Iscas Intelectuais
A “Netflix de Conteúdo”
A “Netflix de Conteúdo”
Surge o Café Brasil Premium, uma espécie de "Netflix do ...

Ver mais

OrgulhoDeSerCorrupto
OrgulhoDeSerCorrupto
Isca intelectual de Luciano Pires. Neste Brasil ...

Ver mais

O moço do Uber
O moço do Uber
Isca intelectual de Luciano Pires relatando uma ...

Ver mais

A terceirização e os brontossauros
A terceirização e os brontossauros
A terceirização e os brontossauros. Isca intelectual de ...

Ver mais

558 – O Café Brasil Premium
558 – O Café Brasil Premium
Podcast Café Brasil 558 - O Café Brasil Premium. No ...

Ver mais

557 – Três princípios para falar de Justiça
557 – Três princípios para falar de Justiça
Podcast Café Brasil 557 - Três princípios para falar de ...

Ver mais

556 – Certos abraços – Revisitado
556 – Certos abraços – Revisitado
Podcast Café Brasil 556 - Certos abraços - Revisitado. ...

Ver mais

555 – Uma proposta para reforma da Previdência
555 – Uma proposta para reforma da Previdência
Podcast Café Brasil 555 - Uma proposta para transformar ...

Ver mais

LíderCast 065 – Antonio Carlos Sartini
LíderCast 065 – Antonio Carlos Sartini
Hoje recebo Antonio Carlos de Moraes Sartini, Bacharel ...

Ver mais

LíderCast 064 – Luiz Henrique Romagnoli
LíderCast 064 – Luiz Henrique Romagnoli
Hoje recebo o Roma, Luiz Henrique Romagnoli, que faz ...

Ver mais

LíderCast 063 – Diogenes Lucca
LíderCast 063 – Diogenes Lucca
Hoje converso com Diogenes Luca, fundador e ex-comando ...

Ver mais

LíderCast 062 – Felipe Pires e Katiusca Carvalho
LíderCast 062 – Felipe Pires e Katiusca Carvalho
Hoje recebemos Felipe Pires e Katiusca Carvalho. O ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Champagne a 21 mil dólares: como funciona a melhor balada de Hollywood
Raiam Santos
Se você tá chegando agora nesse humilde site, bem vindo! Meu nome é Raiam Santos, vivo de escrever livros, não levo minha vida muito a sério e gosto de fazer uns “experimentos ...

Ver mais

Uma nova vida em dois anos
Tom Coelho
Sete Vidas
“Semeia um pensamento, colhe um ato; semeia um ato, colhe um hábito; semeia um hábito, colhe um caráter; semeia um caráter, colhe um destino.” (Marion Lawense)   A vida me tem sido um ...

Ver mais

Quando sucesso e dinheiro não resolvem teu problema
Raiam Santos
Esse aqui é um post que foge um pouco da pegada recente aqui do MundoRaiam.com. Hoje não tem Fiverr, não tem audiolivros, não tem viagem pra Ásia e nem experimento social. Acho que nunca escrevi ...

Ver mais

Duas listas diferentes
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Já assistiu A Lista de Schindler? Não? Assista, é excelente. Já viu? Veja de novo. Uma das cenas mais tocantes é a da elaboração da lista de pessoas que o protagonista pretende “comprar” do ...

Ver mais

Quando eu crescer…

Quando eu crescer…

Filipe Aprigliano - Iscas do Apriga -

Você já se pegou pensando que o mundo seria bem melhor se não houvesse pessoas de determinadas características? Assassinos, enganadores, aproveitadores e todos os tipos de canalha. Enfim, pessoas que não estão em sintonia com as nossas expectativas morais.

Exercite esse pensamento considerando as ausências de virtude mais extremas e os delitos mais insignificantes. Fique a vontade e não se acanhe.  Não será difícil imaginar um mundo mais pacífico, mais seguro e mais feliz.

São assim que nascem as utopias: através de um impulso romântico, projetamos métodos para melhorar as pessoas, para controlá-las e como último recurso até mesmo para exterminá-las.

Seja como for, com métodos homeopáticos ou métodos de seleção compulsória, não passa de uma perda de tempo. E assim partimos do princípio que esse mundo deveria ser pacífico, deveria ser justo, deveria ser igualitário, deveria ser livre, deveria, deveria, deveria… Deveria ser o Paraíso!

Embora no discurso isso seja amenizado, o pensamento utópico se recusa a aceitar o mundo como ele é, se recusa a aceitar que a vida é um milagre temporário, que se esgota e se transforma em algo diferente, como tudo no universo.

O pensador utópico, em algum ponto da vida, percebe que não consegue ser feliz se os outros não colaborarem. Então inventa um plano magistral para colocar cada um cumprindo seu papel devido.

Agora existe uma abordagem diferente, aquela que simplesmente aceita as coisas como elas são. Parece simples e conformista, ou até preguiçoso e desprovido de virtude, mas muito pelo contrário, é o único caminho de paz.

Esse caminho é estritamente individual, pode até inspirar os outros pelo bom exemplo, mas é individual… A verdade é que mundo permanecerá sempre como é, equilibrado sobre a ponta de uma faca, com momentos violentos, sombrios e de aparente decadência sem retorno.

A verdade é que não existe retorno para nada e a impermanência é tão palpável como a singularidade de tudo na existência.

Existem ciclos, repetições, padrões, mas cada qual é único e especial. Sem cada elemento singular do presente, seja ele milagroso ou escatológico, todo o resto desmorona, esmaece e perde seu valor e significado.

Em algum ponto da história a humanidade amadureceu no seu conhecimento da materialidade, amadureceu no seu entendimento das mecânicas internas da mente, das sociedades e da natureza.

Curiosamente, ao invés do homem se tornar humilde diante da enorme complexidade que há em tudo que existe, tornou-se um ser arrogante e almejou uma reengenharia cósmica. Pura insanidade.

Quando eu crescer, quero aceitar o mundo como ele é, sem julgamento, sem sofrimento, lidando com cada desafio sem resistência.

Imagino que seja algo similar ao primeiro homem que comeu um coco, com fome e determinação, e que não perdeu tempo sentindo raiva da casca.

Obrigado pelo seu tempo. Quem sabe nos falamos novamente?

Ver Todos os artigos de Filipe Aprigliano