Iscas Intelectuais
A fábrica de conteúdo
A fábrica de conteúdo
A Confraria Café Brasil dá um passo adiante e começa a ...

Ver mais

Um jeito de ver o mundo
Um jeito de ver o mundo
Isca Intelectual de Luciano Pires que tenta explicar o ...

Ver mais

LíderCast 5
LíderCast 5
Acabamos de lançar a Temporada 5 do podcast LíderCast, ...

Ver mais

O padrão
O padrão
Isca intelectual de Luciano Pires demonstrando que ...

Ver mais

553 – Exponential Talks
553 – Exponential Talks
Podcast Café Brasil 553 - Exponential Talks - Luciano ...

Ver mais

552 – LíderCast 5
552 – LíderCast 5
Podcast Café Brasil 552 - LíderCast 5 . Este programa ...

Ver mais

999 – Hotel Califórnia
999 – Hotel Califórnia
Podcast Café Brasil - Hotel Califórnia. O programa ...

Ver mais

551 – Todo mundo é deficiente
551 – Todo mundo é deficiente
Podcast Café Brasil 551 - Todo mundo é deficiente. ...

Ver mais

LíderCast 061 – Flavio Azm
LíderCast 061 – Flavio Azm
Hoje recebemos Flavio Azm que é cineasta, mas é muito ...

Ver mais

LíderCast 060 – Raiam Santos
LíderCast 060 – Raiam Santos
Hoje recebo Raiam Santos, um jovem brasileiro que não ...

Ver mais

LíderCast 059 – Geraldo Rufino
LíderCast 059 – Geraldo Rufino
Hoje recebemos Geraldo Rufino um empreendedor ...

Ver mais

LíderCast 058 – Marcelo Wajchenberg
LíderCast 058 – Marcelo Wajchenberg
Hoje recebemos Marcelo Wajchenberg, que é médico ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 07
Videocast Nakata T02 07
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 07 Se a sua ...

Ver mais

Diferentes olhares
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Diferentes olhares Metade cheia e metade vazia do copo “Nós tivemos uma economia no ano passado caindo, e no ano anterior também, uma queda que se acentuou um pouco mais do que se estava ...

Ver mais

Não contrate um comunista
Raiam Santos
Só com esse título, já deve ter gente se coçando para buscar meu CPF e tentar me processar por incitação ao ódio e preconceito. Calma, meus amigos! Sou o tipo do cara que odeia discutir política, ...

Ver mais

Carta aberta aos podcasters
Mauro Segura
Transformação
Por que os podcasts não crescem como negócio no Brasil? A resposta pode estar nessa carta aberta de Mauro Segura para os podcasters.

Ver mais

Somos responsáveis pela beleza que herdamos
Bruno Garschagen
Ciência Política
Isca intelectual de Bruno Garshagen. No Brasil, basta consultar fotos antigas das cidades para verificar que o padrão de beleza urbana tradicional deu lugar a um ambiente novo, às vezes ...

Ver mais

Questão de honra

Questão de honra

Adalberto Piotto - Olhar Brasileiro -

Por Adalberto Piotto

Quando vejo atletas brasileiros, que perderam ou erraram movimentos em suas provas ou lutas nos Jogos do Rio, dizendo sentir vergonha ou pedindo desculpas porque não avançaram, isso aumenta minha impressão que temos, sim, o ‘mea culpa’ como um sentimento integrante de nossa sociedade.

Poucos o praticam, é verdade, sobretudo políticos, ainda mais os que se acham enviados da divindade e, por isso, arrogantes, lobos que se apresentam cordeiros.

Mas volto ao caso dos atletas. É claro que a grandeza moral deles, de se desculparem e ainda a coragem de revelarem a própria “vergonha” por não terem ido adiante, provoca em nós o imediato e justo sentimento de: “O que é isso? Você é um lutador. Estamos orgulhosos de você. Cabeça erguida e vamos em frente. Haverá outras oportunidades. Estaremos sempre na torcida por vocês”.

Recusamos as desculpas e o sentimento de vergonha de gente honrada porque uma grandeza leva à outra. E o fazemos, como disse, automaticamente. Apoio e força a quem tem muito o que avançar ou fez muito para ir adiante.

É questão de nobreza. E é lindo ver isso aflorar na sociedade brasileira, desgastada por fatos ruins, é verdade, mas autocríticas, por vezes, exageradas.

Tenho por certo que assim se faz uma sociedade melhor.

Com honestidade nos sentimentos.

Ps.: Danielle Hippólito, da ginástica, que se desculpou, e Victor Penalber, do Judô, que disse ter sentido vergonha ao receber o carinho da torcida mesmo com a derrota, em frente, meninos! Vocês se dispuseram a estar na disputa em nome do país. Estamos com vocês!

Ver Todos os artigos de Adalberto Piotto