Iscas Intelectuais
Como decidi em quem votarei para Presidente
Como decidi em quem votarei para Presidente
Não sei se estou certo, não fui pela emoção, não estou ...

Ver mais

Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

635 – De onde surgiu Bolsonaro?
635 – De onde surgiu Bolsonaro?
O pau tá quebrando, a eleição ainda indefinida e nunca ...

Ver mais

634 – Me chama de corrupto, porra!
634 – Me chama de corrupto, porra!
Cara, que doideira é essa onda Bolsonaro que, se você ...

Ver mais

633 – Ballascast
633 – Ballascast
O Marcio Ballas, que é palhaço profissional, me ...

Ver mais

632 – A era da inveja
632 – A era da inveja
Uma pesquisa de 2016 sobre comportamento humano mostrou ...

Ver mais

LíderCast 128 – Leide Jacob
LíderCast 128 – Leide Jacob
Empreendedora cultural e agora cineasta, que ...

Ver mais

LíderCast 127 – Lito Rodriguez
LíderCast 127 – Lito Rodriguez
Empreendedor, criador da DryWash, outro daqueles ...

Ver mais

LíderCast 126 – Alexis Fonteyne
LíderCast 126 – Alexis Fonteyne
Empresário criativo e agora candidato a Deputado ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Marxistas brasileiros vivem espécie de alucinação coletiva recorrente
Carlos Nepomuceno
O jornal Folha de São Paulo publica um artigo feita por uma petista confessa: Ver aqui: https://www.facebook.com/carlos.nepomuceno/posts/10156853246303631 …sem nenhum fato, baseado em ...

Ver mais

Sempre, sempre Godwin
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
O advogado Mike Godwin criou em 1990 a seguinte “lei” das analogias nazistas: “À medida que uma discussão online se alonga, a probabilidade de surgir uma comparação envolvendo Adolf Hitler ou os ...

Ver mais

É mais fácil seguir o grupo
Jota Fagner
Origens do Brasil
Existe uma crença muito difundida de que a história humana avança em etapas gradativas e que culminará numa revolução transformadora. O tipo de revolução muda conforme o viés ideológico. A ...

Ver mais

Bolsonaro e Transformação Digital
Carlos Nepomuceno
Vivemos o início de Revolução Civilizacional na qual ao se plantar um "pé de cooperativa de táxi" por mais que se tome litros de Design Thinking não nasce nunca um Uber.

Ver mais

Cafezinho 116 – Os demônios brochadores
Cafezinho 116 – Os demônios brochadores
O que vem por aí? Uma mudança ou nova brochada?

Ver mais

Cafezinho 115 – Um voto não vale uma amizade
Cafezinho 115 – Um voto não vale uma amizade
Não gaste sua energia e seu tempo precioso de vida ...

Ver mais

Cafezinho 114 – E se?
Cafezinho 114 – E se?
Mudanças só acontecem quando a crise que sofremos for ...

Ver mais

Cafezinho 113 – Merdades e Ventiras
Cafezinho 113 – Merdades e Ventiras
Conte até dez antes de compartilhar uma merdade

Ver mais

Problema: Boa vontade

Problema: Boa vontade

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

10527676_830313236980465_4134203447226811494_n

Há alguns meses atras procurei uma relojoaria para tentar arrumar um relógio importado que havia dado defeito, no centro da cidade. Um relógio com os ponteiros em braile. O relógio havia sofrido uma pancada e os ponteiros não funcionavam direito. O relojoeiro era um rapaz de seus 30 anos, disse que morou fora, que era viajado e falou de suas aventuras pelo mundo. Pegou o relógio, olhou pensou e sem examinar o problema disse: procure a assistência técnica, é um bom relógio mas não vou mexer nele… não sei direito com este tipo de modelo.

E falou de uma série de problemas, de dificuldades, sem abrir o relógio para ver o que era… reclamou do pouco movimento, da pouca clientela, que ia voltar para os Estados Unidos por que a vida aqui era muito difícil.

 Esta semana levo o mesmo relógio em outro relojoeiro mais velho. Ele abre o relógio sem medo, testa a bateria e em cinco minutos descobre o problema resolvendo toda questão. Eu na hora fiquei aturdido questionando e o outro relojoeiro que me disse que tinha de mandar o relógio pro exterior, que aqui ninguém ia saber mexer com ele, que não sabia como funcionava o relógio…

 Depois desta epopéia pensei nos burocratas, naquela senhora da repartição pública que nunca tem solução paro os problemas que temos, no político que desfigura a realidade que maquia os números para perpetuar sua ineficácia, pensei na desculpa esfarrapada do aluno relapso que nos procura no final do curso pedindo a nota da disciplina que ele não assistiu. Já viu isto?

Nossa sociedade é dividida. A massificação tem esta característica básica que funde comodismo, com falta de curiosidade, com pensamento padronizado na especialidade de ver defeitos e em raros momentos tentar achar uma solução.E um indivíduo massificado perde sua capacidade criativa, sua identidade, sua capacidade de resolver problemas, de ousar, de pensar diferente, de questionar. Como o primeiro relojoeiro desta história pra que pensar em solução se posso idolatrar um problema?

Pra que tentar se é mais fácil desistir? Hoje vejo inúmeras pessoas reclamando de governo, de dificuldade, de endividamento, do estado que não presta, com muita conversa fiada e rara ação. A mesma retórica de promessa eleitoral de campanha política, muito discurso e inação.

Para mim o ocorrido do relógio foi bem significativo. Pensei nas várias vezes que sem questionar ou prestar atenção reclamei e desisti, algo comum a nossa cultura. Pensei na vida dos amigos e conhecidos e do quanto isto tem sido comum em nosso subdesenvolvimento. Reclamar e desistir é fácil, tenta fazer diferente e agir. Seu bolso, sua vida profissional, social sua existência vão agradecer.

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima