Iscas Intelectuais
O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

626 – AlôTénica – A Podpesquisa
626 – AlôTénica – A Podpesquisa
O programa reproduz a conversa entre Luciano Pires, Leo ...

Ver mais

625 – João Amoêdo
625 – João Amoêdo
Continuando a conversa com candidatos a Presidente nas ...

Ver mais

624 – Paulo Rabello de Castro
624 – Paulo Rabello de Castro
Na medida do possível, estamos conversando com ...

Ver mais

623 – A lógica da adequação
623 – A lógica da adequação
O tema de hoje é negociação, partindo da famosa análise ...

Ver mais

LíderCast 120 – Alexandre Correia
LíderCast 120 – Alexandre Correia
Luciano: Bom-dia, boa-tarde, boa-noite. Bem-vindo, ...

Ver mais

LíderCast 119 – Fabiano Calil
LíderCast 119 – Fabiano Calil
Educação financeira é seu mote, até o dia em que ele ...

Ver mais

LíderCast 118 – Maria Luján Tubio
LíderCast 118 – Maria Luján Tubio
Jovem argentina, com vivência em vários países e que ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Os millennials não são tão criativos quanto pensam
Henrique Szklo
Tenho um amigo, o Rodriguez, que parece ter sido gerado não pelo útero da mãe, mas pelo intestino grosso dela. Seu mau humor é folclórico. E infinito. Estamos num boteco um dia desses quando ele ...

Ver mais

Precisamos reaprender a olhar
Mauro Segura
Transformação
Numa era em que o tempo parece escoar pelos dedos, ironicamente precisamos reaprender a "sentar e observar".

Ver mais

Homenagem aos Economistas 2018
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Homenagem aos Economistas 2018 Memoráveis citações  “Aquele que for somente um economista não tem condições de ser um bom economista, pois todos os nossos problemas tocam em questões de ...

Ver mais

Empurrando com a barriga
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Empurrando com a barriga  Cenários da economia brasileira “A arte da previsão consiste em antecipar o que acontecerá e depois explicar o porquê não aconteceu.” Winston Churchill  Considerações ...

Ver mais

Cafezinho 99 – Competência Moral
Cafezinho 99 – Competência Moral
Competência técnica e profissional tem jeito, o ...

Ver mais

Cafezinho 98 – Os poetas da corrupção
Cafezinho 98 – Os poetas da corrupção
Os advogados e jornalistas que insistem que não existe ...

Ver mais

Cafezinho 97 – Os ciclos
Cafezinho 97 – Os ciclos
A vida acontece, em ciclos. E fica a cada dia mais ...

Ver mais

Cafezinho 96 – A cozinha e a lixeira
Cafezinho 96 – A cozinha e a lixeira
O Brasil é uma grande cozinha. Nela existe uma lixeira. ...

Ver mais

País de Santos

País de Santos

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

Há dias um assunto artificialmente inflado ocupa sites e jornais: A posse interrompida da ex-quase-futura ministra do Trabalho, deputada federal Cristiane Brasil (PTB/RJ), filha do conhecido Roberto Jefferson, aliás Bob Jeff.

                        Resumo da ópera: Michel Temer, em mais uma desastrosa escolha, decidiu preencher a pasta ministerial vaga com a deputada. Dias antes da posse, um grupo ingressou com várias ações na justiça federal requerendo a suspensão imediata do ato, alegando que Cristiane foi condenada a indenizar um ex-funcionário na justiça do trabalho. E isso lá é motivo para avaliar a moral ou a honestidade de alguém? Desde quando? Ela realmente não merece ser ministra, por vários motivos – mas não por este.

Antes que os apressadinhos de sempre rufem seus tambores de ataque, vamos deixar uma coisa bem clara: NÃO se trata de defender a deputada. Na verdade, sendo quem é, fazendo o que faz e apoiando quem apoia, não deve ser exatamente um primor de cidadã. Mas desqualificá-la por perder uma ação desse tipo é absolutamente ridículo.

A começar pela própria justiça do trabalho; injustiças são perpetradas em suas varas espalhadas pelo Brasil, em nome de uma legislação arcaica, protecionista, absurda, na qual o patrão, grande ou pequeno, é sempre colocado na posição de sádico. É a única justiça no País na qual não existe paridade de argumentos; a palavra do trabalhador vale mais que a do patrão e ponto final. E por que essa discrepância entre os processos trabalhistas e seus “primos” criminais, cíveis, tributários? Por que nas demais justiças do Brasil, estaduais ou federais, a parte ré se defende em condições de igualdade com a parte autora, mas jamais na trabalhista? Porque sim, e ponto final.

Antes das pedradas: ninguém está dizendo que todo empregador é santo e qualquer empregado é um parasita pronto a vampirizar o chefe; não é isso. Mas as injustiças nesse ramo do direito, ultrapassado pelo tempo e pela tecnologia, aliadas a uma lentidão exasperante, são visíveis a quaisquer advogados militantes na área, que sofrem com pequena parcela de juízes (olha as pedras voando! Não todos! Uma parcela, e pequena, ok?), arrogantes, tratando causídicos e partes como seres inferiores, desfrutando de um salário sem paridade nem nas nações mais ricas do planeta (nosso judiciário é o mais caro do mundo, considerando custo/PIB), mordomias idem, e assinando sentenças que mais se assemelham a lições de moral e menos com decisões judiciais.

Pois é.

Sem contar a procissão de comerciantes em geral, ou meros empregadores domésticos – toda uma gama de gente honesta que já foi altamente injustiçada, seja por um funcionário que faltou com a verdade, seja por um juiz trabalhista que enxerga pelo em ovo. Atenção: Essas duas últimas classes não são maioria, mas existem. E como existem. O mesmo pode ser dito da procuradoria do trabalho, que classifica como “trabalho escravo” a falta de cabides nos banheiros dos empregados, entre outras pérolas. Resultado: Multam a empresa com valores exorbitantes, falindo-a. Daí, os funcionários, sem o emprego “descabidizado”, vão trabalhar 12 horas por dia em alguma imunda carvoaria clandestina por metade do salário anterior. Mas a justiça foi feita, ufa! – comemoram os engravatados que não tem a menor ideia de como funciona a vida real; entendem apenas da fajuta, rabiscada nas leis caducas. Produzem miséria em nome da justiça. Só rindo.

Voltando: A deputada afirma que as ações pedindo suspensão de sua posse foram patrocinadas pela turma de Lula, o honestíssimo. Não é de se duvidar. O estranho é que até importantes sites de notícia, como O Antagonista, comemoraram a decisão, chegando a comparar a possível posso de Cristiane à de um criminoso no ministério da Justiça. Menos, né, gente? Detalhe: a lulista Jandira Feghali (PCdoB/PR), tomou sete (sete!!) ações trabalhistas de ex-funcionários de seu restaurante falido, condenada em todas, e ninguém a chamou de “criminosa”. Também deve à previdência R$ 57 mil reais, e ninguém reclama: http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,membros-da-comissao-de-reforma-tem-debitos-trabalhistas,70001739113 Gozado, não?

No dia em que uma empresa ou pessoa física condenada em ação trabalhista for “criminosa”, vai faltar cadeia no Brasil. Aliás, já falta, para os verdadeiros criminosos. E ninguém liga muito. A deputada realmente não serve como ministra, mas se esse for o motivo, está aberto um precedente simplesmente ridículo.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes