Iscas Intelectuais
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

682 – LíderCast 13
682 – LíderCast 13
É isso que é o LíderCast. Uma homenagem a quem ...

Ver mais

681 – Agrotóxicos: remédio ou veneno
681 – Agrotóxicos: remédio ou veneno
Agrotóxicos surgiram na Segunda Guerra Mundial, para ...

Ver mais

680 – Nova Previdência 2
680 – Nova Previdência 2
A Nova previdência é o primeiro passo para colocar o ...

Ver mais

679 – Será que acordamos?
679 – Será que acordamos?
Adalberto Piotto apresenta o programa Cenário Econômico ...

Ver mais

LíderCast 169 – Marília Guimarães e Eduardo Dantas
LíderCast 169 – Marília Guimarães e Eduardo Dantas
Marilia Guimarães e Eduardo Dantas – a dupla ...

Ver mais

LíderCast 168 – Pedro Hipólito
LíderCast 168 – Pedro Hipólito
CEO da Five Thousand Miles, empresa portuguesa que se ...

Ver mais

LíderCast 167 – João Kepler
LíderCast 167 – João Kepler
Especialista em empreendedorismo, startups, marketing e ...

Ver mais

LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
O Abbey é um imigrante africano, que chegou ao Brasil ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Por que Bolsonaro exagera?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Como se já não enfrentássemos todos os problemas possíveis – e mais uns imaginados – Bolsonaro parece se esforçar para piorar os reais e parir os imaginários. Por qual razão o ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPÍTULO 3 – CARACTERÍSTICAS GRAMATICAIS DOS SUBSTANTIVOS (parte 3)
Alexandre Gomes
Até agora mostrei maneiras um pouco diferentes de se ver um SUBSTANTIVO. Usando um tanto de Lógica e  Filosofia para explicar SUBSTANTIVOS e ADJETIVOS. E só para te lembrar: toda a Realidade é ...

Ver mais

Viva Narciso
Jota Fagner
Origens do Brasil
A nossa vaidade nos impede de construir um ambiente mais tolerável A palavra “insentão”, popularizada nos últimos anos, serve para classificar a pessoa que não se deixa iludir pelo canto da ...

Ver mais

O hábito da leitura e seu impacto no desenvolvimento
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O hábito da leitura e seu impacto no desenvolvimento  “A leitura é a chave para se ter um universo de ideias e uma tempestade de palavras.” Eduarda Taynara Gonçalves Pereira  (ex-aluna da EEEP ...

Ver mais

Cafezinho 211 – O crítico e o criativo
Cafezinho 211 – O crítico e o criativo
Basta uma olhada nos jornais televisivos diários para ...

Ver mais

Cafezinho 210 – Gosto médio
Cafezinho 210 – Gosto médio
Vida em sociedade implica no exercício diário da ...

Ver mais

Cafezinho 209 – Sobre fatos e desejos
Cafezinho 209 – Sobre fatos e desejos
Quem mostra a você o ato, conclui a intenção e sonega a ...

Ver mais

Cafezinho 208 – O Mas
Cafezinho 208 – O Mas
Preste atenção em quem usa o “mas” como desculpa ou ...

Ver mais

Os polirretos

Os polirretos

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

Quando a esperteza é muita, come o dono, já dizia Tancredo Neves (1910-1985).

Em tempos do politicamente correto, a onda mais ridícula desde a modinha do ioiô ou, quem sabe, fotografar comida,  é muito importante segurar o rabo (no bom sentido, claro) porque a porta bate sem aviso. Todo cuidado é pouco, até para os adeptos mais experimentados do politicamente correto, os “polirretos”.

São emblemáticas as pernadas que o ator Bruno Gagliasso tomou quando foram descobertos seus antigos tuítes “gordofóbicos” e “homofóbicos”. Não adiantou o Mr. Nice Guy (Guy, e não “gay”; atenção anarfas da língua de Shakespeare) apresentar todo um histórico de polirreto entusiasta; levou chumbo de todo lado e perdeu vários trabalhos. Tome, Mané.

Mas essa turma, como os peixes, morrem pela boca, e uns engolem até a chumbada. Túlio Gadelha, que só é conhecido por ser namorado da embaçada Fátima Bernardes, polirreta neófita, foi eleito deputado federal; e só o foi pelo namoro famoso. Era sua única plataforma. A fama vem até para coadjuvantes, camarada. Pois é; Tulião, outro Good Guy (pouco good e muito guy) entrou para o rol dos polirretos que atravessaram o samba. Elogiado pela ministra Damares Alves, dos direitos humanos,  resolveu dar uma de machão de boteco e respondeu “não vai rolar milagre”, como se a ministra estivesse com terceiras intenções em relação ao sujeito, que deve se achar a última bolacha do pacote: https://www.oantagonista.com/brasil/tulio-gadelha-foi-machista-com-damares-maria-do-rosario .

O mais engraçado é que a maioria dos polirretos, empedernidos robôs lulistas na defesa de “minorias” (reais ou fictas), só ataca quem não é da sua turma (ou religião, vai saber). São os esquerdistas festivos que ficam doidões com o ópio do povo, tão criticado por Marx, vá entender. Ah sim; apesar do exemplo ridículo de machão de galinheiro, NENHUMA feminista defendeu a mulher atingida – obviamente por ser ministra de Bolsonaro. Aí pode tudo, inclusive humilhar uma senhora. Mas Túlio se lascou; muitos polirretos despiram as vestes lulistas e estão desancando o malandrão nas redes sociais. Muitos, mas não todos.

Como sempre lembra Danilo Gentili, não é o que é dito que importa, mas sim quem diz. Se for da turminha lulista (fingida ou não), terá toda a leniência do mundo para si. Se não é, sentirá a pancada forte da bota stalinista. Aí você será um inimigo do povo e alvo preferencial da rediviva luta de classes.

Tem outra saborosa: Fernando Haddad, robô lulista por excelência, vive às turras com o clã Bolsonaro (que devia tomar mais cuidado e economizar bobagens nas redes sociais); num dos recentes duelos entre Haddad e Carlos Bolsonaro, cheio de carinhos e elogios galantes, Carlos chamou Haddad de “marmita de preso” em razão de suas inúmeras visitas a Lula, seu mestre máximo enjaulado. Haddad respondeu perguntando sobre o “priminho” de seu antagonista, numa clara referência a uma suposta relação homossexual dele com seu primo: https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2019/04/11/interna_politica,1045761/carlos-bolsonaro-e-haddad-trocam-farpas-no-twitter-chora-marmita-e.shtml

Haddad foi extremamente homofóbico (arrá!), mas poucos cavaleiros andantes dignaram-se defender a honra da classe LGBTSGHBVCDOIYTRMNCAQW. Por que será? Só porque Haddad é lulista, obviamente. Tais crimes só são cometidos por quem não é da rodinha (no bom sentido, claro). Mesmo assim, Haddad sentiu o golpe. Não vai escapar ileso dessa bobagem. Não obstante, silêncio total dos grupos LGBTSGHBVCDOIYTRMNCAQW. Silêncio não; conluio. Enfim, cada um tem o Fernando que merece.

Outra genial: Um gay acusado de transfobia. Não, não é piada; um transgênero acusou um gay de transfobia – está criada a classe do gay que é anti-gay, desde que aquele gay não seja lulista, é claro: https://universa.uol.com.br/noticias/redacao/2019/04/08/malunguinho-deseja-felicidade-a-deputado-que-disse-ser-gay-apos-transfobia.htm

Não, não dá pra ser feliz. Nem o cara mais conformado, mais estóico do Brasil. Tremei, senhores(as), ou senhorxs… os Tribunais Polirretos não descansam; entretanto, a dose de chumbo pode diminuir para o insurreto que apresentar uma boa folha de serviços prestados ao desserviço.

 

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes