas e outros bichos.  Para afugentar esses maus espíritos, eles começaram a confeccionar as famosas carrancas que eram esculturas em madeira (caras imensas), que ficavam na proa dos navios. Quanto mais medonhas, mais poderosas. As carrancas eram a primeira coisa visível pelo inimigo: uma enorme cara de pau, como diziam os antigos.

Com o passar do tempo, os marinheiros adquiriram mais experiência em navegação e os acidentes diminuíram e, é claro, eles alegaram que as carrancas é que eram as responsáveis pelo sucesso. Quando os marinheiros chegavam à terra firme, corriam para as tabernas para tirar o sal da garganta e nessas bebericagens sempre tinha um que se exaltava, arrumando confusões e brigas. Quando se saiam bem das brigas, gritavam que seus espíritos eram iguais às carrancas das embarcações, ferozes e furiosos, invencíveis e indomados.

Então, quando as brigas começavam, a população já habituada, começava a gritar:

– Os caras de pau já começaram as brigas!

Foi assim que, com o passar do tempo, a expressão passou a ser usada, para as pessoas que, como os antigos marinheiros, não têm vergonha de contar vantagem ou mentir para conseguir o que querem.

Olha, se essa história é verdade, eu não sei não, cara. Mas é uma delícia…

Mentira
Marcos Valle

Diga sim pra mim primeiro
Diga sim eu vi primeiro
Diga sim de corpo inteiro
Diga sim…

Mas é mentira… tchup tchu, é mentira
Iiiiha… tchup tchu, é mentira

Eu não quero ter ciúmes
Eu não quero ter queixumes
Quero é ter…

Você na minha… tchup tchu, sem mentira
Iiiiha… tchup tchu, sem mentira

Diga qué que quem pó podem
Diga qué que quem popó
Diga qué que quem pó podem
Diga qué…

Mas é mentira… tchup tchu, é mentira
Iiiiha… tchup tchu, é mentira

Eu não quero ter ciúmes
Eu não quero ter queixumes
Quero é ter…

Você na minha… tchup tchu, sem mentira
Iiiiha… tchup tchu, sem mentira

Rereree…. essa eu já usei aqui tempos atrás, acho que mais de uma vez, mas é boa demais, eu vou continua\r usando, viu! Você ouve Marcos Valle, com MENTIRA. O ano era 1973 e ele colocou uma percussão vocal nessa música dez anos antes dos artistas de hip-hop criarem o beatbox… 

O termo cara de pau está profundamente enraizado em nossa cultura, é um atributo fundamental do tradicional “malandro” que há muito tempo representa uma das faces do brasileiro. Nem de todos os brasileiros, mas de uma porção deles. Não existe malandragem se não houver cara de pau. Cara de pau é aquela capacidade de contar mentiras, justificar práticas erradas, mantendo sempre no rosto uma expressão tranquila, normal, neutra. Cara de pau é um talento…

Num contexto como o atual, onde a ausência de critérios, de consciência e de cidadania é a regra, os caras de pau reinam felizes.

Houve um tempo em que esse tipo de gente era repelido, classificado como indesejável, não conseguia transitar com facilidade. Mas nestes tempos onde tudo se admite, tudo se tolera, se aplaude, seja em relação a atentados ao bom gosto, à estética ou atitudes morais e éticas questionáveis, o cara de pau transita feliz da vida…

E com os exemplos diários, especialmente dos políticos, transmitidos pela televisão em rede nacional, o caradepauzismo toma conta.

Na fila para entrar no avião, por exemplo. Quantas vezes você já viu um cara de pau fazendo das suas para passar à frente dos outros, hein? E você fica sem jeito de reclamar, pois pode parecer intolerante ou nervosinho. Se bobear, toma uma dura dos outros que estão na fila… E o cara de pau tá lá, se bobear rindo de você. Quantas vezes você viu isso, hein?

O objetivo cara de pau é obter o benefício que ele deseja, sem obedecer às regras elementares que regem o convívio harmônico em sociedade. O cara de pau atropela a lei, passa por cima das convenções, desrespeita acordos, ignora limites. E quando confrontado, faz de conta que não é com ele. Quantas pessoas assim você conhece, hein?

Olha aí pro lado… se bobear tem um.

Eu considero que existem níveis diferentes de cara de pau. Tem o cara de pau júnior, o pleno e o sênior.

O júnior é aquele das pequenas mentiras eventuais, que pouco prejuízo traz para outras pessoas. É o das brincadeiras ou que age como cara de pau simplesmente para se proteger ou proteger outra pessoa. Aliás, ser um cara de pau júnior é até desejável. É aquela cara de pau necessária para vencer o medo ou a timidez, por exemplo, para nos ajudar a aproveitar as oportunidades.

Eu encontro muita cara de pau assim nas minhas palestras que eu faço pelo Brasil afora. É aquele momento que eu estou falando alguma coisa, fazendo uma reflexão e de repente eu chamo um voluntário. Ninguém levanta a mão. Eu insisto e de repente alguém surge e aparece, vai lá na frente, participa comigo da palestra e quando vai embora é o único da plateia que ganhou o livro.

A cara de pau júnior é, no fundo, um atributo positivo.

Já o cara de pau pleno é o do dia a dia, aquele que vive ou trabalha com você e sempre está tirando as pequenas vantagens. Você o conhece e já sabe das que ele vai aprontar, mas aprende a conviver. Não é uma pessoa “do mal”, apenas precisa ser enquadrado de quando em quando.

E o cara de pau sênior, hein? Bem, esse é o que faz da cara de pau seu meio de vida, que atropela mesmo, que não está preocupado com os prejuízos que certamente trará para outras pessoas.

Esse é o canalha.

O cara de pau canalha frequentemente reveste seu comportamento com ares de bom mocismo ou vitimismo. Diz e pratica as maiores barbaridades com facilidade, por uma razão: ele ou ela está intimamente convencido de que todos os que o rodeiam são idiotas.

 

Canalha
Walter Franco

É uma dor canalha
Que te dilacera
É um grito que se espalha
Também pudera
Não tarda nem falha
Apenas te espera
Num campo de batalha
É um grito que se espalha
É uma dor
Canalha

Uia! Pela primeira vez no Café Brasil… os baianos do Camisa de Vênus com CANALHA, do Walter Franco … Essa música não fala de um canalha, mas de uma dor canalha… que é aquela que a gente sente quando topa com um cara de pau…

Muito bem. Os caras de pau juniores fazem parte de nosso dia a dia. É possível conviver com eles e no final das contas, todos temos de ter um pouco dessa cara de pau do bem. Mas os plenos e seniores, os canalhas, esses fazem parte de um grupo conhecido de pessoas, aquelas classificadas como tóxicas, que de alguma forma nos causam danos. Se você já cruzou com um manipulador que fez você fazer algo que não queria, com um psicopata que fez da sua vida um inferno, com um chefe autoritário que pensava que sua vida pertencia a ele 24 horas por dia, com um conhecido que ficava invejando tudo que você tinha ou conseguia ou com um vizinho fofoqueiro, sabe de que tipo de gente eu tô falando.

Em 2011, no site do jornal Zero Hora foi publicado um Manual do cara de pau, que vale ser reproduzido aqui. Vamos a ele.

Lalá, solta aí PRA QUE MENTIR, de Noel Rosa, com o carioca Eduardo Neves. Essa delícia está no CD com a trilha sonora do filme Noel, poeta da vila.

Há quem minta mais e muito melhor do que as outras pessoas. A famosa cara de pau foi tema de uma edição recente da revista Scientific American, que citou o trabalho de pesquisadores da Universidade de Portsmouth. Ouça as características típicas de caras de pau convincentes.

São manipuladores: que mentem frequentemente e não têm escrúpulos morais – por isso, sentem menos culpa. Os mentirosos também não têm medo de que as pessoas desconfiem e não precisam de muito esforço cognitivo para fazer isso. A coisa meio que acontece naturalmente.

São bons atores: quem sabe atuar tem mais facilidade em mentir e se sente confiante ao fazer isso, pois sabe que é capaz de fingir muito bem.

Conseguem se expressar bem: dão uma impressão de honestidade porque o seu comportamento sedutor desarma suspeitas logo de início, além de conseguirem distrair os outros facilmente.

Têm boa aparência: pesquisas já mostraram que pessoas bonitas tendem a ser mais queridas e vistas como honestas, o que ajuda a enganar os outros.

São espontâneos: para acreditarmos num discurso, ele precisa parecer natural. Quem não tem a capacidade de ser espontâneo acaba parecendo artificial – e fica difícil convencer alguém desse jeito.

São confiantes enquanto mentem: bons mentirosos geralmente sentem menos medo de ser desmascarados do que as outras pessoas.

Têm bastante experiência em mentir: assim como nas outras coisas, o treino também leva à perfeição quando se trata de mentir. Quem está acostumado a isso sabe o que é necessário para convencer as pessoas.

Conseguem esconder facilmente as emoções: em algumas situações mais arriscadas, mesmo um mentiroso veterano pode sentir medo e insegurança. Nesse caso, é fundamental conseguir camuflar bem essas emoções. Mentirosos costumam ser bons em fingir sentimentos que não estão realmente sentindo, mas também tendem a manifestar seus verdadeiros sentimentos espontaneamente. Por isso, é necessário ter habilidade em mascará-los para que não venham à tona.

São eloquentes: eles conseguem confundir mais facilmente as pessoas com jogos de palavras e enrolar mais nas respostas caso lhe perguntem algo que exija outras mentiras.

São bem preparados: mentirosos planejam com antecedência o que vão fazer ou dizer para evitar contradições.

Improvisam bem: mesmo estando preparado, é preciso estar pronto para improvisar caso alguém comece a desconfiar da história que ele inventou.

Pensam rápido: para improvisar bem, é preciso pensar rápido. Bons mentirosos conseguem pensar em uma saída rapidamente.

São bons em interpretar sinais não verbais: um bom mentiroso está sempre atento à linguagem corporal do seu ouvinte e consegue interpretar sinais não verbais que possam indicar desconfiança.

Afirmam coisas que são impossíveis de se verificar: por motivos óbvios, bons mentirosos costumam fazer afirmações sobre fatos que sejam impossíveis de se provar e evitam inventar histórias mirabolantes, facilmente desmascaradas.

Falam o mínimo possível: quando é impossível falar algo que não pode ser verificado, o mentiroso simplesmente não diz nada.

Têm boa memória: quem quer desmascarar um mentiroso procura por contradições no seu discurso, porque muitas vezes eles podem simplesmente se confundir ou esquecer detalhes que inventaram. Mas não se impressione se a pessoa conseguir se lembrar e repetir cada vírgula do que lhe contou anteriormente. Bons mentirosos geralmente têm ótima memória.

São criativos: eles conseguem pensar em saídas e estratégias que você nunca imaginaria. Mas não se deixe levar pelo seu brilhantismo – afinal, é isso o que eles querem.

e por fim: imitam pessoas honestas: mentirosos procuram imitar o comportamento que, no imaginário das pessoas em geral, são típicos de quem só diz a verdade — e evitam se parecer com a imagem que se tem dos mentirosos.

Verdadeiro canalha
Bezerra da Silva

Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Você vive de trambique
Deita na sopa
E se atrapalha
Olha aí, seu canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Se elegeu com votos da favela
Depois mandou nela
Metê bala
Isso é que é ser canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Rapinou o dinheiro do povo
Saiu esbanjando
E fazendo bandalha
Veja bem, seu canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Canalha, tu é um tremendo canalha
Comprou carrão
Fazenda e mansão
E o povo na miséria comendo migalha
Veja bem, seu canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Quem judia de um povo sofrido é um tremendo patife
Um estorno, uma tralha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Está livre a poder de propina
Porém a justiça divina
Não falha
Veja bem, seu canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
O truco se acaba
Vem retrocesso
Verás o reverso da medalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Canalha, tu é um verdaderio canalha
Viver de moleza é muito bom
Quero ver você
Encarar uma batalha
Vai trabalhar, canalha!
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
E no dia do judas tu fica na tua
Se tu for pra rua
A galera te malha
Fica em casa, canalha!
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Comeu, bebeu, fumou e cheirou
Depois caguetou
O cabeça-de-área
Olha a bala, canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Nunca vi ninguém dá dois em nada
E também se ver
Cadeado não fala
Aprendi isso, canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
E depois daquele par de chifres
Em que altura está
O teu chapéu de palha
Já viu isso, canalha?
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
O calado tá errado
E falando nem se fala
Cala a boca, canalha!
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
De repente o bicho pegou
Tu se empirulitou
E jogou a toalha
Sai correndo, canalha!
Canalha, tu é um verdadeiro canalha
Canalha, tu é um verdadeiro canalha

Opa! Bezerra da Silva com o Cumpade Genaro e a música VERDADEIRO CANALHA… sobe aí Lalá…

Muito bem, o que fazer então diante de um cara de pau canalha? Aliás: e se você for um cara de pau, hein? Vamos lá..

Primeiro: reconhecer, identificar, tomar consciência de quem você está diante de um cara de pau.

Segundo: marcar os limites. Deixe clara a situação que incomoda a você, de forma clara, assertiva. Fale na cara mesmo.  O cara de pau não caradepauliza quem quer, mas quem pode…

Terceiro: mantenha a amabilidade a atitude positiva. O cara de pau tem de saber que você está consciente, sabe de suas artimanhas e… é mais inteligente que ele.

Quarto: tire o poder dele. Evite-o se possível. Não permita que ele tenha acesso a sua intimidade.

Quinto: tenha em mente que os caras de pau estão por aí, em todos os cantos, em todos os momentos de sua vida. Aprenda a manter a guarda alta, ou eles vão te pegar…

Muito bem… quando você se encontrar com um, ver ou ouvir um cara de pau, agora tem as armas para reconhecer o bicho e se proteger dele. E não se esqueça: todas as pessoas que chegam e, através de suas atitudes e fala contagiam você com mau humor, tristeza, medo, inveja ou qualquer outro tipo de emoção negativa, fazem parte daquele grupo de pessoas tóxicas. Elas  são como o vírus da gripe: contaminam, se expandem, deixam você prostrado e depois vão embora.

Cuidado com elas.

Pega na mentira
Erasmo Carlos

Ronaldinho tá no Santos com Pelé
Minas importou do Rio a maré
É só notícia boa na televisão
Acabou-se a inflação
Barato é o marido da barata
Amazônia preza a sua mata-ta-ta

REFRÃO
Pega na mentira, pega na mentira
Corta o rabo dela
Pisa em cima, bate nela
Pega na mentira

Já voei num disco voador
Não tem Timbalada em Salvador
Agora nesse mundo não existe guerra
No Brasil não tem sem-terra
Vi Papai Noel numa favela
A mulher não gosta de novela-la-la

Xuxa é muito feia, não é boa
Já não morre peixe na lagoa
Passa todo mundo no vestibular
O amor vai se acabar
Carnaval agora é um dia só
Com censura e guaraná em pó-pó-pó-pó

E é assim então, ao som de, olha só… Sandy e Júnior com PEGA NA MENTIRA, de Erasmo Carlos, que este Café Brasil vai saindo de mansinho.

Com o cara de pau júnior Lalá Moreira na técnica, a cara de pau plena Ciça Camargo na produção e eu, este caçador de caras de pau canalhas, Luciano Pires, na direção e apresentação.

Estiveram conosco um guitarrista misterioso, Sandy e Júnior, Marcos Valle, Camisa de Vênus, Eduardo Neves, e Bezerra da Silva com o Cumpade Genaro.

O Café Brasil só chega até você porque a Nakata, também resolveu investir nele.

A Nakata, você sabe, é uma das mais importantes marcas de componentes de suspensão do Brasil, fabricando os tradicionais amortecedores HG. E tem uma página no Facebook repleta de informações interessantes para quem gosta de automóveis. Dê uma olhada lá, vale a pena: facebook.com/componentesnakata.

Tudo azul? Tudo Nakata!

Este é o Café Brasil. Que chega a você graças ao apoio do Itaú Cultural e do Auditório Ibirapuera. De onde veio este programa tem muito mais. Visite para ler artigos, para acessar o conteúdo deste podcast, para visitar nossa lojinha no … portalcafebrasil.com.br.

Mande um comentário de voz pelo WhatSapp no 11 96429 4746. E se você está fora do país é o: 55 11 96429 4746. E também estamos no Telegram com o grupo Podcast Café Brasil.

Olhaí, ó! Vale a pena ouvir o Café Brasil? Você gosta é? Sabe que tem um lugar onde está se juntando uma galera muito da boa? O pessoal que ouve o Café Brasil e que troca ideias, conversa sobre coisas que estão acontecendo por aí. Pode até falar o que der na telha, sem ter gente agredindo. Esse locar é a Confraria Café Brasil. Vem pra cá, ó! Acesse o portalcafebrasil.com.br, clique no link do cérebro tanquinho e vem participar do grupo.

E para terminar, bem…

Como é que se combate a corrupção? Ou seja: como é que você prende um corrupto, você pega um corrupto… ou seja, como é que você descobre que houve corrupção? Ou alguém denuncia, não é isso? Ou alguém denuncia ou você cria instrumento de fiscalização mais eficaz. Só tem um jeito de você não ser denunciado neste país: é você ser honesto. E é você fazer as coisas corretas. Se você fizer alguma coisa errada, seja quem for, você tem que pagar o preço. Aí começa a aparecer as coisas. Você não precisa esconder. Se você esconder você vai dar às pessoas o direito de quererem ser corruptas. Se você não esconder você vai pelo menos deixar as pessoas com medo de que… eu posso ser pego.