Iscas Intelectuais
Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
MUDANÇAS IMPORTANTES NO CAFÉ BRASIL PREMIUM A você que ...

Ver mais

Café Brasil no Top 10 Podbean
Café Brasil no Top 10 Podbean
O Café Brasil está entre os Top 10 numa das maiores ...

Ver mais

705 – Empreendedor: Meu malvado favorito
705 – Empreendedor: Meu malvado favorito
Meu, como tem empreendedor no Brasil, não é? Parece que ...

Ver mais

704 – 45 Minutos do Primeiro Tempo
704 – 45 Minutos do Primeiro Tempo
Patrick Santos é um jornalista que tem uma trajetória ...

Ver mais

703 – Fogo no Hall
703 – Fogo no Hall
Já fizemos diversos programas tratando da liberdade de ...

Ver mais

702 – Saindo da Bolha
702 – Saindo da Bolha
O Saindo da Bolha se anuncia como um podcast para quem ...

Ver mais

LíderCast 188 – Emerson Muzeli
LíderCast 188 – Emerson Muzeli
Homem da televisão, que dirigiu novelas, programas de ...

Ver mais

LíderCast 187 – Rabino Ventura
LíderCast 187 – Rabino Ventura
Um homem de fé, um rabino, com uma história fascinante ...

Ver mais

LíderCast 186 – Jorge Cury Neto
LíderCast 186 – Jorge Cury Neto
Radialista, um estudioso do impacto da voz humana na ...

Ver mais

LíderCast 185 – Sérgio Victor
LíderCast 185 – Sérgio Victor
Jovem Deputado Estadual do partido Novo por São Paulo, ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Criativo que se leva muito a sério não merece ser levado a sério
Henrique Szklo
Iscas Criativas
Muitos dos que trabalham com criatividade no dia-a-dia costumam sofrer de delírios relacionados à sua relevância para a sociedade e para a raça humana, mesmo que não se conheça uma razão palpável ...

Ver mais

Desencontros da educação com o mundo real
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Desencontros da educação com o mundo real “Infelizmente, poucas pessoas entendem a conexão entre criatividade e inovação. Fala-se muito sobre a ‘lei da inovação’, mas ninguém fala sobre a ‘lei da ...

Ver mais

Resenha: Meu Pai, o Guru do Presidente
Jota Fagner
Origens do Brasil
Meu Pai, o Guru do Presidente, escrito pela Heloísa Helena de Carvalho Arribas e Henri Alfred Bugalho, é um livro que pretende retratar a conturbada relação entre Olavo Luiz Pimentel de Carvalho ...

Ver mais

Todas mesmo?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Levado pelos ventos da modinha do movimento americano Me too, nascido da hipocrisia e do revanchismo de gente (genta, Dilma?) que não admite seu passado arrivista e joga para a plateia enquanto ...

Ver mais

Cafezinho 258 – O poder do Mau
Cafezinho 258 – O poder do Mau
Para sobreviver, a vida tem de vencer todo dia. A ...

Ver mais

Cafezinho 257 – O Jobs de Mogi
Cafezinho 257 – O Jobs de Mogi
Nada é mais nocivo que a ignorância que gera confiança.

Ver mais

Cafezinho 256 – Mundos Morais
Cafezinho 256 – Mundos Morais
Talvez vivamos em mundos morais diferentes e nenhum ...

Ver mais

Cafezinho 255 – Melhores Inimigos
Cafezinho 255 – Melhores Inimigos
Queremos é o barraco

Ver mais

Seu inimigo está mais próximo do que você imagina

Seu inimigo está mais próximo do que você imagina

Mauro Segura - Transformação -

Encontre o seu inimigo. O artigo “Complicação embasada também é complicação” ,de André Kassu, publicado no Meio&Mensagem, me perturbou bastante. Ele analisou a palestra de Pete Favat, CCO da Deutsch Los Angeles, que disse que todos os grandes trabalhos em marketing sempre têm um grande inimigo declarado, e citou alguns exemplos.

Imediatamente me caiu a ficha. A conexão com minha vida profissional foi inevitável. Desde os primórdios da minha carreira em vendas e marketing, passei a acompanhar os movimentos dos nossos concorrentes. Nas diversas posições que ocupei, em várias empresas diferentes, nós sempre fizemos longos PPTs analisando o que os concorrentes estavam fazendo. Pesquisas, estudos detalhados, exercícios de futurologia, reza forte e muitas noites sem fim consumiram meu tempo e de meus colegas na vã tentativa de entender as ações dos concorrentes, de onde vinham e o que estava por trás daqueles movimentos suspeitos, às vezes inexplicáveis, que faziam. Bastavam lançar algo diferente e lá íamos nós estudar como contra-atacar.

Encontre o seu inimigo. O inimigo natural, para qualquer marqueteiro, é o seu concorrente. O que parecia ser simples no passado, porque os concorrentes eram notoriamente conhecidos em qualquer indústria, virou um pesadelo nos dias atuais. Vivemos uma época onde todos competem, o concorrente vem de onde menos se espera. Pode ser aquele aplicativozinho, sabe?

Nós encarávamos os concorrentes como inimigos a serem batidos. Muitas vezes gastávamos mais energia olhando os concorrentes do que o tempo investido nos clientes. Puxa, que erro flagrante, hein? Isso já é coisa de passado. Hoje eu não gasto muito tempo olhando o concorrente como antigamente, até porque o concorrente de hoje não necessariamente foi o concorrente de ontem, e muito menos será o de amanhã.

A grande questão é que olhar obsessivamente para o concorrente nem sempre é uma boa estratégia. Olhar o concorrente indica uma forte tendência de segui-lo, de repetir movimentos, de ir para onde os outros vão e não exatamente para onde os clientes desejam ir. Olhar o concorrente é não inovar, é seguir o curso do rio.

Encontre o seu inimigo. Então, afinal, quem é o seu inimigo? Ou, qual é o seu inimigo? Você pode até não aceitar, mas quase sempre o nosso maior inimigo somos nós mesmos. Estou falando da nossa capacidade de inovar, pensar diferente, abandonar dogmas e crenças, empreender em áreas que não dominamos e tomar riscos. Nós somos impelidos, conscientemente ou não, a fazer coisas e repetir fórmulas passadas que deram certo. Já sei! A sua reação agora foi: “pô, lá vem esse cara com o papo velho de inovação e empreender”. Parece mais do mesmo, e talvez até seja, mas o fato cristalino é que nós, como seres humanos, temos uma tendência enorme de desviar dos problemas reais e, às vezes, nem os vemos.

A maioria de nós segue o fluxo do rio. Deixamos a rotina da vida, pessoal e profissional, nos levar para onde a água corre. Temos grande dificuldade de desviar do rio da vida, de criar momentos e oportunidades de mudança de curso, de estabelecer metas individuais arrojadas e até desconfortáveis para nós mesmos. Quer mudar ou fazer um upgrade de carreira? Se inscreva num curso legal, rala um coco, desenvolva um novo networking, ou seja, estabeleça condições para que a sua vida profissional realmente mude. Cansou da vida? Tira uma licença e vai fazer um intercâmbio. Quer abrir a mente e aprender coisas novas? Vai estudar ou ler livros de filosofia… ou culinária. Se permita conhecer coisas realmente novas. E aquele sonho de aprender a tocar violão?

Encontre o seu inimigo. Temos o cacoete indecente de fazermos sempre as mesmas coisas, especialmente aquelas que nos dão conforto e segurança, que não nos causam problemas. Alguns chamam isso de hábito, mas são vícios. Entregamos ao acaso as oportunidades de algo novo surgir. Quando aparece algo inesperado em nossas vidas, nós nos surpreendemos porque não foi algo intencional ou planejado. A sua carreira está ruim? A sua vida pessoal está chata? Você sofre ao imaginar que em cinco anos a sua vida estará igual a de hoje? Não tem problema. Essa sua insatisfação é momentânea. Daqui a pouco você estará com amigos tomando uma cervejinha, vai reclamar do trabalho, do chefe, da vida e do país. E continuar esperando que os acasos da vida mudem essa sua perspectiva, afinal, a vida é uma caixinha de surpresas.
Nem sempre o seu inimigo é aquele que você vê. Por mais que possa parecer retórica ou bobagem, a verdade nua e crua é que quase sempre o seu maior e pior inimigo é você mesmo.

Ver Todos os artigos de Mauro Segura