Lidercast
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

591 – Alfabetização para a mídia
591 – Alfabetização para a mídia
Hoje em dia as informações chegam até você ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

LíderCast 087 – Ricardo Camps
LíderCast 087 – Ricardo Camps
Ricardo Camps, empreendedor e fundador do Tocalivros, ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

O que aprendi com o câncer
Mauro Segura
Transformação
Esse é o texto mais importante que escrevi na vida. Na ponta da caneta havia um coração batendo forte. Todo o resto perto a importância perto do que vivemos ao longo desse ano.

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Cafezinho 24 – Não brinco mais
Cafezinho 24 – Não brinco mais
Pensei em não assistir mais, até perceber que só quem ...

Ver mais

LíderCast 008 – Daniela do Lago

LíderCast 008 – Daniela do Lago

Luciano Pires -

Luciano         Muito bem, uma vez eu fui fazer um evento com o pessoal da rádio lá, meu amigo Irineu Toledo, estava um evento grande e normalmente esses eventos tem vários palestrantes que tem que falar muito rápido né, pra gente poder ocupar o espaço legal ali e tinha uma pessoa que foi fazer uma palestra, eu não sabia quem era nunca tinha ouvido falar, uma tal de Daniela, fiquei esperando ela subiu e de repente ocupou aquele palco inteirinho, aquela mulher grandona, falando alto, engraçada, provocando a plateia com um negócio, eu falei cara que loucura, de onde veio esse vulcão ai e fui depois conhecê-la, a gente conversou bastante, eu vi que realmente ela tinha um conteúdo legal, um trabalho muito interessante, quando eu pensei no líder cast, uma das primeiras ideias foi trazer a Daniela aqui pra conversar com a gente né, ensaiamos algumas vezes, de repente eu consegui, eu vou conversar do jeito que eu sempre começo. Quem é você, o que é que você faz sua idade, se você puder dizer que é pra gente poder, o ouvinte aqui se enturmar com quem está ai. Boa tarde, quem é você?

Daniela         Olá. Que prazer estar aqui, que delícia né, esse bate papo e a gente conseguiu ajustas as agendas ai, eu sou Daniela do Lago, eu venho de Santo André, sou do ABC Paulista né, eu sou administradora de empresas, tenho mb na área de marketing, sou mestre em administração com foco em comportamento organizacional, eu venho de uma família de engenheiros, mas todo mundo da área de exatas né, eu fui a única que foi pra área de humanas e sempre eu acho que tem um… negócio no meu DNA né, realmente eu tenho uma paixão por trabalhar com gente, né. Paralela a essa profissão de palestrante, que é uma das atuações que eu mais adoro, eu trabalho com processos de coatching, que é desenvolvimento de competência comportamental que é um bate papo assim como a gente está tendo, só que não é um bate papo qualquer, é um bate papo estruturado, também faço treinamento por todo o Brasil, agora começo a fazer fora do país também né, e escrevo né, eu sou colunista, estou indo pro quinto ano, eu tenho uma coluna no UOL e são todos temas relacionados a comportamento no trabalho né.

Luciano         Lançou um livro agora

Daniela         Lancei um livro agora, que chama Despertar Profissional, esse livro, até que enfim né saiu, e enfim, sou divorciada, não tenho filhos, geralmente minha idade e meu peso eu não informo, mas ok, 35 anos bem vividos né e estamos nessa estrada ai, então na parte de pessoas né, então é o que eu, é minha paixão, sempre eu falo que…

Luciano         Você é dona do seu próprio negócio, você tem a tua empresa?

Daniela         Sim, há 13 anos…

Luciano         Você é uma empreendedora,

Daniela         Exato

Luciano         Há 13 anos.

Daniela         É há 13 anos

Luciano         Antes disso?

Daniela         Antes eu trabalhei numa multinacional, trabalhei em duas multinacionais, eu comecei minha carreira como treinee né, então hoje, por isso que eu falo muito até para os jovens assim, porque eu sei qual o caminho né, fui estagiária, depois eu lutei pra caramba, fui treinee numa grande multinacional alemã e lá eu fiquei por 8 anos né e…

Luciano         Pode falar o nome.

Daniela         A Mercedes trabalhei na Mercedes.

Luciano         Aha, no mercado automotivo

Daniela         Exatamente

Luciano         Eu estou na autopeças, eu vim de lá.

Daniela         É então. Você sabe que como treinee, imagina a Mercedes na época tinha um programa sensacional, eram dois anos de desenvolvimento, eu fui estudar fora do país, eu escolhi o país que eu queria trabalhar, que eu queria estudar e eu escolhi a área que eu queria voltar a trabalhar, foi sensacional, foi do caramba. E assim, quando eu voltei, dois anos depois e tal, a empresa lógico absorveu mas assim, eu tinha um super salário baca….. salário acho que sempre tem espaço pra mais né? Mas eu tinha um bom salário, um bom cargo, mas eu não me sentia plena e satisfeita, até que foi ai que minha carreira começou a mudar realmente, pela primeira vez eu escrevi um texto, eu estava lendo a revista, eu falo que é Contigo dos executivos, estava lendo a Você S/A e lá estava escrito assim: “se você foi treinee, entre no site e nos conte como foi sua experiência” e eu realmente estava super reclamona, eu vivia reclamando daquela…. Onde já se viu, a empresa investiu bastante em mim e eu tenho bastante potencial e ela não quer me absorver, eu reclamava pra caramba, estava super insatisfeita e eu escrevi, eu escrevi um texto e mandei pra revista e a revista gostou, o editor chefe me ligou e perguntou se eu queria fazer uma matéria com aquilo né, então o negócio tomou uma outra proporção e ai que começou é toda essa mudança e eu pedi demissão da empresa, eu fiz um grande planejamento e há 13 anos eu estou nessa… na…

Luciano         Que legal, quer dizer….

Daniela         Na estrada como empreendedora

Luciano         22 anos de idade você tomou a decisão de chutar o pau da barraca e tocar seu próprio negócio.

Daniela         É e ai recomeçar, e ai você tem que realmente fazer um planejamento, planejamento financeiro, ter uma boa visão, saber exatamente o que você quer.

Luciano         Vamos falar disso, vamos falar disso. Vamos ali. você sabe que o programa aqui chama-se Líder Cast, então o pano de fundo do que a gente vai conversar aqui é liderança, mas não necessariamente a gente vai falar da liderança em si, mas a gente não pode perder essa perspectiva, quero dizer, cada exemplo que a gente usar eu quero que você tenha em mente que me interessa saber isso, o que que te move a fazer, como pé que você toma conta da sua vida, como é que você toma decisões e principalmente esse histórico que você tem com outras pessoas, com seus pacientes, digamos assim, de coatching e tudo mais né. E eu vou te colocar algumas coisas que eu percebo acontecendo ai que eu quero ver se você, se você concorda comigo ou discorda, a gente vai ver como é que é. Eu, quando fui lançar meu, meu livro mais recendo que é o “Diário de um Líder” né eu comento logo no lançamento do livro eu digo o seguinte, eu falo “cara, eu fiz uma pequena pesquisa e descobri que nunca na história da humanidade se falou tanto em liderança, se escreveu tanto sobre liderança, se discutiu tanto sobre liderança e o… pelo.. e ao mesmo tempo nunca se teve tanta falta de liderança, então a crise que a gente vive no Brasil é uma crise de falta de liderança, os problemas são problemas de falta de liderança…

Daniela         O governo que a gente tem é falta de liderança…

Luciano         Falta de responsabilidade, falta.. uma incompetência, um negócio brutal, então você olha pra aquilo e fala, mas como assim? Num mundo onde só se discute liderança…

Daniela         Isso, cadê?

Luciano         O grande gap é a liderança ou esta se discutindo errado, ou ninguém está entendendo o que está sendo dito ou as coisas que estão sendo discutidas não são as que realmente interessam né? Isso é que me move a me… me mexer, falo caramba, qual é o nó, que que está acontecendo aqui né? Então eu queria ver como é que você percebe isso ai, esse teu histórico, como é que você tem visto isso ai, conta pra gente.

Daniela         Bacana. Você sabe que liderança é uma das minhas disciplinas, eu sou professora também da Fundação Getúlio Vargas, é uma das minhas disciplinas, trata exclusivamente de liderança. O primeiro aspecto é o seguinte: eu penso que o líder, líder a que a gente se refere, na verdade ele não é só hierarquicamente dizendo numa organização está, então acho que o primeiro ponto. Na medida em que as pessoas buscam a liderança em níveis hierárquicos ai ela começa a se perder, porque o nível hierárquico te dá poder, poder de decisão, você tem maior responsabilidade não necessariamente você está exercendo a liderança…

Luciano         Como se o teu nome naqueles quadrinhos, quando teu nome ta no quadrinho, junto vieram os atributos, botaram meu nome agora tenho atributos, liderança não é uma gravata que alguém te dá, você põe e sai usando né, é uma outra coisa, legal.

Daniela         E sim, ela claro, ela pode ser desenvolvida, né então o significado da liderança em si é você ter seguidores voluntários, tá, então pra você ter um seguidor voluntário você tem que ter um propósito não é? Então você seguir aquele propósito, você acreditar naquela causa e ai, enfim, trabalhar naquela direção, ai você desenvolve um bom líder, se a gente voltar no passado, eu acho que pra gente entender muitas vezes as nossas ações, hoje a gente tem um resquício lá de trás, tem que olhar de certa forma e pra projetar a frente né. O líder era…. vieram dos gregos, era uma profissão, eu sempre  costumo dizer que se eu tivesse uma máquina do tempo, pra onde é que eu iria né, eu não se já pensou sobre essas questões, eu tenho….

Luciano         Meu seriado na televisão, do (confuso) que você nem sonhava em existir, era o Túnel do Tempo, que era um seriado fabuloso, que contava a história, eram dois carinhas que entravam numa máquina do tempo e voltavam no tempo e eu era…. eu cresci, quando moleque, eu parava tudo que eu tinha na vida pra fazer pra assistir aquele negócio e imaginar como seria voltar atrás e a minha leitura inicial foi toda essa, tudo baseado em história, minhas notas maiores da escola eram sempre história porque eu tinha, eu tinha essa coisa, primeiro a curiosidade de saber como é que era, segundo a consciência de saber que as lições tão lá, e pra todo mundo eu falo, todos os problemas que você ta discutindo hoje em dia, não importa se a discussão é sobre a função do ipad na educação, isso já foi discutido por um grego, 3000 anos atrás, já falou sobre isso, já encontrou caminhos..

Daniela         É isso mesmo

Luciano         Já falou sobre isso

Daniela         É, de alguma outra forma

Luciano         Já encontrou caminhos e se você não voltar atrás pra ver essa discussão, você vai começar do zero e vai perder a chance de aproveitar aquilo tudo né?

Daniela         É. E as vezes eu sempre penso sobre isso

Luciano         A importância do passado né.

Daniela         E ai eu tenho uma lista, se você tiver uma máquina do tempo você me convida que eu tenho uma série de lugares e um desses lugares

Luciano         Fala desses lugares

Daniela         Olha, eu iria começar pelos shows, eu ia no show do Queen, eu ia ver o Elvys bem novinho, eu ia ver o show dos Beatles, eu iria ver o Michael Jackson no Triller, eu ia ver a Madona, depois eu ia ver coisas assim, por exemplo, participar de uma revolução com a Joana D’Arc, eu ia ver a crucificação de Jesus Cristo, eu ia ver os discursos em praça pública de Sócrates, naquela época, eu ia conhecer Platão, eu queria uma seção de terapia com Freud, enfim, essas doideiras. Eu falei ai gente, será que todo mundo pensa essas coisas ou é só da minha cabeça?

Luciano         Não mas, isso um gosto, eu iria no Titanic, eu queria ta no Titanic lá no Titanic pra ver como é que era…

Daniela         Pra ver qual é que é, como é que foi.

Luciano         Mas dá pra ir longe

Daniela         Mas enfim, ai voltando os gregos, lá tinha uma profissão chamada  ladan, quem era o ladan, era aquele que ira conhecer o novo território então ele ia antes, depois ele voltava e falava assim: gente, se vocês quiserem conhecer o novo território, me sigam, eu vou levar você num curto espaço de tempo, com menos esforço, então a galera falava: puxa, quero chegar lá naquele lugar, vou seguir esse cara, que era o ladan, e ai, no meio do caminho o ladan levava a galera, a galera viajando tudo em fila indiana e o ladan olhava as pessoas e falava: puxa, esse cara que é o mais forte vou por ele na frente da fila pra ele ir cortando os galhos pra abrir o caminho pra moçada, aha a fulana que é mais alto, deixa ele por último na fila porque eu sei que se eu olhar para ele não tem mais ninguém atrás, então o ladan olhava as pessoas durante a jornada e ai colocava as pessoas certas no lugar certo da fila ta? Essa essência na liderança, nada mudou, se você pensar bem, até hoje né? O que que é hoje? O líder tem que levar todo mundo pra alcançar uma meta e no meio do caminho ele coloca os jogadores certos pra jogar na posição certa, então nada mudou à cerca da liderança, então mais uma vez: Quem é esse cara? Esse cara não é, ele não tem que ser um cara carismático, tem que saber literalmente o que ele quer e pra chegar e levar as pessoas até lá, então como é que a gente leva isso? Com um propósito, quando você para tudo e você olha pra dentro, então isso muitas vezes…  e quando você tem realmente esse propósito, ai você gera o poder genuíno e não o poder que lhe é atribuído, como hierarquicamente nas organizações, então eu vejo hoje um erro, porque muitas pessoas nascem presas…. e eu que lido muito com essa realidade empresarial, nas organizações a pessoa que é muito boa tecnicamente, ela é promovida a líder daquela moçada e ela não foi preparada pra aquilo, porque não necessariamente aquele líder, daquela turma ele tem que ser o melhor técnico, ou aquela melhor pessoa que exerce a habilidade daquele trabalho em si, então esse é um grande erro, ai você perdeu um excelente técnico, ganhou um péssimo líder né, e ai que geral todos os problemas né, ai eu recebo esse cara, porque esse cara ele foi, ele tem uma crença de que realmente, primeiro, ser um líder vai numa organização ocupar uma posição de diretor presidente representa o sucesso que não é pra todo mundo, o sucesso pra mim é uma coisa, pra você é outra, então tem que a ver com os seus valores internos né, então o cara acha que é isso, ele luta pra caramba pra ter…. e alcança, ai quando ele alcança ele vê que não era nada daquilo que ele queria só que ele está com uma bucha na mão…

Luciano         E de repente ele tem que… ele está sendo cobrado por atributos que ele não tem

Daniela         É lógico, ele não tem

Luciano         Ele ta tendo que lidar com problemas que ele desconhece e se ele não for um cara esperto, ele não vai ter gente em volta dele que o ajude a suprir essas deficiências dele, vai ter uma equipe de gente possivelmente pior do que ele porque qualquer um que aparecer ali com a asinha de fora ele vai se sentir ameaçado e tudo o mais

Daniela         Então, ai você entra num círculo vicioso

Luciano         E como você leva essa discussão, sai de dentro da empresa e vai pra política né, eu acho que isso vai pra um…. isso se multiplica muito mais, se na empresa o sujeito pra ficar ali dentro e manter o trabalho dele, ele tem que ter um desempenho, ele é medido, se o desempenho dele for ruim ele é mandado embora né? Se ele não tiver competência pra fazer, ele vai pra rua, na política não, o cara é eleito, vai pra lá e não importa se ele tem competência ou não, ele fica lá né? E ai esse cara vai ganhando tempo vai ficando, vai aprendendo a lidar com as pessoas e vai subir e de repente você tem no ministério o sujeito que não tem a menor ideia do que se trata aquilo comandando um processo e ai muito prazer…

Daniela         Exercendo muito poder sobre as pessoas

Luciano         Brasil etc e tal né? O que volta aquela minha questão inicial pra você, quer dizer, nunca se esteve tanta falta de liderança num mundo onde só se fala em liderança. O que está acontecendo, nós estamos falando errado ou quem está sendo treinado não tem estofo para entender o que está sendo dito. Esse conhecimento que a gente adquiriu no mundo sobre liderança, não pode ser passado para as pessoas da forma…. O que você acha? Onde você acha que está pegando?

Daniela         Eu tenho um outro olhar sobre isso tudo. Eu penso que as pessoas competentes, elas estão lutando a duras penas para sobreviver nesse mercado e principalmente, no mercado hoje que é o mercado brasileiro né? Então a gente se rasga para realmente conseguir ter uma vida decente e adequada. Dá para conceber que o Brasil é a sétima potência mundial e existe tanta pobreza sabe, é uma alienação geral. Ai o que acontece? Esse cara que é competente realmente, ele sabe o que é moral, ele sabe o que é ético, sabe o que é certo e o que é errado em termos de leis e conduta, ele vai exatamente para o lugar em que a competitividade lhe dá o caminho, então vece quem é o melhor, então ele é competente para isso, quando a gente vai para o caminho da política, você tem outras competências que não tem nada que ver com aquilo, quanto mais você faz indica que você vai se dar melhor. Não.

Luciano         Quanto mais competente você for …

Daniela         Não, é quem conhece quem e tal e não sei o que.

Luciano         É um outro jogo né?

Daniela         É um outro jogo, então eu olho hoje que infelizmente essas pessoas todas competentes, elas estão fora do jogo porque elas não aguentam, elas não aguentam tamanha jogar esse tipo de jogo, entendeu? Esse jogo muitas vezes que a maior parte das vezes ele não é justo

Luciano         Que não é meritocrático né?

Daniela         Exato, ele não é justo

Luciano         Não é pelo mérito.

Daniela         Ai o que acontece? Os que não são competentes vão para esse mercado, porque nesse mercado eles conseguem ter um êxito que no mundo corporativo talvez eles não teriam, tá? E o que acontece? A gente acaba sofrendo, Platão disse isso há muito tempo atrás, quando os bons não se envolvem pessoalmente com as leis, não é, a política, você sofre nas mãos dos ruins, entendeu? Dos maus que é….

Luciano         Eu provoco o pessoal, as vezes eu falo assim, você vem aqui, fica reclamando que o Renan Calheiros está sentado lá pintando e bordando, ele só está sentado naquela cadeira porque você não ocupou o espaço que está lá.

Daniela         É isso mesmo…

Luciano         Você não quis ir, a cadeira estava lá, ele foi né, e como ele tem mais um monte, e a turma costuma olhar e dizer o seguinte, cara, são 500 picaretas, eu não vou me meter lá, vão continuar lá, vão continuar pintando e bordando. Mas vamos trazer de volta esse assunto para dentro do universo corporativo que é aquele profissional que nos interessa aqui, quer dizer, eu vou tirar um pouco dessa questão dessa política para vir para dentro da política corporativa, política no mundo dos negócios né. Repetindo uma coisa que eu sempre digo para a turma também, que é política não é ruim, política é um negócio fantástico né…

Daniela         É muito legal.

Luciano         Politica é a cola que mantém a sociedade andando junto né? É a política que nos ensina onde aplicar recursos, é a política que nos indica quem é que a gente vai seguir, é a política que define o que vai ser feito, por quem. Quer dizer, sem política não existe nada…

Daniela         E olha que delícia, o que eu mais gosto na política genuína em si é a divergência de ideias, então por exemplo, é o que a gente fala, esquerda direita, obrigatoriamente você tem que ter lados opostos, não para se matarem, e sim para literalmente enxergar o outro lado…

Luciano         Construir alguma coisa

Daniela         A humanidade só cresce através disso que é o que a gente chama de conflito, não confronto, o que a gente tem hoje é confronto né, então se você não pensar como eu, tem um confronto e tal, mata o outro né, isso não é política, política é uma outra coisa.

Luciano         Considerando que essa política é uma coisa boa e ela é necessária, quer dizer, você, quando negocia com o seu irmão quem é que vai pegar o carro do pai, da mãe pra sair nesse final de semana, é política,  essa negociação é uma negociação política né, até porque eu sou mais velho ele é mais novo, então tem.. quando escuto que o meu pai em casa é política, tudo isso é política né. E no mundo empresarial também é, então se eu quiser um dia assumir qualquer posição de liderança, eu tenho que entender que existe um componente político gigantesco que tem que fazer parte do meu dia a dia, ou seja, sendo um excelente técnico, sendo o maior manipulador de coluna, de planilhas Excel do planeta, é pouco para quem quiser  exercer liderança sobre algum tema, além disso eu tenho que ter competências que não me ensinaram na escola, eu não tive aula de liderança em lugar nenhum, ninguém ensina a ser líder, ninguém me ensina a ter ascendência sobre as pessoas, me ensinam algumas ferramentas, vou te dar uma aula de negociação, vou te dar uma aula de como é que você prioriza as coisas economicamente, mas não existe aula de bom senso né, não tem aula de ética…

Daniela         Deveria, é exato, deveria

Luciano         Essas coisas não existem né, e como é que, será que não é esse o grande gap que existe nesse processo que eu coloquei logo no início, se discute muito, se aplica pouco. Não será esse o grande…

Daniela         Pode ser, pode ser, eu, por exemplo, eu tive na minha aula, na minha infância, Educação Moral e Cívica , hoje não existe mais isso.

Luciano         Se você disser que vai coloca é escorraçado, é piada, é motivo de piada.

Daniela         É, mas olha, você vendo no fruto de uma educação, eu penso que a raiz disso tudo está na educação, eu penso realmente que os fatores da competência em si, da liderança, deveria ser ensinada na primeira série do primeiro grau, porque q liderança se dá para você tomar as rédeas da sua própria vida, da sua própria carreira, do que realmente você quer para você, você imagina como seria o mundo, como seria todas as empresas se as pessoas escolhessem, de verdade, trabalhar naquele bisness e não fosse refém das organizações, porque hoje o que acontece, a maior parte das pessoas são reféns do sistema, elas entram numa empresa tal, ficam descontentes com aquilo, usam uma válvula de escape qualquer, que é através da grana, entrou num monte de dívida para comprar coisas e não pode mais sair daquele negócio, enfim. E ai, ou seja, ela não tem outro caminho a não ser reclamar, então eu vejo…

Luciano         Isso quando não tem como num sonho, prestar  um concurso, para arruma um emprego vitalício, numa organização…

Daniela         Nossa, você não imagina quanto eu falo isso, falo gente, não existe essa segurança, isto não existe, tanto é verdade que agora este ano a Caixa Econômica Federal vai ser privatizada, então assim, são 110, a A Caixa Econômica pe inha cliente também, 110 mil colaboradores começa a ficar esperto, ai porque não vai mais absorvere toda essa moçada, então assim, não existe essa tal segurança, a única segurança que você tem é em você e é isso que eu chamo da essência da liderança, então a liderança está primeiro em você, você toma as rédeas, ser responsável por suas ações, as consequências que elas vão gerar e você realmente ser o melhor que você pode ser nesse período de vida que lhe resta e se hoje a gente vê… o que eu acredito fortemente é que se hoje eu vivo numa era em que se tem uma série de facilidades, é porque lá atrás alguém escolheu fazer a diferença, então eu tenho duas escolhas, ou realmente eu faço a diferença nesse negócio para repassar para a frente, deixar um negócio diferente para as outras pessoas que virão, ou simplesmente escolho não fazer nada, eu também tenho essa opção, agora tem gente que escolhe ter opção de atrapalhar a vida alheia né, ai…

Luciano         Faço e não deixo fazer.

Daniela         É, ai piora

Luciano         Esse é o pior dos líderes, é aquele que, eu cai aqui nesse lugar, não sei direito como, porque eu estou aqui a x anos então eu conquistei essa oportunidade de estar aqui e aqui eu estou dando ordens, eu não faço e não deixo fazer, eu sempre digo (confuso), falo cara, o pior inimigo que você pode ter na sua vida é o chefe pocotó né. Pocotó no meu conceito antigo né, é um chefe pocotó, porque esse cara vai te destruir, se você descobrir que em cima de você tem um sujeito que não te deixa crescer, ele não te instiga, cai fora,

Daniela         É, é isso mesmo

Luciano         Muda de área, muda de empresa, muda de cidade, muda de país, mas não fica embaixo porque esse é o cara que vai te puxar para baixo né. Eu quero estar grudado num rojão, um cara que suba e que me leve junto, então é

Daniela         E outra, as coisas giram, entendeu, são ciclos.

Luciano         Eu posso escolher, há uma escolha nesse processo todo…

Daniela         Sempre, sempre

Luciano         Você tem… (confuso) então a pessoa diz, aha, mas eu não posso fazer nada, tem que pagar minhas contas etc e tal, então virei aquele refém que você falou

Daniela         É isso mesmo, é o círculo vicioso

Luciano         Se eu me conformar com isso, virou refém né.

Daniela         E dai que eu acho realmente que é a grande sacada, a maior parte das pessoas, hoje, são reféns, então elas se colocam numa situação que é assim, eu estou esperando um salvador, entendeu? E fica todo mundo esperando outro, só que…

Luciano         Bem brasileiro isso

Daniela         E salvador não virá, entendeu? Não virá, então é você, você tem que fazer a sua parte sabe, então se cada um fizer a tua, o todo vai. Eu acho, Luciano, que é, eu acho que é por isso que eu não fui embora desse país ainda né, eu fico muito insatisfeita, eu falo, eu não sei, eu tenho uum ideal de que realmente eu tenho um papel social nas minhas aulas, principalmente, eu tenho uma campanha que eu falo, eu quero que um aluno meu do MBA seja candidato à presidência da república que eu vou apoiar este cara, eu falo isso no país todo, há 8 anos que eu dou aula, então assim, mas eu penso que eu tenho nas minhas discussões em sala de aula, nas palestras que a gente vai, então, essa provocação, essa reflexão para que essa pessoa saia de lá e fale na casa dele e ecoe esse negócio, então, mas é um trabalho de formiguinha, mas eu falo, eu amo esse país e vejo grande potencial então o que as pessoas precisam  literalmente acordar

Luciano         Mas Daniela, eu tão pobrezinho aqui, quem sou eu coitadinho, que estudei nesse paizinho, tirei meu diplominha, sou igual a todo mundo que está ai, vivendo essa minha vidinha, nesse meu trabalhozinho, com esse meu salariozinho aqui respondendo pra esse meu chefe, que é um tirano que me manda, pinta e borda, quem sou eu, para querer poder achar que eu tenho força, para exercitar isso ai, coitado de mim… gemidos…

Daniela         É a síndrome do cachorro vira lata não é, o brasileiro tem essa síndrome né, então, de achar que realmente nesse país o que que ele vende esse país, infelizmente vende corpo né, então, vende-se o corpo, vende-se… quem conhece quem vende a facilidade, as pessoas querem é o ser vip né, então você não quer pagar por aquilo, você não quer, mas você quer ter uma sensação de que realmente você está levando uma vantagem nisso. Enquanto a gente tiver essa cultura impregnada, maldita, se você não entender que realmente você precisa pagar o seu imposto, eu pago todos os meus, eu não sou contra pagar imposto não, eu sou contra a gente não ter, não conseguir brigar realmente por esse retorno que é o que a gente paga, entendeu? Então assim, eu sou contra essa, literalmente é uma alienação de massa, isso muito me preocupa.

Luciano         E eu acho que tem uma outra coisa interessante, que tem muito a ver com essa cultura do brasileiro que é o seguinte: o brasileiro não pode ver uma autoridade que ele cai de joelho né? Apareceu alguém com um título como autoridade ele cai de joelho na hora, ele fica na frente, senhor, senhor poderoso, quer dizer, parece que a gente tem uma coisa de, o título hierárquico impõe um respeito tão grande que a gente…. quem sou eu para reclamar…

Daniela         Para discutir, para falar, falar olha…

Luciano         Quem sou eu para discutir com esse vereador, com esse fulano, quem sou eu para discutir, porque afinal de cotas é uma autoridade né, se o padre está na minha frente é uma autoridade, quer dizer, essas figuras, isso é uma coisa histórica que vem de muito tempo, eu acho que tem tudo a a ver com a forma como o Brasil foi construído né e que impede muita gente de entender a força que tem de colocar sua opinião, de fazer a coisa pintar e bordar né?

Daniela         E de dizer não muitas vezes entendeu? Para não entrar nesse sistema, eu olho, por exemplo, eu vejo que as novelas hoje no país, ditam regra, ditam moda né, as pessoas, os diálogos entre as pessoas né, eu como escritora eu adoro uma novelinha, eu adoro uma história, porque eu gosto pessoalmente dos enredos, a luta entre o bem e o mal, se você reparar bem, nos últimos anos, quase que eu não acompanho, mas eu gosto de ler a sinopse por completo, você não tem mais no Brasil a luta entre o bem e o mal, só existe o mal né, então vende-se isso

Luciano         É, e que é tudo relativo né, tem um relativismo terrível

Daniela         E vão além, entendeu? O núcleo rico, o ser rico, quem tem a grana e tal é sempre o núcleo chato ou quem é o mau caráter

Luciano         Que é a história, é a nossa história…

Daniela         O núcleo legal é sempre a galera que é na fevela, mas é comunidade, entendeu?

Luciano         O rico mau e o pobrezinho bom. O rico é o mau exemplo e explorador…

Daniela         Confunde-se humildade, entendeu, com pobreza. Eu conheço vários pobres que passam longe da humildade, conheço vários ricos milionários, que são extremamente humildes, então assim, enquanto a gente ainda esbarrar nestas questões, sabe, você realmente não vai atrair o que é melhor para você

Luciano         Isso piorou muito né, que nos últimos tempos isso vem sendo forçado, quer dizer, esse conflito de classes, de homem contra mulher, o índio contra o, “civilizado”, isso vem sendo implementado porque faz parte de uma ideologia né, que esse interesse de que haja um conflito, não é bom que a gente se entenda né, não é bom que a gente esteja em harmonia, não é bom que eu tire uma… que eu goze da sua cara e você ria da gozação e me devolva a piada né, isso não é bom, é bom que você fique horrorizada, é bom que você se coloque numa posição de vítima…

Daniela         que exclua, que não… e eu não vou ouvir, é…

Luciano         …porque ai você pode vir pra cima de mim e nesse conflito todo existem grupos que vão sair: eu sou o salvador da pátria…

Daniela         Isso é uma minoria entendeu? Uma minoria que manipula a grande massa e ai…

Luciano         Isso vem acontecendo né? Mas vamos voltar ao nosso trilho aqui, Daniela, a gente não quer sair do trilho da liderança, mas eu quero explorar um pouquinho mais esse teu lado ai de estar trabalhando coaching nas empresas e tudo o mais né. Me fala um pouco desse seu lado ai do coaching né, esse termo coaching é uma coisa que entrou na moda não faz muito tempo, faz pouco tempo né?

Daniela         Tem uns 3 anos, deu um boom no Brasil…

Luciano         Com esse nome né, com esse nome do coaching né e foi uma coisa interessante porque de repente surgiu o coaching para todo o lado, quer dizer, todo mundo achou que podia fazer essa experiência adiante né. Eu não vejo muita diferença nisso da questão do mentor, quer dizer, o coaching nada mais é do que o mentor mas diferente de um mentor que é aquele conceito de que é alguém que tem muita experiência, é a quem eu me aproximo para seguir aquilo como um modelo, ou seja, eu escolho o meu mentor, no caso do coaching é alguém que eu contrato para vir me dar alguns insights e não necessariamente essa pessoa tem que ser mais experiente que eu, eu posso ter 60 anos de idade ainda trabalhando e ter uma mentora de 35 anos, um coaching de 35 anos de idade né. Como é que é essa questão, esse trabalho todo do coaching pode ajudar nessa, de novo, naquela dicotomia do nunca se discutiu tanta liderança, nunca se aplicou tant liderança, o que está faltando nomeio? É o coaching?

Daniela         Olha, o coaching pode ajudar sim né, o que é o coaching? Ele é o desenvolvimento de uma competência comportamental, então a pessoa para fazer um processo de coaching ela tem que ter uma formação nisso né, então teve um boom no Brasil, ai um monte de gente fala aha, eu bato um bom papo, vou fazer processo de coaching, não, não é assim, ele é ferramental , né, então para entender, um resumão, são 10 encontros, são 10 seções semanais de uma hora, uma hora e meia ada encontro e ai a gente vai rever, vamos olhar realmente os seus valores, seus objetivos, o que realmente você quer para o futuro porque não necessariamente aquilo que você quer é realmente o que você quer, exemplo: para você fazer um processo do coaching você tem que ter uma meta estratégica, fala, aha eu quero atingir o meu primeiro milhão de reais, é uma meta estratégica, não depende só de você. Eu quero ser presidente da minha empresa em 5 anos, é uma meta estratégica, não depende só de você. O que a gente trabalha no processo do coaching? É a meta comportamental, por que raios você não é presidente ainda da empresa hoje? O que te falta? Então a gente começa a questionar isso, então é literalmente um processo de questionamento para rever e você ter certeza das coisas que você quer e traçar um plano de ação no meio do caminho. Um bom paralelo.

Luciano         Tem uma postura proativa que você está colocando ai que é na pessoa que quer o coaching, que é um negócio interessante ai que eu vejo uma falta muito grande ai que talvez seja o grande elemento revelador, eu vou fazer uma comparação aqui que não é, talvez não seja justa, mas acho que é legal para a gente poder entender melhor aqui né. Eu tenho dor na coluna, minha coluna é um saco, me tira da cama, eu acordo com dor na coluna etc e tal. Então eu preciso resolver o problema de dor na coluna, eu vou procurar um médico que vai sentar comigo, vai perguntar o que eu tenho, eu falo que tenho dor de coluna, quero que minha coluna pare de doer e ai esse médico vai fazer comigo algumas seções, vai fazer RPG etc e tal, aquilo me alivia a dor e eu resolvi, então esse éo exemplo né. Eu procurei esse médico com um sintoma e que foi lá e me resolveu o sintoma, essa  é uma posição. A outra posição é chegar no médico e falar assim, doutor eu tenho 50 anos de idade e eu quero, aos 80 anos de idade, estar bem de vida, correndo uma maratona, eu quero estar super bem, eu não quero ter dor em lugar nenhum do corpo é isso que eu vim fazer aqui, me ajuda. É diferente de eu ir lá resolver a dor na coluna, eu estou indo com uma postura muito mais lá na frente, então ele não vai me dar 10 seções de fisioterapia para eu curar a dor da coluna, ele vai me montar um cenário e daqui….

Daniela         Traça um plano, é.

Luciano         … essa é a visão daqui a 30 anos eu quero estar vbem é uma visão estratégica. A visão do “eu quero tirar a minha dor na coluna” é uma visão tática, digamos assim né, então eu vejo muito esse problema acontecer, quer dizer, o cara fala, eu não sei falar em público então vou procurar um coaching que eu preciso falar melhor em público, legal, só que isso é um pequeno atributo que não está resolvendo o teu problema estratégico né? Talvez o teu problema não seja esse, não é não saber falar em público, é você é uma pessoa insegura, você não tem conhecimento, la la la, esse é o papel do coaching, quer dizer, ele é muito maior do que uma função…

Daniela         Aa pessoas procurar para os dois exemplo né, que você abordou aqui, tanto para quem quer alguma coisa e tal ou quando alguém fala, aha eu estou precisando disso para ontem, a água já bateu né, agora eu preciso resolver esse negócio, só que o papel do coaching é exatamente você ampliar esse negócio, ir direto onde está realmente aquele problema, porque não necessariamente e é aquilo e vou além, quantas pessoas chegam para fazer processo do coaching, falando assim, eu quero mudar de empresa que eu não aguento mais, ai a gente vai ver que a pessoa está com a lupa errada sobre aquilo, ou ela tem uma expectativa irreal a cerca do que é o mercado de trabalho sabe, assim aquela, hoje a gente vive numa era da… todo mundo tem que ser extremamente satisfeito com trabalho, a todo momento né…

Luciano         Quantas pessoas você conhece que saíram da empresa, trabalharam em 3, 4, 5 empresas e você encontra a pessoa depois e ela fala, cara, que saudade …

Daniela         Isso, eu era feliz e não sabia…

Luciano         Como era bom aquilo…

Daniela         É, eu era feliz e não sabia. É terrível, então assim, o processo do coaching ele visa exatamente você alinhar e acordar realmente a pessoa ou para ela, trazê-la para aquela realidade, ou simplesmente traçar com ela um plano de ação para o que realmente ela deseja, então é para todo mundo o processo do coaching? Não. Como é que eu sei que eu estou numa fase de que realmente eu preciso desse negócio? Eu falo, quando você está naquele período do será que? Você já pagou tuas contas essenciais, fala será que? Você acordou de repente, você tem 7 anos naquela empresa, fala será que eu estou na empresa certa? Será que é hora de eu sair fora? Será que é hora de eu pedir um aumento? Será que é hora de abrir meu próprio negócio? Será que? Quando você está num momento de será que, pode ser que o processo do coaching seja para você. Como é que a gente sabe? Todo e qualquer profissional que tem realmente uma formação antes de fechar qualquer coisa contigo ele vai te passar um questionário para você responder e ai a pessoa vai analisar se realmente o processo do coaching é para você ou não, porque não é gostosinho o processo, todo mundo fala, ai que delícia fazer coaching, não…

Luciano         Se não doer, por exemplo, se o RPG não me doer, não me deixar confortável, ele não funciona né, me diga uma coisa, tem uma faixa etário para ser objeto do coaching ou não, eu posso querer um coaching com 20 anos de idade?

Daniela         Pode, pode, eu atendo bastante e literalmente em meu foco exclusivo carreira, então geralmente nessa idade são as pessoas assim, aha eu não sei que que eu quero como profissão e tal, ainda na escolha, muitas vezes até da própria faculdade, tem essa linha né, são poucos ainda tá? E a maior parte é exatamente naquele momento, com 30 trinta e poucos anos então fala, que que eu quero? Então você já alcançou os primeiros objetivos de vida e ai você quer novos patamares e ai geralmente… mas não tem. E já peguei também pessoas na fase eu quero me aposentar agora, preciso de um novo rumo, o que que eu vou fazer depois que eu sair dessa empresa e tal?

Luciano         Que legal, interessante isso. Quem paga o coaching?

Daniela         Eu gosto quando a pessoa paga, sabe por que? Porque ela tem um compromisso, porque o processo vai doer. Uma boa analogia para a gente entender  o processo do coaching, é como se fosse na academia né, academia de ginástica tal, então vamos supor que a sua vida toda você foi na academia de ginástica, então você correu na esteira porque é o que você curte fazer e tal, só que chega um determinado momento da sua vida, você quer levantar 100 quilos, ai você se dá conta de que o músculo que você tem desenvolvido, que é o da perna, porque você correu a vida toda, não vai fazer você levantar 100 quilos, ai você fala, putz, aquele exercício que você fugiu a vida inteira, você fala agora vou ter que fazer porque eu quero levantar os 100 quilos, é a sua meta estratégica. Para te ajudar, você contrata um personal trainer, a figura do personal trainer é a figura do profissional de coaching, então o personal chega para você e fala assim, que que você quer, qual sua meta? Ele fala, então o músculo certo é tal e essa semana eu quero que você faça, puxa tantos exercícios, você pode contratar o melhor personal do mundo, se você não fizer os exercícios, o seu músculo não vai ser desenvolvido, da mesma forma o processo do coaching. Então quando a gente vai na academia as primeiras semanas não dói? Você vai puxar, dói. Coaching também dói. Até a primeira semana dói, a segunda doi pra caramba, a terceira você xinga a pessoa, a quarta você odeia, a quinta semana já não dói, o músculo começa a despontar você fica animado. Por isso que a gente fala que é um processo, ai quando chega…

Luciano         Tem o resultado, o resultado te leva a fazer mais e etc e tal

Daniela         Mas é um processo de parceria né, tipo parceria. Então não é para todo mundo.

Luciano         Envolve também um grau de confiança gigantesco né, que se você não tiver confiança no coaching…

Daniela         Exatamente, porque vai chegar o momento que você não está enxergando e está tudo com fumaça e você tem que confiar que o coaching vai segurar e falar, vai, dá um passo a frente que….

Luciano         E aceitar que você vai ouvir coisas que você não gosta de ouvir…

Daniela         É o que você precisa ouvir…

Luciano         Você vai olhar no espelho que não vai mostrar…

Daniela         Eu sou muito clara, eu falo isso, eu falo olha, as pessoas falam, ai que delícia, vou fazer coaching com você, eu falo olha, já aviso, falo no meio do processo você vai me odiar, depois você vai me amar, se assim você escolher caminhar comigo nessa estrada, então por isso que eu gosto quando a pessoa paga, ela fala, eu estou pagando, então agora eu vou né. Quando a empresa está pagando, de repente, nesse momento…

Luciano         É uma obrigação, um saco…

Daniela         Ele fala eu não vou fazer tanto, não vou fazer o exercício, igual quando você paga a academia 6 meses e não vai né, e ai não rola. Então basicamente é assim que funciona o processo do coaching.

Luciano         Vamos ao merchan então, seção do merchan, me fala do teu livro. O que que te levou a parir um livro? O que que você decidiu, eu quero que você tire de fora o aspecto marqueteiro mercadológico etc e tal de que é ter um nome Daniela do Lago na capa de um livro e mostrar para todo mundo que eu tenho um livro. Tira isso fora. Eu sei que dentro tem uma outra coisinha que te força e cara eu quero escrever um livro, O que que te levou a….

Daniela         Olha, o livro, ele te abre… quando eu comecei na escrita em si, eu falei puxa, eu comecei a atingir pessoas fora do Brasil que eu falei, puxa vida, é possível você ecoar uma mensagem que é um propósito né, que é literalmente propósito, eu vejo que o meu propósito é esse, eu tenho uma linguagem muito simples, muito clara, muito direta e objetiva, nem sei fazer diferente e não foi a toa, eu não sei escrever de uma outra forma né, então foi nesse sentido do despertar realmente, descrever algo e deixar algo para posteridade né, então foi isso, então a concepção desse livro, que chama “Despertar Profissional” ele tem pilulazinhas né, então são capítulos bem curtinhos para o cara ir direto naquela dica né, dica prática e imediatamente aplicável, é a forma como eu atuo, que é a forma que eu acredito, como professora eu adorava ver um professor meu conseguir traduzir aquela teoria para a prática, gerar essa ponte entre o ideal da teoria com o real da prática e muitos professores não conseguiram fazer isso, eu falava não é possível, eu acho… desde que eu nasci, as minhas brincadeira de criança eu era professora, sempre, eu nunca brinquei de casinha, de boneca e tal, eu era professora né, sempre quise ser a professora, estava lá na frente, eu era repórter né, então ai eu falava, gente, eu preciso fazer isso, então eu estudava dessa forma, falava não, essa teoria quer dizer assim, assim assim ó, ai o professor falava ó, é desse jeito na prática? Eu falei puxa é, é isso né…

Luciano         Sabe que eu… o Olavo de Carvalho, que é odiado, é espezinhado, ele disse algumas coisas que são muito legais e uma delas que ele diz que não sai da minha cabeça é o seguinte, ele diz o seguinte, “eu só tenho certeza que eu aprendi alguma coisa quando eu consigo encontrar um exemplo para ela, se eu conseguir transformar aquilo num exemplo prático, eu aprendi aquilo, enquanto eu não conseguir eu não aprendi ainda” né, e é fantástico isso né, quer dizer, e você então com essa ideia resolveu botar no papel essa coisa…

Daniela         Colocar no papel, é…

Luciano         Ta. Como é que você imagina o seguinte, aquele exemplo que você colocou no papel que funcionou com a+b deu c, funcionou para Daniela, na situação x, de baixo da pressão y. E agora eu tenho Osvaldo na situação h devaixo da pressão b com uma receita que a Daniela teve.. como é que é isso ai, será que vaio dar certo para ele? Ele não é bonito que nem você, ele não tem esse cabelo, ele não tem esse sorriso, ele é feio, ele é homem, ele está noutra, como é que ele vai pegar aquela receita que você colocou ali e aplicar? Como é que você lida com isso?

Daniela         Então, eu trato de comportamento né, então quando a gente fala de gente, comportamento, principalmente no ambiente corporativo mudam os estados, mudam as empresas, os segmentos dos produtos, mas em termos de comportamento os problemas se repetem, é enlouquecedor né, então em termos comportamentais em si, pela essência você consegue aplicar em qualquer área, em….

Luciano         Não importa quem está lá né?

Daniela         Não importa quem está lá.

Luciano         Outro dia fui fazer palestra para PM em São Paulo, para a Polícia Militar era durante o dia, em horário de expediente deles e era um evento em que eles reuniam o pessoal ali para fazer primeiro um bate papo, depois tinha uma premiação e tudo mais e eu cheguei no lugar e tinha na plateia 300 policiais militares fardados e armados e a minha palestra chama-se gente nutritiva, vê se pode uma coisa dessa, e eu abri a palestra exatamente assim falei olha é a primeira vez que eu subo aqui para falar para 300 caras armados e fardados né, que plateia é essa? Então falo qual é o exercício que eu fiz? Para mim vocês estão todos nus, está todo mundo pelado né porque, tirando essa farda e essa arma, vocês são iguai a qualquer outra pessoa, vocês tem medo, tem fome, amam, sofrem, tem ambições e etc e tal, no fundo no fundo a tua reação vai ser muito parecida, até o ponto em que ela vai atingir coisas que a lei te da possibilidade de fazer que eu não posso, eu não posso dar um tiro numa pessoa, o policial…

Daniela         Numa situação, ele deve

Luciano         se precisar ele pode dar esse tiro né, ele tem autoridade, ele pode prender alguém coisa que eu não posso, mas até ali ele é um ser humano normal né. então

Daniela         Somos humanos, exatamente.

Luciano         Então eu te fiz essa provocação porque quando você falou da questão dos exemplo né, isso tem uma cara daqueles negócios de auto ajuda né, eu estou com um escrevendo fórmulas para você aplicar na sua vida que vão, não tem po, não tem fórmulas…

Daniela         Não tem, cada caso é um caso.

Luciano         Eu tenho exemplos. Eu tenho descrição de situações em que aconteceu uma coisa que talvez seja parecida como que está acontecendo com você e para o meu caso foi assim…

Daniela         Deu certo assim.

Luciano         Funcionou né? É um exemplo que vai ajudar você a concorrer (confuso) será que no meu caso funcionaria assim? Ou no caso dele funcionou porque ele tinha um chefe que pelo que ele descreveu, o chefe era brilhante, era um cara muito legal, o meu é uma mula, se eu usar esse argumento com essa mula não vai dar certo né, mas ler aquela história toda te ajuda…

Daniela         Te abre horizontes…

Luciano         Te ajuda a compor… exatamente.

Daniela         A idéia é sempre essa , eu gosto de dar dicas né, e são dicas muito abrangentes, muito abertas, até porque não dá para fazer um how t0 entendeu? Faça isso assim, porque ai você vai nos mínimos detalhes, não é ferramental, não tem como ser né, algumas coisas até dá, eu sempre busco isso, mas outras, na maior parte não dá.

Luciano         Como chama o livro?

Daniela         Despertar Profissional.

Luciano         E ai, o que tem nele?

Daniela         Ele tem 53 capítulos né, são 53 semanas no ano e ai ele foi concebino numa sequência lógica da vida corporativa, então ele começa asism, como é que eu busco um trabalho? Como é que eu monto um currículo? Fui na entrevista, como é que eu me comporto lá na entrevista? Passei no empresa, ai você tem os dilemas do dia a dia, fofoca no trabalho, colega invejoso, cara desorganizado, é hora de eu pedir aumento, é hora de eu sair fora, até fui demitido ou me aposentei ano sabático, então…

Luciano         Quer dizer, é um ciclo todo que pega a carreira profissional, então ele não é um livro feito para a molecada de 18 anos, 19 anos, 20 anos de idade…

Daniela         Não, até é, por causa do início né…

Luciano         Não, eu digo o seguinte, não é com foco nesse cara….

Daniela         Não, não….

Luciano         Não… O teu target é profissionais, gente que está trabalhando.

Daniela         Profissionais

Luciano         Que quer trabalhar, que esta começando, que já está lá no meio

Daniela         Até porque habilidade comportamental não tem nada que ver com idade cronológica, eu conheço várias pessoas com idade cronológica avançada, são extremamente imaturas em termos comportamentais na empresa, conheço vários, e também não tem nada que ver com experiência profissional, conheço vários jovens, não tem sequer uma experiência profissional, são extremamente maduros em termos comportamentais.

Luciano         Isso tem a ver com cultura né?

Daniela         É… tem a ver com escolha, tem a ver com escolha, então você, por isso que eu falo, habilidade técnica comportamental a técnica te faz chegar, ela é muito importante, as pessoas tem que estudar, tem que fazer curso, ela tem que ter, seguir nessa…

Luciano         As habilidades né, as habilidades sim…

Daniela         Então a pessoa chegou na emprea segundo habilidade técnica, alguém analisou o currículo falou, formado em tal coisa, fala tal idioma, sabe tal curso, tem certificação em não sei o que, o que fez a pessoa passar na entrevista, permanecer na empresa, ser promovido e até mesmo demitido, não foi habilidade técnica e sim habilidade comportamental.

Luciano         Nunca é né, se você for fazer um exame de quem, quando a pessoa é mandada embora né…

Daniela         Então, é…

Luciano         Quantos são mandados embora por incompetência técnica, é a minoria né, a maioria é comportamental. E ai você falou uma coisa logo no começo ai, que você estava contando a tua história lá na Mercedes né, que de repente você está lá como trainee, você escolhe o lugar que você vai, vai para fora do país, o Dani que sorte hein, quanta sorte você tem né, você cansou de ouvir. Como assim sorte cara?

Daniela         Quanto mais eu trabalho, mais sorte eu tenho.

Luciano         E eu costumo definir sorte assim, sorte nada mais é do que uma.. é uma mistura, é preparo com oportunidade então eu me preparei né, eu aprendi a falar um segundo idioma, eu sei falar inglês, portanto se surgir a oportunidade de sair do país eu estou pronto né, eu aprendi a lidar com computador, se surgir eu estou pronto, então se você não tiver o preparo a oportunidade não vai nem aparecer porque você nem se elege para ela né?

Daniela         É isso mesmo, você não consegue enxergar…

Luciano         Você não consegue nem vê-la, então essa questão do que o sujeito deu sorte, não cara, o sujeito enxergou oportunidade porque ele se preparou para chegar naquela posição, naquele ponto e nesse momento ele está exercendo a questão de ser líder da sua própria vida né. E vamos desmontar um outro questão (na gravação está assim mesmo: outro questão) eu sou pobre, eu não tive oportunidade, eu não escolhi, eu não pude estudar quando eu era moleque então é muito fácil você falar isso ai porque você teve, você é classe média, você teve escola, você estudou, você aprendeu um segundo idioma, eu não coitadinho, eu estou aqu no fim do mundo, não tenho pra onde correr, não posso fazer nada então eu sou um coitado. E ai?

Daniela         E ai eu te respondo com uma pesquisa, uma das primeiras palestras que eu escrevi, se chama “Seja Líder em sua Vida” e essa palestra ela veio, eu peguei uma pesquisa sobre a vida realmente dos maiores líderes que contribuíram para o bem da humanidade, ai a gente pensou, puxa vida, esse cara contribuiu para o bem significa que ele teve uma família, um lar amoroso, né, uma família de uma boa estrutura e tal, e ai que a gente foi observar que 75% desses grandes líderes que contribuíram para o bem da humanidade, eles vieram de lares totalmente desfeitos, de condições totalmente desfavoráveis para onde esse cara chegou né, e ai nos remete a dois caminhos. Primeiro, a super proteção que a gente coloca, por exemplo, para filhos né, para os jovens e tal, então toma cuidado com isso né, que você pode realmente estar limitando uma capacidade da sua pessoa e outra, ninguém vem na terra com manual de instrução e muito menos com destino, uma pessoa predestinada, uma coisa não é, todo mundo vem zerado, qual é a diferença entre esse cara que vai lá e faz e acontece e você? Qual é essa diferença? Eu penso que é uma questão de escolha, literalmente o cara escolheu aquele caminho e ele vai lidar com as dificuldades no meio dele, porque muitas vezes querer a pessoa quer, e o Brasil tem um ditado maldito assim “querer é poder” eu falo, caramba, fazer é poder né, então fica querendo em casa, dormindo o dia inteiro, queira com vontade, não vai rolar, entendeu. Então assim, é você lidar com essas coisas, então olha ai para esses outros exemplo, de repente foi uma pessoa que foi lá e fez e aconteceu e estava numa condição muito pior do que tua, então…

Luciano         E que com exemplos assim tem de montão né, que desmistifica essa história toda de que é claro, e também eu não estou sendo aqui é, como quero dizer? Eu não quero ser simplista a ponto de fazer um reducionismo do tipo assim, qualquer um que quiser pode…não, é claro que tem diferenças, é claro que se eu nasci num lar mais… eu sou classe média, eu tive educação, é claro que para mim o caminho a ser galgado é a montanha… para ver ser

Daniela         De repente você enxerga a…

Luciano         E eu já larguei na metade da montanha, alguém está largando lá de baixo né. Mas nada impede que esse que largou lá em baixo me ultrapasse e chegue lá em cima, eu estou cansado de ver exemplos assim, porque eu quero botar…

Daniela         Até porque a gente vê o contrário também, pessoas que com muita condição fazem um monte de burrada…

Luciano         A gente acabou de ver um ser executado né…. é o cara que de onde veio é classe média…. está lá e o segundo deve ser executado agora né, vai morrer porque escolheu um caminho que não era ideal, mas eu, deixa eu voltar ao nosso ponto aqui inicial né. Escolhas. Escolhas, então eu tenho liberdade para fazer as escolhas que eu quiser ao longo da minha vida evidentemente que eu não posso escolher tudo que eu quiser, eu tenho limitações, sou altamente limitado porque eu vivo em sociedade, eu posso escolher tudo o que eu quiser até eu trombar em você então eu tenho que entender que não dá para eu ter tudo, eu não posso fazer tudo que eu quiser, mas eu posso escolher tudo o que eu possa escolher, quer dizer, começa tudo com uma coisa interior, então vamos voltar para aquela discussão lá do início, nunca se discutiu tanto liderança, nunca se teve uma falta tão grande de liderança. Eu olho para isso ai e falo, meu, que baita oportunidade, se faltam líderes e está claro que faltam, eu acho que tem uma carência no mercado gigantesca por líderes né? E eu quero ocupar esse espaço, eu quero fazer e agora eu vou provocar você, eu tenho 20 anos de idade, etou ouvindo esse podcast, estou aqui trabalhando na minha empresinha, sou ali um assistente de alguma coisinha, e ai, por onde eu começo, eu peço um aumento, o que eu faço? Por onde eu começo?

Daniela         Olha, tem vários caminhos ai né.

Luciano         É o coaching.

Daniela         É verdade, vários caminhos né, eu iria para realmente você ampliar um pouquinho essa visão, falar tá bom, eu estou a fim, eu quero contribuir e estou com energia suficiente para lidar com as consequências desse caminho o qual eu vou escolher não é? Então eu acho que isso é um primeiro ponto, você definir um norte, não indica que definir um norte vai ser aquele negócio travado e aquela vida, enfim, a gente tem os tombos no meio do caminho, só que para isso você tem que ter aquela… a direção mais ou menos para onde você quer ir.

Luciano         Deixa eu botar uma pausa aqui só para agregar um pouquinho mais aqui, eu costumo dizer, (confuso) que eu falo o seguinte: o importante é você fixar, bota uma data nessa atua ideia maluca ai e a tua data não é, o seguinte, não é 15 de janeiro do ano que vem, a tua data é o seguinte, daqui a 25 anos eu quero ser alto dirigente de uma multinacional na França, daqui a 25 anos eu quero ser dono do meu pet shop, daqui a 25 anos eu quero ser o farmacêutico chefe do lugar que tal, né? Qual é a mágica disso ai, quando você define uma data não importa aonde, lá daqui a 30 anos, que significa o seguinte, que você encontrou uma direção, então tudo o que eu começar a fazer hoje, eu estou com o olho lá, e eu faço a brincadeira, eu falo o seguinte: se a minha ideia de que aqui a 40 anos eu quero estar vivendo muito bem na China, hoje eu decido que eu vou investir algum dinheiro em aprender um idioma, que idioma vai ser? Vai ser francês? Vai ser…. Não, eu vou aprender chinês porque lá na frente eu quero estar na China, então isso já me indica o caminho e já me oriente né?

Daniela         Eu sempre dou o exemplo assim: quando você sai do metrô ou de um trem, você olha no mapa lá na parede quais são as duas coisas que você olha? Onde você está e para onde você vai né, então você precisa ter esse norte né, dos dois lados assim, se você só sabe onde você vai e não sabe aonde você está hoje, você também não sabe para que direção ir, você fala, aha está bom, eu estou aqui mas não sei para onde é que eu vou, você fica parado também, então você obrigatoriamente, para a gente seguir algumas coisas, nós temos que ter esse norte, então isso é muito bacana, nos processos do coaching, a gente coloca realmente a data e vamos no plano de ação, porque todas as suas ações hoje, elas vão implicar nisso. Eu sempre falo, isso que nós estamos fazendo aqu agora né, de acordo com as suas metas te deixa mais perto ou mais longe do que você quer? Essa é uma pergunta…. inclusive eu tenho ela tatuada, te deixa mais perto ou mais longe? Porque isso é o que me orienta, então é, para dar esse conselho para esse menino, para essa pessoa que está ouvindo a gente, para esse rapaz, para essa moça que realmente quer algo, então estabeleça um norte, um prazo par aquilo e ai começa, bom, onde é que eu estou nisso, hoje as ações que eu tenho feito está me deixando mais perto ou mais longe do que eu quero? Se é mais longe não vá fazer, isso é escolha, você vai renuncias àquele troço, por mais que seja difícil e tal fala ai…. Não dá para ter tudo. Não dá para ter tudo, uma escolha requer uma renúncia.

Luciano         Isso dá um programa inteirinho né, quer dizer você escolhe, se eu escolher a Maria eu abri mão da Rosangela, da Marta, da Paula….

Daniela         É isso mesmo…

Luciano         … Júlia etc e tal e ai né?

Daniela         Você fica de  olho nesse… sofre para caramba, então uma escolha requer uma renúncia, não é fácil para ninguém. Então assim, não vá achando que também vai ser fácil para você, para você que está ouvindo a gente né, então por que que você, diferentemente de qualquer outra pessoa na face da terra teria que ter uma vida muito mais fácil que qualquer outra pessoa né? Então. Eu falo não existe almoço grátis, então se você realmente está disposto a arcar com as consequências dessas suas escolhas né e fazer uma escolha ponderada para a tua vida, puxa vida, isso é exercer bem uma liderança, você está exercendo bem o seu propósito, está indo de acordo com seus valores, com seus objetivos e é você lidar nessa caminhada, essa é a liderança, então a se a gente transpõe isso para um mundo maior, enfim, na parte corporativa, na parte política, tudo bem, você defende o ideal.

Luciano         Funciona igual.

Daniela         Funciona igual.

Luciano         Muito bem. Mas e ai, e se eu quiser fazer umas perguntas para a Daniela, onde é que eu acho ela?  Como é que eu faço?

Daniela         Ó, eu estou nas redes sociais né, danieladolago.com.br, tem minha página no face, eu converso muito com as pessoas através do face, eu acho que tem essa facilidade, também estou no Instagram…

Luciano         Baita ferramenta né. É uma baita ferramenta.

Daniela         É muito legal, posto bastante coisa lá.

Luciano         E o pessoa reclama, aqui só tem lixo, falo não, só tem lixo se você deixar o lixo entrar, se deixar ele entrar ele vai encher de lixo, agora o grande lance do face é que você escolhe cara, eu escolho o que eu vou deixar.

Daniela         O que que eu vou ler

Luciano         De novo hein

Daniela         Isso, de novo.

Luciano         Eu escolho o que é que eu vou ler, eu escolho quem vai ser meu amigo e eu escolho que vai estar ocupando a minha…. a minha timeline aqui, se só tiver lixo, foi porque eu abri a porta para o lixo entrar, então isso é o facebook, é só ferramenta, ele não tem nada de bom ou de ruim, ele é só uma ferramenta né.

Daniela         É só uma ferramenta, não é ele que está acabando com seu tempo, muito menos com a sua produtividade.

Luciano         Mas você vai estar lá então domo Daniela do Lago no facebook

Daniela         Daniela do Lago, no face

Luciano         Tem o blog, tem uma..

Daniela         Eu tenho…. eu tenho minha coluna no UOL né, que também você acha, está debaixo de economia agora a minha coluna foi para economia, então uol.com.br/economia tenho também o meu site, danieladolago.com.br, então muito fácil, eu respondo os e-mails, todo mundo na minha coluna, eu adoro receber os cases, as pessoas sempre me escrevem falando Dani, o que você acha, eu sempre reservo, se a pessoa parou um tempo para me escrever é porque realmente ela está confiando naquela opinião, enfim, naquele ponto de vista, então eu respondo a todos.

Luciano         Eu tento responder também, chega um e-mail eu tento responder, mas chega uma hora que….

Daniela         Que é muito…

Luciano         Vai longe…Mas então vamos lá, vamos para os finalmentes então, nós estamos aqui, esse ano aqui é um ano, 2014 já foi um ano esquisito, éum ano maluco, de copa do mundo, eleição, já foi um ano complicado. 2015 prometia ser um ano estamos bem, estranho, a gente entrou num ano complicado, saímos de uma eleição complicada, hoje é dia 20 de janeiro, 21 de janeiro de 2015 e parece que o ano já tem 6 meses, porque o que aconteceu em 20 dias de falta d’água e luz até aumento de imposto, quer dizer, uma coisa terrível e está muita gente atarantada, o que vai acontecer com esse país aqui, o Brasil vai entrar num buraco sem saída e ai? Vamos tentar levantar esse ânimo ai, o que você quer dizer para quem está agora preocupado para que lado vai, o que vai acontecer com esse país aqui e tudo mais.

Daniela         Olha, nós estamos numa vibe né, numa vibração muito pessimista e isso não ajuda, eu não quero dizer para as pessoas serem levianas ou polainas, de maneira alguma. Mas realmente não vai ajudar, acho que está todo mundo, a gente está beirando realmente uma recessão e acho que todo mundo fica esperando alguém dar o primeiro passo né, então que seja a gente não e mesmo? A fazer isso para eu tomei uma decisão para mim este ano, falei, vou fazer o ano de 2015 um ano diferente né, mais do que nunca para você que está ouvindo a gente, principalmente em termos de trabalho, chegou talvez o momento de você parar um pouquinho e pensar em você, nas suas próprias competências né, então de repente é um ano da reviravolta mesmo, porque em termos de trabalho não acho que vá mais…. um monte de gente vai ser mandada embora e ai está realmente uma grande oportunidade para você empreender, para você olhar para você e ver realmente quais são seus talentos,  a sua… a sua expertise, a sua real contribuição e fazer e monetizar esse negócio, então utiliza isso, não é fácil. Então, mas ó que interessante, as vezes, quando eu olho as vezes uma pessoa com bastante talento numa empresa e a pessoa está escondida lá, eu falo para ela, ela fala, aha e ai tal, eu olho para aquela pessoa eu falo, gente, essa pessoa ia dar tão certo num outro lugar e ela não tem coragem daquilo e as vezes eu falo, sabe a melhor coisa que poderia te acontecer? Você ser mandado embora, né, porque é o empurrão que você precisa para voar.

Luciano         Vai criar necessidade de você…

Daniela         É o empurrão que você precisa né, então eu olho essa situação como uma grande oportunidade realmente para você, talvez chegou o momento realmente, você parar e rever algumas coisas e olhar realmente para si, para dentro, para olhar seus talentos e tal, que contribuição você pode dar, então para de se esconder ai de trás da sua empresa e quem sabe né, a gente precisa de gente para empreender realmente, esse país para crescer esse negócio e fazer  diferença.

Luciano         E a prende a lidar com o medo né, que é aquela história né, é o medo do que pode vir acontecer que te impede de tomar algum tipo de ação né, e quando você…

Daniela         Realmente não pode paralisar…Não dá.

Luciano         Porque quando você olha o medo de uma forma racional, você descobre que po, talvez eu não tenha tanta razão assim né, porque eu tenho medo de pedir um aumento, o que pode acontecer se eu pedir um aumento? Receber um não, é o meu chefe  me mandar embora né, é eu tomar uma reprimenda na frente de todo mundo, bom, das últimas veze que eu pedi um aumento, quantas vezes aconteceu isso. Das pessoas que estão comigo aqui, que pediram aumento, quantos foram mandados embora? E você vai descobrir que ninguém perdeu emprego porque pediu um aumento, logo não vai ser eu, ninguém tomou um esporro em público, logo não vou ser eu, então quando você começa a analisar essas coisas de uma forma um pouco mais racional, tire a emoção asism você começa a encontrar alguns caminhos. Então agora, não é fácil, especialmente num momento como esse aqui, quando está todo mundo dizendo cuidado, fique quieto, não se mexa, entra embaixo da  mesa, fica quietinho porque não é a hora de fazer loucura. Talvez essa seja a hora de fazer loucura.

Daniela         Isso que eu ia falar, talvez seja o momento certo para você se destacar né?

Luciano         Eu vou encerrar, primeiro te agradecendo por ter…

Daniela         Eu que agradeço

Luciano         Esse tempo foi legal, dá para a gente ficar aqui horas conversando, mas a gente vai fazer mais vezes né, vou fazer aquele padrão todo entrevistador faz, aha você vai voltar aqui…um dia vai voltar né

Daniela         Vamos

Luciano         Mas eu vou encerrar  com uma frase que eu ouvi muito o Nizan Guanaes fala sempre isso né: “enquanto todos choram, eu vendo lenço”.

Daniela         É. É verdade.

Luciano         Obrigado, um beijo.

Daniela         Eu que agradeço um beijo.