Podcast Café Brasil com Luciano Pires
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

587 – Podres de Mimados
587 – Podres de Mimados
Você já reparou como estão mudando os padrões morais, ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

LíderCast 087 – Ricardo Camps
LíderCast 087 – Ricardo Camps
Ricardo Camps, empreendedor e fundador do Tocalivros, ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

O que aprendi com o câncer
Mauro Segura
Transformação
Esse é o texto mais importante que escrevi na vida. Na ponta da caneta havia um coração batendo forte. Todo o resto perto a importância perto do que vivemos ao longo desse ano.

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Cafezinho 24 – Não brinco mais
Cafezinho 24 – Não brinco mais
Pensei em não assistir mais, até perceber que só quem ...

Ver mais

290 – República da irrelevância

290 – República da irrelevância

Luciano Pires -
Gratuito!
24,1 MB

Bom dia , boa tarde, boa noite. Olha só, o que é que é relevante para você? Certamente muitas coisas que não são relevantes para mim, não é? Essa questão de determinar a relevância das coisas é fundamental, especialmente nesta sociedade em que parece que transferimos a terceiros a tarefa de apontar aquilo que realmente importa. E esse é o tema do programa de hoje.

Pra começar, uma frase do médico e escritor norte americano Oliver Wendell Holmes:

O mais importante na vida não é a situação na qual nos encontramos, mas a direção para a qual nos movemos.

[showhide title=”Continue lendo o roteiro” template=”rounded-box” changetitle=”Fechar o roteiro” closeonclick=true]

Este programa chega até você com a importante ajuda de quem sabe que cultura é relevante! Itaú Cultural. Acesse www.itaucultural.com.br e dê uma olhada na programação. Pode haver alguma coisa muito interessante aí, pertinho de você.

E o exemplar desta semana de meu livro NÓIS QUI INVERTEMO AS COISA vai para a Roberta, que tem 22 anos, e é de Itabaiana/Sergipe. Mas antes preciso fazer um comentário. Olha só.

Algumas pessoas fizeram comentários velados sobre os emails que eu leio aqui no programa, questionando a razão de eu sempre publicar elogios, nunca críticas. Bom. A maioria do que chega é elogio, eu posso fazer o que… Mas, eu procuro sempre trazer emails que de alguma forma agreguem algo ao Café Brasil, seja com um exemplo para os ouvintes, com uma demonstração do impacto do programa ou até mesmo com histórias que demonstrem o alcance da ferramenta podcast. Ou então emails que me emocionam, como este da Roberta.

Uma crítica, para ser publicada aqui, tem que ser pertinente, inteligente e contribuir para alguma reflexão, inclusive fiz programas inteiros a partir delas. Críticas de gente que diz que não gosta da minha voz, da entonação que eu uso, das musicas que toco, ou dos temas que eu abordo, não servem para nada além de discussão de gosto pessoal.

Felizmente a imeeeeensa maioria dos emails que recebemos são de gente que curte o programa e escreve para dizer isso. Eu só tenho a agradecer.

Vamos ao email da Roberta?

“Luciano sou sua fã incondicional aprendi muito com você cara, pode-se dizer que não sou mais a mesma depois que descobri sua “academia do cérebro”.

Não tive oportunidade de comprar seus livros, baixei alguns resumos na net, mas com fé em Deus conseguirei comprar todos eles completinho.

Ah um testemunho. Sempre estudei em escolas públicas, sem nenhuma perspectiva de fazer uma faculdade ou crescer na vida pelos estudos, mas depois que conheci o seu portal a partir de um livro seu que meu chefe Carlos me deu para ler, “O MEU EVEREST” fiquei apaixonada. Daí fiquei louca pra ler os outros, BRASILEIROS POCOTÓ e “NOIS QUI INVERTEMOS AS COISA”.

Passei a ler e ouvir seus artigos e podcasts todas as sextas (já ansiosa e curiosa para chegar as sextas) fui malhando meu cérebro até o ponto de concluir que eu era sim, capaz de fazer uma faculdade. Daí querido, lia seus artigos diversas vezes, lia os debates dos foruns, ouvia seus podcasts e dei uma  passada básica nos assuntos que poderiam passar no vestibular. Daí cara não deu outra. no ultimo dia da prova que era para elaborar uma redação o assunto era justamente alguma coisa que tinha lido em seus artigos. Na redação tirei 9,0 isso mesmo (nove), passei em sétimo lugar na UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE Campus Universitário Prof. Alberto Carvalho Itabaiana – SE, em Pedagogia. Nossa, é uma maravilha já estou no segundo período e sempre dou uma passada por aqui para me inspirar. Querido uma abraço de sua jovem e emocionada fã.”

E aí? O que que eu vou dizer disto? Você percebe o tamanho da minha satisfação ao ler um email assim? Ele é a comprovação de que todo este trabalho, que os quase trezentos programas que representam cerca de 125 horas de conteúdo, que custaram um caminhão de dinheiro e tempo, valeram a pena. Este é o momento que energiza a mim, ao Lalá e à Ciça e a todos que circulam pelo universo do Café Brasil.

Roberta. Você ganhou um livro. E você ai hein? Não vai escrever?

Rererere…achei uma música que é um recado pra Roberta que escreveu esse email delicioso. Beijinho Doce, na versão que está no CD delicioso chamado VIOLA SENTIDA…

Em minha palestra “Quem não se comunica se trumbica”, apresento a “Teoria dos Quatro Rês”, que também explico no Videocast Iscas Intelectuais.

Aliás, preciso contar isso pra você, que é uma novidade. Lancei no começo de 2012 o projeto dos VIDEOCASTS ISCAS INTELECTUAIS, que são pequenos vídeos com 5 a 10 minutos de duração, onde apresento algumas idéias sobre diversos temas. Nada que você que ouve o podcast Café Brasil, não conheça, mas desta vez usando o recurso do vídeo. É uma outra mídia, fascinante e que promete crescer bastante. Além disso, você vai me ver. Não é vanagem nenhuma, mas é diferente.

Se você ainda não viu, acesse o www.portalcafebrasil.com.br e siga o link para VIDEOCAST . Eu adoraria saber sua opinião.

Pois bem, no videocast número 2, A TEORIA DOS QUATRO RÊS, eu tratei de um dos “Rês” que é a “relevância”.

Relevância vem do latim relevare, que quer dizer iluminar, levantar. Trazer para o primeiro plano aquilo que é importante. Mas nada é importante em si, nós é que tornamos importantes as coisas ao dedicar-lhes tempo e atenção.

“Dar atenção” parece ser algo racional, sob nosso controle, não é? Mais ou menos. Outro dia escrevi sobre a adaptação sensorial, quando o cérebro desliga nossos sentidos dos estímulos que não mudam de intensidade ou qualidade, guardando energia para as novidades. E eu dei o exemplo de quem mora perto de um aeroporto e não escuta mais o ruído dos aviões, que se tornou rotina. Adaptação sensorial. Mas o oposto também é verdadeiro. Já reparou que quando você quer comprar um determinado modelo de automóvel, você  começa a vê-lo por todos os lados? Concluindo que o tal modelo é importante, seu cérebro sofre uma adaptação sensorial e torna-o relevante ao olhar.

Nossa Canção
Roberto Carlos

Olhe aqui, preste atenção
Essa é a nossa canção
Vou cantá-la seja aonde for
Para nunca esquecer
O nosso amor
Nosso amor!…

Veja bem, foi você
A razão e o porquê
De nascer esta canção assim
Pois você é o amor
Que existe em mim…

Você partiu e me deixou
Nunca mais você voltou
Prá me tirar da solidão
E até você voltar
Meu bem, eu vou cantar
Essa nossa canção…

Veja bem, foi você
A razão e o porquê
De nascer esta canção assim
Pois você é o amor
Que existe em mim…

Você partiu e me deixou
Nunca mais você voltou
Prá me tirar da solidão
E até você voltar
Meu bem, eu vou cantar
Essa nossa canção…

Tava pensando numa música que tivesse ATENÇÃO na letra e a primeira que me veio foi essa: NOSSA CANÇÃO. Ah, o Rei… Uma vez prometi que faria um Café Brasil inteirinho pra ele. Tá aqui, anotado, você não perde por esperar, mesmo que não goste do Roberto Carlos. Ele pode não ter relevância pra você, mas é importante…

Muito bem. No final de fevereiro de 2012 começou o julgamento de Lindemberg Alves, que em 2008 sequestrou duas garotas, matando uma delas, a Eloá.

Ao longo de uma semana, três ou quatro helicópteros de redes de televisão acompanharam um carro da polícia em busca da imagem do momento em que Lindemberg era retirado do camburão para ser levado para dentro do fórum. A imagem durava três segundos. O vôo dos helicópteros custou algumas dezenas de milhares de reais, sem contar os salários dos pilotos, técnicos e todo o arsenal envolvido nas redes de televisão que colocaram a imagem no ar. Foram horas e mais horas de tempo consumido com a cobertura do julgamento e com especialistas discutindo detalhes do processo e reprisando as imagens do criminoso em ação. Tamanha exposição tornou o assunto absolutamente relevante. E dezenas de milhões de pessoas dedicaram tempo às matérias televisivas.

Não haveria mal algum se nosso estoque de tempo fosse infinito, se não houvesse coisas mais importantes aguardando nossa atenção e providências. Quando deixo a imprensa definir o que é relevante, onde devo aplicar minha atenção e tempo, dou a ela o poder de decidir como vou consumir meu tempo. Minha vida. Já pensou nisso?

Por isso, reflita muito bem sobre que consequências o assunto que está consumindo um pouco de sua vida terá sobre seu presente e futuro. Vale a pena? O caso Eloá, por exemplo, é importante, o julgamento idem, a sociedade precisa da justiça e nós temos que saber no que se passou. Mas quanto de nosso tempo tem que ser dedicado ao assunto?

Concluindo que já havia me informado o suficiente, mudei de canal só para ver no noticiário da Band, com o Ricardo Boechat apresentando, uma importantíssima matéria com cenas de policiais perseguindo um cabrito na Austrália.

O Brasil é a república da irrelevância.

Quando numa de minhas palestras tratei de “relevância”, um dos presentes perguntou se isso não seria o mesmo que importância. Relevância e importância. Tentei explicar usando um exemplo da internet.
Numa busca por um determinado assunto na internet utilizando “motores de busca”, como Google, Bing ou Yahoo, os resultados surgem numa ordem específica, com as páginas que o buscador julgou mais relevantes e importantes em primeiro lugar.

Chama-se SEO – Search Engine Optimization – Otimizador de Motores de Busca – a ferramenta que a turma utiliza para tentar colocar suas páginas nas primeiras posições. O SEO trabalha com critérios determinados pelo que eles chamam de teoria da relevância e da importância.

Ao examinar uma página, o Google primeiro busca determinar sua relevância, verificando o assunto tratado, se outras páginas apontam para aquela página específica e como o endereço da página, entre outras coisas.

Quando muitas páginas sobre o mesmo assunto apresentam grau de relevância parecido, o Google parte para a segunda fase, determinando a importância.

Coisas como a autoridade de quem escreveu a página, a confiança dos sites de busca, volume de acessos, comentários, citações, compõem uma equação complexa que determinará quem aparecerá em primeiro lugar. O trabalho do SEO é fazer com que os motores de busca vejam relevância e importância nas páginas. A relevância é muito importante, mas é a importância que define a posição da página no resultado da busca.

Que delícia. Aí ao fundo você está ouvindo o TRENZINHO CAIPIRA, um clássico de Villa Lobos, interpretado pelo capixaba Markos Resende, um daqueles talentos internacionais brasileiros que não aparecem na televisão, sabe como é? O cara já abriu show de Elton John, já tocou com os grandes do jazz, o cara é um monstro mas, parece que para o Brasil, ele é talentoso demais…

Muito bem. Que lição tirar daí? Do SEO e do Google?

Bem, nosso processo de julgamento e tomada de decisão trabalha com uma equação até mais complicada que a do Google, pois envolve emoções. Mas é parecida. Que tal fazer nosso “SEO particular” trazendo para primeiro plano as informações que realmente interessam? Comecemos com as definições.

Primeiro, relevância: que valor essa informação tem em relação às minhas necessidades? Depois, importância: que valor essa informação tem em relação a um contexto maior que as minhas necessidades?

Por exemplo, meu cunhado foi convidado no começo dos anos 1990 para trabalhar em outro país. As informações sobre a transferência, cargo, salário, benefícios e escola para os filhos foram absolutamente relevantes e ele ficou entusiasmado, até descobrir que o emprego era em Medelin, Colômbia, que naquela época era a sucursal do inferno. Essa era a informação importante, que tinha valor em relação a um contexto maior que as necessidades individuais dele, entendeu? A informação importante se sobrepôs às relevantes e ele declinou do convite.

Para um pescador em alto mar, por exemplo, a localização do cardume e o preço de venda dos peixes é relevante, mas o aviso da chegada de um furacão é importante. E ele volta para o porto.

É claro que a coisa não é assim tão simples, para mergulhar fundo teríamos que tratar de filosofia e ética, mas tente fazer o exercício de determinar a relevância e a importância das informações com as quais você se depara diariamente.

Por exemplo, acaba de entrar um tuíte aqui dizendo que a Luana Piovani chamou a Adriane Galisteu de prostituta. Devo ou não clicar no link para saber mais? Puxa, mas é só clicar num link, não vai tomar mais que três minutos… Pois é. Se você é fã das duas, “só três minutos” é relevante. Mas serão “três minutos de sua vida”, e isso é importante.

Charles Darwin disse uma vez: “O homem que tem coragem de desperdiçar uma hora de seu tempo, não descobriu o valor da vida.”

Pense nisso ao definir o que é realmente importante.

Deixa Isso Pra Lá
Alberto Paz
Edson Menezes

Deixa que digam
Que pensem
Que falem

Deixa isso pra lá
Vem pra cá
O que que tem ?
Eu não estou fazendo nada
Você tambem
Faz mal bater um papo
Assim gostoso com alguem ?

Vai,vai,por mim
Balanço de amor,é assim
Mãozinha com mãozinha pra lá
Beijinhos e beijinhos pra cá

Vem balançar
Amor é balanceio meu bem
Só vai no meu balanço quem tem
Carinho pra dar

Que tal o TRIO ESPERANÇA com DEIXA ISSO PRA LÁ , DE Alberto Paz e Edson Menezes?Eu aposto que assim, você nunca tinha ouvido.

Voltemos ao caso do Lindemberg, o rapaz que seqüestrou as duas meninas e assassinou uma delas. Me lembro que logo depois de ser preso ele contou o que fez. Dizendo que “amava ela” e queria ela ao seu lado. Mas o que mais chamou a atenção foi quando ele disse que, no auge dos acontecimentos, enquanto mantinha as garota sob a mira de um revólver, recebeu um papel que seu advogado conseguiu junto ao Ministério Público. O documento garantia que ele poderia se entregar, pois sua integridade física estaria preservada. E ele disse:

– Recebi um papel, mas não entendi nada…

“Num intindi nada”… Aquele documento, redigido por advogados, não foi escrito para ser lido por um ignorante. E por isso não foi entendido. O advogado achou relevante obter um documento com garantias, mas não achou importante “escrever um texto numa linguagem que o Lindemberg entenderia”…

Quem estava coordenando as ações provavelmente achava relevante meter uma bala na cabeça do Lindemberg antes que ele matasse alguém. Mas a perspectiva de ter uma cabeça explodindo com um tiro em rede nacional de televisão é que foi importante. Pois é, fosse outra a relação relevância x importância, talvez a Eloá estivesse viva. Não é assustador?

Infelizmente as escolhas foram outras. No calor dos acontecimentos ninguém lembrou que era importante que o rapaz entendesse o que estava sendo escrito. Ninguém quis assumir o ônus de ter a cabeça do Lindemberg explodida por uma bala de um atirador de elite em rede nacional de televisão… E não houve qualquer chance de mudar o destino da Eloá.

Pois então… Tem um ditado italiano que diz que “depois que o navio afundou, todo mundo sabe o que deveria ser feito para salvá-lo”.

Capacidade de julgamento e tomada de decisão. Se eu tivesse um real para investir, é aí que eu o colocaria. Mas tem gente que prefere deixar isso pra lá…

Viu só? Você conseguiu sacar a diferença entre relevância e importância? No último dia das mulheres recebi um torpedo de uma grande seguradora me dando os parabéns… Para o sistema deles, dar parabéns é importante, mas o sexo do parabenizado não é relevante… Pois é…

E é assim com Rappin Hood e Jair Rodrigues cantando DEIXA ISSO PRA LÁ…que vamos saindo de mansinho.

Com o relevante Lalá Moreira na técnica, a importante Ciça Camargo na produção e eu, sei lá, Luciano Pires na direção e apresentação.

Estiveram conosco a ouvinte Roberta, o rei Roberto Carlos, Markos Resende, Jair Rodrigues com Rappin Hood e o trio Esperança. Só aqui, né?

Este é o Café Brasil, um programa que quer ser relevante e importante para quem está interessado em fazer a diferença. Vem pra cá: www.portalcafebrasil.com.br.

Muito bem, eu hoje estou super feliz. Eu vou apresentar a você um novo patrocinador do Café Brasil: ninguém menos que o AUDITÓRIO IBIRAPUERA, a obra de Oscar Niemeyer, que está dentro do Parque Ibirapuera em São Paulo. É um prédio cuja arquitetura chama muito a atenção, e que se transformou, nos últimos anos, num templo para tudo que se produz de música no Brasil. Aliás, eu assisti ali a shows inesquecíveis, com preços populares e extremo bom gosto.

Então. A partir de hoje o Auditório Ibirapuera aqui conosco no Café Brasil. Pô! Eu tenho orgulho do conteúdo dos meus patrocinadores. Acesse www.auditorioibirapuera.com.br e dê a eles as nossas boas vindas!

Pra terminar, uma frase de um desconhecido que é uma porrada:

Se exagerássemos em nossas alegrias como fazemos em nossas perdas, nossos problemas perderiam toda sua importância.

[/showhide]