Iscas Intelectuais
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

596 – A complicada arte de ver – revisitado
596 – A complicada arte de ver – revisitado
“A árvore que o sábio vê não é a mesma árvore que o ...

Ver mais

595 – A empatia positiva
595 – A empatia positiva
Se você construir uma linha emocional imaginária, numa ...

Ver mais

594 – Sultans of Swing
594 – Sultans of Swing
Láááááá em 1977 uma obscura banda inglesa começou a ...

Ver mais

593 – Chororô
593 – Chororô
Uma das reações mais lindas do ser humano tem sido ...

Ver mais

LíderCast 96 – Ricardo Geromel
LíderCast 96 – Ricardo Geromel
Ricardo Geromel, que sai do Brasil para jogar futebol, ...

Ver mais

LíderCast 95 – Pascoal da Conceição
LíderCast 95 – Pascoal da Conceição
Pascoal da Conceição, que fala sobre a vida de ator no ...

Ver mais

LíderCast 94 – Marcelo e Evelyn Barbisan
LíderCast 94 – Marcelo e Evelyn Barbisan
Marcelo e Evelyn Barbisan. O Marcelo é médico, a Evelyn ...

Ver mais

LíderCast 93 – Max Oliveira
LíderCast 93 – Max Oliveira
Max Oliveira, empreendedor que fundou a Max Milhas, uma ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

País de Santos
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Há dias um assunto artificialmente inflado ocupa sites e jornais: A posse interrompida da ex-quase-futura ministra do Trabalho, deputada federal Cristiane Brasil (PTB/RJ), filha do conhecido ...

Ver mais

Jonatan, o Tolo
Bruno Garschagen
Ciência Política
Jonatan é o tolo cuja credulidade fantasiosa corrompeu qualquer traço de inocência

Ver mais

Projeções econômicas do Brasil para 2018
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Projeções econômicas do Brasil para 2018[1] Com uma sólida formação humanista, um economista pode afirmar que quanto menor a intervenção do Estado na economia de mercado, mais rico será este país ...

Ver mais

Vale fazer um curso universitário se as profissões vão desaparecer?
Mauro Segura
Transformação
Numa perspectiva de que tudo muda o tempo todo, será que vale a pena sentar num banco de universidade para se formar numa profissão que vai desaparecer ou se transformar nos próximos anos?

Ver mais

Cafezinho 38 – A agarra
Cafezinho 38 – A agarra
Basta implantar uma dúvida, uma agarra... e pronto! A ...

Ver mais

Cafezinho 37 – Sobre críticas
Cafezinho 37 – Sobre críticas
Saber avaliar as críticas é fundamental, mas saber ...

Ver mais

Cafezinho 36 – Velhos problemas
Cafezinho 36 – Velhos problemas
O Brasil não tem problemas novos.

Ver mais

Cafezinho 35 – Pocahontas
Cafezinho 35 – Pocahontas
Geração não é horóscopo. É contexto.

Ver mais

Sou diferente qual é o problema?

Sou diferente qual é o problema?

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

Palestra proferida em alusão ao dia internacional do portador de deficiência, no dia 03/12/2014 no CRER – Centro de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo Goiânia GO

Inicio este pequeno texto questionando quem é normal? De que se constitui esta categoria que delimita as pessoas ditas normais? O que lhes legitima o direito, em pleno jogo social de subjulgar quem não pertence a seu grupo? O que destina valoração entre melhores ou piores?

Por qual motivo em nossa sociedade ocorre a visão de que em diferença existe sempre o pior? Isto estaria ligado a nossa realidade de país subdesenvolvido?

A estruturação da era moderna e durante toda revolução industrial atribuiu ao ser humano “ideal” os atributos de uma convencionalidade na qual o indivíduo foi posicionado como agente de produção, tema bem delimitado por Marx. O valor atribuído a capacidade produtiva em tempo e espaço determinado.

Você vale quanto produz. Toda era moderna traçou dentro da ideia de consumismo e mercado este ideal ligado a capacidade de produção. Os “normais” eram as pessoas que podiam viver nesta curva de normalidade pré determinada. Os que não se encaixam neste preceito… questionáveis.

Ser deficiente nesta empreita social é presentificar o estado de ser diferente com rupturas significativas de produção, estética, cognição, comunicação, locomoção. E isto é um fator complicador a proporção que em sociedade o deficiente é visto como alguém que vai poder ser ajustado aos padrões de convencionalidade, que raros compreendem como são desenvolvidos. Assim é normal pensar em ajustar, padronizar, tornar igual o que por natureza é diferente. Mas com qual finalidade? Os normais tem tanta graça assim? São mais felizes? Produzem mais e melhor que os outros normais de outro país?

Hoje temos no Brasil mais de 45 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, em sua maior parte com dificuldade para trabalho, educação, convívio social. As deficiências caracterizam o Brasil em condição de subdesenvolvimento. Mas qual foi a melhoria real conquistada e proposta para as pessoas com deficiência? O que o estado brasileiro fez nestas últimas décadas?

Enquanto se pensar no deficiente como pessoa ajustável aos subjetivos padrões de tédio de normalidade, vamos assistir a um genuíno caos em um sistema isento de funcionalidade. É necessário pensar em projetos de apropriação de capacidades dentro de um sistema  que valide diferenças. Porém isto não existe em nosso sistema educacional bancário, e menos ainda em nossa vida social. Por isto findo questionando: pra que mesmo necessitamos de mais pessoas normais?

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima