Iscas Intelectuais
1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

Os Podcasts Café Brasil Musicais
Os Podcasts Café Brasil Musicais
Música é uma de nossas grandes paixões, por isso de ...

Ver mais

#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

661 – A teoria do valor subjetivo
661 – A teoria do valor subjetivo
O mercado é o resultado da interação entre milhões de ...

Ver mais

660 – Na esquina da sua casa
660 – Na esquina da sua casa
Não espere que o Estado se preocupe com o indivíduo. O ...

Ver mais

659 – Empreendedorismo no Palco
659 – Empreendedorismo no Palco
Muitos anos atrás, acho que uns 20, fui convidado para ...

Ver mais

658 – Chá com a gente
658 – Chá com a gente
Este programa reproduz a edição especial do Podcast Chá ...

Ver mais

LíderCast 149 – Ronaldo Tenório
LíderCast 149 – Ronaldo Tenório
Empreendedor, que vem lá do nordeste para mudar a vida ...

Ver mais

LíderCast 148 – Bruno Busquet
LíderCast 148 – Bruno Busquet
CEO da Tupiniq,In Inside Out Agency e president do ...

Ver mais

LíderCast 147 – Sherlock Gomes
LíderCast 147 – Sherlock Gomes
Músico, um guitarrista e baixista excepcional cuja ...

Ver mais

LíderCast 146 – Cândido Pessoa
LíderCast 146 – Cândido Pessoa
Um intelectual, professor no Paradigma centro de ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Que falta faz Roberto Campos!
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Que falta faz Roberto Campos!  Homenagem em três livros “O bem que o Estado pode fazer é limitado; o mal, infinito. O que ele nos pode dar é sempre menos do que nos pode tirar.” Roberto Campos ...

Ver mais

O copo, a água e o STF
Carlos Nepomuceno
RESUMO DA LIVE: LIVE COMPLETA: https://web.facebook.com/carlos.nepomuceno/videos/10157256876268631 RESUMO DAS LIVES ANTERIORES: https://www.youtube.com/playlist?list=PL7XjPl0uOsj8TxfUISqzcl4YrxYBC0vOw

Ver mais

O Rock, Bruce Springsteen e uma lição sobre liderança!
Jeison Arenhart De Bastiani
Outro dia assisti boquiaberto algo que não sei muito bem como descrever, mas posso afirmar que foi incrível e vou contar para você como um músico (que confesso não acompanhar muito) me deu uma ...

Ver mais

100 dias de Bolsonaro
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
100 dias de Bolsonaro Mais dúvidas e incertezas do que avanços concretos “O discurso liberal, que parece ser o principal pilar da agenda econômica, está sendo obscurecido por dois outros ...

Ver mais

Cafezinho 168 – O que nos define
Cafezinho 168 – O que nos define
O que nos define são os adversários que vencemos.

Ver mais

Cafezinho 167 – Monstros da negatividade
Cafezinho 167 – Monstros da negatividade
“O otimista é o pessimista bem informado”, lembra ...

Ver mais

Cafezinho 166 – O nobre
Cafezinho 166 – O nobre
Este Brasil de 2019 é muito diferente daquele de 2015.

Ver mais

Cafezinho 165 – Moralfabetismo
Cafezinho 165 – Moralfabetismo
Vivemos tempos de autonomia moral, onde cada indivíduo ...

Ver mais

Quando eu crescer…

Quando eu crescer…

Filipe Aprigliano - Iscas do Apriga -

Você já se pegou pensando que o mundo seria bem melhor se não houvesse pessoas de determinadas características? Assassinos, enganadores, aproveitadores e todos os tipos de canalha. Enfim, pessoas que não estão em sintonia com as nossas expectativas morais.

Exercite esse pensamento considerando as ausências de virtude mais extremas e os delitos mais insignificantes. Fique a vontade e não se acanhe.  Não será difícil imaginar um mundo mais pacífico, mais seguro e mais feliz.

São assim que nascem as utopias: através de um impulso romântico, projetamos métodos para melhorar as pessoas, para controlá-las e como último recurso até mesmo para exterminá-las.

Seja como for, com métodos homeopáticos ou métodos de seleção compulsória, não passa de uma perda de tempo. E assim partimos do princípio que esse mundo deveria ser pacífico, deveria ser justo, deveria ser igualitário, deveria ser livre, deveria, deveria, deveria… Deveria ser o Paraíso!

Embora no discurso isso seja amenizado, o pensamento utópico se recusa a aceitar o mundo como ele é, se recusa a aceitar que a vida é um milagre temporário, que se esgota e se transforma em algo diferente, como tudo no universo.

O pensador utópico, em algum ponto da vida, percebe que não consegue ser feliz se os outros não colaborarem. Então inventa um plano magistral para colocar cada um cumprindo seu papel devido.

Agora existe uma abordagem diferente, aquela que simplesmente aceita as coisas como elas são. Parece simples e conformista, ou até preguiçoso e desprovido de virtude, mas muito pelo contrário, é o único caminho de paz.

Esse caminho é estritamente individual, pode até inspirar os outros pelo bom exemplo, mas é individual… A verdade é que mundo permanecerá sempre como é, equilibrado sobre a ponta de uma faca, com momentos violentos, sombrios e de aparente decadência sem retorno.

A verdade é que não existe retorno para nada e a impermanência é tão palpável como a singularidade de tudo na existência.

Existem ciclos, repetições, padrões, mas cada qual é único e especial. Sem cada elemento singular do presente, seja ele milagroso ou escatológico, todo o resto desmorona, esmaece e perde seu valor e significado.

Em algum ponto da história a humanidade amadureceu no seu conhecimento da materialidade, amadureceu no seu entendimento das mecânicas internas da mente, das sociedades e da natureza.

Curiosamente, ao invés do homem se tornar humilde diante da enorme complexidade que há em tudo que existe, tornou-se um ser arrogante e almejou uma reengenharia cósmica. Pura insanidade.

Quando eu crescer, quero aceitar o mundo como ele é, sem julgamento, sem sofrimento, lidando com cada desafio sem resistência.

Imagino que seja algo similar ao primeiro homem que comeu um coco, com fome e determinação, e que não perdeu tempo sentindo raiva da casca.

Obrigado pelo seu tempo. Quem sabe nos falamos novamente?

Ver Todos os artigos de Filipe Aprigliano