Podcast Café Brasil com Luciano Pires
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

591 – Alfabetização para a mídia
591 – Alfabetização para a mídia
Hoje em dia as informações chegam até você ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

LíderCast 91 – Saulo Arruda
LíderCast 91 – Saulo Arruda
Saulo Arruda, que teve uma longa carreira como ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Vale fazer um curso universitário se as profissões vão desaparecer?
Mauro Segura
Transformação
Numa perspectiva de que tudo muda o tempo todo, será que vale a pena sentar num banco de universidade para se formar numa profissão que vai desaparecer ou se transformar nos próximos anos?

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Cafezinho 24 – Não brinco mais
Cafezinho 24 – Não brinco mais
Pensei em não assistir mais, até perceber que só quem ...

Ver mais

336 – Ganância e ambição

336 – Ganância e ambição

Luciano Pires -
Gratuito!
24,1 MB

Bom dia, boa tarde, boa noite. Você é ambicioso? Ou é ganancioso? Mas afinal, qual é a diferença? E ser ambicioso é ruim ou é bom? Bem, digamos que é necessário. É por aí que vamos no programa de hoje, na primeira parte falando de ambição e na segunda, de motivação para chegar lá.

Para começar, uma frase do escritor, filósofo e enciclopedista franco-alemão Barão Dietrich de Holbach:

A ambição é louvável quando acompanhada pelo desejo e pela capacidade de fazer felizes os outros.

E este programa chega até você com o apoio sempre muito bem recebido de quem tem a ambição de transformar as artes em algo acessível ao povo: o Itaú Cultural.

Acesse o site, procure as muitas opções que envolvem música, poesia, pintura, dança, literatura, enfim, tudo aquilo que alimenta o espírito! www.itaucultural.org.br.

[showhide title=”Continue lendo o roteiro” template=”rounded-box” changetitle=”Fechar o roteiro” closeonclick=true]

E o exemplar de meu livro NÓIS…QUI INVERTEMO AS COISA da semana vai para Sérgio Werneck de Figueiredo, um grande comentarista de nossos programas, que escreveu assim sobre o LIDANDO COM AS CRÍTICAS:

“Seu programa foi muito bem focado no tema a que você se dedica: a despocotização. Discute-se aqui mais um tema ligado à ignorância que assola nosso planeta. Esta decorre fundamentalmente do pouco tempo que tivemos (apenas 100 anos), para acolher nada menos que seis bilhões de novos indivíduos – éramos um bilhão em 1900 e hoje somos mais de sete bilhões. Incrível, não?

Como adaptar estruturas paquidérmicas a tanta mudança?

A solução geral foi apelar para o “laissez-faire” francês do século XVII.

Assim, alguns se aproveitam do aumento de público alvo, outros tentam revolucionar costumes e alguns poucos, mais humanistas talvez, tentam transmitir conhecimentos e ordenar essa verdadeira invasão.

Vivemos a época do poder, prazer e dinheiro. Achamos que podemos comprar desde a felicidade, até a educação de um filho. É natural, portanto, que as críticas ignorantes pululem em meio à confusão formada e alguns desistam da evolução tanto do conhecimento quanto do autoconhecimento. Principalmente, se os exemplos de liderança de certos países indicarem ser desnecessário o conhecimento, a erudição, a cultura e, por fim, a educação, para que se “chegue lá”.

Os direitos são mais exaltados que os deveres e, mesmo sem conhecimento de causa, todos se arvoram a críticas.

Cabe, então, ao mais culto e humanisticamente mais bem preparado denunciar os abusos dessas lideranças políticas e sociais contra a horda ignorante e tentar guiá-los à evolução consistente, principalmente usando ferramentas de ensino, a mais eficiente política de inclusão conhecida.”

Pois é, meu caro Sérgio… mas o desafio para o mais culto e humanisticamente mais bem preparado é escapar dos rótulos de preconceituoso. Ou das armadilhas dos ideologicamente estressados. Mas é bem por aí mesmo.

O Sérgio, que comenta todos os programas que ouve, ganhou um livro. E olha que faz tempo que ele comenta, viu? Vamos nessa?

E a Nakata, heim, que já entregou 3 iPads e parte para os próximos três? Você já concorreu? Cara, não custa nada e vai que você dá sorte. É muito fácil, acesse www.facebook.com/componentesnakata, o Nakata sempre com K. Clique no post da promoção e mande ver. A Nakata é a marca dos componentes de suspensão e direção para seu carro.

Arriscado é não usar Nakata. Exija a tecnologia original líder em componentes de suspensão. E agora também com as bombas d´água e óleo Nakata! Tudo azul. Tudo Nakata.

Depois das crises econômicas e da quebra de várias empresas por sacanagens de seus administradores, tomou ainda mais força uma velha visão ideológica que classifica as empresas como coisas más e seus administradores como figuras diabólicas que não só querem ganhar dinheiro, mas ganhar muito dinheiro, o mais rápido possível. E depois, retirar do negócio o dinheiro ganho para aplicar em outras coisas que rendam ainda mais dinheiro. Essa visão trata o lucro como coisa feia, e só consegue ver um atributo no mundo dos negócios: a ganância.

O preço da ambição
Teddy Vieira
Dino Franco

Todos que nascem no mundo
Tem seu destino marcado
O amigo Zé Inácio
Vivia comprando gado
No transporte a Mato Grosso
Ajustou dois empregados
Pois quando o boi se arribava
A tarefa aumentava
Seu trabalho era dobrado

Zé Inácio inocente
De nada desconfiava
Que aqueles peões estranhos
De matéria acompanhava
Pra roubar o seu dinheiro
E a boiada que levava
Os malvados desordeiros
Liquidaram o boaiadeiro
Quando ele repousava

Os dois eguiram viagem
Tocando o boi no estradão
Nós vamos fazer parada
Na primeira povoação
Tomando conta do gado
Um deles ficou de plantão
Outro foi buscar virado
Pra ficarem reforçados
E atravessar o sertão

Admirando a boiada
O peão po-se a pensar
Se eu ficar dono de tudo
Riqueza maior não há
Quando o outro foi chegando
Ele correu se amoitar
E com um tiro bem certeiro
Derrubou seu companheiro
Que acabava de chegar

É como diz o ditado
Quem mauito quer, nada tem
Comeu aquele virado
E já não sentiu-se bem
Pois estava envenenado
E ali morreu também
Hoje aquela boiada
No sertão vive alongada
Não pertence a ninguém

Você está ouvindo O PREÇO DA AMBIÇÃO, de Teddy Vieira e Dino Franco, com Biá e Dino Franco, em 1973. Ouça a história toda que é boa…

Toda empresa tem um imperativo moral: dar lucro. Empresa que não dá lucro está enganando a seus fornecedores, donos e funcionários. E à sociedade.

Calma! Engula esse seu ódio ao capitalismo e escute com cuidado: empresas são agrupamentos de pessoas em uma missão comum para todos, produzir riqueza arranjando vários e diferentes insumos de forma que esse arranjo tenha mais valor que os insumos independentes. Explico.

Um sujeito compra um terreno. Depois compra madeira, cimento, tijolos, telhas, canos, etc. E começa a arranjar esses insumos de forma que constituam uma casa. Quando a casa estiver pronta, ele a vende por um valor maior do que o que ele pagou pelos insumos, mais a mão de obra utilizada para construir a casa, mais o terreno. A quantidade de dinheiro que ele conseguir obter além do valor dos insumos e do custo da mão de obra e do terreno, será o lucro do negócio. É esse lucro que ele vai usar para comprar mais insumos e construir mais casas. E se ele conseguir guardar um pouco do lucro, vai progredindo com o tempo. Vai consumir mais produtos e gerar mais riqueza à sua volta. Esse é o princípio do sistema capitalista, que ainda horroriza uns dinossauros por aí.

Pois bem. Toda empresa tem o DEVER de obter o máximo de lucro potencial que seu negócio permitir. O máximo. Tem gente que acha isso ruim e chama de ganância. Mas pensem comigo…

Quero obter o máximo de educação possível? Isso é ganância?

Quero obter o máximo de amor possível. Isso é ganância?

Ambição para muitas pessoas tem uma conotação negativa, sendo equivalente à ganância. Mas não acho que seja assim. Vejamos as definições às quais eu cheguei, quem sabe você concorda com elas:

Ganância é o desejo intenso de alcançar determinado objetivo, seja pelo meio que for. Os fins justificam os meios, lembra disso?

Já a ambição é o desejo intenso de alcançar determinado objetivo.

Procurando nos dicionários a coisa não é tão clara, mas para mim é: o que difere ganância de ambição são os limites de cada uma e a forma como se chega a determinado objetivo.

Vou refazer agora a frase que eu disse há pouco:

Toda empresa tem o DEVER de obter o máximo de lucro potencial que seu negócio permitir, e qualquer meio justifica esse fim. Isso é ganância.

Toda empresa tem o DEVER de obter o máximo de lucro potencial que seu negócio permitir, desde que respeitando a ética e a moral vigentes. Isso é ambição.

Mas e se em vez de empresa eu falar de gente? O indivíduo ganancioso só se importa com si mesmo e faz qualquer coisa para atingir seus objetivos, doa a quem doer.

O indivíduo ambicioso contempla em seus planos outras pessoas, age com generosidade e respeita quem está à sua volta. Quem tem ambição quer crescer, evoluir, progredir. Quem não tem, deixa a vida lhe levar…

Mas quem tem ambição desmedida, cruza a linha para a ganância. O indivíduo ganancioso não contempla mais ninguém em seus planos. Quer tudo para ele e usa de qualquer meio para isso.

Ficou claro? Ter ambição equilibrada é bom. Ter ganância é ruim.

No programa passado, SEGUNDAS INTENÇÕES, eu disse que “sou um sujeito ambicioso. Sempre fui. Sempre mirei mais acima, mais à frente, mais fundo, mais alto, mais longe do que eu poderia alcançar. E por isso consegui atingir certos objetivos que muita gente parecida comigo nunca conseguiu. No processo, levei junto um monte de gente. Minha família, amigos, colegas de trabalho, clientes, fornecedores e até leitores e ouvintes. Na minha ambição cabe todo mundo.”

Sempre acreditei que ser ambicioso é fundamental, ter ao seu lado gente ambiciosa também. Uma mulher ambiciosa, por exemplo, motiva o marido a sair da inércia. E vice-versa. Ambição é fundamental, desde que não seja excessiva e se transforme em ganância. Ambição equilibrada é combustível para quem quer ser bem sucedido. E o que é que as pessoas bem sucedidas fazem para realizar suas ambições?

Vamos fazer umas reflexões ao som do carioca Oswaldinho do Acordeon com sua MOTIVAÇÃO, do CD Forró Em Concert.

Pessoas que chegam lá, normalmente são motivadas a buscar seus objetivos. As pessoas menos bem sucedidas normalmente são motivadas para evitar os erros. Sacou a diferença? Um está preocupado em ir mais longe, o outro em não errar o caminho ou tropeçar.

Quem está motivado pelo desejo de atingir um determinado motivo, está disposto a investir um bom tempo e esforços na busca desse objetivo. É óbvio.

Já quem está preocupado em evitar as falhas, tem o foco em proteger-se da vergonha, do embaraço, da sensação de incompetência que acompanha as falhas.

Gente assim desiste ao primeiro sinal de perigo ou quando os resultados não chegam imediatamente. Quando veem que não dá para evitar os riscos, pessoas preocupadas em não falhar vão procrastinar as ações, não darão seu máximo ou terão comportamentos de fuga. Por exemplo: enchem a cara antes de um evento importante…

Então, numa extremidade está a motivação para buscar seus objetivos. Na outra está a tentativa de evitar as falhas. Eu, você, a Ciça, o Lalá estamos em algum lugar entre essas duas extremidades. Para manter-se motivado para atingir um objetivo você precisa de uma série de credos, convicções e valores. Mas algumas coisas a gente já sabe…

Quem está motivado para atingir seus objetivos acredita que a iniciativa e a acabativa, os esforços, investimentos e persistência são as chaves para ser bem sucedido.

Os que só querem evitar as falhas acham que o sucesso depende dos recursos disponíveis e das limitações que o contexto impõe (sabe como é? “Não tenho grana”, “é longe demais”, “não tenho as ferramentas”, “meu chefe não deixa”, e assim vai).

Quem está motivado para atingir seus objetivos vê os problemas como desafios a serem vencidos e sente-se recompensado quando consegue realizar tarefas impossíveis.

Quem está querendo evitar as falhas só consegue ver conflitos e ameaças.

Quem está motivado para atingir seus objetivos sabe do esforço exigido para realizar as tarefas complexas. Sabe que precisa de dedicação, concentração, comprometimento e envolvimento.

Os que querem evitar falhas acham que o esforços é demais, estressante.

Quem está motivado para atingir seus objetivos acredita que com a prática, as tentativas e os erros, evoluirá em suas habilidades e demonstrará seu talento. Os que apenas querem evitar erros acham que só quem nasceu com determinado talento pode realizar tarefas complexas.

Por fim, quem está motivado para buscar seus objetivos sabe que é preciso continuar, mesmo diante dos obstáculos. Sabe que errar 10, 20, 100 vezes faz parte do jogo.

Quem só quer evitar as falhas diz: “É preciso saber quando desistir”. E larga tudo diante do primeiro obstáculo…

Tente Outra Vez
Raul Seixas

Veja!
Não diga que a canção
Está perdida
Tenha fé em Deus
Tenha fé na vida
Tente outra vez!…

Beba! (Beba!)
Pois a água viva
Ainda tá na fonte
(Tente outra vez!)
Você tem dois pés
Para cruzar a ponte
Nada acabou!
Não! Não! Não!…

Oh! Oh! Oh! Oh!
Tente!
Levante sua mão sedenta
E recomece a andar
Não pense
Que a cabeça agüenta
Se você parar
Não! Não! Não!
Não! Não! Não!…

Há uma voz que canta
Uma voz que dança
Uma voz que gira
(Gira!)
Bailando no ar
Uh! Uh! Uh!…

Queira! (Queira!)
Basta ser sincero
E desejar profundo
Você será capaz
De sacudir o mundo
Vai!
Tente outra vez!
Humrum!…

Tente! (Tente!)
E não diga
Que a vitória está perdida
Se é de batalhas
Que se vive a vida
Han!
Tente outra vez!…

Olha só… você ouve o clássico TENTE OUTRA VEZ do mestre Raul Seixas . E sabe com quem? Fábio Júnior! A contribuição da Ciça Camargo ao Café Brasil, é uma maravilha! Bruno & Marrone, Michel Teló, Belo, Latino… Ciça, muito obrigado. O arranjo tá legal, mas essa não é uma canção romântica, né? Ô Lalá, deixa ver como ficou com a Sandra de Sá que neste caso, é mais roqueira.

Lalá: muito obrigado pela sua contribuição trazendo um pouco de soul music ao rock de Raul Seixas…

Muito bem… Ficou claro para você que a ambição é necessária para quem quer voar mais alto? E que para realizar as ambições você tem que estar permanentemente motivado na busca desses objetivos? Papinho de auto ajuda? É sim, cara!

Defina uma data para suas ambições, não precisa ser amanhã, pode ser daqui há 5, 10 ou 25 anos. Onde é que você vai querer estar? Ao definir esse objetivo, você passará a orientar suas ações na direção deles. Se quer ir morar nos Estados Unidos dentro de 15 anos, por exemplo, saberá que não vale a pena perder tempo aprendendo francês, sacou?

Mas o mais importante é sacar seu comportamento e o comportamento das pessoas que rodeiam você. Quem são os motivados e quem são os que só querem evitar os riscos. Quando você aprender a sacar a diferença poderá tomar as providências necessárias para corrigir sua rota.

Bom, mas aí vem o outro lado da moeda… dos que acham que basta querer para poder… Não é assim não. Mas isso é assunto para outro programa.

E o caso da Pellegrino Distribuidora? Ali, cara, basta querer, para poder. A Pellegrino é uma das maiores distribuidoras de auto e moto peças do Brasil e está realizando uma promoção em sua página do Facebook que premia com um iPad, um GPS e três tocadores de MP3 automotivos aaqueles que quiserem e puderem.

Acesse www.facebook.com/pellegrinodistribuidora. Pellegrino com dois eles, clique no post da promoção e pronto! Aí é caprichar! Doze já foram premiados! Você pode ser também! Pellegrino Distribuidora. Conte com a nossa gente.

Então ficamos assim: ganância é uma coisa, ambição é outra. E a ambição equilibrada é mola-mestra para quem quer almejar qualquer coisa na vida. Mas para lidar com ela é preciso estar motivado a buscar os objetivos e não apenas preocupado em evitar falhas. Mas agora você já sabe como, não é?

Então é assim, ao som desta vez dele, Raulzito, que este programinha vai saindo de mansinho.

Com o ambicioso Lalá Moreira na técnica, a motivada Ciça Camargo na produção e eu, o modesto Luciano Pires na direção e apresentação.

Estiveram conosco o ouvinte Sérgio Wernek, Biá e Dino Franco, Oswaldinho do Acordeon, Sandra de Sá, Raul Seixas e ele… Fábio Júnior.

Este programa chega até você com o suporte de outra turma que é ambiciosa, a turma do Auditório Ibirapuera, que quer nada mais nada menos que ser o mais importante, mais bonito, mais diversificado palco para as artes. E acredite, não é pouco. Acesse o www.auditorioibirapuera.com.br e dê uma olhada no tamanho da ambição dos caras, que querem compartilhar com você.

Este é o Café Brasil. Gostou? Aqui tem mais: www.portalcafebrasil.com.br

E para terminar, uma frase de Miguel de Cervantes:

Generosa ambição é aquela de quem pretende melhorar o seu estado sem prejuízo de terceiros.

[/showhide]