Iscas Intelectuais
Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

631 – O valor de seu voto – Revisitado
631 – O valor de seu voto – Revisitado
Mais discussão de ano de eleição: afinal o que é o ...

Ver mais

630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
Este é outro Café Brasil que reproduz na íntegra um ...

Ver mais

629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
Essa aparente doideira que aí está não é doideira. É ...

Ver mais

628 – O olhar de pânico
628 – O olhar de pânico
Aí você para, cansado, desmotivado, olha em volta e se ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
Segunda participação no LíderCast, com uma história que ...

Ver mais

LíderCast 123 – Augusto Pinto
LíderCast 123 – Augusto Pinto
Empreendedor com uma história sensacional de quem ...

Ver mais

LíderCast 122 – Simone Mozzilli
LíderCast 122 – Simone Mozzilli
Uma empreendedora da área de comunicação, que descobre ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Júlio de Mesquita Filho e a contrarrevolução cultural
Jota Fagner
Origens do Brasil
A ideia de concentração hegemônica não é exclusividade de Gramsci, outros autores de diferentes espectros ideológicos propuseram caminhos parecidos. Júlio de Mesquita Filho é um deles É preciso ...

Ver mais

Imagine uma facada diferente
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Imagine Fernando Haddad sendo vítima de uma tentativa de assassinato. Por um ex-militante do DEM ou do PSL, no mesmo dia em que Bolsonaro quase morreu pelas mãos de um ex-PSOL. Primeiramente, os ...

Ver mais

Uma discussão sobre inteligência artificial na educação
Mauro Segura
Transformação
Uma discussão sobre os benefícios que as novas tecnologias podem trazer para a educação brasileira. Mas será que estamos preparados para isso?

Ver mais

A burocracia e a Ignorância Artificial
Henrique Szklo
O Estado brasileiro, desde 1500, tem se esmerado em atravancar qualquer mecanismo da administração pública com um emaranhado de processos burocráticos de alta complexidade, difícil interpretação ...

Ver mais

Cafezinho 109 – Zeitgeist Tropical
Cafezinho 109 – Zeitgeist Tropical
E hoje? Qual é o zeitgeist do Brasil?

Ver mais

Cafezinho 108 – O Ismo Quântico
Cafezinho 108 – O Ismo Quântico
O Ismo Quântico é o fenômeno que acontece quando o ...

Ver mais

Cafezinho 107 – O voto proporcional
Cafezinho 107 – O voto proporcional
Seu voto, antes de ir para um candidato, vai para um ...

Ver mais

Cafezinho 106 – Sobre fake news
Cafezinho 106 – Sobre fake news
Fake News são como ervas daninhas, não se combate ...

Ver mais

Você também pode ser a solução

Você também pode ser a solução

Adalberto Piotto - Olhar Brasileiro -

image

Por Adalberto Piotto

Todo ano temos as notícias de deslizamentos de terra e mortes por causa da chuva em áreas de risco.

É trágico. Sempre é. Impossível não se solidarizar com as vítimas.

Mas além da solidariedade da maioria, normalmente imóvel, há mais o que fazer hoje pra evitar outros “amanhãs” terríveis.

Esse assunto sobre ocupação irregular de áreas de risco não é novo e trato dele há muito, normalmente sem solidariedade alheia.

Quando o governo Lula, irresponsável em sua plenitude, inventou a tal da “bolsa construção”, que financiava material de construção com muito crédito, eu denunciei o caso porque julgava que era preciso ter um projeto e um acompanhamento técnico da prefeitura para evitar que o cidadão, necessitado e beneficiado pelo crédito, construísse em áreas de risco.

Fazia isso pra proteger o cidadão, antes de tudo, e permitir o melhor uso do recurso financeiro.

É injusto dar pela metade um direito a quem tanto precisa. Ou seja, dê-se melhores condições para alguém construir sua casa, mas que o faça em condições de não pô-lo a arriscar-se a morrer pela chuva que, inevitavelmente, vai cair.

Nem a Caixa Econômica Federal nem o governo Lula, mesmo com muitas tentativas, aceitaram falar e explicar o porquê de o crédito não ter essa exigência básica, necessária, cuidadosa, cidadã

Como insisti no tema, fui chamado de antibrasileiro, de conspirar contra os pobres,  etc. Enfim,  toda sorte de estupidez, bobagem e burrice manipulada por essa gente que enganava o necessitado com todo o maquiavelismo possível e hoje, ainda no poder federal, levou o Brasil à bancarrota financeira, moral, etc.

Apesar de saber que esteva fazendo o certo, à época, não tive apoio de quase ninguém.

A maioria de baixo estava feliz porque fazia churrasco e dane-se o resto.

E a maioria de cima se refestelava em Miami comprando qualquer coisa que não conseguisse ler o rótulo.

Nada contra ir à Miami ou a qualquer outro lugar para comprar seja lá o que for. Tampouco fazer churrasco do jeito que quiser. Minha crítica não é simplista. O ponto é outro.

Ambos os lados foram estúpidos no seu consumismo e nada preocupados com o Brasil e sua sustentabilidade econômica ou social, na dignidade ou na correta aplicação dos caros recursos disponíveis.

Estavam, os de baixo e os de cima, se dando bem no seu individualismo atroz.

Deu no que deu.

Eu não parei de insistir. Nunca.

Amanhã, estarei na Paulista.

Espero ter a companhia dos deslumbrados de ontem e forçosamente realistas de hoje.

A luta é longa e estarei sempre nela.

Só conheço esse caminho e renego qualquer atalho esperto e de esforço menor.
O único caminho em que acredito é o da insistência, da persistência, da perseverança e do comprometimento com o presente para salvar o futuro.
O resto é enganação.
Bem-vindo à luta honesta.

Ver Todos os artigos de Adalberto Piotto