Iscas Intelectuais
Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

631 – O valor de seu voto – Revisitado
631 – O valor de seu voto – Revisitado
Mais discussão de ano de eleição: afinal o que é o ...

Ver mais

630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
Este é outro Café Brasil que reproduz na íntegra um ...

Ver mais

629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
Essa aparente doideira que aí está não é doideira. É ...

Ver mais

628 – O olhar de pânico
628 – O olhar de pânico
Aí você para, cansado, desmotivado, olha em volta e se ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
Segunda participação no LíderCast, com uma história que ...

Ver mais

LíderCast 123 – Augusto Pinto
LíderCast 123 – Augusto Pinto
Empreendedor com uma história sensacional de quem ...

Ver mais

LíderCast 122 – Simone Mozzilli
LíderCast 122 – Simone Mozzilli
Uma empreendedora da área de comunicação, que descobre ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Júlio de Mesquita Filho e a contrarrevolução cultural
Jota Fagner
Origens do Brasil
A ideia de concentração hegemônica não é exclusividade de Gramsci, outros autores de diferentes espectros ideológicos propuseram caminhos parecidos. Júlio de Mesquita Filho é um deles É preciso ...

Ver mais

Imagine uma facada diferente
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Imagine Fernando Haddad sendo vítima de uma tentativa de assassinato. Por um ex-militante do DEM ou do PSL, no mesmo dia em que Bolsonaro quase morreu pelas mãos de um ex-PSOL. Primeiramente, os ...

Ver mais

Uma discussão sobre inteligência artificial na educação
Mauro Segura
Transformação
Uma discussão sobre os benefícios que as novas tecnologias podem trazer para a educação brasileira. Mas será que estamos preparados para isso?

Ver mais

A burocracia e a Ignorância Artificial
Henrique Szklo
O Estado brasileiro, desde 1500, tem se esmerado em atravancar qualquer mecanismo da administração pública com um emaranhado de processos burocráticos de alta complexidade, difícil interpretação ...

Ver mais

Cafezinho 107 – O voto proporcional
Cafezinho 107 – O voto proporcional
Seu voto, antes de ir para um candidato, vai para um ...

Ver mais

Cafezinho 106 – Sobre fake news
Cafezinho 106 – Sobre fake news
Fake News são como ervas daninhas, não se combate ...

Ver mais

Cafezinho 105 – Quem categoriza?
Cafezinho 105 – Quem categoriza?
Quem define e categoriza o que será medido pode ...

Ver mais

Cafezinho 104 – A greta
Cafezinho 104 – A greta
Dois meio Brasis jamais somarão um Brasil inteiro.

Ver mais

Os Preocupados

Os Preocupados

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

Incrível como contestadores abnegados, preocupadíssimos com a população em geral e seu sagrado bem estar, brotaram do chão nas últimas semanas. Aqui e no exterior. Devem ser patriotas desprendidos e governos alienígenas totalmente desinteressados, lutando unicamente pelo bem-viver do brasileiro. Que gente tocante.

A dupla que trata Cuba como sua fazenda pessoal, por exemplo: Os irmãos Castro, assassinos-comandantes da ditadura mais antiga das Américas, declararam-se preocupados com o que classificam de “golpe” ocorrido. A dupla, comediante involuntária, teve a ousadia de apontar “falta de eleições”, que referendasse a queda de Dilma. Que bandidos.

Outro “chocado” com o “golpe” é Nicolás Maduro. O bandido leva a Venezuela à guerra civil, criando milícias armadas para impedir protestos contra a destruição econômica e social daquele país, mas encontra tempo para reclamar da “injustiça” contra Dilma. Pelamor. Não está sozinho; Evo Morales, presidente de um narcoestado, segue-o como cachorrinho, abanando o rabo. Há outros, tão safados quanto desimportantes.

Os resolutos defensores do povo brazuca também têm representantes entre nós. Declaram-se preocupadíssimos com a “extinção” (mentira constantemente repetida) do ministério da Cultura e com o “golpe” contra Dilma. Olha que gente sensacional.

Não houve extinção do MinC; houve apenas sua fusão com o ministério da Educação para impedir seu uso ideológico e eliminar mil cargos fantasmas. Além disso, não há (ainda) nenhum plano para redução de verbas. Porém, os pseudo-defensores da “cultura” berram contra essa “monstruosidade”. Pouco importa o déficit público deixado por Dilma, algo em torno de R$ 300 bilhões; lixam-se para a inflação de 11% e 11% de desemprego; não franzem a testa cheia de botox para a redução de 25 mil leitos hospitalares no INSS; não estão nem aí para a corrupção dilmista, nem para a falência da Petrobrás e da Eletrobrás, nem para os rombos do BNDES; importante mesmo é pagar R$ 600 mil para ouvir Maria Bethânia declamando poesias na TV Brasil. Não reclamaram quando Dilma cortou 20% do orçamento da Cultura, embora apenas 50% do orçamento tenha sido efetivamente gasto – e mesmo assim foi o dobro do que o governo investiu em saneamento básico. O dobro! Querem apenas manter sua boquinha e os mil cargos para a turma lulista.

Em entrevista ao Estadão, Sônia Braga confessou que o ridículo “protesto” no festival de cinema de Cannes (acima, a imagem pra rir; abaixo, a verdadeira, pra chorar) foi organizado por lulistas que não aceitam perder o cabide de empregos e ter de trabalhar de verdade para seu próprio sustento – olha que horror! Pois é; considerando que as caixas pretas estão sendo abertas e o fedor se espalha, fica claro que os tais não estão preocupados com Cultura alguma; estão desesperados porque a mamata acabou. E se fingem de indignados, meu Deus, quanta cara de pau. Preocupam-se apenas consigo mesmos, passando por defensores do povo. É a cara do lulismo, aqui ou no exterior.

Estão realmente preocupados com a falta de cultura? Provem, fazendo algo de graça. Vamos ver quanto dura essa preocupação fingida e esse socialismo de araque. Shows gratuitos, aulas de teatro, canto, música para os pobres duas vezes por semana, e aí poderão argumentar. Antes não; é só picaretagem mesmo.

Escreve Luiz Felipe Pondé em seu livro Guia Politicamente Incorreto da Filosofia, “Pessoas sem culpa são monstros morais”. Eles nunca se sentem culpados. Fingem sempre, vendem ilusões, enganam, trapaceiam; quando tudo dá errado, jogam a culpa nos outros, passando-se por vítimas.

Parabéns a Ney Matogrosso, Regina Duarte e tantos outros que nunca ajoelharam nessa pocilga moral. Regina, por sinal, definiu bem a situação em seu Instagram: Se o país está “em coma”, não entendo a insistência no auto-engano de achar que a Cultura pode se safar, sadia, do desconserto geral que nos abateu. Na teoria (linda!) a prática é outra (dolorida). Sou a favor da ideia de manter a Cultura internada no “Hospital” da Educação. Depois da possibilidade de “alta” vamos ver o que pode ser melhor pra ela e pra todos nós, brasileiros.

 

Os Preocupados imagem 2

 

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes