Iscas Intelectuais
Podpesquisa 2018
Podpesquisa 2018
Em sua quarta edição, a PodPesquisa 2018 recebeu mais ...

Ver mais

Como decidi em quem votarei para Presidente
Como decidi em quem votarei para Presidente
Não sei se estou certo, não fui pela emoção, não estou ...

Ver mais

Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

639 – Chega de falar de política
639 – Chega de falar de política
Diversos ouvintes mandam mensagens pedindo para que eu ...

Ver mais

638 – O efeito Dunning-Kruger
638 – O efeito Dunning-Kruger
Cara, eu fico besta com a quantidade de gente que ...

Ver mais

637 – LíderCast 10
637 – LíderCast 10
Olha só, chegamos na décima temporada do LíderCast. Com ...

Ver mais

636 – As duas éticas da eleição
636 – As duas éticas da eleição
Gravei um LíderCast da Temporada 11, que só vai ao ar ...

Ver mais

LíderCast 132 – Alessandro Loiola
LíderCast 132 – Alessandro Loiola
Médico, escritor, um intelectual inquieto, capaz de ...

Ver mais

LíderCast 131 – Henrique Szklo e Lena Feil
LíderCast 131 – Henrique Szklo e Lena Feil
Henrique Szklo e Lena Feil – Henrique se apresenta como ...

Ver mais

LíderCast 130 – Katia Carvalho
LíderCast 130 – Katia Carvalho
Mudadora de vidas, alguém que em vez de apenas lamentar ...

Ver mais

LíderCast 129 – Guga Weigert
LíderCast 129 – Guga Weigert
DJ e empreendedor, que a partir da experiência com a ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Quem não é capaz de rir de si mesmo será sempre um intolerante em potencial
Henrique Szklo
Humorista de verdade não tem lado, não tem ideologia, não tem bandeira. Independentemente de sua posição pessoal, tem de ser livre o suficiente para atirar em tudo o que se mexe e no que não se ...

Ver mais

Capitalismo Versus Esquerdismo*
Alessandro Loiola
Uma das consequências involuntárias do capitalismo é que ele coloca diferentes culturas e sociedades em contato direto muito mais amplo umas com as outras. Liga as pessoas entre si muito mais ...

Ver mais

A cavalgada de um cowboy
Jota Fagner
Origens do Brasil
Cowboy não havia dormido bem. Tinha feito corridas até às duas da manhã. O trabalho como moto-taxista costumava não render muito, mas em época de alta temporada a demanda era muito grande. ...

Ver mais

O ENEM e a (anti-)educação
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Nos dois últimos fins-de-semana, milhões de candidatos ao ensino superior realizaram as provas do ENEM. O vestibular é o telos do ensino fundamental e médio no Brasil. As escolas privadas assumem ...

Ver mais

Cafezinho 125 – O chute
Cafezinho 125 – O chute
Se o governador mentiu ou se enganou, peço desculpas ...

Ver mais

Cafezinho 124 – À luz do sol
Cafezinho 124 – À luz do sol
É assim, com a luz do sol, que a gente faz a limpeza.

Ver mais

Cafezinho 123 – A zona da indiferença
Cafezinho 123 – A zona da indiferença
Ter consciência sobre o que é certo e errado todo mundo ...

Ver mais

Cafezinho 122 – Vira a chave
Cafezinho 122 – Vira a chave
Mudar de assunto no calor dos acontecimentos é ...

Ver mais

Vivendo em “emergency mode”

Vivendo em “emergency mode”

Mauro Segura - Transformação -

A vida de executivo tem dessas coisas… muitos anos atrás eu encontrei um amigo que se mostrava cansado e ansioso. Ele ocupava uma posição de diretor numa empresa de varejo. Perguntei o que estava acontecendo e ele foi econômico na resposta: “Estou em survival mode”. Traduzindo sua resposta: significava dizer que ele estava passando por uma fase de trabalho pesado, com muitas demandas, pressão, mudança de organização e enormes desafios de curtíssimo prazo, tudo ao mesmo tempo, e estava enlouquecido tentando sobreviver a tudo aquilo. Gostei de sua capacidade de sumarizar numa expressão aquele momento que ele estava vivendo. Com o passar do tempo eu adotei a expressão “emergency mode”, que para mim me pareceu mais adequada.

Pois bem, eu estou vivendo atualmente uma fase de “emergency mode”… com a clara percepção de que tenho mais coisas para realizar do que a minha capacidade de entrega-las, num prazo extremamente curto, com a real sensação de que preciso trabalhar mais e de forma diferente para não me enrolar no meio de tantas demandas. A boa coisa disso é que eu tenho consciência das minhas limitações e confio que essa é uma fase que vai passar em algum momento. Isso implica que eu preciso ter a sabedoria de selecionar o que é mais importante, ter a coragem de falar “nãos”, deixar cair conscientemente alguns pratos e somente me engajar nas reais prioridades.

Dá para viver em “emergency mode”? Dá!!!! Mas somente durante uma curta fase, sacrificando o lado pessoal e outras responsabilidades. Isso faz parte do jogo, faz parte da vida profissional, mais especialmente da vida executiva que muitas vezes passa por picos e vales. Porém, existe a necessidade latente de estar atento para identificar quando as demandas atingirem um estágio de melhor equilíbrio para, então, desligar a chave de “emergency mode”.

Conheço executivos que vivem para trabalhar. Em algum momento da vida ligaram a chave de “emergency mode” e nunca mais desligaram, vivendo constantemente nesse estágio, transformando o trabalho na quase única razão da sua vida. Ok, isso pode ser uma opção de vida e eu não pretendo entrar na polêmica das escolhas individuais de cada um. Cada um decide o que quer fazer da vida, numa boa, mas eu tenho um ponto de vista sobre isso.

O segredo para não pirar é não deixar o “emergency mode” se tornar indolor e nos dominar, como acontece com o sapo colocado numa panela de água quente, que se aquece lentamente e ele morre sem sentir. Aí nos transformamos em seres humanos continuamente estressados, obcecados e em perene estado de insatisfação… sem sentir. Eu sei que existem pessoas que pensam diferente, que acham que isso é legal, que tem que ter assim mesmo, que profissionais dedicados precisam se mostrar tensos e trabalhar sempre com a corda esticada. Enfim, é um bom e controverso papo que não me atrevo a entrar. Já passei do tempo de discutir isso.

De minha parte, como disse, eu estou em um período de “emergency mode”, tratando de acelerar tudo que posso para voltar em breve a um estado mais brando e razoável. Tudo depende de mim. Estarei ligado, com o dedo preparado para desligar o botão no tempo certo. Por enquanto, mantenho o pé fundo no acelerador para entregar os projetos, realizar as atividades, tomar e implementar as decisões necessárias para reequilibrar a agenda.

O meu atual ritmo tem me afastado um pouco das redes sociais. Estou escrevendo esse texto dentro de um avião, no meio da madrugada, num vôo internacional, e vou posta-lo na primeira oportunidade. É o que deu pra fazer :):)

Ver Todos os artigos de Mauro Segura