Lidercast
Terezinha de Santana
Terezinha de Santana
Isca Intelectual de Luciano Pires propondo uma reflexão ...

Ver mais

O pacto dos canalhas
O pacto dos canalhas
Isca Intelectual de Luciano Pires sobre o grande mal ...

Ver mais

A colheita
A colheita
isca intelectual de Luciano Pires, sobre um Brasil que ...

Ver mais

Pelo exemplo
Pelo exemplo
Isca intelectual de Luciano Pires sobre gestão. Todo ...

Ver mais

562 – Orgulho de ser corrupto
562 – Orgulho de ser corrupto
Podcast Café Brasil 562 - Orgulho de ser corrupto. ...

Ver mais

561 – Intueri
561 – Intueri
Podcast Café Brasil 561 - Intueri. Às vezes você tem a ...

Ver mais

560 – Welcome to the Hotel California
560 – Welcome to the Hotel California
Podcast Café Brasil 560 - Hotel Califórnia. O programa ...

Ver mais

559 – Vida de vampiro
559 – Vida de vampiro
Podcast Café brasil 559 - Vida de vampiro. Ainda na ...

Ver mais

LíderCast 070 – Alexandre Barroso
LíderCast 070 – Alexandre Barroso
Hoje conversamos com Alexandre Barroso, num programa ...

Ver mais

LíderCast 069 – Panela Produtora
LíderCast 069 – Panela Produtora
Hoje converso com Daniel, Filipe, Janjão e Rhaissa ...

Ver mais

LíderCast 068 – Gilmar Lopes
LíderCast 068 – Gilmar Lopes
Hoje converso com Gilmar Lopes, que de pedreiro se ...

Ver mais

LíderCast 067 – Roberto Caruso
LíderCast 067 – Roberto Caruso
Hoje conversamos com Roberto Caruso, um empreendedor ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Viajar perdeu a graça
Raiam Santos
O título chamou a atenção né? Pô, Raiam… viajar não era a melhor coisa do mundo? Depende! Meu trabalho aqui nesse site é desconstruir mitos. Já desconstruí a “empresa” do filho ...

Ver mais

O lado negro de fazer networking
Raiam Santos
Esses dias, eu tava assistindo uma entrevista entre o Brian Johnson do site Philosopher’s Notes e o Cal Newport. Cal Newport é um PhD pica das galáxias formado no MIT que hoje dá aula de ...

Ver mais

Assuma o Brasil de vez
Adalberto Piotto
Olhar Brasileiro
Isca intelectual de Adalberto Piotto, No Brasil, tem coisas que só acontecem no Brasil.

Ver mais

A mentalidade da caixa preta
Raiam Santos
Fiquei um tempinho distante do MundoRaiam porque estava em “Modo Buda” focado 100% na produção do meu quinto livro CLASSE ECONÔMICA: PAÍSES BALCÃS. Agora que o livro já tá na mão da ...

Ver mais

LíderCast 068 – Gilmar Lopes

LíderCast 068 – Gilmar Lopes

Ciça Camargo -

Luciano          Muito bem, mais um LíderCast. Hoje eu tenho diante de mim aqui um cara que eu sou leitor assíduo, porque esse cara presta um serviço social, o trabalho que ele faz muita gente conhece e eu vou explorar bastante aí essa história dele. Não vou me alongar muito na apresentação, mas são três perguntas básicas aqui, você que escuta o LíderCast, já sabe quais são, eu quero saber seu nome, sua idade e o que é que você faz?

Gilmar            Bom, meu nome, eu sou Gilmar Lopes e eu tenho 41 anos e eu, além de analista de sistemas e programador, desenvolvo em PHP e trabalho com Oracle, eu tenho um site, há 15 anos, vai fazer 15 anos agora, que é o     E-farsas e que ele se propõe a estudar e desvendar se histórias que circulam na internet são verdadeiras ou falsas.

Luciano          Você é de São Paulo?

Gilmar            Eu nasci aqui em São Paulo, meus pais são mineiros lá de Mariana, onde teve aquele problema lá com aquela enchente lá de cocô que teve lá e eu nasci aqui em São Paulo e eu… aqui na zona leste e é um lugar que eu vivo até hoje lá.

Luciano          Que legal. E você a tua vida, o computador, como é que ele entrou na tua vida, essa área de sistemas e tudo mais?

Gilmar            Eu era pedreiro, eu morava no litoral, morei um tempo lá em Camburi, perto ali de Boiçucanga, Maresias…

Luciano          Com que idade?

Gilmar            Ali eu estava com 18, 17 anos mais ou menos.

Luciano          Por que pedreiro?

Gilmar            Então, eu trabalhava como office boy e aí, aquela história de fase de exército, aí ninguém quer te contratar e meu pai já era pedreiro, quer ir lá trabalhar comigo? Vamos. Daí desci a serra e fiquei trabalhando lá, fiquei muitos anos lá e o diferencial do nosso trabalho é que a gente pegava fotos das obras e eu tinha, eu criei um site onde eu ficava mandando as fotos para lá e as pessoas em São Paulo, porque as casas lá são de veraneio, as pessoas não ficam lá, então enquanto eu estava trabalhando nas obras, eu colocava fotos do andamento das obras para as pessoas em São Paulo ver e era no começo da internet isso, era uma maravilha, as pessoas adoravam.

Luciano          Mas você fala pedreiro de assentar tijolo mesmo?

Gilmar            Também, isso.

Luciano          De massear parede, aquela coisa toda lá? Como é que com uns dedão aquele tamanho você conseguia digitar?

Gilmar            Então, eu me especializei no acabamento, eu trabalhava, até hoje se precisar eu ainda faço, inclusive no meu apartamento eu mesmo que fiz, mas eu me especializei no acabamento. Meu pai fazia a parte mais grossa e a gente tinha uma equipe que trabalhava com a gente e inclusive tem até uma história falsa aqui, circulando na internet, de um homem que tinha operado a ponta do dedo para poder usar o i-Phone e na verdade é uma história falsa que apareceu num site humorístico nos EUA e aí vários sites acreditaram, inclusive a Folha, o Estadão e só depois de um mês que a Folha desmentiu essa história.

Luciano          Isso é o que mais tem. Mas e aí? Aí você, como é que sai do pedreiro, porque você parou a escola? Quando você foi fazer trabalho de pedreiro você parou de estudar?

Gilmar            É, eu já tinha me formado do colégio e ainda faltava fazer a faculdade, mas aí, é uma realidade que era muito longe da gente naquela época e aí eu comecei a fazer site de imobiliária…

Luciano          Mas da onde?

Gilmar            … ah sei lá, eu sou autodidata, comecei a futucar na internet, procurar banco de dados como é que mexia, programação e por conta própria acabei aprendendo e comecei a pegar esse serviço para fazer, até que eu entrei numa empresa, lá no litoral mesmo e além de trabalhar consertando computador, essas coisas, eu também fazia site, ganhava comissão com isso e através de um desses sites, eu acabei conhecendo uma pessoa aqui em São Paulo que apresentou para o meu cunhado na época, falou vem trabalhar aqui nesse supermercado que está precisando de alguém que mexa com banco de dados e aí eu fui para lá, inclusive na época que eu fui fazer entrevista, me perguntaram, você sabe mexer com Excel? Sei. Eu nem sabia nada.

Luciano          Não sabia nada, não é?

Gilmar            Só sabia o nome…

Luciano          Você falou que você consertava computador também?

Gilmar            Também.

Luciano          Também foi na orelhada? Você fez algum curso?

Gilmar            Não, foi tudo autodidata, foi futucando na internet, tudo o que o Google… O Google me ajudou bastante na vida até hoje.

Luciano          Que ano que é isso?

Gilmar            Ah. Isso aí foi bem no comecinho. Eu voltei aqui para São Pulo foi em 2006, então eu fiquei lá no litoral no comecinho da internet, que é 99, 2000, até 2006 mais ou menos, eu ficava lá futucando, acho que nem era Google ainda naquela época…

Luciano          Era internet discada…

Gilmar            Era internet discada…

Luciano          … discada…

Gilmara          A gente ficava esperando chegar o sábado até meio dia para poder conectar e ficava conectado o dia todo, abria um monte de janelas para depois ficar pesquisando.

Luciano          Quer dizer, você estudava lá, você usava para estudar e para aprender…

Gilmar            Eu usava para estudar e tem um detalhe interessante que é assim, teve uma época que não tinha telefone onde eu morava, morava perto do meu pai, então meu pai tinha telefone, então o que a gente tinha que fazer? Tinha que pegar o computador, desktop ainda, grandão, levava para a casa do eu pai, pela estrada, para chegar na casa dele e conectar, então o que eu fazia? Eu recebia todos os e-mails e ia para casa, respondia, olha só que coisa, respondia tudo, depois só no dia seguinte ou na outra semana que eu levava o computador de novo lá…

Luciano          Embaixo do braço.

Gilmar            … debaixo do braço…

Luciano          Teclado…

Gilmar            … monitor…

Luciano          … monitor.

Gilmar            … que é o monitor de tubo, que história interessante, e hoje em dia você está aqui no celular reclamando. E aí enviava todos os e-mails, depois pegava novos, atualizava o site, o site ainda não era o E-farsas ainda, ele tinha, eu tinha um site de humor, nem lembro mais, acho que era Lobotomics o nome, nada a ver com nada e aí eu levava os HTML, os arquivos para atualizar o site, era uma vida bem gostosa.

Luciano          Gostosa… eu imagino. Que loucura. Mas aí você vem para São Paulo, você voltou em 2006…

Gilmar            Em 2006.

Luciano          … mas aí você já tinha o E-farsas?

Gilmar            Já tinha o E-farsas, inclusive durante a entrevista de emprego eu falei olha, inclusive hoje eu tenho uma entrevista na TV, na PlayTV, aí o cara falou, entrevista de emprego? Eu falei não, entrevista mesmo, eu dou entrevistas para as pessoas por causa do meu site, meu site era conhecido naquela época e aí uma das coisas que eu deixei clara quando eu entrei na empresa era que eu tinha uma vida dupla e que enquanto uma não atrapalhasse a outra, eu continuaria usando as duas, fazendo as duas coisas e é o que eu faço até hoje.

Luciano          Me dá o momento do estalo, do nascimento do E-farsas, como é que foi isso?

Gilmar            Foi interessante, eu estava… eu recebia muito daqueles e-mails que hoje em dia tem no Facebook, não tem mais tanto por e-mail, que é assim, essa menina está com câncer e para cada e-mail repassado ela vai ganhar cinco centavos no tratamento. América online e o Terra estão ajudando e eu sempre repassava porque eu achava que estava ajudando as pessoas tal e dessa vez eu falei eu vou dar uma pesquisada em vez de só mandar direto para as pessoas, aí entrei em contato com a América Online que nem existe mais hoje aqui no Brasil e entrei em contato também com a outra empresa, se não me engano era o Terra e eles responderam não, a gente não está fazendo nenhum trabalho nesse sentido, se a gente tivesse fazendo, todo mundo ia saber porque é até bom para a empresa. A gente não está fazendo e até hoje não dá para você saber para quantas pessoas aquele e-mail foi repassado, então é difícil você contabilizar aquilo para poder pagar 5 centavos para a criança que está com câncer e essa criança, inclusive, ela está com 27 anos hoje em dia e é derivado de uma história de uma criança que ela estava doente e ela queria entrar para o livro dos recordes como a criança que mais recebeu cartão postal do mundo. É uma americana e aí ela recebeu bastante, a maior quantidade do mundo, mas não entrou no livro dos recordes e até hoje a história dela foi um pouquinho deturpada, virou um livro, virou um filme e as pessoas até hoje usam essa pessoa e eu uso nas minhas palestras como um caso interessante do primeiro viral na internet, um dos primeiros e depois dele surgiram várias, lá no site, por exemplo, tem história de uma criança que está com o olho machucado e para cada e-mail repassado, cada amém, ela vai receber não sei quanto, não sei o que e essa criança já está adulta, ela tem umas fotos dela depois de grande,  ela foi adotada por um casal americano e as fotos dela de bebê ainda circulam até hoje no Facebook.

Luciano          A internet tem uma coisa impressionante, que ela não tem coisa velha, os caras tiram a data, botam a data nova e volta a história inteirinha.

Gilmar            E essa é uma das características do boato, ela não ser datada.

Luciano          Então, você pesquisou essa história e aí?

Gilmar            Então, aí eu comecei a mandar de volta para os meus amigos, falei não adianta você repassar isso, aí coloquei. Aí eles começaram a me mandar, então já que você é espertão, você é sabidão, então vê essa foto, aí eu lembro que era uma foto da Gisele Bündchen, ela nua e eu procurando descobri a foto real e mostrei, essa aqui é a foto real, aí eles começaram a me mandar várias coisas até que eu falei acho que eu vou deixar num lugar, eu já tinha um pouquinho de conhecimento de site, deixar num lugar e aí as pessoas vão poder consultar e aí na época nem tinha como ter o ponto com, essas coisas, então eu coloquei naquele cjb.net, que era um contador de endereço e aí ficou um tempo assim, depois que virou o        E-farsas.com, aí depois começaram a vir vídeos também, quando a internet ficou melhor, começaram a chegar vídeos e tal.

Luciano          Você não se inspirou em alguma coisa que você viu lá fora? Ah tem um negócio lá eu vou trazer para o Brasil, nasceu mesmo genuinamente.

Gilmar            É, eu não conheci, depois de um tempo eu descobri, tem o Snopes lá nos EUA que é muito bom, é uma referência, mas eu não conhecia na época, na época eu achava que como aqui no Brasil não tinha nada disso, de checar, checagem de fatos, até um nome que eu conheci há pouco tempo…

Luciano          sim, select checked.

Gilmar            … select checked é, que está na moda agora…

Luciano          Sim, voltou, fake news está na moda, o post truth, pós verdade está na moda, a gente vai falar um pouco disso aí aqui ainda, mas então, aí você bota esse negócio e começa o pessoal a acessar?

Gilmar            E aí o legal é que logo de cara o site começou a ter bastante acesso, eu não tinha parâmetro, não sabia se isso era bom ou se era ruim e até eu tive que mudar de servidor e fui mudando, fui mudando porque a cada vez que aumentava, aquele plano que eu adquiria caía, então a gente torcia para o site bombar mas ao mesmo tempo torcia para ele não bombar muito para não derrubar o servidor.

Luciano          Até porque você não tinha recurso nenhum, não entrava dinheiro nenhum para você lá?

Gilmar            Não tinha, tirava do bolso, eu fiquei oito anos com o site sem ganhar nada, eu só colocava conteúdo lá, colocava conteúdo… porque a ideia nem era ganhar dinheiro com ele e aí agora eu estou com uma parceria legal com o portal R7, o site está hospedado lá, então eu não tenho gasto com…

Luciano          Espera aí, nós vamos chegar lá.

Gilmar            … ah, nós vamos chegar lá.

Luciano          Deixa eu voltar lá atrás, quero saber o teu comecinho lá, quando você começa a mexer naquilo, o site começa a crescer, você começa a perceber que a turma está vindo para lá e o nome E-farsas veio de onde? O que foi, uma explicação?

Gilmar            O nome E-farsas, eu queria colocar só farsas, mas já tinha, tem um grupo israelita lá que chama Farsas que eu nem sei o que é e aí eu fui comprar o domínio e comprei num lugar que chamava E Domínios, alguma coisa assim, tinha um “ezinho” na frente, aí eu falei ah que legal! E traço farsas, agora esse traço não é tão legal porque como eu estou na rádio Bandeirantes eu tenho que falar “e traço farsas”, é ruim de falar, mas na época me apareceu um nome bem legal, e traço, e de eletrônicos e farsas de farsas da internet…

Luciano          Genial, ficou muito legal.

Gilmar            … ficou um nome curtinho e ficou bem bacana e agora esse nome é meu, eu já registrei, ele é meu, aquele logotipo que é um cara narigudo é meu, eu posso usar ele agora por uns dez anos tranquilamente.

Luciano          E você notou que isso aí podia virar um negócio grande? Porque você é referência hoje, quando a gente fala alguma coisa, a mim, por exemplo, quando alguém pergunta, pô vai lá ver no E-farsas, começa lá porque se tiver lá… acabou virando referência. Eu confesso que quando eu entrei em contato com você, eu falei pô, eu já devo estar falando com alguma empresa, deve ter quatro, cinco, seis caras trabalhando, e não é, é o Gilmar continua igual ao que era… Está mais bonitão, mais gordo etc e tal, deve estar cheio da grana, etc e tal…

Gilmar            Muito…

Luciano          … mas continua sendo uma iniciativa de um cara só que esse teu mérito fabuloso, porque tendo a visibilidade que você tem, continuando sendo um cara só.Mas você olhou isso lá atrás, viu essa coisa crescer, eu entendi perfeitamente o que você falou dessa vida dupla, a minha foi assim durante um bom tempo, de dia eu sou Clark Kent, a noite eu sou Superhomem, mas você visualizava que isso aí podia em algum momento virar um negócio ou… quando é que aquela coisa deixou de ser curtição para você assumir aquilo como, cara isso aqui pode vir a ser um negócio  pode ser uma prestação de serviços legal, tem um impacto social, etc e tal, deixa eu só reformular o começo lá, não é que deixou de ser uma curtição…

Gilmar            Continua sendo.

Luciano          … deixou de ser só curtição para ser mais esse outro todo aí, essa…

Gilmar            É, eu fui convidado, eu participei do Programa do Jô em 2008, eu acho, acho que foi em 2008, depois dessa entrevista é que eu percebi o tamanho do site, eu não sabia que ele era tão importante assim e aí a partir daí eu comecei a receber alguns convites para reuniões, recebi algumas propostas para se colocar banner no site e aí a partir daí eu falei acho que aqui dá para fazer alguma coisa e aí eu até mudei o layout do site para comportar banner, porque não tinha e aí foi a partir de 2008 mais ou menos que foi a virada ali quando eu percebi que dava para transformar aquilo num negócio, entendeu? Mas assim, eu não vejo o site ainda como um negócio, para mim é o que você falou, é uma curtição, é muito legal, eu até fico, às vezes eu chego de tardezinha para escrever no site, porque todo dia tem atualização, eu falo nossa, o que será que tem para eu falar hoje? Aí eu dou uma entradinha no Facebook, cinco minutinhos que eu estou lá eu já descubro uma história que pode virar uma notícia que eu venho descobrir depois que é verdadeira ou que é falsa, mesmo sendo verdadeira eu acabo pesquisando e publicando, porque perdi um tempo pesquisando, aí eu jogo lá.

Luciano          E essa tua… você acabou desenvolvendo esse faro aí do detetive, isso a gente pega com o tempo, eu vi por mim, eu bato o olho na história, na notícia e eu já sei se aquilo é verdade ou mentira. Eu já sei, eu bato o olho naquilo e falo meu, isso aqui, e mesmo assim eu ainda entro. Ontem eu tive que tirar, eu botei anteontem no site, eu recebi uma foto da Anitta toda linda, maravilhosa, segurando um papel aqui na frente dela escrito no papel lá, “você realmente não gosta das minhas músicas ou você está incomodado com uma mulher que há dois anos lidera as paradas de sucesso?” O que é uma bobajada toda feminista, aquela coisa toda e eu peguei aquilo, publiquei, botei assim: “querida eu não gosto das suas músicas e para falar a verdade vou ouvir outras coisas” aí elenquei um monte de cantoras legais, publiquei aquilo e botei, aí entupiu de comentário, não dou cinco minutos entra um cara e fala Luciano, essa foto é falsa, não sei onde está a original.eu falei opa, espera ai, eu tinha assistido sua palestra, deixa eu usar o sistema reverso do Google, fui lá, botei e achei uma imagem onde ela tinha, segurando o cartaz escrito: “ô mundo chato”, aí eu fui olhar, era a hashtag e vi que ela tinha lançado essa campanha porque estavam batendo nela, aí eu olhei aquilo e falei mas é claro, alguém pegou isso aqui, escreveu o texto, aí eu fui lá, eliminei o post e fiz um novo post com as duas fotos, falei olha, acabei de botar um post aqui da Anitta que é esse que está à esquerda, descobri que é mentira, o que vale é o da direita, então eu eliminei o post, peço desculpas para você que caiu nessa e desculpa à Anitta, mas é assim que funciona, mesmo assim eu ainda vou caindo na jogada toda. Mas você acabou desenvolvendo uma técnica para bater o olho e falar meu… e o que me deixa abismado e se você for olhar na história da humanidade, até hoje tem cara que cai no golpe do cartão de crédito, da loteria premiada que vai, tem gente caindo em golpe toda hora, sempre teve, você vê aquela história e fala meu, como é que essa pessoa cai num golpe desse aí e a gente mesmo cai às vezes numas coisas dessa ai, imagina na internet que você não tem o interlocutor na tua frente para ver a cara do bandido. Como é que você foi fazendo para desenvolver essa tua mecânica aí, fui tudo no… deixa eu ver onde tem, tem site que me ajuda… como é que você fez?

Gilmar            É foi um aprendizado mesmo, sozinho mesmo, você vai procurando e aí eu encontro qual é a história verdadeira, acabo confrontando um com o outro e acabo descobrindo que tem alguns padrões no boato, por exemplo, o que a gente já falou aqui, que o boato geralmente não é datado, então ele pode voltar a circular no ano que vem como se fosse real. Eu estava falando esses dias, eu participei ao vivo lá na Rádio Bandeirantes no Manhã Bandeirantes, que a gente estava falando sobre o Facebook, agora está tomando providências e tal, que eu acho errado o Facebook se meter com isso, mas enfim, ele está com medo por causa do Trump que acabaram colocando a culpa no Facebook por ele ter ganhado as eleições, bom, e aí eu estava falando sobre a história de um prefeito, acho que é no Rio de Janeiro, uma cidade lá, que teria cancelado o carnaval, agora vai voltar a circular de novo, essa mesma história, porque todo ano perto do carnaval, ah, iniciativa interessante desse prefeito de cancelar o carnaval, na verdade isso aconteceu há vários anos e ele não cancelou o carnaval, o que ele fez foi tirar a verba que ia ser usada para criar as arquibancadas para outra coisa, mas vai ter carnaval e só não vai ter arquibancada, e todo ano  circula, é a mesma história do voto nulo anular a eleição…

Luciano          Eu já escrevi dois artigos a respeito, eu já fiz um programa inteirinho a respeito, eu fiz o teu trabalho, eu fui atrás buscar lá as coisas lá atrás para botar, vamos pegar a historinha das duas cidades do Rio de Janeiro, o que aconteceu foi isso, não anula, mas não adianta, todo ano volta a mesma história.

Gilmar            Ah você está querendo torcer contra, tudo joga a culpa, bom e assim, e  depois conforme o site foi crescendo, outras pessoas começaram a ajudar sim, lá na redação final, mas me ajudar a fazer a apuração, tem dois amigos meus, que é o Riomar Bruno, que é um jornalista que está no nosso grupo lá do Facebook e tem também o Tiago, que ele é um moderador no nosso grupo do Facebook e eles dois conseguem tomar conta do nosso grupo lá, porque eu sozinho não dou conta e desse grupo sai muita coisa legal também, a gente estava falando dobre Telegram e sobre grupos de Facebook e lá eles mesmos pesquisam algumas coisas e quando eu pego, já pego até bastante mastigado e eu faço aquela apuração final e a minha redação e jogo no ar.

Luciano          Você expandiu então a coisa, você tem hoje o site E-farsas, você também criou um grupo no Facebook, é isso?

Gilmar            Sim, sim, tem a fanpage também no Facebook, com 150 mil fãs lá, onde eu…

Luciano          Quantos tem?

Gilmar            … 150 mil lá na fanpage e nosso grupo acho que está com 13 mil pessoas e elas são bastante ativos lá, eles conversam entre eles, até brigam entre eles para saber se uma notícia é verdadeira ou não e também tem os vídeos no Youtube, onde eu pego alguma história que bombou naquela semana e tento destrinchar ela e explicar se é verdade ou se é mentira.

Luciano          É, eu já vi cases lá com você, cases maravilhosos, um que me chamou a atenção que eu falo olha, qual é que era, aquele do carro que vem andando e o carro dá um salto na rua…

Gilmar            O cara pula por…

Luciano          … não, os carros vem andando e de repente os carros começam a saltar.

Gilmar            … ah sim, na China que aconteceu isso…

Luciano          Na China que aí no fim era um cabo estendido no chão que ninguém sabe. Fantasma, o fantasma do cara que apareceu, tem muita coisa que você olha e fala tudo folclore, dá para a gente realmente estudar, é verdade que algumas coisas você fica com a pulga atrás da orelha e fala isso vai acontecer, mas uma coisa que eu pego a terra, é legal falar você aqui a tese aqui é a seguinte: os caras continuam discutindo se ainda tem ET, se ainda tem disco voador, se existe assombração, se tem chupa cabra, se tem Saci Pererê num mundo que tem seis bilhões de telefones celulares com câmera fotográfica e ninguém bate uma foto decente desses caras, é tudo fora de foco, é tudo no escuro, ninguém, está tudo na mão, hoje em dia os caras fotografam qualquer coisa e continua não aparecendo?

Gilmar            E uma coisa que eu falo também nos vídeos, é quando eles fotografam fantasmas, eles falam que só veem depois, que na hora eles não estão vendo, só vê depois, mas mesmo assim o fantasma sai enquadradinho, bonitinho dentro da foto, mas é estranho porque com a popularização dos celulares, dos smartphones, a quantidade de avistamentos diminuiu, não tem muito OVNI e deveria ter muito mais.

Luciano          Mas claro, todo mundo tem um no bolso.

Gilmar            E aí eu questiono também, por exemplo, um disco voador, uma nave espacial que viaja não sei quantos milhões de anos luz para chegar aqui, para fazer um desenhinho na plantação porque ele não consegue estacionar na plantação.

Luciano          Ou então aparece lá em São Tomé das Letras, em vez de ele aparecer na Av. Paulista…

Gilmar            Poxa, ia ser muito legal aparecer aqui.

Luciano          … pô não, só para dois caras que viram e não sei o quê, realmente tem conversas aí, mas num mundo que discute até hoje se é verdade que o homem desceu na lua, se tem essas discussões todas, a gente até entende.

Gilmar            Quando é verdade as pessoas ficam contra.

Luciano          Eu já tive discussões homéricas com os caras querendo me provar que os homens não desceram na lua, eu falo isso é uma questão básica, lógica elementar, lógica elementar é a seguinte, se os caras realmente não desceram na lua, a operação que foi montada na época para que esse negócio acontecesse, não envolveu três caras…

Gilmar            Não, muita gente.

Luciano          … envolveu…

Gilmar            Milhares.

Luciano          … não porque os caras pegaram lá o diretor de cinema, ele foi, montou o  negócio. Quantas pessoas se envolveram nisso aí? Cem, duzentas? Quer dizer, nesses 50 anos que se passaram aí, ninguém abriu a boca, não apareceu um russo para falar, descobri tudo e entregar o jogo todo, até hoje ninguém descobriu?

Gilmar            Se os russos descobrissem alguma falha ali, logo eles iam meter a boca.

Luciano          Já tinham entregue tudo, os caras até hoje batem…

Gilmar            E tem espelhos lá na lua que você pode murar daqui, inclusive os observatórios fazem isso, eles mandam laser para lá, bate no espelho e volta para eles saberem a distância certinha da lua, então o homem foi para a lua sim.

Luciano          Então, você se interessou de ir para a raiz dessas coisas falsas para entender porque que tem alguém que cria um negócio desses, o que se passa na cabeça? Me parece que é muito parecido com o cara que cria um vírus, ele aplica a vida dele para criar um vírus para entupir o computador de um coitado lá na ponta, um cara que cria uma mentira dessa, qual é o prazer?

Gilmar            Eu acho que é ego, tenho quase certeza que é ego, o cara quer criar alguma coisa que vá viralizar, tanto é que uma das características do boato é também se tratar de um assunto que está no momento ali em alta, então, por exemplo, há poucos dias eu publiquei lá no site daquela pastora que quebrou uma imagem de uma santa e aí apareceu num site famoso aí que cria notícias falsas dizendo que essa pastora teria tido uma parada cardíaca e foi um castigo divino e tal, mas não, não aconteceu, eu tenho lá no site um link do dia, que ele diz que a parada cardíaca foi no dia seguinte e eu tenho lá o link do dia seguinte, ela deu entrevista para uma rádio, então ela não teve parada cardíaca, mas ele aproveitou esse tema para criar mais visitas para o site dele e ele fala, ó, fui eu  que criei isso aqui. Eu acho que tem um pouco de ego ali e um pouco de financeiro também, a pessoa lucra com isso porque o site bomba, o site que dá esse furo, furo entre aspas, porque é mentira e outros sites começam a copiar e aí vira aquela rede de mentira…

Luciano          Que chega no fake news.

Gilmar            … é, chega virado uma bola de neve.

Luciano          Para quem está nos ouvindo aqui e não tem ideia ainda do que é fake news, fake news quer dizer notícia falsa que é uma coisa que existe há séculos e que ganhou uma projeção gigantesca agora com a eleição do Trump porque é uma eleição que vai levar acho que uma geração para ser digerida, quem perdeu não vai digerir aquilo de forma nenhuma e ao longo dessa eleição se criaram mil e uma histórias lá de todos os lados e acabou surgindo esse rótulo, de que tinha gente especializada em gerar notícias falsas para com isso ajudar o Trump a ganhar ou ajudar a Hilary a ganhar, foram dos dois lados, mentiras dos dois lados apareceram ali e tem sites especializados nisso e o cúmulo agora foi na primeira entrevista coletiva que o Trump deu lá no meio ele quebrou o pau com um cara da CNN, jornalista e ele foi para cima do jornalista e falou, vocês são uma empresa que fazem fake news e peitou o cara, não vou te dar licença para dar uma pergunta porque vocês são mentirosos e colocam mentiras aqui. Quer dizer, essa coisa que a gente olha como, a princípio, uma brincadeira, ela começa a ganhar conotações perigosas, porque se eu consigo, através dessas mentiras, impacta numa eleição e eleger um sujeito, eu estou impactando no futuro de um país.

Gilmar            Um país importante que é os EUA.

Luciano          E é o seguinte, se eu sou um mané que tenho aqui  meu sitezinho, boto uma mentirinha lá é uma coisa, quando isso é feito de forma profissional e existem sites especializados em fazer isso…

Gilmar            Sim, tinha uma rede nos EUA, uma rede de sites falsos.

Luciano          … especializado em fazer essa coisa acontecer, o negócio começa a tomar uma outra proporção, o que me traz a questão da responsabilidade que eu como um cara que circula na internet, navegador de internet que recebo essas informações, tenho nesse processo, quer dizer, eu posso ser o cara que vai ampliar muito mais essa mentira ou posso ser o cara que vai combater essa mentira, então eu acho que o único jeito é esse auto policiamento dos próprios usuários.

Gilmar            E o desmentido não tem a mesma força que o boato, infelizmente…

Luciano          Jamais.

Gilmar            … você coloca uma história falsa, ela estoura, depois aquela errata não tem a mesma força.

Luciano          Não adianta, a gente tem cases maravilhosos no Brasil aqui, maravilhosos não tristes, de histórias que aconteceram assim, de gente que realmente derrubada e acabou avida do cara por causa de uma mentira que foi colocada lá. Você faz o que hoje? Você ganha a vida com o que  hoje?

Gilmar            Eu sou analista de sistemas, eu trabalho desenvolvendo o intranet…

Luciano          Para uma empresa?

Gilmar            … para uma empresa…

Luciano          Você é um funcionário da empresa?

Gilmar            … eu sou um funcionário de uma empresa, de uma rede de supermercados aqui de São Paulo e também tenho o site que é a minha, agora virou a minha segunda profissão, então quando eu saio da empresa eu vou correndo para o meu escritório para trabalhar com o site e durante o dia as pessoas vão me mandando sugestões, o grupo também está trabalhando lá e aí a noite eu falo toda aquela apuração e toda noite eu coloco um ou dois artigos a respeito de uma história que circulou na internet, se é verdadeira ou se é falsa e no final de semana também tem os vídeos, um vídeo por semana e no sábado eu tenho um quadro lá no “Você é curioso”, na Rádio Bandeirantes, todo sábado a partir das 10 horas, chama “Verdadeiro ou farsa”, também os ouvintes mandam uma história e eu explico para eles se é verdade ou mentira.

Luciano          É lá que você ganha um dinheirão para fazer…

Gilmar            Ixi, lá nossa, não, lá não ganho nada não, mas assim, a maior renda do site vem de banners, de patrocínios e agora inclusive fechei uma parceria com um pessoal muito bacana, de camiseta para poder fazer os vídeos com as camisetas bem divertidas, bem legal, mas assim, o meu foco nunca foi correr atrás de patrocínio, a gente estava falando sobre isso, os patrocínios vieram no decorrer do trabalho.

Luciano          Você nunca tratou o E-farsas como um negócio?

Gilmar            Como um negócio não.

Luciano          Você não montou um plano de negócios, você não preparou aquilo, agora tem uma startup chamada E-farsas, que tem um alcance grande, tem um público grande, aí eu quero fazer essa coisa aqui virar um business.

Gilmar            Eu até cheguei a pensar nisso, eu estava ouvindo alguns Cafés Brasis aí atrás e eu estava pensando nisso, poxa, eu podia me dedicar somente ao site e tal, e aí sim. Aí  eu fiz um plano de negócios, eu calculei quanto que o site rende por mês, por ano, por hora trabalhada e quanto que eu ganhava na empresa trabalhando, hora trabalhada e tal e mostrei para o diretor da empresa, falei ó, na empresa onde eu trabalho, isso aqui é quanto eu ganho aqui por hora trabalhada e isso aqui é quanto eu ganho no site por hora trabalhada, eu trabalho menos no site e ganho mais do que na empresa, o que a gente pode fazer com isso? Aí eu fui promovido e ganhei um aumento…

Luciano          Natural, ele segura o cara porque se o cara é bom, promove, aumenta o cara aqui e você empurra com a barriga um pouco mais essa decisão.

Gilmar            E aí ficou combinado assim, enquanto uma coisa não atrapalhar a outra, vou continuar levando as duas coisas juntas. A empresa onde eu trabalho me dá muita liberdade para trabalhar lá e eles dão muito valor para o que eu faço, meu trabalho é muito importante para o andamento da empresa, que eu trabalho junto à diretoria gerando dados e fazendo mineração de dados para eles e criando ferramentas para melhorar o trabalho da empresa.

Luciano          Quer dizer, de certa forma, o trabalho que você faz na empresa tem a ver com o teu, porque se é mineração de dados, o processo de busca e tudo mais…

Gilmar            Também faz parte e assim, uma coisa ajuda na outra, porque você tem que ter criatividade para trabalhar também com programação, para criar novas ferramentas e a mesma coisa no trabalho também, no site que é você ter aquela disciplina para poder pesquisar e tal, isso eu peguei emprestado da empresa e a empresa pega emprestado a parte da criatividade que eu tenho no site.

Luciano          Sorte tua que esse pessoal tem essa visão. Vem cá, você apanha muito?

Gilmar            Apanho claro, muito, muito, na época das eleições eu era conhecido como sei lá, petista, ou como que é o contrário do petista? Coxinha e…

Luciano          É os coxinhas e os petralhas… petralha, coxinha. Embora um não seja o contrário do outro, é totalmente diferente, são duas coisas diferentes, mas tinha classificação.

Gilmar            Parece que virou duas coisas.

Luciano          E aí você apanhava lá.

Gilmar            E aí quando colocava uma história da Dilma, ah você está defendendo a Dilma? Quanto você está ganhando? Você está com a Lei Rouanet com você. E aí quando no outro dia, eu tenho uma foto muito bacana lá que está o Aécio falando no ouvidinho do Sérgio Moro, Sérgio Moro assim, com a mão no queixo, é uma montagem, aí eu publiquei lá, essa história é falsa, a foto real é o Eduardo Campos. Ah você mudou de lado, não sei o que, quanto você está recebendo deles e agora apareceu a foto real do Moro…

Luciano          Sim, eles tiveram um evento lá, claro, e tem gente falando no ouvido do Moro tem uns quinhentos caras.

Gilmar            Tem, e aí eu publiquei a foto e aí as pessoas lá naquele post antigo, ah você está defendendo o Moro? Mas ele está lá falando. Falei está aqui o link, quando é verdade eu também coloco que é verdade também.

Luciano          Eu estou cansado, eu juro por Deus, eu estou cansado, eu botei esses últimos dias aqui, eu fiz acho que três posts sobre o final do governo Obama e botei um post lá falando o seguinte: o Obama foi um fenômeno, o cara é de uma simpatia, ele e a mulher dele, o que eles fizeram lá em termos de servir como modelo para o povo, então você vê o pessoal falando: finalmente eles mostraram que a cor não representa nada, que eu posso alcançar é muito legal como modelo para a sociedade e tudo mais, mas que gerenciar um país não é só isso, que tem problemas e reproduzi um material que saiu sobre uma, publicado nos EUA com os números da economia mostrando que foi um desastre o que ele botou lá, mas vieram para cima de mim, me enchendo o saco, eu botei um segundo onde eu mostro como é que foi o desempenho deles do ponto de vista do marketing pessoal, falando que esse negócio foi legal, que eu vou sentir saudade de ver o Obama chorando, ver ele cantando, ver a Michele dançando e botei lá e falei o seguinte, botei um trechinho assim, o Lula usou muito isso aqui no Brasil que era aquela história de dizer o seguinte: eu sou igual você e eu sou tão pobre como você e eu estou mostrando que você pode… escrevi exatamente isso lá, e lá embaixo vem quinze comentários, comparar o Lula com o Obama, meu Deus do céu, aí você olha para aquilo e fala, que preguiça ter que entrar aqui para explicar, eu não explico mais, nem olho, eu parto para outra, eu esqueço, deixo para trás e deixo rolar, quer dizer, é um ambiente muito complicado o ambiente do Facebook, o que já não acontece nos grupos fechados que a gente tem ali, que eu montei o meu, você montou o seu também e que na verdade esses grupos fechados que se transformam numa usina de conteúdo e conhecimento que é um negócio fabuloso, agora o meu business, meu negócio é como o seu, eu vendo conhecimento, eu estou um pouquinho à frente de você porque eu vivo disso, você vai chegar lá…

Gilmar            Eu tenho a maior inveja.

Luciano          … você vai chegar lá e essas coisas são muito importantes, você começar a montar uma relação com a tua audiência que faça com que ela deixe de ser simplesmente um grupo de pessoas que estão sentadinhas recebendo informação sua para virar um grupo ativo, que pega aquilo, trabalha e traz de volta para você como está acontecendo no teu grupo agora, quer dizer, você já recebe a coisa, pô Gilmar, eu já fiz isso com você, não é? Gilmar cria um treco assim, já descobri, mandei para você, não é?

Gilmar            Foi mesmo.

Luciano          Olha aqui, o que está acontecendo, isso acaba virando um negócio que dá uma dimensão diferente no business, não é? Fala uma coisa para mim, depois apareceram uns concorrentes, não é?

Gilmar            É agora tem alguns aí…

Luciano          Concorrentes, vai.

Gilmar            … é, mas eu até virei amigo, sou amigo do pessoal lá no Boatos, agora tem a Agência Lupa também que é muito  boa.

Luciano          Então, a Lupa já veio para aquela coisa do fact check da informação política, então se o prefeito abrir a boca eles pegam o que o prefeito falou e vão ver se aquilo é verdade e é muito  legal.

Gilmar            Eu não quis me focar na política, apesar de que política é o que bomba, principalmente em época de eleição, política é muito bom, mas assim, quando eu vou falar de algum assunto, por exemplo, hoje eu falei de esporte, amanhã já vou falar de medicina, vou falar de outra coisa para não ficar o site rotulado como o site político.

Luciano          Sim, mas você está fazendo perfeito, a tua atuação é uma atuação social, de que lado, eu vou bater em cima da…

Gilmar            Do que está rolando.

Luciano          … do que está rolando aqui. Esse programa aqui é um programa de liderança e empreendedorismo, então eu já vi, o teu lado liderança eu já saquei, você já vem como pedreiro lá, já se auto preparou, foi estudar para tocar o seu próprio negócio, aprendeu sozinho, está tocando, acho que é uma questão de tempo para você…

Gilmar            Eu fiz a faculdade agora.

Luciano          Então, isso que eu ia perguntar, como e que você evoluiu essa tua preparação, você a partir do momento que você sentiu que já dava, você falou pô, vou ter que fazer uma faculdade, o que você cursou?

Gilmar            Eu fiz análise e desenvolvimento de sistemas, eu tinha feito também, eu tinha prestado para jornalismo, mas eu acabei caindo para o lado de desenvolvimento de sistemas que é o que eu estava fazendo também e o que foi legal nesse curso, foi a possibilidade de eu aprender a trabalhar em grupo, que eu não trabalhava muito bem em grupo, eu aprendi a trabalhar e achei muito legal isso, isso eu tenho usado até hoje, até eu tenho um professor muito legal chamado Eliseu, me ajudou muito lá na época da faculdade a trabalhar em grupo, então nosso grupo foi até bacana, a gente tinha que criar uma empresa fictícia na escola e nossa empresa era muito boa, tinha sete funcionários e tal, muito legal, isso foi bom para mim na faculdade e assim, se eu tivesse feito jornalismo, o jornalismo está meio ruim hoje em dia, eu acho, eu não gosto muito de jornalista, mas não é pessoal, não é do jornalista, é do jornalismo, a forma como… agora parece que eles estão acordando para isso…

Luciano          Estão apanhando, está na hora de mudar, mas eu não sei se vai mudar não porque tem uma arrogância ali que tem que ser destruída e essa arrogância tem um problema seríssimo para mim que é o seguinte, não é como outras áreas que a gente está dizendo o seguinte, quando virar a geração vai mudar, porque a geração de jornalista nova que está aí é pior do que a anterior que estava lá, é muito arrogante, é muito ruim.

Gilmar            … é, e aquele jornalismo de cadeira, eles não levantam para averiguar.

Luciano          Sim e ideologicamente entupido, então o dono da verdade é um negócio complicado ai. Mas isso aí, essa coisa vai passar porque o que aconteceu hoje? O jornalismo está sendo atropelado, ele está sendo totalmente atropelado, quer dizer, quem é que assina jornal hoje em dia? Se abastece aonde? Está se abastecendo nas redes e aí teu trabalho é fundamental para opa! O fact check é fundamental nesse momento ai. Mas eu estava te dizendo, então, liderança e empreendedorismo, quando você pensa no negócio do site virar um negócio, eu estou achando que a tua visão está um pouco… está faltando você tomar umas porradas aqui para saber o seguinte: a menor coisa que você pode ter que vai te dar dinheiro lá é bannerzinho no site…

Gilmar            É verdade.

Luciano          … isso é troco, não  é aí que está o esquema e tem muita gente vindo pedir para você, então vem te chamar para dar entrevista, te chama para colaborar no rádio, os caras estão se aproveitando do teu material para utilizar em outras coisas, aí tem um canal interessante de monetização e outro canal é o próprio público que você tem, você tem 150 mil caras num grupo, 13 mil no outro, monte de gente se beneficiando do trabalho que você faz e ninguém paga nada por isso e aí?

Gilmar            É, e aí? O que a gente faz com isso?

Luciano          E aí, o que a gente faz com isso?

Gilmar            Eu vi que você está com um modelo interessante aí de…

Luciano          Então, a minha questão foi aquela o seguinte: eu sou um cara muito… o maior crítico meu sou eu, então não tem ninguém mais crítico comigo, é bom mas às vezes é até ruim, falta para mim uma certa arrogância de falar vou e vou arrebentar as coisas e também um perfeccionismo que me atrapalha um pouco, mas num dia, num momento em que eu olhei e falei puxa vida, eu acho que agora está muito claro para mim que o meu trabalho está rendendo, está prestando um valor para muitas pessoas, tem gente demais me escrevendo, tem gente demais falando comigo, eu encontro as pessoas, tem muita gente se manifestando para dizer o seguinte: o teu trabalho agrega valor à minha vida, eu acho que é justo eu começar a cobrar alguma coisa e aí veio a maquinação de o que fazer e então nasce a Confraria, vou lançar o Café Brasil Premium, estou fazendo um esquema todo aí que transforma esse meu público no público que vai sustentar esse negócio aqui e que eu não dependa da boa vontade de um gerente de marketing de uma empresa e vir aqui botar um anunciozinho, quer dizer, eu vou sair dessa discussão do anunciozinho para discutir com quem vê valor agregado naquilo que eu faço.

Gilmar            Sim, é porque muitas vezes quem está…. o diretor lá de marketing não entende nada dessa mídia.

Luciano          Sento na frente do cara e falei eu vim oferecer para você o podcast, o cara: pode o quê?

Gilmar            O que que é isso?

Luciano          Eu vou ter que contar para o cara o que é para ver se o cara vai… a coisa realmente tem que quebrar todo um histórico aí. Mas a relação minha com a minha audiência é o que chegou num ponto tal que eu falei puxa, está maduro o suficiente para eu tentar, ficou claro para mim que do 100% do público que eu tenho, eu vou conseguir trabalhar para rentabilizar 1%, 1% e olhe lá e se eu estou dizendo isso para você que 1% vai pagar, significa que 99 vão tirar proveito daquilo, mas é um problema cultural brasileiro ainda, se eu fosse norte americano, eu já tinha vinte mil seguidores pagando um dólar por mês para me seguir, como eu sou brasileiro ainda tenho que ouvir nego falando: está pedindo esmola. Tem um cara que me escreve todo mês, e aí, como que está a esmola aí? Todo mês o cara me escreve para me encher o saco e botar lá. Como é que você vê isso aí, fala um pouquinho mais.

Gilmar            A gente estava conversando sobre isso, é uma ideia interessante, mas a gente precisa mudar muito a visão do leitor a respeito disso, se você começar, você tem que colocar de uma maneira que você não está cobrando por aquele trabalho, você vai dar mais alguma coisa além daquilo que você já faz para a pessoa, porque o leitor vai falar assim, ah se eu leio de graça, por que eu vou pagar para ter uma coisa que eu já tenho de graça?

Luciano          Pois é, se eu já recebo um valor, por que eu deveria pagar por aquele valor? Porque ele pode parar, porque talvez ele pare amanhã, alguém está gastando um tempo, esse teu tempo de noite aí está sendo aplicado lá.

Gilmar            Muito tempo, não só de noite, o tempo todo, todas as horas vagas é voltada para o site.

Luciano          Alguma coisa, tem alguém botando um valor ali. Bom, eu acho que isso é uma questão de amadurecimento, você vai chegar lá.

Gilmar            Eu aprendo muito com o Luciano Pires.

Luciano          Você tem café no bule, você tem conteúdo, você tem penetração, está tudo na mão, falta só dar uma organizada aí e fazer a coisa andar um pouquinho mais. Eu sei que todo mundo que ouve a gente aqui deve estar curioso com as histórias aqui, me fala aí, dessas histórias que você trabalha, se você conseguiu estabelecer um modelinho que tem, como é que é, a mentira, ela vem a maioria de onde ela vem? É explorando doença de pessoas para ganhar dinheiro, é explorando o ET, você consegue ver um perfil disso? Porque, só para complementar aqui, você faz um trabalho ali que se tiver um antropólogo sentado do teu lado, analisando aquilo, isso dá uma tese fabulosa sobre o comportamento da sociedade nessa história da construção da mentira.

Gilmar            E tem alguns fatos, algumas histórias que eu publico lá, que seriam muito mais legais se fossem verdadeiras, quando eu coloco lá que é falso, as pessoas ficam até tristes, poxa que pena, estava tão acreditando que aquilo era verdade, o lado místico também, o lado sobrenatural, tem muita gente que acredita nisso e quando eu explico lá porque que aquilo é mentira, as pessoas ficam até tristes, chateadas, porque acreditavam muito naquilo, mas o padrão é a pessoa usar do assunto que os leitores estão querendo ouvir, então quando na época de eleição, todo mundo quer ouvir daquele político, aquele que está concorrendo, quer ouvir uma história dele e quanto mais a pessoa…. e é sempre dos que estão na frente, nunca ninguém fala daquele, sabe aquele que estava em último nas pesquisas, é sempre quem está na frente, porque é o que vai dar mais audiência, essa  é uma das características, é o boato.

Luciano          E de preferência alguma coisa que confirme a ideia que eu tenho, o sujeito é um filho da puta, se vier uma história que confirma isso eu estou feliz da vida.

Gilmar            E tem muita gente que coloca assim: olha, não sei se é verdade, mas pelo sim, pelo não, estou publicando aqui.

Luciano          Você está seguindo o João Dória?

Gilmar            Estou seguindo, uma figuraça.

Luciano          O que eu estou recebendo de coisa, está divertidíssimo, porque ele comprou a briga, ele é muito esperto, o Dória aqui no Brasil, o Trump nos EUA, esses caras são caras de mídia, esses caras viveram a vida inteira na televisão, esse cara sabe totalmente como é que você cria um personagem, como é que você… eles sabem como é que faz isso, lidar com a imprensa, eles conhecem tudo isso aí e aí você vê o cara fazendo aquilo e fala, o cara não está fazendo porque é um idiota, ele está fazendo porque ele sabe das coisas, aí vem a foto dele de gari, falam: o cara é coxinha de gari. Aí apareceu hoje, a Veja trouxe uma matéria, ele com um revolver de pintura pintando pichação no monumento e aí a matéria vem: Dória pinta pichação e estraga o tênis de marca. O problema dos caras foi que caiu no tênis, estragou o tênis de marca dele, a pichação dane-se. Aí apareceu um outro ali, ele agachado no chão na rua cumprimentando um morador de rua, que o cara é um bêbado que não sei o que, ele está lá, agora já chegou um negócio, que morador? O chinelo do morador é novo, o cara está coma barba feita, ele não está com o cotovelo sujo, tem uma garrafa do lado lá e os caras detonando aquilo tudo que é essa tentativa de você desconstruir as narrativas que aparecem por aí.

Gilmar            O Sensacionalista fez uma brincadeira lá dizendo que a roupa de gari dele tinha um logotipo da Lacoste.

Luciano          Eu vi gente, o lindinho, o Lindbergh publicou lá, porra olha aí… Como é fácil fazer papel de idiota hoje em dia.

Gilmar            É fácil você cair, eu mesmo já caí em algumas também, o Google sempre faz, no dia primeiro de abril ele faz umas brincadeiras e teve um ano que ele fez uma história dizendo que eles iam imprimir todos os e-mails que você recebesse e eu acreditei, falei gente, vou começar a mandar livro para lá, eles vão imprimir e mandar para mim, mas era brincadeira do primeiro de abril.

Luciano          O pessoal mais novo não vai saber dessa história toda, mas tem um case famoso no Brasil que é o case do boimate, boimate, esse é um case da revista Veja. Há muito tempo a revista veja publicou, eu me lembro, eu sou “véio” então eu vi essa revista, eu li essa reportagem na época e foi uma pegadinha que saiu uma brincadeira não sei aonde lá que os caras botaram que os caras fizeram uma experiência genética e conseguiram combinar a genética de boi com tomate e aí eles fizeram o boimate que era um tomate que tinha propriedades da carne do boi, etc a tal e a veja publicou a matéria de página inteira e tudo, depois quando saiu o negócio que era fake aí todo mundo tirando sarro, aí ficou a história do boimate que até hoje os caras falam a respeito, quer dizer, ninguém está livre de escapar dessas coisas. Vamos então para a nossa recomendação para quem nos ouve aqui, nós dois que somos “macaco véio” dessa história toda, eu vou dar a minha versão depois eu quero que você dê a sua. Eu publiquei há um tempo uma coisa que eu falei que eu chamei de “A teoria dos quatro res”, quatro res, quatro coisas que começam com “r” e “e” que  para mim são fundamentais quando eu vou bater o olho em qualquer informação, o primeiro é relevância, então chegou uma informação para mim, de qualquer forma, a primeira coisa que eu olho e falo bom, que relevância, que importância tem isso? Meu, veio aqui uma informação falando do penteado novo do Ronaldinho, que merda, Neymar, isso não tem a menor importância para mim, morreu, desisto, não quero mais saber mais. O segundo “re” é o re de responsabilidade, que eu bato olho e falo o seguinte: que responsabilidade tem a fonte onde eu estou me abastecendo e isso para mim hoje é o fundamental, então de onde veio essa notícia, deixa eu, antes de qualquer coisa, quem foi que publicou e o quem foi que publicou não é olhar o título assim: folha de São Paulo, eu quero saber o histórico do cara, então se essa informação, por exemplo, vem por tuite, eu vou lá no Twitter, eu quero achar quem foi o cara que mandou, eu entro na página do cara e quero ver o que ele retuita, não é só os tuites dele, quem é que esse cara retuita?

Gilmar            De onde que ele bebe.

Luciano          Isso é mágico, eu já destruí cada gente que eu imaginava, quando eu fui ver os retuites do cara, mostrou quem era o cara, entro na página do Facebook do cara, vou atrás da empresa, então olha, vem de uma organização, eu recebi uns negócios aí sobre muçulmanos, horrorosos, quando eu fui ver, era uma organização que odeia muçulmanos, eu falei está bom, está todo impregnado, eu não posso usar esse tipo de informação. Mas é o segundo “re” que é o “re” da responsabilidade, então que responsabilidade quem está me trazendo essa informação? Conforme for eu não dou a menor credibilidade naquilo e vou adiante. O outro é o “re” de reserva, então com que reserva eu devo receber essa informação? De braço aberto? Chegou no Facebook, bati o olho, ah legal, já multiplico para todo mundo ou devo ter reserva? Não, espera, eu tenho que ser um cara reservado, deixa eu olhar isso aqui se vai fazer bem, se vai prejudicar, como é que é, conforme for eu não vou mandar esse negócio adiante e a terceira coisa é ressonância, que é o meu papel na redistribuição dessa mentira como um todo para lá e para cá…

Gilmar            Ainda mais a gente que já tem uma rede grande…

Luciano          Imagina, eu boto na minha página, duzentos mil caras seguindo, apertei um botão, duzentos mil receberam aí qual o meu pedido de desculpa depois, ah a Anitta não falou isso… então são os quatro “res” que eu falo, isso é um sistema de filtragem, então vamos lá: relevância, se não tiver importância nenhuma eu deixo para lá; responsabilidade, quem é a fonte que está me dando isso aqui; reserva, que cuidados eu devo ter para receber essa informação e ressonância, qual é o meu papel em matar essa situação agora ou deixar ou contribuir para que ela vá adiante, eu costumo dizer, são quatro filtrozinhos que eu uso para todo tipo de informação que chega para mim, algumas passam, não tem jeito, acabam passando por aquilo, mas isso já me ajudou barbaramente a eliminar 90% das porcarias que chegaram para mim.

Gilmar            É, ruim é que não é todo mundo que pensa assim, a maioria das pessoas apenas vão lá e compartilham, teve um tempo atrás que o Cardoso, é um cara conhecido no Twitter, ele fez uma postagem no blog dele contraditório que ele mostrou que depois de um acidente que teve da Gol, do avião da Gol, ele colocou umas fotos lá que seriam as fotos de dentro da cabine, dos passageiros aflitos quando o avião estava caindo e as fotos eram do seriado Lost…

Luciano          Eu vi essa história…

Gilmar            … você já viu…

Luciano          … eu vi que aparece inclusive o momento em que quebrou a parte de trás e voa todo mundo, sim, eu vi isso.

Gilmar            … e aí ele colocou isso mais como um teste para mostrar para as pessoas que os leitores, a grande maioria, só lê o título e  dá uma olhadinha nas fotos e já compartilha…

Luciano          Isso é um ponto importante.

Gilmar            … e ele estava certo, as pessoas começaram a compartilhar aquilo como se fosse verdade e depois quando caiu o avião lá na França, um telejornal de lá mostrou essas mesmas fotos como se fossem de lá da França, então ele conseguiu comprovar que as pessoas dão uma olhadinha apenas no título, nas fotos ali e já compartilha.

Luciano          E essa história do fake news é basicamente isso, os caras pegam matérias reais e mudam alguma coisa no título e ao bater o olho no título você já tira… Aliás no Facebook e no Twitter, o que eu recebo de cara, que o cara me fala e eu respondo o seguinte: você clicou no link? Para ver o que está escrito no link? Você se interessou de ir atrás para ver a continuação, para ver o que tem dentro da matéria e leu com cuidado até o final? Porque talvez ela seja exatamente o contrário do que você está pensando, ainda pega um desgraçado como eu que uso uma ironia, eu sou super irônico, eu boto ironia em tudo e a ironia é exatamente o contrário daquilo que você quer dizer, então esse é um ponto importante também, vá além do título, vá além da imagem, vá além dessa coisa.

Gilmar            Às vezes nem é por maldade, às vezes os jornais fazem isso justamente para atrair o leitor e para conseguir mais cliques e tal e às vezes é uma palavra mal usada acaba se transformando numa coisa que não é nada daquilo.

Luciano          Ou bem usada, que na maioria das vezes é de propósito, fazem de propósito. Mas que outra dica você dá aí, conta aquela que eu achei um barato a palestra que você tem lá que você falou da imagem, pintou uma imagem e aí você vai descobrir se aquela imagem é verdade ou não.

Gilmar            É aí eu tenho agora, tenho umas ferramentas interessantes, online e de graça na internet que um é o Tineye e o outro é o Google Images.

Luciano          Como é que chama esse Tineye, como é que é?

Gilmar            Tinae.com…

Luciano          Como é que escreve?

Gilmar            … é t i n e y e (soletrando) tineye.

Luciano          t i n…

Gilmar            e y e

Luciano          Tineye, tá.

Gilmar            É, tineye e a gente joga a imagem lá, ele procura qual foi a imagem mais antiga que ele encontrou, a publicação mais antiga ou a mais recente e qual é a que mais se aprece com ela, qual é a mais modificada, esse é  muito legal, então como exemplo na minha palestra eu uso o Bill Gates ao lado do Linux e aí quando você joga lá você acaba descobrindo que essa foto é uma montagem, eu mostro até algumas falhazinhas na imagem e o Google, ele já vai além, o Google Images, quando você joga a imagem lá, ele de alguma maneira, ele tem algoritmo do capeta lá e ele descobre que aquele cara é o Bill Gates e começa a mostrar várias outras fotos relacionadas ao Bill Gates, é bem interessante.

Luciano          Quem não viu ainda esse do Google Image é um barato porque você vai clicar na Google Image e vai abrir um campo de busca normal e vai perguntar como você quer buscar e ele vai perguntar para você: você quer fazer um upload? Aí ele vai pegar a imagem que você queria, joga, ele sobe a imagem, dá um segundo depois ele te mostra, olha a coisa mais parecida com ela é isso aqui, sites onde apareceu, blogs onde apareceu isso aqui e você bate o olho ali, foi assim que eu achei a Anitta. A Anitta foi assim.

Gilmar            Aliás uma dica legal é você nunca tirar foto segurando um papel escrito alguma coisa…

Luciano          Puta vida é verdade, porque os caras trocam aquilo…

Gilmar            … porque as pessoas trocam, eu já fiz de propósito isso algumas vezes, eu tirei foto segurando um papel em branco e as pessoas do Twitter começam a fazer um monte de brincadeiras em cima dessa imagem e no caso das fotos, eu fiz um vídeo explicando também que as fotos, tem um comportamento de luzes e sombras e através, você consegue visualizar quando  uma montagem não é muito bem feita que a luz vem de forma diferente, a sombra é diferente e até no vídeo eu coloco o Obama do meu lado para explicar que eu nunca vi o Obama de perto, que pena, e eu explico como é que dá para a gente descobrir através desses erros de sombras também e no caso de boato, como eu te falei, nunca é datado, quando é datado aconteceu essa noite, vai acontecer essa noite, ou aconteceu na semana passada…

Luciano          WhatsApp essa semana vai passar a ser pago, vão cobrar o WhatsApp essa semana.

Gilmar            … pois é, não usem aparelhos elétricos hoje porque uma grande onda eletromagnética vai apagar tudo, hoje o governo vai fazer um pronunciamento na TV confiscando a poupança, olha, até hoje, a Dilma ia implantar um chip nos brasileiros, até hoje ela não conseguiu, eles não conseguiram fazer nem o RG eletrônico até agora, imagina colocar um chip em cada um dos brasileiros. E quanto mais alarmista for aquela história, você fica preocupado e não preocupado em repassar, mas preocupado em descobrir se aquilo é verdade ou não, eu sei que dá um pouquinho de trabalho, mas é assim que você também ganha, igual você falou, ganha reputação, poxa, eu vou começar a seguir aquele cara porque aquele cara está me colocando coisas que…

Luciano          Você pegou aquela história de um prostíbulo lá de uma cidade do nordeste…

Gilmar            Que caiu um raio?

Luciano          … não, que o padre da igreja falou não sei o quê na igreja que Deus ia…

Gilmar            Castigar?

Luciano          … castigar e que aí pegou fogo no prostíbulo, caiu raio, deve ser uma versão dele e que aí quando aconteceu isso a prostituta foi lá e processou o padre e o padre ficou, bom, não tenho nada a ver com isso, é mentira, então não foi Deus, você chegou a pegar essa história?

Gilmar            Sim, essa história é falsa, é um case bacana.

Luciano          Eu liguei para lá, eu telefonei, procurei o telefone da prefeitura, eu liguei para a cidade, eu consegui falar com um cara de lá, ou uma menina, não me lembro mais. É verdade, o prostíbulo existe, está lá e pegou fogo e tudo mais, mas aí eles me deram umas dicas, vai em tal lugar que a história está contada lá, mas eu tive o saco, porque eu estava publicando essa história, eu ia botar no Facebook, falei isso vai dar um barulho, espera um pouquinho, deixa eu ligar para lá, só que isso demanda tempo, a gente não tem tempo para fazer isso.

Gilmar            Demanda. A ideia do E-farsas sempre foi a de usar a própria internet como ferramenta para desmistificar ela, mas vez ou outra acabo tendo que entrar em contato com alguma empresa que está envolvida, quando é história de câncer, ah chá de não sei o quê cura câncer, aí eu entro em contato com a instituição para ver se é verdade ou não, inclusive esse mês eu estou na revista do Instituto Nacional de Câncer, falando sobre isso também, me entrevistaram para agente falar sobre esses boatos a respeito de saúde também, que é um perigo, que as pessoas deixam de usar o tratamento convencional para ficar tomando essas coisinhas, chazinho, essas coisas.

Luciano          E o nióbio?

Gilmar            O nióbio até hoje as pessoas falam, poxa, por que que você não falou ainda do nióbio? Porque eu não falei ainda no site sobre isso, por que você não falou? Você está do lado do governo então. É uma história que veio do Enéas, se não me engano, o Enéas que bolou.

Luciano          Eu estive lá dois meses atrás, fui fazer uma palestra na fábrica que usa tem o nióbio e tudo mais e conversei com os caras lá e o grande lance dessas sacadas todas, essas mentiras todas é o seguinte: é que nem a história do Saci Pererê, não existe Saci Pererê, isso é mitologia, mas sempre tem alguém que viu, você conversa com o cara ele fala eu vi, eu tenho um primo que o meu primo viu, eu tenho um cara… Sempre tem gente usando e agora a coisa ficou tão sofisticada que eles partem de coisas que são absolutamente verdadeiras e aí constroem a mentira baseada nas verdades, então pô, o nióbio existe, é verdade, esse metal está aí, ele é utilizado em foguetes, numa porrada de coisas, só tem no Brasil, e aí depois de toda essa história o cara pega e ó, os caras estão contrabandeando assim e assado, aquele trechinho…

Gilmar            É, mas ele te envolveu com uma história real ali em volta…

Luciano          … e você acaba entrando naquilo.

Gilmar            … você acaba comprando, é  verdade.

Luciano          É isso aí. Bom, meu amigo, assunto não vai faltar…

Gilmar            Não, tem bastante.

Luciano          … você vai ter coisa para fazer aí, eu dou a dica para você então, é o seguinte, não sei como é que você está planejando para este ano aqui de 2017, mas pense seriamente nessa forma de você envolver…. deve ter ouvinte aqui já puto da vida, porra o Luciano está falando para ele cobrar, a  minha tese aqui é a seguinte, se eu me beneficio do teu trabalho, se ele me ajuda, se ele, no meu dia a dia, eu tenho que te remunerar de alguma forma. Por isso que quando eu chego, quando eu recebo um aviso lá da Wikipedia pedindo, por favor, precisamos de um real eu dou, é claro que eu dou, porque eu me abasteço deles, então não tem… para mim é muito bom que isso aconteça e que você cresça e que você tenha uma empresa legal, com mais gente lá fazendo acontecer e quanto mais você tiver bem estruturado, mais eu me beneficio disso.

Gilmar            Sim é uma forma interessante de monetização porque eu não preciso ficar, de certa forma, com o rabo preso com ninguém, não é? Porque assim, quando você coloca o adsense, o adsense é muito bom, do Google, você coloca o banner lá e só vai esperando que alguém clique naquele banner para você ganhar um dinheiro, mas você não controla o que está sendo publicado ali naqueles banners, então às vezes eu estou falando, por exemplo, de charlatões, charlatães, ou charlatões?

Luciano          Charlatães..

Gilmar            … charlatães que preveem o futuro depois que já  aconteceu o acidente, tem muito disso e aí como o Google trabalha com palavras que são usadas no texto, aparece banner de “venham ver o seu futuro”, nada a ver…

Luciano          Que não foi você que botou lá.

Gilmar            … não fui eu que pus e aí o leitor tira uma foto daquilo, coloca no Twitter, olha aí você falando contra o negócio e se beneficiando…

Luciano          E ao mesmo tempo anunciando o negócio lá, é verdade.

Gilmar            … olha só a propaganda da Petrobrás no seu site, sabia que você estava de  rabo preso com eles, então essa forma de monetização onde o próprio público paga para você, para você trabalhar para eles é muito, você fica muito mais livre para trabalhar.

Luciano          Quem tiver interessado então em conhecer o teu trabalho, vamos lá, primeiro é o www.e-farsas…

Gilmar            Farsas… com s.. farsas…

Luciano          De novo, para, E-farsas.com

Gilmar            Só .com

Luciano          Ah não tem o br, pô, você está internacional o negócio… então E-farsas.com legal. O Facebook?

Gilmar            Facebook.com/efarsas, aí não tem o traço, é direto…

Luciano          …ah, é efarsa sem traço, tá.

Gilmar            Isso, e tem o nosso grupo também lá, que você tem que dar uma buscadinha lá em cima no Facebook, você vai achar o grupo do E-farsas.

Luciano          Mas quem quiser entra? Como é que é isso aí?

Gilmar            É aí precisa pedir para mim aí eu…

Luciano          Mas também, pediu entrou?

Gilmar            … é, e deixo entrar, mas a gente vai pensar numa forma aí de a gente criar um grupo seleto ali, como você me falou, para a gente trabalhar melhor em cima disso e também tem lá no Youtube, youtube.com/E-farsas.

Luciano          Ah é verdade, você andou fazendo vários vídeos lá, inclusive vou recomendar esse, tem uma palestra sua lá que eu adorei assistir a palestra porque lá ele conta como são as técnicas para buscar, isso acabou servindo para mim de montão, eu usei várias dicas lá para o meu dia a dia.

Gilmar            Ah que legal, essa palestra é a mesma que eu já dei para o pessoal aqui da Unicid e também para o pessoal da Drummond, e aí essa foi em Itapira, me chamaram para ir lá em Itapira, e aí é legal, que você vai palestrando, você vai podendo passear, é bem legal, bem gostoso.

Luciano          É youtube/efarsas

Gilmar            Isso.

Luciano          Tá legal, tá bom. Meu amigo, muito obrigado pela sua visita aqui…

Gilmar            Eu que agradeço.

Luciano          … primeiro olha, parabéns a você pelo, de novo, pela importância social do trabalho que você faz que acho que ele está muito além de entretenimento, não, tem uma importância social que é realmente de desmontar esse monte de mentira que faz com que as  pessoas percam tempo, sejam enganadas, percam dinheiro, percam saúde, entendeu? A sociedade precisa se livrar disso aí e o teu trabalho tem sido fundamental para isso.

Gilmar            Que legal, eu que agradeço, sou seu fã há muito tempo…

Luciano          Imagina.

Gilmar            … e aí sempre quando eu falo para as pessoas ah você conhece podcast? Não, o que é podcast? Falo ó, eu vou te mostrar o que é podcast, aí  eu mostro aquele seu Café Brasil do Queen lá, do Bohemian Rapsody, que foi uma obra prima aquele lá, muito bom.

Luciano          Aquele foi o do coração.

Gilmar            E aí eu mostro para todo mundo, esses dias eu estava viajando e coloquei para os meus sobrinhos, para as minhas sobrinhas, falei ouve aí que legal.

Luciano          E agora você vai mostrar o LiderCast do Gilmar.

Gilmar            Claro que vou mostrar.

Luciano          Valeu, um abraço.

Gilmar            Falou, “brigadão” tchau.

 

Transcrição: Mari Camargo