Iscas Intelectuais
Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
MUDANÇAS IMPORTANTES NO CAFÉ BRASIL PREMIUM A você que ...

Ver mais

Café Brasil no Top 10 Podbean
Café Brasil no Top 10 Podbean
O Café Brasil está entre os Top 10 numa das maiores ...

Ver mais

701 – Sorte
701 – Sorte
E aí? Você se considera uma pessoa sortuda ou azarada? ...

Ver mais

700 – Girl Power
700 – Girl Power
Bem, você sabe que sempre que chegamos num programa ...

Ver mais

699- Um brasileiro
699- Um brasileiro
Como sabemos que muitos ouvintes do Café Brasil não ...

Ver mais

698 – A Mente Moralista
698 – A Mente Moralista
Somos criaturas profundamente intuitivas cujas ...

Ver mais

LíderCast 184 – Michelle Susan
LíderCast 184 – Michelle Susan
Uma lutadora, que sai do zero para trabalhar em ...

Ver mais

LíderCast 183 – Antonio Mamede
LíderCast 183 – Antonio Mamede
Ex-executivo de grandes empresas, hoje consultor e ...

Ver mais

LíderCast 182 – Alexis Fontaine
LíderCast 182 – Alexis Fontaine
Segunda participação do Deputado Federal do partido ...

Ver mais

LíderCast 181 – Christian Gurtner
LíderCast 181 – Christian Gurtner
Christian Gurtner – O homem que leva a gente para ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Minha despedida
Chiquinho Rodrigues
Como você bem sabe, sou músico e tenho uma produtora de vídeo aqui em São Paulo que é o Estúdio Bandeirantes. Atendemos clientes de quase todo o Brasil. Seja fazendo arranjos, produção de Cds, ...

Ver mais

Documentira
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Até anteontem, os Estados Unidos eram o império do mal, a síntese de tudo de ruim que há no universo; um inferno habitado por seres inumanos, que massacram sul-americanos por puro prazer sádico, ...

Ver mais

A harpa elétrica
Chiquinho Rodrigues
Valdenir era um cara que acreditava piamente em reencarnação. Mas não era só isso… Acreditava também em vidas passadas, ufos e astrologia. Flertava com o candomblé, o budismo e era também ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 3 – Classificação dos Termos (parte 9)
Alexandre Gomes
Continuando os resumos depois de um belo fim de ano, vou continuar detalhando mais sobre os o que são os termos e suas variedades. Perceba que isso é muito mais uma base de compreensão lógica das ...

Ver mais

Cafezinho 250 – O lobo e o cordeiro
Cafezinho 250 – O lobo e o cordeiro
Monteiro Lobato tem um livro precioso chamado Fábulas, ...

Ver mais

Cafezinho 249 – Na vanguarda do atraso
Cafezinho 249 – Na vanguarda do atraso
Para que, daqui a 40 anos, os jovens que hoje têm ido ...

Ver mais

Cafezinho 248 – O meiostream
Cafezinho 248 – O meiostream
Sobre se considerar bem-sucedido sendo o que se é.

Ver mais

Cafezinho 247 – Compartilhe!
Cafezinho 247 – Compartilhe!
Sobre o hábito de compartilhar aquilo que vale a pena.

Ver mais

Petróleo e pedras

Petróleo e pedras

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

Quem acompanha corridas – de carro ou moto – pelo mundo sabe que os veículos elétricos estão na moda; desde o motociclismo de alta performance até disputas dignas de Fórmula 1. Meu amigo Cuca, viciado em qualquer coisa que tenha rodas (de carrinho de mão a caminhão atômico) garante que isso não é nada passageiro, mas uma tendência que veio para ficar.

Há muito tempo as grandes fábricas automotivas buscam uma alternativa final para os veículos a combustão fóssil e, ao que parece, encontraram. Não que motores elétricos sejam uma novidade; mas atualmente os problemas de autonomia, peso, logística e custo parecem ter sido resolvidos. A Tesla, pioneira de luxo nesse setor, colocou ótimos veículos nas lojas, e as outras grandes – mesmo as não tão luxuosas – partiram em seu encalço na corrida por esse lucrativo mercado mundial, cujo futuro é visto com bons olhos por todos, desde os histéricos ecochatos até muitos pilotos de competição, como o grande campeão inglês Lewis Hamilton. Sem esquecer que, historicamente, tudo que é testado e aprimorado nas pistas de corrida, acaba invariavelmente sendo utilizado também nas ruas, pelos motoristas comuns.

Trocando em miúdos: no máximo em algumas décadas, grande parte dos motores a combustão fóssil será considerada obsoleta e sua produção descontinuada. Há algumas interrogações que só o futuro esclarecerá: Os motores a álcool vão continuar? Veículos pesados, como caminhões, deixarão de utilizar combustíveis fósseis, como o diesel? E como será contida a poluição resultante dos subprodutos das baterias que armazenam energia nos carros elétricos, extremamente tóxicos?

Nos anos 70, os arautos do apocalipse, primos-irmãos dos atuais eco-histéricos, apontavam o fim do mundo ali na esquina, com o fim do petróleo e a consequente distopia digna de filme-tragédia. Ao inverso, o consumo de combustível fóssil vem caindo e não se vislumbra mais um barril de petróleo a 200 dólares, como em passado recente. Como muito bem explicou Zaki Yamani, ex-ministro de governo da Arábia Saudita, a Idade do Petróleo não vai acabar por falta de petróleo, exatamente como a Idade da Pedra não acabou por falta de pedra. Em ambos os casos, a genialidade humana tratou, simplesmente, de buscar alternativas melhores, em lugar de chorar o desabastecimento.

Enquanto isso, aqui na Banânia, a jecaria prevalece. A lulada berrava e esperneava (em coro com ex-lulistas e lulistas disfarçados, tais como Ciro Gomes, o espertão) que o Brasil ia entregar o Pré-sal a um conglomerado internacional a preço de banana, tudo “combinado”, segundo eles. Porém, eis que nenhum desses “vilões opressores” se animou a participar dos recentes leilões no Brasil. A Petrobrás acabou adquirindo a maior parte dos campos petrolíferos à venda. Compramos de nós mesmos, lamentou o ministro Paulo Guedes. A lulada deve ter se decepcionado, em vez de festejar. O mercado mostrou que as ideias dessa gente pertencem ao início do século XX e, desde a queda do Muro de Berlim, há 30 anos, não é crível que alguém com cérebro leve a sério essas ideias enferrujadas.

Como o brasileiro esquece a cada 15 anos tudo o que aconteceu nos últimos 15 anos (obrigado, Ivan Lessa), é obvio que vão continuar tratando a Petrobrás como a grande joia brasileira no setor energético, em lugar de perceber a realidade: Uma empresa falida pela roubalheira do desgoverno Lula/Dilma e que tem um futuro presumivelmente ruim em razão da expressiva queda do consumo e, consequentemente, do preço do petróleo. A lulada, por exemplo, tem fortes esperanças de voltar ao poder e chupar a jugular da Petrobrás de canudinho, exatamente como fez durante os anos do Petrolão.

O Brasil vai aprender essas lições simples? Essa futurologia certeira vai ser respeitada? Difícil dizer. Há apenas três anos, éramos governados por gente cujas mentes eram movidas não a óleo, mas a carvão, e as ideias sendo tão sujas quanto. Aqui na Banânia, os interesses escusos ultrapassam a barreira da realidade.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes