Iscas Intelectuais
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

679 – Será que acordamos?
679 – Será que acordamos?
Adalberto Piotto apresenta o programa Cenário Econômico ...

Ver mais

678 – Dominando a Civilidade
678 – Dominando a Civilidade
Vivemos uma epidemia de incivilidade que ...

Ver mais

677 – Teorias da Conspiração
677 – Teorias da Conspiração
Vivemos numa sociedade assolada por grandes ...

Ver mais

676 – Homem na Lua 2
676 – Homem na Lua 2
Cinquenta anos atrás o homem pousou na Lua. Mas parece ...

Ver mais

LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
O Abbey é um imigrante africano, que chegou ao Brasil ...

Ver mais

LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
Um dos mais influentes profissionais de comunicação ...

Ver mais

LíderCast 164 – Artur Motta
LíderCast 164 – Artur Motta
Professor que fez transição de carreira e usa podcasts ...

Ver mais

LíderCast 163 – Amanda Sindman
LíderCast 163 – Amanda Sindman
Profissional de comunicação, jornalista e mulher trans. ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Resumo da Aula 2 do Curso On-line de Filosofia (COF)
Eduardo Ferrari
Resumos e Artigos
A segunda aula do COF, ministrada em 21 de março de 2009, teve a duração de 3h43min e foi resumida em menos de cinco minutos de leitura, com o objetivo de levar ao conhecimento do leitor uma ...

Ver mais

A quem interessa a divisão da sociedade?
Jota Fagner
Origens do Brasil
O atual estado de intolerância ao pensamento diferente, manifesto nas agressões que começam nas redes sociais e terminam em confrontos físicos no meio da rua, é o resultado de um processo de ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPÍTULO 3 – MORFOLOGIA CATEGOREMÁTICA (parte 2)
Alexandre Gomes
Depois de listar todas as CATEGORIAS DE PALAVRAS, de acordo com a Gramática Geral irei tratar com mais calma de cada categoria. Seguindo a lista da lição anterior, vamos começar pelo grupo das ...

Ver mais

Simples assim
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Simples assim Excelência em Educação Dia 10 de agosto, compareci a um evento muitíssimo interessante. Estimulado pela chamada do convite eletrônico – Avanços na educação pública: o que podemos ...

Ver mais

Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Ainda existe hoje uma cultura, muito estimulada por ...

Ver mais

Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Quem é o idiota que quer deliberadamente envenenar seus ...

Ver mais

Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Se não bastassem as dificuldades para comprar, ...

Ver mais

Cafezinho 201 – Agrotóxicos – melhor seria não usar
Cafezinho 201 – Agrotóxicos – melhor seria não usar
Agrotóxicos são a bola da vez. Da forma como é ...

Ver mais

Se você é incapaz de questionar as próprias crenças, não leia este artigo

Se você é incapaz de questionar as próprias crenças, não leia este artigo

Henrique Szklo -

Fiz este alerta no título por um motivo muito simples: para um radical não existe nada mais ofensivo do que a lógica. E como eu adoro a lógica, o risco deste artigo ofender as pessoas é imenso. Principalmente, porque costumo utilizar o pensamento lógico para questionar as crenças mais caras e profundas do ser humano. Veja bem, eu disse questionar e não atacar. Mas isso não muda nada. Para os cabeçudos, a simples proposta de questionamento já merece uma saraivada de balas. Não faço isso por sacanagem. Até porque vivo questionando as minhas próprias crenças o tempo todo. Tá bom, de vez em quando é por sacanagem mesmo…

Os inimigos da lógica costumam ser “radicais islâmicos” em suas escolhas. Incapazes de vislumbrarem o meio termo, enxergam apenas os opostos. Se morar no deserto não está bom, o melhor é nos mudarmos para o Polo Norte. Por isso, estou cada vez mais convicto de que é perda de tempo argumentar com quem está mais preocupado em estar certo do que em ter bom senso.

A estrutura de pensamento que sustenta a zona de conforto de um sujeito emperrado é formada eminentemente por certezas inquestionáveis. E quanto mais inquestionável, maior o conforto. São temas que estão cristalizados e guardados nos locais mais profundos da mente, justamente para se evitar que sejam manipulados. Por isso, quando você propõe uma reflexão sobre estes assuntos, a reação instintiva dos intransigentes é o ódio. Mexendo neste vespeiro, você estará inconscientemente dizendo ao xiita que pretende tirá-lo de sua zona de conforto. E isso não se faz com um cidadão de bem que paga suas contas, deixa a velhinha passar à sua frente na fila e cumprimenta o porteiro.

É mais ou menos como chutar o banquinho debaixo de uma pessoa sentada nele. A raiva é natural e compreensível. Porém, Deus nos deu (sic) a capacidade de raciocinar e não funcionar como bestas automatizadas, ou seja, somos os tais seres ditos inteligentes. Isso posto, você pode reagir de duas maneiras: partir para cima do agressor ou, antes, perguntar por que ele fez aquilo, por que chutou seu banquinho sem avisar. Quem sabe, ele viu um escorpião chegando na sua bunda e, sem tempo para avisá-lo, resolveu tomar uma medida mais drástica? Quem sabe? Pode ter sido por maldade mesmo, mas sempre existe a possibilidade de não ser exatamente aquilo que parece ser. E reconhecer e considerar a existência de várias possibilidades diferentes diante de um mesmo evento chama-se “reflexão”.

O pensamento lógico é um chute no banquinho dos desafetos da reflexão. Sentaram ali e não querem saber mais de nada. Dane-se o mundo. E, pasmem, a maioria prefere correr o risco de ser picado pelo escorpião do que pensar se aquele é o melhor momento e lugar para se sentar. Os impermeáveis à lógica vão dizer que aquilo não é um escorpião, ou que é um escorpião sem veneno, ou que escorpião não pica, e a maior desculpa de todas: eu vi na internet que picada de escorpião previne o câncer (É verdade, você não vai ter câncer. Vai morrer antes com a picada). Alguns chegam ao cúmulo de, inclusive, responder aos argumentos desviando o assunto proposto: “Você chutou meu banquinho porque o comunismo…”. Ou seja, a intransigência é capaz de ir bem longe atrás de justificativas as mais estapafúrdias para se negar o bom senso.

Não quero dizer com isso que o cabeça dura não respeita a lógica, claro que respeita. Mas uma lógica seletiva, aquela que confirma suas crenças. Porque a que não respeita é considerada blasfêmia.

O teimoso vocacional não percebe que questionamento sério não é uma ameaça e sim uma oportunidade de crescimento. A dúvida é nossa amiga e não braço direito do diabo. Quando refletimos honestamente diante de um questionamento, podemos mudar de opinião, claro, mas podemos também concluir que estávamos certos desde sempre, confirmando nossas crenças e fortalecendo nossa visão de mundo com argumentos mais sólidos e confiáveis.

Reconheço que pensar com a própria cabeça dá muito trabalho, cansa e na maioria das vezes machuca. Sem contar o número de inimigos que você ganha no Facebook. Mesmo assim não troco por nada o prazer de ser capaz de fazer minhas próprias escolhas e, é claro, assumir as consequências.

Ou não.

Publicado originalmente no meu blog UOL

 

CONHEÇA A ESCOLA NÔMADE PARA MENTES CRIATIVAS

Ver Todos os artigos de Henrique Szklo