Iscas Intelectuais
1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

Os Podcasts Café Brasil Musicais
Os Podcasts Café Brasil Musicais
Música é uma de nossas grandes paixões, por isso de ...

Ver mais

#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

666 – O diabo é o pai do rock
666 – O diabo é o pai do rock
Existem dezenas de explicações para o 666 ser chamado ...

Ver mais

665 – O Vale
665 – O Vale
A trilha para o sucesso envolve trabalho duro e ...

Ver mais

664 – Sobre lagartas e borboletas
664 – Sobre lagartas e borboletas
Cara, como mudar é difícil... perder peso...manter ...

Ver mais

663 – A crisálida
663 – A crisálida
A maturidade entende que existe a escuridão no mundo, ...

Ver mais

LíderCast 153 – Rafael Bernardes
LíderCast 153 – Rafael Bernardes
Empreendedor em TI, que capacita outros profissionais ...

Ver mais

LíderCast 152 – Lucia Moyses
LíderCast 152 – Lucia Moyses
Escritora, psicóloga e neuropsicóloga, um papo sobre ...

Ver mais

LíderCast 151 – Irineu Toledo
LíderCast 151 – Irineu Toledo
Radialista, uma das vozes mais marcantes e conhecidas ...

Ver mais

LíderCast 150 – Ana Letícia Maciel
LíderCast 150 – Ana Letícia Maciel
Executiva que larga tudo para empreender com um ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPITULO 2 – DIMENSÕES LÓGICA E PSICOLÓGICA DA LINGUAGEM (parte 8)
Alexandre Gomes
  Eu prometo que esse segundo capítulo vai acabar! Acho que terá umas 12 partes… Mas vamos lá! De volta à diversão. É claro que a linguagem tem aspectos LÓGICOS e PSICOLÓGICOS, veja ...

Ver mais

O Brasil da TV Globo, do Whatsapp e as manifestações do dia 26/05
Carlos Nepomuceno
RESUMO DA LIVE: LIVE COMPLETA: https://web.facebook.com/carlos.nepomuceno/videos/10157340715398631 LINKS DAS OUTRAS LIVES: ...

Ver mais

Eu não acredito na democracia moderna
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Eu não acredito na democracia representativa moderna. * * * Concordo com Schumpeter: no modelo de democracia do século XX, os indivíduos comuns são simplesmente consumidores de produtos políticos ...

Ver mais

Por que Bolsonaro tende a ser considerado melhor presidente do país até 2022?
Carlos Nepomuceno
RESUMO DA LIVE: LIVE COMPLETA: https://web.facebook.com/carlos.nepomuceno/videos/10157323556458631

Ver mais

Cafezinho 178 – O Exorcista
Cafezinho 178 – O Exorcista
O Brasil está sofrendo um imenso exorcismo, e o demônio ...

Ver mais

Cafezinho 177 – Os monstros da negatividade 3
Cafezinho 177 – Os monstros da negatividade 3
A negatividade tem suas raízes no medo de ser ...

Ver mais

Cafezinho 176 – Gostou? Compartilhe.
Cafezinho 176 – Gostou? Compartilhe.
Gostou? Compartilhe! Só assim, fazendo a nossa parte, ...

Ver mais

Cafezinho 175 – Não use sua ignorância
Cafezinho 175 – Não use sua ignorância
Quando você não conhece o objeto de sua análise, será ...

Ver mais

Organizações Flex

Organizações Flex

ivan carlos witt - Iscas Horizontes -

alegria-1

 

A receita para tirar proveito do conflito de gerações

Com muita frequência o assunto conflitos de gerações ganha impulso e desafia o mundo corporativo. Apesar da relevância, não é um tema novo. Desde sempre somos sucedidos por jovens. Enfrentamos sim uma grande diferença. A velocidade do intercâmbio de informações e conhecimento. No mundo onde a internet das coisas bate a porta, as trocas acontecem em velocidade sem precedentes. Facebook está fora de moda para quem é de vanguarda. E-mail beira a pré-história para os usuários de grupos fechados de WhatsApp.

Cada pessoa com um smartphone carrega consigo uma porta de acesso imediato a um banco de informações gigantesco que cresce em progressão geométrica. Coisas que no passado custavam uma fortuna (uma pesquisa de satisfação do cliente, por exemplo), podem ser organizadas e implementadas num piscar de olhos, gratuitamente. Softwares de gestão, uma vez implementados, oferecem em tempo real a situação financeira de uma empresa em um apertar de botão.

Experimente digitar PIB Brasil na barra do Google. Em segundos um gráfico surge na tela. Clique no link “explorar mais” que aparece na parte de baixo do gráfico. Não é assombroso? Ali, em segundos, você tem dados para análises complexas, que levariam meses ou até anos para reunir há bem pouco tempo. Se você é um jovem profissional, tem a seu favor um contingente de dados e informações que poucos presidentes de empresa tiveram num passado não muito distante. Se você é um líder hoje, precisa entender essa tecnologia e aplicá-la no dia-a-dia.

Para que não percamos essa fabulosa oportunidade que a tecnologia nos oferece é fundamental para qualquer grupo profissional construir uma organização flex. Jovens e seniores trabalhando juntos, num formato diferente dos organogramas tradicionais. A hierarquia não conta muito numa rede de troca de informações. As decisões podem, mais do que nunca, ser tomadas com dados. Nesse contexto é preciso contagiar os mais seniores com a coragem dos jovens em fazer diferente, em ir além, em ousar mais. É preciso também expor estes jovens ao aprendizado conquistado em anos de vivência. Afinal, para transformar dados e informação em sabedoria, vivência é fundamental e ainda não inventaram substituto para o tempo.

Por isso acredito nas organizações flex, em que esse tempo de aprendizado pode ser otimizado. Jovens contagiando líderes com sua energia, vitalidade e coragem de reinventar o mundo, trilhar novos caminhos. E seniores, com sua experiência de vida, indicando atalhos e perigos no caminho que já trilharam antes. Sugiro trocar o termo conflito de gerações para simbiose de gerações. Nesse contexto, as políticas de recursos humanos precisam ser de vanguarda. Será preciso aprofundar o conhecimento das coisas não técnicas, das chamadas emoções, dos egos, complexas e arraigadas nos seres humanos. A energia fundamental que incita a inovação é a mesma da vida, a alegria. Tão importante quanto uma organização eficiente e rentável será a organização feliz.

Talvez você, da minha geração (estou com 53 anos) esteja pensando “bobagem, o que fala alto é o lucro.” Não discordo. Apenas acrescento que a definição de lucratividade já não é medida só em espécie monetária. Pergunte a um jovem de sua empresa o que é mais importante, salário ou qualidade-de-vida. Pois é, esse jovem vai ser o líder da sua organização no futuro. Eu aposto que ele irá acrescentar alegria na sua lista de objetivos em um futuro bem próximo. Ajustar as organizações para esse novo cenário que se descortina é fundamental para atrair e reter os melhores talentos e garantir o sucesso futuro.

Ver Todos os artigos de ivan carlos witt