Iscas Intelectuais
O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Café Brasil 613 – Biologia política
Café Brasil 613 – Biologia política
E aí? Você é de direita ou de esquerda? Se incomoda com ...

Ver mais

612 – O Efeito Genovese
612 – O Efeito Genovese
Em 1964, Kitty Genovese foi assassinada em Nova York. ...

Ver mais

611 – Momentos felizes
611 – Momentos felizes
Felicidade não existe. O que existe na vida são ...

Ver mais

610 – Abre-te Sésamo
610 – Abre-te Sésamo
Abre-te Sésamo é a frase mágica do conto de Ali-Babá e ...

Ver mais

LíderCast 109 – Romeo Busarello
LíderCast 109 – Romeo Busarello
LíderCast 109 - Hoje conversamos com Romeo Busarello, É ...

Ver mais

Lídercast 108 – Leandro Nunes
Lídercast 108 – Leandro Nunes
LíderCast 108 - Hoje conversamos com Leandro Nunes, um ...

Ver mais

Lídercast 107 – Lucia Bellocchio
Lídercast 107 – Lucia Bellocchio
Hoje conversamos com Lucia Bellocchio, uma jovem ...

Ver mais

LíderCast 106 – Labi Mendonça
LíderCast 106 – Labi Mendonça
LíderCast 106 - 106 - Hoje conversamos com Labi ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Interpretações do Brasil X – As escolhas públicas e as instituições como pano de fundo
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Interpretações do Brasil X As escolhas públicas e as instituições como pano de fundo “Bons jogos dependem mais de boas regras do que de bons jogadores.” James Buchanan  Considerações iniciais A ...

Ver mais

O que aprender quando o futuro já era
Mauro Segura
Transformação
A minha experiência no ano passado mostrou que a história de viver cada dia como se fosse o último é uma baboseira. Aprendi que eu não preciso ter planos mirabolantes para ter uma vida digna, ...

Ver mais

MInha culpa é sua, camarada!
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A tragédia do edifício que pegou fogo e desabou no Largo do Paissandu, em São Paulo, desvendou mais um bem bolado golpe; e golpe, novamente, travestido de “movimento social”: A máfia das invasões ...

Ver mais

O domínio esquerdista na dramaturgia brasileira
Bruno Garschagen
Ciência Política
Hoje, não há qualquer ameaça ao domínio da esquerda nas novelas, filmes, séries, teatro, programas de TV, jornalismo. Por isso a reação agressiva quando alguma obra fura a ditadura cultural.

Ver mais

Cafezinho 73 – Estupidez Coletiva
Cafezinho 73 – Estupidez Coletiva
Não interessa determinar o que é verdade e o que é ...

Ver mais

Cafezinho 72 – Fake News 1
Cafezinho 72 – Fake News 1
Quem julga o juiz?

Ver mais

Cafezinho 71 – Reenquadre o hater
Cafezinho 71 – Reenquadre o hater
Reenquadre o otário e ele vira ouro. Reenquadre a ...

Ver mais

Cafezinho 70 – O Efeito Genovese
Cafezinho 70 – O Efeito Genovese
O comportamento de quem vê algo errado e nada faz a ...

Ver mais

O que aprender quando o futuro já era

O que aprender quando o futuro já era

Mauro Segura - Transformação -

Passei a minha vida fazendo planos para o futuro. Sempre falando que no futuro eu iria fazer isso ou aquilo, que trabalharia menos, que teria uma vida com mais satisfação pessoal e por aí vai. Isso até o ano passado, quando a minha esposa foi diagnosticada com um grave câncer e tudo virou de cabeça pra baixo. Aí o futuro se transformou completamente. Na verdade, aquele futuro imaginado, de repente, se foi… desapareceu, porque o importante virou mesmo o presente. Se tem uma lição que aprendi no ano passado, foi a importância do presente.

Vivemos juntando dinheiro para o futuro. Guardamos livros para ler no futuro. Protegemos uma garrafa de vinho mais cara para beber num momento especial… no futuro. Planejamos aquela viagem dos sonhos para fazer no futuro, talvez na mesma época que esperamos viver uma vida mais saudável. Enfim, todos nós imaginamos uma nova vida no futuro, cercado das coisas que guardamos ou poupamos para quando esse momento chegar. A questão é que o futuro nunca chega.

O futuro é apenas… uma promessa… uma projeção… uma expectativa… uma carta de intenção

Algo repentino pode mudar completamente a direção das nossas vidas, como um acidente ou doença, a perda de um emprego ou até uma notícia boa, como o nascimento de um filho. Uma ocorrência dessa dimensão pode mudar os planos de um futuro que desenhamos e criar uma nova rota de vida. E daí? Isso não é ruim, isso não é bom, isso é apenas viver. Viver é permitir mudar o curso da sua vida, de forma intencional ou não. O que vale é a vida de agora.

A minha experiência no ano passado mostrou que a história de viver cada dia como se fosse o último é uma baboseira. Eu não preciso viver todos os dias como se não houvesse amanhã. Eu não preciso conhecer 1.001 lugares antes de morrer. Eu não preciso pular de paraquedas para a vida valer a pena. Eu não preciso atuar numa startup para trabalhar bem e me sentir realizado. Enfim, aprendi que eu não preciso ter planos mirabolantes para ter uma vida digna, prazerosa e interessante.

Por favor, não pense que estou afirmando que fazer planos é ruim. Na verdade, fazer planos é ótimo: cria objetivos, aspirações, necessidades e nos desafiam. Os sonhos nos movimentam.

O problema é depositar excessivamente nos planos futuros a expectativa de ter uma vida melhor

Eu aprendi que o mais importante é viver o presente de forma que eu me sinta bem, física, mental e espiritualmente… em paz com a minha realidade, usufruindo dos recursos que tenho e agradecendo pelas oportunidades que a vida oferece… hoje! Tento fazer o meu presente valer a pena. A minha felicidade está na minha cabeça, na minha autossatisfação com a vida que levo e escolho, diariamente. Pode estar num sábado tranquilo em família. Pode estar em ler um livro ou simplesmente deitado numa rede tirando um cochilo. Aprendi a levar a vida da forma que julgo que vale a pena, que dê paz de espírito e dignidade para minha família, que nos faça bem, sem stress por sentir que o vizinho está fazendo mais.

Hoje faço planos possíveis: os meus planos e não os dos outros. Obviamente, continuo planejando o futuro e tenho os meus planos pessoais de longo prazo, mas não jogo mais a minha felicidade nesse futuro. Vejo pessoas dizendo que a vida hoje é ruim, e que no futuro será diferente. Jogam tudo numa promessa e numa perspectiva. Eu aprendi, a duras penas, a não cair mais nessa armadilha.

Ver Todos os artigos de Mauro Segura