Iscas Intelectuais
É tudo soda
É tudo soda
Isca intelectual de Luciano Pires lembrando que ...

Ver mais

A selhófrica da pleita
A selhófrica da pleita
Isca intelectual de Luciano Pires tratando do nonsense ...

Ver mais

Freestyle
Freestyle
Isca Intelectual de Luciano Pires dizendo que quando ...

Ver mais

O Cagonauta
O Cagonauta
Isca intelectual de Luciano Pires. Se o seu chefe é um ...

Ver mais

567 – Carta ao jovem desempregado
567 – Carta ao jovem desempregado
Podcast Café Brasil 567 - Carta ao jovem desempregado. ...

Ver mais

Café Brasil Curto 04 – O preço da liberdade
Café Brasil Curto 04 – O preço da liberdade
Isca intelectual de Luciano Pires lembrando que ...

Ver mais

Café Brasil Curto 03 – FISCALMENTE ILUDIDOS
Café Brasil Curto 03 – FISCALMENTE ILUDIDOS
Isca intelectual de Luciano Pires lembrando que não ...

Ver mais

Café Brasil Curto 02 – A FORMATURA
Café Brasil Curto 02 – A FORMATURA
Isca intelectual de Luciano Pires lembrando que quem ...

Ver mais

LíderCast 070 – Alexandre Barroso
LíderCast 070 – Alexandre Barroso
Hoje conversamos com Alexandre Barroso, num programa ...

Ver mais

LíderCast 069 – Panela Produtora
LíderCast 069 – Panela Produtora
Hoje converso com Daniel, Filipe, Janjão e Rhaissa ...

Ver mais

LíderCast 068 – Gilmar Lopes
LíderCast 068 – Gilmar Lopes
Hoje converso com Gilmar Lopes, que de pedreiro se ...

Ver mais

LíderCast 067 – Roberto Caruso
LíderCast 067 – Roberto Caruso
Hoje conversamos com Roberto Caruso, um empreendedor ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Ainda sobre a competitividade
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Ainda sobre a competitividade Algumas comparações “A competitividade de um país não começa nas indústrias ou nos laboratórios de engenharia. Ela começa na sala de aula.” Lee Iacocca Meu último ...

Ver mais

Faz isso não…
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Temer, ao contrário de Dilma, é um político experiente, com muitos anos de vivência no ramo. Daí o estranhamento acerca dos erros que vem cometendo, de forma infantil, na condução da política ...

Ver mais

Dukkha
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Isca intelectual de Filipe Aprigliano sobre a primeira nobre verdade.

Ver mais

O furo no casco
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Isca Intelectual de Filipe Aprigliano sobre definir prioridades na eventualidade da tomada do poder por psicopatas.

Ver mais

Perdão

Perdão

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

“Aquele que não perdoa destrói a ponte sobre a qual ele mesmo deve passar”. George Herbert

As duas maiores prisões da mente humana estão na raiva e na falta de perdão. A magoa, o rancor, não esquecer, remoer e a obstinação por vingança ou “justiça” estão na pauta da prisão mental que culmina com o apodrecer de toda vida social e espiritual. Quem não sabe perdoar e relevar os tombos da vida invariavelmente se fecha, isola e não vive nutrindo a raiva como forma essencial para existir. Alegria só a terceirizada…

Há alguns anos atendi um senhor que não perdoava sua filha que a revelia da vontade do pai se casou com o filho de um inimigo da juventude. “Ela me traiu” era o mote de seu infortúnio. Eu achei que o ocorrido havia sido  recentemente, mas para minha surpresa o fato havia se consumado há 35 anos. E o senhor se mantinha irritado, algoz, raivoso como se o fato houvesse ocorrido ontem. A teimosia, orgulho, vaidade, arrogância construíram o calabouço no qual o homem habitava. Alma penada e sofrida, vagava em lamentações. Não foi no casamento da filha, não viu o nascimento dos netos, nem sabia da bisneta e sua sina. Ele a vítima, rigoroso, ríspido, seco, eternamente magoado. Se dizia rei da certeza, da justiça e todos os outros eram os traidores. Pra que sorrir na existência se a corrente pode ser pesada?

A rigidez da personalidade, a falta de flexibilidade, tem na neurose sua morada. A autonomia de um complexo e seu teor obsessivo dão a este tipo de caso sua consistência. Se anula a compaixão, o servir, a criatividade, e outros focos para a existência, e a pessoa subsiste como um disco de vinil arranhado, de mágoa, rancor e frustração. Não existe perdão para quem não sabe perdoar.

No roteiro do existir é perceptível quem subsiste no drama. Ser vítima é gratificante, necessário, nesta forma decadente. O lamento de Orpheu ou como o melodrama do tenor em uma ópera. Quem não perdoa faz do choro sua alegria.

Em minha prática profissional como analista e psicólogo clinico percebo claramente que tão importante quanto perdoar os outros é o se perdoar. Existem muitas pessoas que se transformam em carrasco de sua própria fraqueza. Novamente chegamos a rigidez, a intolerância, a crítica exacerbada, a inflexibilidade. O indubitável holocausto entre raiva  e o ato de se fazer de vítima. Paralisado para onde se vai? A consequência deste lamento está na hipertensão arterial, AVC, câncer, em doenças que ocorrem de uma atitude mental recorrente. Este é o preço do martírio que o próprio individuo se impõe e que obstinadamente não quer largar, se contorcendo. Vale a pena pagar este preço eterno?

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima