Podcast Café Brasil com Luciano Pires
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

587 – Podres de Mimados
587 – Podres de Mimados
Você já reparou como estão mudando os padrões morais, ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

LíderCast 087 – Ricardo Camps
LíderCast 087 – Ricardo Camps
Ricardo Camps, empreendedor e fundador do Tocalivros, ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

O que aprendi com o câncer
Mauro Segura
Transformação
Esse é o texto mais importante que escrevi na vida. Na ponta da caneta havia um coração batendo forte. Todo o resto perto a importância perto do que vivemos ao longo desse ano.

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Cafezinho 24 – Não brinco mais
Cafezinho 24 – Não brinco mais
Pensei em não assistir mais, até perceber que só quem ...

Ver mais

379 – Esse tal socialismo

379 – Esse tal socialismo

Luciano Pires -

Download do programa 23,5 MB

Bom dia, boa tarde, boa noite. No programa anterior falamos das origens do capitalismo e neste vamos de socialismo. É legal ter uma perspectiva histórica para, no mínimo, saber do que estamos falando. Existe uma imensa confusão sobre sistemas políticos e econômicos e, quanto mais se pesquisa, mais claro fica que a maioria das pessoas fala sem saber do que. Vamos tentar contribuir para reduzir essa confusão.

Pra começar, uma frase de uma dessas personalidades da internet que assina como Unkowviski Morgado:

O socialismo tem bons argumentos, mas o capitalismo tem essas TVs de 57 polegadas…

O Café Brasil chega até você com o apoio do Itaú Cultural, que colabora para distribuir a cultura para todo tipo de gente: pobres, ricos, remediados, estudados, ignorantes, brancos, pretos, amarelos, corinthianos ou palmeirenses… Duvida? Então acesse o www.facebook.com/itaucultural e dê uma olhada na programação deles. Shows maravilhosos com preços ridiculamente baixos. E aproveite pra deixar lá uma mensagem de agradecimento pelo patrocínio ao nosso cafezinho.

 

E o exemplar de meu livro NÓIS…QUI INVERTEMO AS COISA, mais um kit assanhado da DKT vai para…para…. o Rafael Girolineto, que comentou assim o programa A JANELA DE OVERTON:

“Olá Luciano Pires

Conheci o podcast há pouco tempo através de meu amigo Orian e confesso que de início não gostei muito não. Sabe esse tipo de reclamação que você escuta – ou lê – sempre: que sua voz é, digamos, forçada? Pois é, eu já pensei assim também. Como não sou do tipo que desiste antes de experimentar mais de uma vez, insisti e ouvi mais alguns outros programas.

Aos poucos, fui percebendo que o conteúdo e o propósito do Café Brasil são fantásticos e me fizeram sair de uma grande estagnação intelectual. Desde então tenho devorado os episódios anteriores e já estou no 310, o João Brasileiro Médio. Posso dizer que, agora que estou acostumado ao estilo Café Brasil, este é o melhor podcast que conheço. Inclusive sua voz, dicção e entonação ao “narrar” o programa o tornam único e um passo além dos podcasts normais.

Ao ouvir o episódio “A janela de Overton” e depois consecutivamente o “João Brasileiro Médio” fico me perguntando como desenvolver algo que ajude outras pessoas perceberem que o que estão vendo dentro da caverna são apenas sombras, como ajudar o brasileiro médio a se tornar algo mais. A mídia de massa traz entretenimento assombroso – com o perdão do trocadilho -, mas de fácil assimilação, o que dificulta a ação de alertar as pessoas que existe vida fora da caverna.

Dentro dessa dificuldade, posso incluir os temas já abordados no episódio “Não gosto”, que é sempre a resposta recorrente quando tento apresentar o Café Brasil a alguém, ou algum livro que exija algo mais do que acreditar que vampiros existem e brilham na luz.

Gostaria então de sugerir um tema: Como tirar as pessoas da estagnação intelectual?

Um grande abraço.”

Obrigado Rafael! Olha só, esse tema que você sugere, “como tirar as pessoas da estagnação cultural” na verdade é o pano de fundo de todo o trabalho que eu faço. O “despocotizar” é isso mesmo: tirar a pessoa da resignação bovina e fazê-la agir. Por isso provoco… E acho que tem dado certo, viu? Obrigado pela contribuição.

O Rafael ganhou um livro e o kit DKT pois dedicou alguns minutos de sua vida para escrever pra nós. Não é tão difícil… aliás, eu recomendo fortemente a você que acesse o www.portalcafebrasil.com.br para ler a área de comentários deste programa. A discussão continua lá e é riquíssima, com outros pontos de vista, sempre bem vindos.

A DKT pratica o marketing social, utilizando técnicas tradicionais de marketing para resolver os problemas sociais que exigem mudanças de comportamento. No caso, ajudando a combater as doenças sexualmente transmissíveis e o controle de natalidade. Conheça mais sobre a DKT acessando o www.facebook.com/dktbrasil. A DKT distribui a mais completa linha de preservativos e géis lubrificantes do Brasil, com a marca PRUDENCE.

Já sabe, né? Se você resolver socializar o amor, use PRUDENCE!

Enquanto isso a Pellegrino continua caprichando nas dicas de sua página do Facebook. A Pellegrino é uma das maiores distribuidoras de auto e motopeças do Brasil, sabe desde quando? 1941! Acesse o www.facebook.com/pellegrinodistribuidora, Pellegrino sempre com dois eles e dê uma olhada nas dicas legais que eles publicam por lá, especialmente na área de gestão!

Pellegrino Distribuidora. Conte com a nossa gente.

Bem, vamos lá. Tenho que tomar um baita cuidado no programa de hoje. Como vou falar de socialismo, quero começar de uma forma inusitada, citando ninguém menos que o jornalista Reinaldo Azevedo, que disse assim: “Escrever tem sempre uma boa margem de insegurança. São muitos os que lêem o que não está escrito – quando não entendem o exato oposto do que se disse”.

Eu vou então refrasear o Reinaldo então: “Fazer um podcast tem sempre uma boa margem de insegurança. São muitos os que ouvem o que não está dito – quando não entendem o exato oposto do que se disse”. É por aí…

Você está ouvindo a INTERNACIONAL, que foi composta originalmente por um francês e depois, entre 1922 e 1944 foi adotada como o hino da União Soviética. Esta versão em piano é de Leon Pinsky. Apesar de associada a socialistas, a Internacional também serve de hino para os comunistas, social democratas e anarquistas. E é assustadoramente bonita…

Em 1515, o inglês Thomas More cunhou o termo “utopia” com que batizou sua obra escrita na qual imagina uma sociedade perfeita. Mas Thomas More sabia que estava descrevendo algo perto do impossível, tanto que cunhou uma palavra nova, derivando do grego e começando com “u”, que é um advérbio de negação e “topos” que significa lugar. U Tópos então seria algo com um “não lugar”, uma ironia com a qual ele designou a sociedade perfeita.

Lembre-se, Thomas More escreveu os dois livros que compreendem a Utopia em 1515, numa Inglaterra que vivia um caos social, com camponeses migrando do campo para as cidades, as guerras, a escassez de alimento e abrigo e milhões de miseráveis vagando pelas cidades sem qualquer perspectiva de futuro.  Thomas critica essa situação no primeiro livro e descreve o que seria a sociedade perfeita no segundo: intolerância e fanatismo são punidos as guerras são criticadas e a paz valorizada e o parlamento descobre que a propriedade individual e o dinheiro são incompatíveis com a felicidade.

A utopia seria uma sociedade igualitária, sem grandes diferenças sociais, sem os milionários de um lado e os miseráveis de outro.

Platão já havia escrito a respeito, e muitos outros pensadores trabalharam sobre essa ideia da sociedade perfeita ao longo dos últimos 600 anos.

Esse ideal da utopia faz parte do repertório socialista que até desenvolveu uma forma muito simpática de falar sobre ela. Quando perguntados sobre a razão de dedicar tanta energia a uma coisa inalcançável, os socialistas utópicos tem um discurso pronto: a utopia é aquela coisa que está no horizonte, que sabemos que é inalcançável, mas que nos motiva a caminhar sempre na direção dela.

Bonito, não é?  É. Mas é perigoso!

Mais de 40 publicações tendo como tema a utopia foram publicadas entre 1700 e 1850, popularizando assim o ideal da sociedade perfeita, especialmente entre aqueles que sofriam as injustiças sociais daqueles anos.

Os socialistas reputam à revolução industrial as mudanças drásticas que popularizaram o conceito de não existência de propriedade privada como forma de criar a igualdade. E aqui surge o primeiro grande choque com os capitalistas.

A visão socialista diz que a revolução industrial causou um choque social imenso ao provocar a transição da sociedade agrícola para as indústrias modernas, onde as ferramentas manuais perderam espaço para as máquinas.

Fábricas e estradas de ferro apareceram por todos os lados, criando indivíduos com riqueza imensa. Mas ao mesmo tempo, de acordo com os socialistas, a mecanização do trabalho provocou a diminuição de empregos e o temor de que essa situação faria com que os ricos ficassem mais ricos e os pobres mais pobres. Note que essa explicação é exatamente o oposto daquela que apresentei no programa anterior, de Ludwig Von Mises, para quem foi justamente o capitalismo que tirou milhões da miséria pré-capitalista dos sistemas feudais.

Cá entre nós, eu me alinho com Mises. Mas o tema hoje é o socialismo.

Muito bem. Foi naquele cenário de caos social que a ideia da sociedade onde todos são iguais, ganhou força entre os trabalhadores. E então surgiu um alemão chamado Karl Heinrich Marx.

Karl Marx publicou diversos livros durante a vida, mas foram o MANIFESTO COMUNISTA e O CAPITAL que causaram o maior impacto na sociedade. Marx se dedicou a examinar a relação entre o trabalho e o capital e acabou influenciando imensamente do pensamento econômico das gerações futuras.

Marx propôs um socialismo científico para contrapor-se ao socialismo utópico de seus antecessores.

As teorias de Marx, que foram agrupadas sob o termo “marxismo”, afirmam que a sociedade progride através das lutas de classes, o conflito eterno entre os que controlam os meios de produção e a classe trabalhadora, que vende sua força de trabalho para a produção. Foi Marx quem cunhou o termo capitalismo, para designar esse sistema onde a burguesia, ou seja, os donos das riquezas e dos meios de produção, explora os proletários, aqueles que nada possuem a não ser a força de seu trabalho. Marx apostava que esse sistema criava tensões internas que terminariam por implodi-lo, abrindo espaço para o surgimento de um novo sistema: o socialismo. Marx dizia que um dia os proletários assumiriam o poder e implementariam uma ditadura do proletariado, da qual surgiria uma sociedade sem classes, onde todos seriam donos dos meios de produção e a riqueza seria distribuída de forma equânime. Sem milionários e sem miseráveis.

Essa é a utopia marxista.

Karl Marx é uma das figuras que mais causou influência na história da humanidade. Seu trabalho forneceu as bases teóricas para diversas experiências que tentaram criar a sociedade perfeita, o socialismo. Os exemplos mais claros foram a formação da União Soviética em 1922 e a República Popular da China em 1949. Variações do marxismo, como o leninismo, stalinismo, trotskismo e maoismo surgiram, adaptando as ideias de Karl Marx para cumprir o rito de passagem do capitalismo para o socialismo e depois para o comunismo.

Aliás, muita gente confunde socialismo com comunismo. Embora as duas ideologias compartilhem muitas ideias – na verdade, o comunismo engloba o socialismo – a diferença primária entre ambos é que o socialismo se aplica aos sistemas econômicos, enquanto o comunismo se aplica aos sistemas econômicos e políticos. Além disso, enquanto o comunismo abomina o capitalismo, o socialismo admite o capitalismo em certo grau.

L’internationale
Ogéret Marc

Debout les damnés de la terre
Debout les forçats de la faim
La raison tonne en son cratère
C’est l’éruption de la fin.
Du passé faisons table rase
Foule, esclaves, debout, debout
La monde va changer de base
Nous ne sommes rien, soyons tout!

[Refrain:]
C’est la lutte finale
Groupons nous, et demain
L’Internationale
Sera le genre humain.

Il n’est pas de sauveurs suprêmes
Ni Dieu, ni César, ni tribun
Producteurs, sauvons nous nous-mêmes
Décrétons le salut commun
Pour que le voleur rende gorge
Pour tirer l’esprit du cachot
Soufflons nous même notre forge
Battons le fer quand il est chaud.

[au Refrain]

L’état comprime et la loi triche
L’impôt saigne le malheureux
Nul devoir ne s’impose au riche
Le droit du pauvre est un mot creux
C’est assez, languir en tutelle
L’égalité veut d’autres lois
Pas de droits sans devoirs dit-elle
Égaux, pas de devoirs sans droits!

[au Refrain]

Hideux dans leur apothéose,
Les rois de la mine et du rail
Ont-ils jamais fait autre chose
Que dévaliser le travail
Dans les coffres-forts de la bande
Ce qu’il a crée s’est fondu
En décrétant qu’on le lui rende
Le peuple ne veut que son dû.

[au Refrain]

Les rois nous soûlaient de fumées
Paix entre nous, guerre aux tyrans
Appliquons la grève aux armées
Crosse en l’air et rompons les rangs
S’ils s’obstinent ces cannibales
A faire de nous des héros
Ils sauront bientôt que nos balles
Sont pour nos propres généraux.

[au Refrain]

Ouvriers, paysans, nous sommes
Le grand parti des travailleurs
La terre n’appartient qu’aux hommes
L’oisif ira loger ailleurs
Combien, de nos chairs se repaissent
Mais si les corbeaux, les vautours
Un de ces matins disparaissent
Le soleil brillera toujours.

Olha só… agora é o norte americano Pete Seeger cantando a L´Internationale da forma como foi composta, em francês…

Simplificando as coisas, vamos ver uma listinha com as diferenças básicas entre o socialismo e o capitalismo, sempre lembrando que elas podem variar entre as diferentes sociedades. E preste atenção: o socialismo, assim como o capitalismo, admite versões de todas as cores, desde a xiita até a light. Dependendo de onde você estiver é provável que sinta-se tentado a me escrever jogando pedras. Não perca tempo. Esta lista é para levantar poeira. Mais uma atenção: tudo que vou dizer agora é teoria, ok?

No capitalismo, os meios de produção e distribuição de bens, pertencem a indivíduos e corporações. No socialismo, os meios de produção são propriedade do governo ou do estado.

O capitalismo tem uma sociedade baseada em classes sociais. O socialismo rejeita a necessidade de uma sociedade baseada em classes sociais, em favor de sociedade igualitária.

O capitalismo incentiva uma atmosfera de competitividade na qual os trabalhadores são encorajados a trabalhar duro para conquistar o sucesso pessoal. O socialismo encoraja uma atmosfera de cooperação na qual não importa quão duro uma pessoa trabalhe, ela receberá a mesma recompensa e benefícios que os demais.

No capitalismo, a propriedade privada é encorajada, enquanto no socialismo a propriedade privada é inibida.

No capitalismo os bens são produzidos conforme a lei da oferta e da procura. No socialismo o governo é quem determina a produção e os preços.

E por fim, no capitalismo você trabalha para um chefe, para uma corporação, para acionistas. Numa sociedade socialista, você não trabalha para um chefe, mas está envolvido no processo de tomada de decisão com os demais trabalhadores. Socialistas acreditam que o capitalismo é antidemocrático e explorador.

Agora preste atenção: não existe aquela coisa de que “capitalismo é do mal, socialismo é do bem”. Ambos são sistemas que funcionam muito bem na teoria, mas que dependem de homens para serem implementados. E é aí, das limitações do homem, que nascem as impossibilidades.

Muito bem. Mas onde é que aquela teoria do socialismo, tão boa, começou a fazer água?

Costumo dizer que o grande problema do socialismo é que existe sobre a face da terra uma coisa chamada “gente”. Se não fosse esse bicho esquisito, o socialismo teria tudo para dar certo. O problema começa quando se tenta colocar o discurso em prática.

Para começar, uma sociedade na qual onde todos são donos de tudo e todos dão opinião, acabaria em caos. Então as decisões em grupo, em comitês, deram lugar a uma classe de dirigentes que tem apalavra final.

Na União Soviética os altos funcionários do partido comunista compunham a NOMENKLATURA, por exemplo, a casta dirigente, formada pelos altos funcionários e simpatizantes, todos filiados ao partido comunista, que gozavam de privilégios e vantagens com as quais o resto da população nem mesmo podia sonhar.

Não foi diferente na China, no Vietnã, em Cuba ou na Coréia do Norte.

São os iguais mais iguais que os outros, lembra? Bem, deu no que deu…

O socialismo previa a substituição da propriedade privada por um sistema de mercado de trocas, o que funcionou muito bem na teoria. Mas o bicho homem cuidou de mostrar que na prática, a teoria é outra.

O socialismo não conseguiu impedir que as pessoas competissem por recursos escassos. Não conseguiu impedir que a inveja, a ganância, ou simplesmente o desejo do ser humano por progredir sempre mais, criasse conflitos que sistematicamente desembocaram em tiranias sangrentas.

Assim é que nos últimos anos assistimos o colapso de cada uma das experiências socialistas, como a União Soviética, a China, Vietnã e Alemanha Oriental, deixando um rastro de centenas de milhões de mortos, seja pelo fuzil, seja pela fome. Hoje em dia praticamente apenas Cuba e a Coréia do Norte mantém um sistema socialista/comunista nos moldes dos anos 50, embora o discurso da utopia continue com toda a força em várias partes do mundo, em especial na América do Sul.

E é aí que a coisa começa a ficar interessante.

Com o tempo, os socialistas perceberam que o capitalismo não é assim tão ruim.  Lembra da frase de Unkowviski Morgado com a qual abri este programa? O Socialismo tem bons argumentos, mas o Capitalismo tem essas TVs de 57 polegadas…

Pois é. Mas os capitalistas também perceberam que precisariam adotar propostas socialistas para não deixar que a ideia de poucos milionários explorando muitos miseráveis tomasse corpo.

O que se viu nos últimos anos foi o surgimento de regimes híbridos, onde soluções capitalistas e socialistas convivem de forma – digamos – harmoniosa. No Chile é assim, na França é assim e, se você quiser um exemplo extremo, na China está sendo assim.

E aqui no Brasil, hein?

Onde socialismo e capitalismo estão esculhambados como em poucos lugares no mundo?  Onde Fernando Henrique Cardoso e José Serra, que seriam taxados de esquerdistas em qualquer lugar do planeta são chamados de “extrema direita”? Onde o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo concorre a um cargo no governo, dentro de um partido socialista?

O Brasil não tem mais esquerda nem direita, não tem socialismo nem capitalismo. O Brasil tem aquilo que eu gostaria que fosse escrito na nossa bandeira:

Tudo bem, se me convém.

Muito bem, mas se você está derrapando pra entender qual é o “ismo” do Brasil, não pode ser dar ao luxo de derrapar pelas ruas e estradas, não é? Tem que cuidar dos pneus. Para isso, é só procurar a GBG Pneus que é revendedora oficial Continental, General Tire e Barum e há quase 20 anos, oferece as marcas mais importantes no mercado brasileiro. Acesse www.gbgpneus.com.br e use o código pocoto, que é o pocotó sem acento. POCOTO e você terá desconto de 3%.

Com pneus da GBG você vira pra direita ou pra esquerda com segurança. Sacou?

O seu problema é pneu? A GBG tem o seu!

Bem, eu to metendo a mão em vespeiro ao mexer com comunismo, socialismo, capitalismo e outros ismos. Mas não tem jeito, a gente tem que falar disso sim. De minha parte, acredito no capitalismo e tenho convicção que as experiências da utopia do socialismo terminarão sempre em tragédia, em perda de direitos, em anulação do indivíduo. Não quero isso para mim nem para os meus. Por isso repito aqui a frase do Bispo Anglicano Mandell Creighton, que já usei em programas anteriores e cujo autor eu esqueci: “Socialismo só será possível quando todos nós formos perfeitos. Aí ele não será mais necessário.”

Ei, este programa é só uma isca, viu? Se você quiser se aprofundar sobre capitalismo e socialismo, vire-se aí. O que não falta é informação…

Mudar o mundo
Face da Morte

Mudar o mundo é impossível é o que a maioria diz
Engole a dor engole o ódio e tenta ser feliz
Muitas vezes já pensei sinceramente em desistir
Nessas idas e vindas da minha vida… certo dia numa esquina
Fui separar uma briga dois moleques de rua
Roupa velha toda suja, naquela calçada imunda
Retrato do descaso produto da miséria
O clima se acalmou e nos trocamos uma idéia
No final perguntaram quem eu era
Sou aliado g do grupo face da morte
Graças a Deus tenho família mano, eu tive outra sorte
E o moleque cantou um trecho do tático cinza
E perguntou pra mim você já fez show lá em brasília?
Eu respondi que sim… ele todo sorridente
Então quando voltá lá leva um recado ao presidente
Pra não deixar mais a policia vir aqui bater na gente
Mandar comida pro sertão que o povo tá passando fome
Aqui a gente se vira roubando bolsa de madame então
Vi os olhos deles brilhar
Mesmo sem ter um lugar pro coitado se abrigar
Do frio e da chuva apesar
De sua coberta ser a lua ele é o futuro da nação
É a esperança deitada numa cama de papelão
Que divide a calçada com os vira-latas
Que atravessa as madrugadas geladas e tem amor no coração
E ainda pensa na fome dos irmãos do sertão
Infelizmente essa é sua rotina
Dessa maneira leva a vida ate a próxima chacina
Ele é apenas mais um que o imperialismo extermina
É por essa e outras que não posso parar
Preciso continuar minha luta contra isso
Já sei qual o caminho
Já conheço o inimigo
To ligado sangue bom também sou cheio de defeitos
Mas não posso me cansar porque não tenho esse direito!(2x)

Eu acho que realmente o presidente acha que o povo passa fome
Só de sacanagem só pra derrubar sua popularidade
Realmente ele é Um Covarde!
Quando Cabral chegou gritou “terra a vista”
Puta que pariu Hoje é a prazo que ele vende o brasil!
Às vezes eu paro e reparo e começo a pensar
Refletir sobre essa Guerra e analisar os fatores
Geradores da miséria não tem Como não esbarrar na questão agrária
Uma senhora certa vez me Perguntou se eu era
A favor dos sem terras… mas é claro que eu sou, com muito orgulho
Ela me disse eu também não sou contra
Mas pra que tanto barulho, bagunça?
Eu acho que eles agem errado, é
Quem tem dinheiro não conhece o desespero que existe por ai
tipo Lá no Piauí do Oiapoc ao Chuí… é fácil para julgar
quero ver a Senhora ficar
três dias sem comer sua barriga vai roncar ai vai Ser outro barulho que vai te incomodar, você morre de fome ou Vai roubar!
De repente se pá vai tirar sua bunda gorda do sofá
vai correr Junto dos caras para também se manifestar…
Me desculpa sangue bom eu preciso desabafar minha tristeza, minhas dores
eu consigo extravasar através das lágrimas
até Mesmo num sorriso
o que eu carrego comigo são as dores dos Outros
disposição até o osso não me falta pra lutar!
Não sou exagerado por pensar desse jeito
Sou um doido sonhador que busca um mundo perfeito
To ligado sangue bom também sou cheio de defeitos
Más não posso me cansar porque não tenho esse direito

Será que alguém pode me esclarecer
o que se faz com um bilhão que um Milhão não possa fazer?
só pode ser essa ganância elitista
Somos o maior país da América latina más fazemos tudo errado
somos o maior e temos o menor salário.
A América do norte quando libertou os escravos
ainda deixou 40 Alqueires e uma mula aos humilhados.
Más por aqui como sempre a ganância vem primeiro!
Rapidinho… rapidinho aprovaram a lei vergueiro
para fuder como Os poceiros garantindo a terra título
e não pela ocupação
Aí libertaram os escravos e jogaram na miséria
criando assim Nossos primeiros sem terras!
Onde um dia foi quilombo hoje em dia é favela
Estabelecida sobre a terra, mais abaixo da miséria infelizmente
É o que sobrou pra nossa gente…
Para mim a favela é um acampamento permanente
que ainda não se Organizou politicamente francamente
é um absurdo ver o povo
Vivendo a beira de tudo e não ter acesso a nada
vivendo em meio Às cruzes à beira da estrada
movimentada por onde passa
quem tem Aonde ir
não sei como mesmo assim encontram forças pra sorrir
São brasileiros tanto quanto eu e você
Só querem terra pra plantar o que comer
São puxadores de inchada que infelizmente não tem pátria seu moço
Se deus não tiver dó amanhã não tem almoço
É impossível ver isso tudo e me fingir de cego e surdo
Sozinho é impossível
então vamos todos juntos
Se cada um de nos fizer sua parte A gente muda esse mundo
To ligado sangue bom também sou cheio de defeitos
Más não posso me cansar porque não tenho esse direito!

E é assim então, ao som do grupo de rap FACE DA MORTE com Mudar o Mundo… você pensou que era Lionel Ritchie, né?… que este Café Brasil da igualdade entre os homens, sejam eles capitalistas, socialistas ou brasileiros, vai saindo de mansinho.

É uma pena que tanta vontade de salvar a humanidade continue matando tanta gente…

Com o trabalhador Lalá Moreira na técnica, esta digna representante da nomenklatura Ciça Camargo na produção e eu, este capitalista de uma figa Luciano Pires na direção e apresentação.

Estiveram conosco o ouvinte Rafael Girolineto, Leon Pinsky, Lionel Ritchie, Pete Seeger e Face da Morte. Pode?

Este programa chega até você com apoio de uma turma que abre as portas para gente de todas as tendências, cores, tamanhos, credos e desejos que estejam dentro da lei, claro: Auditório Ibirapuera. Dê uma olhada no www.facebook.com/auditorioibirapuera e experimente ir até lá. Você vai ficar encantado com a individualidade de cada artista que se apresenta por lá. Acredite, visitar o Auditório Ibirapuera vale muito a pena.

Este é o Café Brasil. De onde veio, por enquanto, tem muito mais. www.portalcafebrasil.com.br

Pra terminar, uma frase que, na fonte onde busquei, está atribuída a Karl Marx.

O caminho do inferno está pavimentado de boas intenções.

function dmSSlideDown_Toggle(id) [

if (jQuery(“#dmSSlideDown_”+id+”_a”).hasClass(“dmSSlideDown_bothbuttons”)) [
jQuery(“#dmSSlideDown_”+id+”_a span”).toggle();
]
jQuery(“#dmSSlideDown_”+id+”_spoilcont”).slideToggle();
]