Iscas Intelectuais
Podpesquisa 2018
Podpesquisa 2018
Em sua quarta edição, a PodPesquisa 2018 recebeu mais ...

Ver mais

Como decidi em quem votarei para Presidente
Como decidi em quem votarei para Presidente
Não sei se estou certo, não fui pela emoção, não estou ...

Ver mais

Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

639 – Chega de falar de política
639 – Chega de falar de política
Diversos ouvintes mandam mensagens pedindo para que eu ...

Ver mais

638 – O efeito Dunning-Kruger
638 – O efeito Dunning-Kruger
Cara, eu fico besta com a quantidade de gente que ...

Ver mais

637 – LíderCast 10
637 – LíderCast 10
Olha só, chegamos na décima temporada do LíderCast. Com ...

Ver mais

636 – As duas éticas da eleição
636 – As duas éticas da eleição
Gravei um LíderCast da Temporada 11, que só vai ao ar ...

Ver mais

LíderCast 132 – Alessandro Loiola
LíderCast 132 – Alessandro Loiola
Médico, escritor, um intelectual inquieto, capaz de ...

Ver mais

LíderCast 131 – Henrique Szklo e Lena Feil
LíderCast 131 – Henrique Szklo e Lena Feil
Henrique Szklo e Lena Feil – Henrique se apresenta como ...

Ver mais

LíderCast 130 – Katia Carvalho
LíderCast 130 – Katia Carvalho
Mudadora de vidas, alguém que em vez de apenas lamentar ...

Ver mais

LíderCast 129 – Guga Weigert
LíderCast 129 – Guga Weigert
DJ e empreendedor, que a partir da experiência com a ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Quem não é capaz de rir de si mesmo será sempre um intolerante em potencial
Henrique Szklo
Humorista de verdade não tem lado, não tem ideologia, não tem bandeira. Independentemente de sua posição pessoal, tem de ser livre o suficiente para atirar em tudo o que se mexe e no que não se ...

Ver mais

Capitalismo Versus Esquerdismo*
Alessandro Loiola
Uma das consequências involuntárias do capitalismo é que ele coloca diferentes culturas e sociedades em contato direto muito mais amplo umas com as outras. Liga as pessoas entre si muito mais ...

Ver mais

A cavalgada de um cowboy
Jota Fagner
Origens do Brasil
Cowboy não havia dormido bem. Tinha feito corridas até às duas da manhã. O trabalho como moto-taxista costumava não render muito, mas em época de alta temporada a demanda era muito grande. ...

Ver mais

O ENEM e a (anti-)educação
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Nos dois últimos fins-de-semana, milhões de candidatos ao ensino superior realizaram as provas do ENEM. O vestibular é o telos do ensino fundamental e médio no Brasil. As escolas privadas assumem ...

Ver mais

Cafezinho 125 – O chute
Cafezinho 125 – O chute
Se o governador mentiu ou se enganou, peço desculpas ...

Ver mais

Cafezinho 124 – À luz do sol
Cafezinho 124 – À luz do sol
É assim, com a luz do sol, que a gente faz a limpeza.

Ver mais

Cafezinho 123 – A zona da indiferença
Cafezinho 123 – A zona da indiferença
Ter consciência sobre o que é certo e errado todo mundo ...

Ver mais

Cafezinho 122 – Vira a chave
Cafezinho 122 – Vira a chave
Mudar de assunto no calor dos acontecimentos é ...

Ver mais

Parou, parou… tá doendo!

Parou, parou… tá doendo!

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

Meu amigo Carlão ficou fascinado com uma chocante cena (essa aí da foto) do fim do filme O Resgate do Soldado Ryan (Saving Private Ryan, 1998), na qual um soldado alemão e outro americano entram em combate corpo a corpo, numa luta de vida ou morte. No início o americano parece levar vantagem, mas seu inimigo, com força e habilidade, joga-o ao chão e está prestes a cravar a baioneta em seu peito – o que de fato ocorre, numa cena lenta e angustiante. Desesperado, sozinho e sem possibilidade de reação, o americano apela para uma insólita saída: Pede para seu contendor parar e prestar atenção nele, do tipo “para que tá doendo e machucando”. O alemão, um experimentado Waffen SS, obviamente não dá a mínima ao estranho pedido e soca a lâmina até o cabo, com visível satisfação.

Porque um soldado faria uma coisa tão absurda, tentando “explicar” ao inimigo que a “brincadeira” tinha acabado? Que machucar o amiguinho era muito feio e ele precisava ir embora porque a mãe tava chamando pra jantar? A cena, que une de forma magistral o horror e o patético, ensina uma coisa muito simples: Na hora do desespero, vale absolutamente tudo. Seja por falta de ideia melhor ou autopreservação, medo, instinto de sobrevivência… naquele momento crucial o cérebro (ou a falta dele) apela pra absolutamente qualquer coisa. Negar a realidade é uma das “soluções” aparentes. De qualquer forma, simplesmente não funciona, como demonstrou o SS.

Só isso explica as cabeçadas que Lula e sua fantocha estão dando. Uma hora elogiam FHC e pedem sua ajuda; no momento seguinte cospem em sua imagem, atribuindo-lhe todas as culpas do mundo. Num momento chamam a oposição para conversar, alegando um tal de entendimento nacional; noutro, acusam-na de só pensar em si… e isso dito em rede nacional. Xingam Collor, Renan Calheiros, Sarney, Marina Silva, Ciro Gomes, banqueiros, empresários; no dia seguinte elogiam Collor, Renan Calheiros, Sarney, Marina Silva, Ciro Gomes, banqueiros, empresários. Depois recomeçam o ciclo. Na 2ª-feira elogiam a polícia federal, o MP e a Justiça. Na 3ª, xingam. Na 4ª elogiam de novo e na 5ª voltam a vociferar contra.

Lula e Dilma prometem tudo; em dois ou três anos seremos uma espécie de Suécia com carnaval de 40 dias e salários em dólar. Todo mundo vai ficar bem de grana e o paraíso nos aguarda, aqui mesmo abaixo da linha do Equador. Basta ser otimista e deixá-los fazer o que pretendem. Preocupar-se com a inflação alta, desemprego explodindo e roubalheira jamais vista na História é bobagem, gente… que mania besta é essa de prender ladrão?

Uns dirão que isso tudo é apenas a cara de pau característica, utilizada no jogo político desde sempre. Não, não é. É puro desespero. A baioneta ta entrando, e tá doendo. Dá pra tirar, por favor? Serve até como metáfora pornô, se é que me entendem. E a posição passiva de Lula e da presidonta é a mesma, podem apostar. Esperando coisa pior. Sabem que a baioneta, metafórica ou não, tá cada vez mais próxima, furando o fundo das calças – que já estão borradas de medo. E depois que entrar… vai ser um estrago.

A mencionada cena do filme é esta:

Um grande momento do cinema; cruel e constrangedor. Faz-nos sentir mal pela crueza praticada, pelo desespero estampado no rosto de um e o instinto homicida, praticamente prazeroso, no do outro. Mas ainda sim muito mais leve que as loucuras de Lula & Dilma, a dupla que é a cara da vergonha alheia. E por falar em constrangimento… a propaganda política protagonizada pela dupla e Zé de Abreu foi de dar nojo. E ainda têm a audácia de pedir “diálogo”.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes