Assine o Café Brasil
Podcast Café Brasil com Luciano Pires
Culpa e vergonha
Culpa e vergonha
Culpa e vergonha. Um artigo de 2007 revela o tamanho da ...

Ver mais

Por que eu?
Por que eu?
Ela foi a primeira mulher a assumir publicamente que ...

Ver mais

Cobertor de solteiro
Cobertor de solteiro
Cobertor de solteiro. Isca intelectual de Luciano Pires ...

Ver mais

O véinho
O véinho
Isca intelectual de Luciano Pires que pergunta: que ...

Ver mais

538 – Caçadores da verdade perdida
538 – Caçadores da verdade perdida
Podcast Café Brasil 538 - Caçadores da verdade perdida. ...

Ver mais

537 – VAMO, VAMO CHAPE
537 – VAMO, VAMO CHAPE
Podcast Café Brasil 537 - Vamo,vamo, Chape. Este é um ...

Ver mais

536 – A política da pós-verdade
536 – A política da pós-verdade
Podcast Café Brasil 536 - A política da pós-verdade. ...

Ver mais

535 – Hallelujah
535 – Hallelujah
Podcast Café Brasil 535 - Hallelujah. Poucos dias atrás ...

Ver mais

LíderCast 052 – Thiago Oliveira
LíderCast 052 – Thiago Oliveira
LiderCast 052 - Hoje vamos conversar com Thiago ...

Ver mais

LíderCast 050 – Bia Pacheco
LíderCast 050 – Bia Pacheco
LiderCast 050 - Hoje vamos conversar com Bia Pacheco, ...

Ver mais

LíderCast 051 – Edu Lyra
LíderCast 051 – Edu Lyra
LiderCast 051 - Hoje conversaremos com Edu Lyra, um ...

Ver mais

LíderCast 049 – Luciano Dias Pires
LíderCast 049 – Luciano Dias Pires
Lídercast 049 - Neste programa Luciano Pires conversa ...

Ver mais

045 – Recuperando do trauma
045 – Recuperando do trauma
Quando terminar o trauma, quando o Brasil sair deste ...

Ver mais

Vem Pra Rua!
Vem Pra Rua!
Um recado para os reacionários que NÃO vão às ruas dia ...

Ver mais

44 – Tudo bem se me convém – Palestra no Epicentro
44 – Tudo bem se me convém – Palestra no Epicentro
Apresentação de Luciano Pires no Epicentro em Campos de ...

Ver mais

43 – Gloria Alvarez – Sobre República e Populismo
43 – Gloria Alvarez – Sobre República e Populismo
Gloria Alvarez, do Movimento Cívico Nacional da ...

Ver mais

A carta que mudou a minha vida
Mauro Segura
Transformação
Mauro Segura conta em vídeo uma história pessoal, que teve origem numa carta recebida há 30 anos.

Ver mais

Tempo de escolher
Tom Coelho
Sete Vidas
“Um homem não é grande pelo que faz, mas pelo que renuncia.” (Albert Schweitzer)   Muitos amigos leitores têm solicitado minha opinião acerca de qual rumo dar às suas carreiras. Alguns ...

Ver mais

O caso é o caso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Sobre a morte do assassino nojento, tudo já já foi dito; Fidel Castro foi tarde e deve estar devidamente instalado no caldeirão-suíte número 13, com aquecedor forte, decoração vermelha e vista ...

Ver mais

SmartCamp: as startups transformam o mundo
Mauro Segura
Transformação
Vivemos o boom das startups no Brasil e no mundo. O que está por trás disso? Mauro Segura esteve no SmartCamp, que é uma competição global de startups, e fez um vídeo contando a sua experiência.

Ver mais

466 – Perfil do ouvinte

466 – Perfil do ouvinte

Luciano Pires -

Amigo, amiga, não importa quem seja, bom dia, boa tarde, boa noite. Este é o Café Brasil e eu sou o Luciano Pires. O programa de hoje é uma daqueles que a gente faz de quando em quando, que trata do umbigo do Café Brasil, mas que é fundamental para nos situarmos sobre onde estamos e para onde vamos.

Posso entrar?

O podcast Café Brasil chega até você com o apoio do Itaú Cultural e do Auditório Ibirapuera que, como sempre, estão aí, a um clique de distância. facebook.com/itaucultural e facebook.com/auditorioibirapuera

Quem vai ganhar o exemplar de meu livro ME ENGANA QUE EU GOSTO hoje será o Jean Vilaça, sabe de onde, hein? Lá de Angola. Ouça só:

“Bom dia, boa tarde, boa noite, Luciano, estou falando pra você neste momento de Angola. Eu trabalho aqui há aproximadamente seis anos, estou nos meus meses finais aqui, estou, eu e minha esposa voltaremos ao Brasil no fim deste ano, pra darmos sequência à nossa vida. Eu apenas estou deixando esse recado aqui pra te agradecer, cara. E pra pedir que você não pare com o que você está fazendo. Você está investindo em vidas de pessoas que você nem conhece. Você está investindo em vidas de pessoas que você nunca viu, como a minha, por exemplo. Eu estou a pelo menos oito mil quilômetros da onde você está. E sei que, provavelmente, tem pessoas que estão muito mais longe do que eu. Parabéns por esse investimento em nossas vidas, muito obrigado por esse tempo que você dedica pra fazer isso. Acabei de ouvir sobre sorte e azar e sobre esse episódio específico , na minha opinião, você tem que estar preparado, disposto e disponível pra oportunidade quando chegar. Você estar atento, com seus olhos muto atentos pra você agarrar a oportunidade e ser feliz. É incrível como parece que isso aqui não é uma obrigação, pelo menos não me transmite isso. Parece que você faz isso com a sua alma. Isso é muito importante pra quem está aqui do outro lado. Sentir como se pudesse esta numa mesa frente a frente com você, tomando um café contigo e ouvindo isso de você pessoalmente. Muito obrigado por investir na minha vida. Um abraço aqui do outro lado do oceano e mais uma vez, muito obrigado”.

Eu é que agradeço, Jean. Pretendemos continuar sim, pra frente e para cima, pro Brasil, pra Angola, pra onde der. E sempre buscando inspirar gente como você, que sabe como fazer acontecer. Muito obrigado pela mensagem!

Muito bem. Além do livro, o Jean receberá um KIT DKT, recheado de produtos PRUDENCE, como géis lubrificantes e preservativos masculino e feminino. Ó: mas o livro e o kit vão ser entregues quando estiver no Brasil. PRUDENCE é a marca dos produtos que a DKT distribui como parte de sua missão para conter as doenças sexualmente transmissíveis e contribuir para o controle da natalidade. O que a DKT faz é marketing social e você contribui quando usa produtos Prudence.

Vamos lá então!

Na hora do amor, use aqui no Brasil ou em Angola, Prudence.

Quem é
Osmar Navarro

Quem é
Que lhe cobre de beijos
Satisfaz seus desejos
E que muito lhe quer

Quem é
Que esforços não mede
Quando você me pede
Uma coisa qualquer

Quem é
Que de você tem ciúmes
Quem é
Que lhe ouve os queixumes

Quem é
Que lhe cobre de beijos
Satisfaz seus desejos
E que muito lhe quer

Quem é… que me cobre de beijos? Rararara… você ouve Osmar Navarro, autor de mais de 1000 músicas. Essa que você ouve QUEM É, de 1959 e vendeu mais de um milhão de cópias. Cara, você faz ideia do que significava 1 milhão de cópias em 1959? Isso é que era sucesso…

Vamos então saber quem é que nos enche de beijos… ou de tapas…

Se você acessar o www.portalcafebrasil.com.br e clicar na área de podcasts, verá duas novidades. A primeira está no banner no alto da página:

Clique aqui para participar da pesquisa de perfil do ouvinte de podcast.

É uma pesquisa permanente que lançamos e que já está com mais de 700 participantes, que busca entender o perfil das pessoas que ouvem o Café Brasil. Não demora mais que três minutos para ser respondida e é uma forma de você contribuir pra gente aprimorar o que fazemos.

Hoje vou dar uma ideia do resultado da pesquisa. Você tá preparado, hein? Vamos lá:

– 38% dos ouvintes estão situados entre 31 e 40 anos de idade. 36% entre 21 e 30 anos. É uma audiência madura.

– São Paulo é de longe onde temos mais ouvintes, com 30% do total, seguido do Rio de Janeiro com 10%, Minas Gerais com 9%, Paraná com 6% e Rio Grande do Sul com 4%.

– 9% dos ouvintes estão fora do Brasil, a maioria na Europa.

– Curiosamente 84% dos ouvintes são homens. Desde que fizemos a primeira pesquisa, cerca de seis anos atrás, essa proporção piorou cara, é cada vez mais homem. Mulheres não curtem podcasts, não sei a razão.

– 50% dos ouvintes são casados, 45% solteiros.

– Na escolaridade, um resultado fantástico: 46% têm estudo superior, 26% têm pós-graduação ou MBA, 5% têm mestrado e 2% têm doutorado. Se somar tudo, 79% dos ouvintes do Café Brasil têm educação superior. Olha que responsabilidade!

– Na renda, outro resultado que impressiona: 24% ganham mais de 8 mil reaispor m~es, 23% ganham entre 2.500 e 5 mil reais e 15% entre 5 mil e 8 mil reais.

– 55% dos ouvintes afirmam que estão sempre ligados na internet. 29% afirmam permanecer até 3 horas por dia ligados.

– Sobre as mídias que consomem, Google e Facebook são os campeões, seguidos do Youtube e sites de notícias. Twitter e Instagram têm baixíssima frequência.

– Sobre os interesses, educação e cultura estão em primeiro lugar, seguidos de notícias, entretenimento e redes sociais.

– 51 % ouvem o Café Brasil há menos de 2 anos, sendo que 23% há poucos meses. Apenas 12% ouvem há mais de 5 anos, o que é um excelente indicativo de crescimento da audiência. Tem muita gente nova chegando para ouvir o programa

– 65% dizem que são os únicos que ouvem o programa quando baixam. 27% dizem que mais uma pessoa ouve.

– 30% ouvem através de agregadores diversos de podcasts. 22% ouvem pelo iTunes e 23% ouvem direto no smartphone.

– 41% ouvem pelo sistema Android, 38% pelo IOS da Apple 16% pelo Windows.

– 44% ouvem quando estão em trânsito, 29% ouvem em casa.

– 65% acessam às vezes o portalcafebrasil.com.br, 21% acessam sempre.

– 60% acessam às vezes o roteiro do programa no site, para ler e assistir os vídeos e ver as imagens. 5% nem sabiam que esse roteiro existe…

Opa! Agora quem chega é o grande Nailor Proveta,  QUEM É VOCÊ…

Vamos ao que chama atenção desta pesquisa para a anterior, uma comparação com a outra que realizamos em 2012:

– o público está mais velho, a moçada entre 31 e 40 anos empatou com os de 21 a 30, que antes era a maioria. Público bem mais maduro que a média de idade do público que ouve podcasts em geral no Brasil, que está em torno dos 26, 27 anos de idade.

– diminuiu a quantidade de ouvintes do sexo feminino, de 22% para 16%. Como eu disse antes, é curioso isso viu. O mesmo acontece com os podcast em geral. Ô moças, o que é que tá aconteceendo, hein?

– aumentou a renda média do ouvinte do Café Brasil. Se usarmos os critérios de classes sociais no Brasil, nosso público é classe A. Eu acho isso uma bobagem, mas é muito bom pra atrair patrocinadores…

Em suma, o público do Café Brasil está mais maduro, tem mais educação formal e tem rendimento maior. E o crescimento da audiência usando dispositivos Android também chama atenção. Dentro de 3 ou 4 anos teremos no Brasil mais de 70 milhões de smartphones. E com isso, vem aí a explosão dos podcasts, pode apostar!

Agora vamos a algumas informações sobre as estatísticas do programa. Tem gente que prefere esconder esses dados, mas eu faço questão de apresentá-os viu, pois você é parte fundamental desses números. Além disso, eles nos orgulham!

– Temos hoje cerca de 50 mil pessoas cadastradas no portalcafebrasil.com.br que recebem duas vezes por semana o nosso boletim por e-mail, com os principais conteúdos publicados no portal.

– Estamos com 500 mil visitantes/únicos por mês no portal, 80% pelos podcasts e 12% pelos artigos.

O tempo médio de navegação no portal é 7 minutos e 39 segundos. É um tempão, viu.

– A média de minutos escutados no portal é 27 minutos.

– Temos cerca de 100 mil ouvintes por programa nas rádios que transmitem o Café Brasil.

– Cada programa tem em média 30 mil downloads na semana do lançamento. E nos primeiros 60 dias, são 60 mil downloads. E nunca mais para. Essa é a mágica do podcast… diferente de uma revista semanal, por exemplo… Saiu a revista da semana, ninguém compra mais a da semana passada, que é até recolhida das bancas, não é? mas com podcast, não é não. Eles continuam tendo downloads mesmo passados anos depois que foram publicados.

– Somando todos os 465 programas já publicados, temos em média 130 mil downloads por semana. Isso projeta seis milhões e oitocentos mil downloads em 2015. Você ouviu direito, meu: seis milhões e oitocentos mil downloads no ano. Cara, isso é muita coisa… Eu diria que estamos com uma audiência espetacular, maior que a maioria das revistas que você vê nas bancas de revista, inclusive algumas bastante conhecidas. Maior que a audiência de muitos programas de rádio que você ouve por aí, inclusive alguns bem conhecidos. Maior que muitas colunas badaladas em sites importantes que a gente vê por aí.

E a culpa, cara, é sua, viu?

Muito obrigado

Agora sobre a segunda novidade. Acessando  a página dos podcasts no portalcafebrasil.com.br você vai reparar num  novo selo no canto direito superior. Lá está escrito CONTRIBUA COM O PODCAST CAFÉ BRASIL. Clique e você será direcionado para uma página que atende a um pedido de vários ouvintes. Vamos lá.

Os podcasts ainda estão descobrindo formas para monetizar seu conteúdo. Uma das mais interessantes que surgiu algum tempo atrás é o Patreon, um site onde você pode escolher ser patrono dos podcasts que você gosta. Você escolhe doar uma quantia mensal e tem em contrapartida diversas compensações. É um formato interessante, que muita gente está adotando e que avaliamos com interesse. Mas decidimos elaborar o nosso próprio sistema, seguindo algo que já existe numa porção de sites por aí.

A partir deste mês disponibilizamos caminhos para que os ouvintes e fãs do Café Brasil possam escolher a forma que melhor se adequar para contribuir com o programa. IMPORTANTE: independente das contribuições dos ouvintes, o programa continuará sendo distribuído gratuitamente, como sempre foi. Não vai mudar nada, cara. Você só precisa colaborar se achar que vale a pena.

Temos agora um sistema de assinatura. Ao clicar no selo CONTRIBUA ( http://www.portalcafebrasil.com.br/tudo-sobre-podcasts/ajude-a-manter/ ) você poderá fazer uma assinatura do Café Brasil, contribuindo mensalmente com R$ 10 reais, que significam R$ 2,50 por programa baixado. Repito e vou bem devagarinho, olha só: nada muda no sistema atual, o podcast continuará sendo distribuído gratuitamente, mas se conseguirmos chegar a pelo menos 200 assinantes, passaremos a disponibilizar uma versão do programa sem anunciantes, apenas com o conteúdo bruto. Será uma versão com aproximadamente 20 minutos de duração, à qual somente os assinantes terão acesso e que não poderá ser distribuída pelo iTunes e outros agregadores de podcasts. Mandaremos um link para download para quem assinou o programa.

E ainda estamos elaborando outras coisinhas especiais para os assinantes, em breve vamos informar.

Pra assinar é muito fácil, tem um botão ali embaixo do PagSeguro e tem outro botão do Paypal. Clique no botão, faça a assinatura. O sistema sozinho vai passar a te mandar todo mês uma cobrança, um boleto, eu não sei como ele funciona muito bem mas, ele vai debitar esses dez reais e você vai passar a ser um contribuinte, um assinante mensal do Café Brasil.

Mas digamos que você não quer fazer uma assinatura mensal, mas ainda assim quer ajudar eventualmente com uma doação. Na mesma página temos os botões de doação, com sugestões sobre os valores a serem doados. Ambas as opções, assinatura e doação serão feitas através daqueles boões: PagSeguro e do Paypal.

Quem quiser usar um outro modo tem que mandar um e-mail para [email protected], pra gente definir um outro caminho, tá bem?Lembre-se. De novo, olha so: isso é só sugestão. Doe se quiser, quando quiser e como quiser.

E agora um recadinho para possíveis patrocinadores. O tempo das mídias de massa, dos canhões que atiravam para atingir o maior número possível de pessoas, está passando, viu? Tamanho é documento, sim, mas se antes o tamanho nas mídias de massa significava “com quantos milhões você fala”, nestes novos tempos de internet significa “qual o tamanho de sua audiência proprietária comparada à dos concorrentes”, hein? Quantos “assinantes”, quantos “fãs” sua empresa tem? Quantos curtidores no Facebook? No Twitter? No LinkedIn? No Youtube? Quantos ouvintes tem o seu podcast, hein? Qual é o volume e a qualidade dos dados que você acumulou sobre a sua audiência para ampliar a relevância de suas mensagens? Como é que a sua audiência se engaja à sua marca? Que valor você transfere à sua audiência?

Quando essas perguntas são feitas aos meios tradicionais de comunicação, as respostas são evasivas. Ou então surge uma planilha suspeita que fala de estatísticas. É nesse universo de perguntas que não podem ser respondidas pelos processos tradicionais que o podcast trafega.

O público do podcast é selecionado, extremamente qualificado. E fala com as empresas. Se manifesta, comenta, indica, advoga, defende. Cria um engajamento com o espectador, com o conteúdo, com as marcas, como nenhum outro consegue.

Por isso o podcast é a mídia do futuro. Mas tem gente que não quer ver…ou melhor, ouvir…

Muito bem. Agora que você já sabe que pode colaborar se quiser, deixe-me fazer algumas observações sobre nosso conteúdo. Vários temas que temos abordado no Café Brasil, que são polêmicos por natureza, despertam nas pessoas o desejo de participar e comentar, o que é sempre muito bem vindo. Não importa se seu comentário será contra ou a favor do que eu digo aqui, venha! Comente! E de preferência na página do programa. Ler os comentários dos ouvintes nos programas da série sobre meritocracia, por exemplo, é fascinante. A gente aprende mais, cresce mais e cumpre o ciclo do podcast.

No entanto, uma coisa eu preciso deixar clara. O Podcast Café Brasil não é um programa de debates. Não é uma reportagem investigativa. É uma coluna, é uma crônica. Eu, Luciano Pires, sou um colunista, um cronista que dou aqui minha opinião e assino embaixo. Quem ouve o Café Brasil ouve a opinião do Luciano e não as argumentações em cima do muro de um simples locutor.

Tem gente que escreve reclamando que sou parcial, que defendo um lado, que ataco outro lado. Exatamente! Sou parcial sim senhor, defendo um lado, sim senhor. Defendo a minha visão de mundo e faço questão de deixar isso claro, há quase 10 anos. Foi assim que o programa nasceu, é assim que ele é e é assim que ele continuará a ser: uma co-lu-na. Uma crônica. Uma opinião. Alguns ouvintes escrevem dizendo que eu deveria ouvir o outro lado e deixar que o ouvinte forme sua própria opinião, mas não foi para isso que este programa nasceu. O Café Brasil traz aqui um lado, mas jamais teve a intenção de ser o dono da verdade. O que eu faço aqui é dar uma opinião, uma visão. Você decide se deve concordar ou não. E se decidir discordar, vai ter que pensar a respeito do tema abordado, vai ter que estudar um pouco para publicar o seu comentário… E aí o Café Brasil terá cumprido sua função.

Mais uma coisa, que eu já disse aqui várias vezes. Este programa tem 25 minutos de duração, com aproximadamente 10 minutos ocupados por propaganda, fala do ouvinte, músicas e vinhetas, o que deixa 15 minutos para o texto propriamente dito. Quinze minutos para o texto propriamente dito. Quinze minutos de texto.  Não dá para mergulhar muito fundo em 15 minutos, por isso quando pego um tema cabeludo, faço dois, três ou quatro programas a respeito. É preciso, portanto, aguardar um pouco para ter a visão mais abrangente sobre o tema. E mais: conforme abraço uma temática, eu me esforço para que os programas tenham uma continuidade. Não é por acaso que após os programas sobre meritocracia tenha vindo um sobre sorte e azar, outro sobre desigualdade social e mais uns aí que virão. São abordagens diversas em torno do mesmo tema, uma grande viagem que quero fazer com você. Aí vem o comentário do sujeito que ouviu um programa só, não gostou de algo e diz que vai cair fora. Azar dele. Eu continuo aqui, e quem estiver comigo vai viajar junto.

Ah, podia ser diferente? O programa podia ter 40 minutos, uma hora de duração? Eu poderia ir mais fundo? Poderia chamar especialistas para conversar sobre o tema abordado? Podia ter menos músicas? Podia não ter a participação do ouvinte? Podia ter mais participação do ouvinte? Podia não ter propagandas? Claro que podia! Podia tudo! Mas não é.

Este é o Café Brasil, e é com este formato que temos crescido, atingido mais gente e crescido junto com os ouvintes.

Agradeço a você que está conosco esse tempo todo, agradeço pelas sugestões e, principalmente, pela participação dos ouvintes comentando, debatendo, divulgando o programa e contribuindo para colocar um tijolinho nesta construção do Brasil que todos queremos.

Mim quer tocar
Roger Rocha Moreira

(Dinheiro, Dinheiro, Dinheiro, Dinheiro)

Mim quer tocar,
Mim gosta ganhar dinheiro (dinheiro)
Me want to play,
Me love to get the money (money)

Mim é brasileiro,
Mim gosta banana (banana)
Mas mim também quer votar
Mim também quer ser bacana (bacana)

Mim quer tocar,
Mim gosta ganhar dinheiro (dinheiro)
Me want to play,
Me love to get the money (money)

Mim gosta tanto tocar
Mim é batuqueiro (conheiro)
Mas mim precisa ganhar
Mim gosta ganhar dinheiro (dinheiro)

Mim quer tocar,
Mim gosta ganhar dinheiro (dinheiro)
Me want to play,
Me love to get the money (money)
Money (money), dinheiro (dinheiro), money (money), dinheiro (dinheiro), money (money), dinheiro (dinheiro)

(Dinheiro, Dinheiro, Dinheiro, Dinheiro)

Mim quer tocar,
Mim gosta ganhar dinheiro (dinheiro)
Me want to play,
Me love to get the money (money)
Money (money), dinheiro (dinheiro), money (money), dinheiro (dinheiro), money (money), dinheiro (dinheiro)

Muito bem, é assim, ao som de MIM QUER TOCAR, agora com Os Raimundos, que vamos saindo de mansinho.

Com o rico Lalá Moreira na técnica, a burguesa Ciça Camargo na produção e eu, o proletário Luciano Pires na direção e apresentação.

Estiveram conosco o ouvinte Jean Vilaça, Nailor Proveta, Osmar Navarro, Ultraje a Rigor e… Raimundos!

E não se esqueça que este cafezinho chega até você também por causa da Pellegrino, que além de ser uma das maiores distribuidoras de auto e motopeças do Brasil, também distribui conhecimento sobre gestão, comunicação e outras coisas legais em sua página em facebook.com/pellegrinodistribuidora. Conheça. E se delicie.

Pellegrino distribuidora. Conte com a nossa gente.

Este é o Café Brasil, que chega a você com o apoio do Itaú Cultural e do Auditório Ibirapuera. De onde veio este programa tem muito, muito, muito,  mais, cara. Visite para ler artigos, para acessar o conteúdo deste podcast, para visitar nossa lojinha, para fazer sua contribuição no portalcafebrasil.com.br.

Mande um comentário de voz pelo WhatSapp no 11 96789 8114. E se você está fora do país é: 55 11 96789 8114.

E tem 0 Viberé? Aquele aplicativo que você devia baixar aí no seu celular? Tem um grupo lá chamado, Podcast Café Brasil cheio de novidades, que só quem acessa por ali é que sabe.

E para terminar, uma frase de Nelson Mandela

O dinheiro não cria sucesso, mas sim a liberdade de criar o sucesso.