Iscas Intelectuais
Palestra O Meu Everest
Palestra O Meu Everest
Meu amigo Irineu Toledo criou um projeto chamado ...

Ver mais

Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

691 – Os agilistas
691 – Os agilistas
Conversei com o Marcelo Szuster no LíderCast 175, um ...

Ver mais

690 – Vale quanto?
690 – Vale quanto?
Cara, você aceita pagar pelo ingresso de um show a ...

Ver mais

689 – A Missão
689 – A Missão
De quando em quando publicamos no Café Brasil a íntegra ...

Ver mais

688 – Doar órgãos é doar vida
688 – Doar órgãos é doar vida
A doação de órgãos é um ato de generosidade, é o ...

Ver mais

LíderCast 178 – Tristan Aronovich
LíderCast 178 – Tristan Aronovich
Ator, músico, escritor, diretor e produtor de cinema, ...

Ver mais

LíderCast 177 – Rodrigo Ricco
LíderCast 177 – Rodrigo Ricco
CEO da Octadesk, empresa focada na gestão de ...

Ver mais

LíderCast 176 – Willians Fiori
LíderCast 176 – Willians Fiori
Professor, podcaster e profissional de marketing e ...

Ver mais

LíderCast 175 – Marcelo Szuster
LíderCast 175 – Marcelo Szuster
O cara do “Business Agility", que trata da capacidade ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

A chave de fenda
Chiquinho Rodrigues
Toninho Macedo era um daqueles músicos de fim de semana. Amava música e tocava seu cavaquinho “de brincadeira” (como ele dizia) aos sábados e domingos em uma banda de pagode ali do bairro onde ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 3 – Morfologia Sincategoremática (parte 6)
Alexandre Gomes
A MORFOLOGIA SINCATEGOREMÁTICA se refere a PALAVRAS que só tem significado quando associadas a outras PALAVRAS.   Bom, se tais palavras se referente a outras palavras, então as funções delas ...

Ver mais

Vilmoteca
Chiquinho Rodrigues
Ser músico e ter viajado por esse imenso Brasil são dádivas que agradeço todo dia ao Papai do Céu! Ter colecionado experiências e conhecido os mais variados tipos de malucos acabaram fazendo de ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 3 – Palavras Atributivas: verbos, advérbios e adjetivos (parte 5)
Alexandre Gomes
Continuando a tratar de VERBOS, irei expor agora sobre as classes de verbos:   TRANSITIVOS: aqueles que expressam uma ação que começa no sujeito (agente) e “vai até” (trans + ire) o objeto ...

Ver mais

Cafezinho 228 – O medo permanente
Cafezinho 228 – O medo permanente
Enquanto destruíam nosso sistema de justiça criminal ...

Ver mais

Cafezinho 227 – Paralisia por análise
Cafezinho 227 – Paralisia por análise
A falta de experiência e repertório dessa moçada ...

Ver mais

Cafezinho 226 – O MCSC
Cafezinho 226 – O MCSC
Um movimento que independe de partidos, de políticos, ...

Ver mais

Cafezinho 225 – O Meu Everest
Cafezinho 225 – O Meu Everest
Nos livros, isso tem o nome de planejamento estratégico.

Ver mais

Possíveis aspectos positivos do PROSUL

Possíveis aspectos positivos do PROSUL

Luiz Alberto Machado - Iscas Econômicas -

Possíveis aspectos positivos do PROSUL[1]

 Considerações iniciais

Na capital da República do Chile, em 22 de março de 2019, oito países se reuniram na criação de um fórum para o progresso da América do Sul, o PROSUL (em espanhol, PROSUR).

Em Santiago de Chile, os presidentes da Argentina, do Brasil, do Chile, da Colômbia, do Equador, do Paraguai e do Peru, além do embaixador da Guiana, dialogaram numa mesa redonda sobre os novos rumos dos países sul-americanos.

O PROSUL é o novo fórum que une oito países da América do Sul, subcontinente da América formado por 12 países e dois territórios, a Guiana Francesa (França) e as Ilhas Falkland (Reino Unido). Na Primeira Cúpula do PROSUL, o tapete vermelho foi estendido para os líderes, portanto, novos acordos comerciais, econômicos e ambientais poderão ocorrer nos próximos meses ou anos.

A Declaração de Santiago foi assinada pelos líderes dos países membros do PROSUL no Palácio de La Moneda. O primeiro presidente do PROSUL, pelos próximos 12 meses, será o presidente chileno Sebastián Piñera. Depois desse período, passará o cargo e as responsabilidades para o presidente paraguaio Mario Benítez.

Assinalamos que a Bolívia, o Uruguai e o Suriname enviaram seus representantes ao Chile, como países observadores, mas não aderiram ao PROSUL. A Venezuela não participou do evento regional.

Os prós do PROSUL

Recentemente, a The Economist, uma das mais respeitadas revistas de economia em todo o mundo, publicou uma matéria intitulada Why Prosur is not the way to unite South America (em português, Porque o PROSUL não é a maneira de unir a América do Sul) e enfatizou que: “Attempts at regional integration always seem to stumble over politics” (em português, As tentativas de integração regional parecem sempre tropeçar na política).

O presente artigo procura destacar possíveis aspectos positivos do PROSUL e não debater os tropeços políticos dos antigos e atuais líderes sul-americanos nem tão pouco questionar se o PROSUL é o fim da União das Nações Sul-Americanas (UNASUL)[2], cuja sede administrativa inicial foi Quito, no Equador.

No contexto de forte polaridade política vivido em nosso país, duros questionamentos ao PROSUL aconteceram e severas críticas virão pela criação de uma nova instituição regional. Nós, no entanto, acreditamos na validade do debate e da reflexão serena quanto ao surgimento do PROSUL e consideramos que na sociedade da Quarta Revolução Industrial os aspectos positivos do PROSUL são: (i) a plena vigência da liberdade e da democracia; (ii) a busca de uma melhor cooperação e integração regional; (iii) o respeito aos direitos humanos; (iv) a proteção ao meio ambiente; (v) os investimentos em infraestrutura logística e energia; (vi) as políticas públicas em defesa da educação e saúde; (vii) a cooperação na defesa e na paz; e (viii) a busca pelo desenvolvimento sustentável.

No Palácio de La Moneda, os líderes sul-americanos não pensaram na criação de uma única moeda em circulação na América do Sul, porque tal reforma monetária regional não é necessária em países tão distintos nos âmbitos populacionais, econômicos e sociais.

Os principais indicadores e índices do PROSUL na atualidade

O PROSUL é um novo bloco sul-americano e seus líderes estão pensando na cooperação regional, em suas economias e suas populações. De acordo com o pronunciamento final do presidente chileno Sebastián Piñera, “(…) Para enfrentar o problema de hoje e também assumir o desafio do futuro. Hoje se dá início ao processo de criação do PROSUL”.

Por isso, é relevante examinar os principais indicadores e índices do PROSUL nos dias atuais: PIB nominal, população, taxa de crescimento do PIB, IDH, esperança de vida ao nascer e índice de Gini.

Quadro 1. Os principais indicadores e índices do PROSUL na atualidade

País PIB Nominal

(Em bilhões de dólares)

População

(Em milhões de hab.)

Taxa de Crescimento do PIB

(Em %)

IDH Esperança de vida ao nascer

(Em anos)

Índice

de Gini

PROSUL 3,789 377,2 2,0 0,754

74,8

47,0
Brasil 2,141 209,3 1,1 0,759

75,7

51,3
Argentina 0,536 44,3 -2,5 0,825

76,7

42,4
Colômbia 0,427 49,1 2,7 0,747

74,6

50,8
Peru 0,286 32,2 4,0 0,750

75,2

43,8
Chile 0,264 18,1 4,0 0,843

79,7

47,7
Equador 0,100 16,6 1,0 0,752

76,6

45,0
Paraguai 0,032 6,8 4,0 0,702

73,2

47,9
Guiana 0,003 0,8 sd 0,654

66,8

sd
 Fontes: FMI (2018), PNUD (2017) e CEPAL (2018). Nota: sd significa sem dados.

Com base nos dados do Quadro 1, verificamos as seguintes características do novo bloco regional da América do Sul: o PIB total do PROSUL é de US$ 3,789 trilhões (FMI, 2018); a população total do PROSUL é de 377,2 milhões de habitantes (PNUD, 2017); em média, a taxa de crescimento do PIB do PROSUL é de 2,0% ao ano (CEPAL, 2018). O IDH do bloco, em média, é de 0,754 (PNUD, 2017), correspondente ao desenvolvimento humano elevado[3]. Em média, a esperança de vida ao nascer é de 74,8 anos (PNUD, 2017). Por último, em média, o Índice de Gini é de 47,0 (PNUD, 2017).

O Brasil é o país mais rico e mais populoso do PROSUL, além do terceiro melhor IDH. O Chile é país com o melhor IDH do PROSUL. Enquanto, a Guiana é o país mais pobre, menos populoso e com o pior IDH do bloco.

A Argentina é o segundo país mais rico e o segundo melhor IDH do PROSUL. Enquanto, a Colômbia é o terceiro país mais rico, o segundo mais populoso e com o sexto melhor IDH do PROSUL.

O Equador e o Paraguai têm quase o mesmo IDH, com 0,752 e 0,750, respectivamente. Já o PIB peruano é um pouco superior ao chileno, com PIB nominal (em inglês, Nominal GDP) de US$ 286 bilhões contra US$ 264 bilhões.

Para o Fundo Monetário Internacional (FMI), três países concentram 81,9% do PIB total do PROSUL, o Brasil, a Argentina e a Colômbia. O PIB de US$ 3,789 trilhões do PROSUL é um pouco inferior ao PIB da Alemanha, a quarta maior economia do mundo, com o PIB de US$ 3,990 trilhões.

O Chile tem a maior esperança de vida ao nascer com 79,7 anos, enquanto a menor expectativa de vida ao nascer é da Guiana, com 66,8 anos. A diferença entre os dois países sul-americanos é de 12,9 anos.

O Brasil tem o pior Índice de Gini do PROSUL, com 51,3, enquanto a Argentina tem o melhor Índice de Gini do bloco, com 42,4. A diferença entre as duas nações da América do Sul é de 8,9 no Coeficiente de Gini. Alertamos que o novo Relatório sobre o Desenvolvimento Humano 2019 do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) será centrado na desigualdade.

Constatamos também com os dados de 2018 da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), que a Argentina entra em recessão econômica com 2,5%, enquanto, os dois vizinhos, o Chile e o Paraguai, e o não vizinho, o Peru, avançam economicamente com uma taxa de crescimento do PIB de 4,0%. Vale lembrar que o Chile é o maior produtor e exportador global de cobre.

Considerações finais

Em suma, consideramos que o PROSUL pode se constituir num avanço em direção à liberdade econômica e à igualdade social na América do Sul.

 

Iscas para ir mais fundo no assunto

Referências webgráficas

FMI. Nominal GDP. Disponível em: https://www.imf.org/. Acesso em 30 de março de 2019.

PIÑERA, Sebastián. Presidente Piñera tras cumbre en La Moneda: “Hoy se da inicio al proceso de creación de Prosur“. Disponível em: https://www.bing.com/videos/search?q=pinera+y+prosur&&view=detail&mid=56E115040B78B539EA8D56E115040B78B539EA8D&&FORM=VRDGAR. Acesso em 23 de março de 2019.

PNUD. Human Development Indices and Indicators 2018. Disponível em: http://hdr.undp.org/sites/default/files/2018_human_development_statistical_update.pdf . Acesso em 23 de março de 2019.

THE ECONOMIST. Why Prosur is not the way to unite South America. Disponível em: https://www.economist.com/the-americas/2019/03/23/why-prosur-is-not-the-way-to-unite-south-americ. Acesso em 23 de março de 2019.

VALOR ECONÔMICO. Argentina cai 2,5% e lidera frustração da AL em 2018. Disponível em: https://www.valor.com.br/internacional/6174631/argentina-cai-25-e-lidera-frustracao-da-al-em-2018?fbclid=IwAR1ZfD3WUCgU8hzn_i7S63_YQ8dKMZcH-hQqPapCOIViRySH6uFYkPccNfc. Acesso em 23 de março de 2019.

[1] Escrito em parceria com o economista Paulo Galvão Junior, graduado em Ciências Econômicas pela UFPB, com especialização em Gestão em Recursos Humanos pela FATEC Internacional. Professor do Curso de Graduação em Ciências Contábeis e em Administração no IESP Faculdades. E-mail: paulogalvaojunior@gmail.com.

[2] A UNASUL foi fundada em 23 de maio de 2008 por 12 países sul-americanos e hoje tem cinco países membros: Bolívia, Guiana, Suriname, Uruguai e Venezuela. A sede parlamentar da UNASUL está em Cochabamba, na Bolívia.

[3] Calculado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o IDH classifica os países em quatro categorias: de desenvolvimento humano muito alto, quando o índice fica entre 0,800 e 1; de desenvolvimento humano alto, quando o índice fica entre 0,700 e 0,799; de desenvolvimento humano médio, quando o índice fica entre 0,550 e 0,699; e de desenvolvimento humano baixo, quando o índice fica entre 0 e 0,549.

Ver Todos os artigos de Luiz Alberto Machado