Iscas Intelectuais
O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Café Brasil 613 – Biologia política
Café Brasil 613 – Biologia política
E aí? Você é de direita ou de esquerda? Se incomoda com ...

Ver mais

612 – O Efeito Genovese
612 – O Efeito Genovese
Em 1964, Kitty Genovese foi assassinada em Nova York. ...

Ver mais

611 – Momentos felizes
611 – Momentos felizes
Felicidade não existe. O que existe na vida são ...

Ver mais

610 – Abre-te Sésamo
610 – Abre-te Sésamo
Abre-te Sésamo é a frase mágica do conto de Ali-Babá e ...

Ver mais

LíderCast 109 – Romeo Busarello
LíderCast 109 – Romeo Busarello
LíderCast 109 - Hoje conversamos com Romeo Busarello, É ...

Ver mais

Lídercast 108 – Leandro Nunes
Lídercast 108 – Leandro Nunes
LíderCast 108 - Hoje conversamos com Leandro Nunes, um ...

Ver mais

Lídercast 107 – Lucia Bellocchio
Lídercast 107 – Lucia Bellocchio
Hoje conversamos com Lucia Bellocchio, uma jovem ...

Ver mais

LíderCast 106 – Labi Mendonça
LíderCast 106 – Labi Mendonça
LíderCast 106 - 106 - Hoje conversamos com Labi ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Interpretações do Brasil X – As escolhas públicas e as instituições como pano de fundo
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Interpretações do Brasil X As escolhas públicas e as instituições como pano de fundo “Bons jogos dependem mais de boas regras do que de bons jogadores.” James Buchanan  Considerações iniciais A ...

Ver mais

O que aprender quando o futuro já era
Mauro Segura
Transformação
A minha experiência no ano passado mostrou que a história de viver cada dia como se fosse o último é uma baboseira. Aprendi que eu não preciso ter planos mirabolantes para ter uma vida digna, ...

Ver mais

MInha culpa é sua, camarada!
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A tragédia do edifício que pegou fogo e desabou no Largo do Paissandu, em São Paulo, desvendou mais um bem bolado golpe; e golpe, novamente, travestido de “movimento social”: A máfia das invasões ...

Ver mais

O domínio esquerdista na dramaturgia brasileira
Bruno Garschagen
Ciência Política
Hoje, não há qualquer ameaça ao domínio da esquerda nas novelas, filmes, séries, teatro, programas de TV, jornalismo. Por isso a reação agressiva quando alguma obra fura a ditadura cultural.

Ver mais

Cafezinho 72 – Fake News 1
Cafezinho 72 – Fake News 1
Quem julga o juiz?

Ver mais

Cafezinho 71 – Reenquadre o hater
Cafezinho 71 – Reenquadre o hater
Reenquadre o otário e ele vira ouro. Reenquadre a ...

Ver mais

Cafezinho 70 – O Efeito Genovese
Cafezinho 70 – O Efeito Genovese
O comportamento de quem vê algo errado e nada faz a ...

Ver mais

Cafezinho 69 – Quatro Formas de Gastar Dinheiro
Cafezinho 69 – Quatro Formas de Gastar Dinheiro
Gastar nosso dinheiro conosco; nosso dinheiro com ...

Ver mais

Quem

Quem

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

Quem?
29/11/2014 00:00:00

Ele entra em meu consultório reclamando da vida… que não tinha sorte no amor, que tinha poucos amigos, que sua vida social era escassa, que não via mais graça em seu trabalho. Sua voz era empastelada, mecânica, era uma pessoa de semblante e expressão melancólica, “O Cavaleiro da Triste Figura” nas entrelinhas de Cervantes. Sofria da sorte, do azar, era um portador de normalidade crônica em estágio agudo… caso grave de difícil tratamento.

Tais tipos são previsíveis ao extremo, chegam sempre pontualmente no horário, estressam com facilidade quando algo sai fora do lugar, odeiam imprevistos, têm hábitos e perpetuam a rotina, não se animam por qualquer bobagem, trocam lazer por trabalho, em raros momentos fazem algo diferente na vida. De temperamento estável, evidenciam personalidade controladora ao extremo, com pouca ou rara criatividade com forte tendência ao comodismo. Tem cura?

O padrão da normalidade prescrito em vários roteiros e rótulos na era pós moderna tem esta contra indicação. Kant em crise.  Pobre do ser que for adequado à normalidade. Será condenado à chatice, à alienação, ao isolamento pela massificação. Terá inúmeros problemas de convívio social afetivo no trabalho. Será mais um sem graça no meio da multidão. Talvez se adéque ao cargo de burocrata, a um cargo comissionado, um endividado sem desejo e sem destino. O excesso de racionalismo impregna a existência, e justificativas ocorrem para tudo e isto vira comodismo. Lamentavelmente há muitos de tal monta por aí. Sérios candidatos a viverem com intensa ansiedade, à depressão, ao alcoolismo, ou a um enfarto ou derrame aos 50 anos. Certa vez uma paciente me disse que não se suportava mais…”não aguento mais fazer tudo do mesmo jeito, da mesma forma”. “Todo dia ela faz tudo sempre igual me sacode as seis horas da manhã” dizia a letra  de Chico Buarque. O tédio parodiava a letra da música à vida da paciente: sobrava estresse e faltava alegria no existir e a consequência era crise de vida, de casamento, de identidade.

Na vida é importante que tenhamos hábitos e costumes, certa rotina e organização. Porém o excesso, a rigidez, a falta de criatividade, a ausência de rupturas no regime da vida tornam qualquer pessoa um chato, um ser insuportável. E ninguém faz história comportado, ao contrário. Os seres normais têm como sobrenome o tédio e as crises existenciais por falta de personalidade.

Hoje em dia lamentavelmente existem os que preconizam este sonho da vidinha do mesmo de sempre, para transformar a sua história em algo previsível como um roteiro de comercial de sucesso. Você toleraria ficar ao lado de alguém assim?

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima