Iscas Intelectuais
Como decidi em quem votarei para Presidente
Como decidi em quem votarei para Presidente
Não sei se estou certo, não fui pela emoção, não estou ...

Ver mais

Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

635 – De onde surgiu Bolsonaro?
635 – De onde surgiu Bolsonaro?
O pau tá quebrando, a eleição ainda indefinida e nunca ...

Ver mais

634 – Me chama de corrupto, porra!
634 – Me chama de corrupto, porra!
Cara, que doideira é essa onda Bolsonaro que, se você ...

Ver mais

633 – Ballascast
633 – Ballascast
O Marcio Ballas, que é palhaço profissional, me ...

Ver mais

632 – A era da inveja
632 – A era da inveja
Uma pesquisa de 2016 sobre comportamento humano mostrou ...

Ver mais

LíderCast 128 – Leide Jacob
LíderCast 128 – Leide Jacob
Empreendedora cultural e agora cineasta, que ...

Ver mais

LíderCast 127 – Lito Rodriguez
LíderCast 127 – Lito Rodriguez
Empreendedor, criador da DryWash, outro daqueles ...

Ver mais

LíderCast 126 – Alexis Fonteyne
LíderCast 126 – Alexis Fonteyne
Empresário criativo e agora candidato a Deputado ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Marxistas brasileiros vivem espécie de alucinação coletiva recorrente
Carlos Nepomuceno
O jornal Folha de São Paulo publica um artigo feita por uma petista confessa: Ver aqui: https://www.facebook.com/carlos.nepomuceno/posts/10156853246303631 …sem nenhum fato, baseado em ...

Ver mais

Sempre, sempre Godwin
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
O advogado Mike Godwin criou em 1990 a seguinte “lei” das analogias nazistas: “À medida que uma discussão online se alonga, a probabilidade de surgir uma comparação envolvendo Adolf Hitler ou os ...

Ver mais

É mais fácil seguir o grupo
Jota Fagner
Origens do Brasil
Existe uma crença muito difundida de que a história humana avança em etapas gradativas e que culminará numa revolução transformadora. O tipo de revolução muda conforme o viés ideológico. A ...

Ver mais

Bolsonaro e Transformação Digital
Carlos Nepomuceno
Vivemos o início de Revolução Civilizacional na qual ao se plantar um "pé de cooperativa de táxi" por mais que se tome litros de Design Thinking não nasce nunca um Uber.

Ver mais

Cafezinho 116 – Os demônios brochadores
Cafezinho 116 – Os demônios brochadores
O que vem por aí? Uma mudança ou nova brochada?

Ver mais

Cafezinho 115 – Um voto não vale uma amizade
Cafezinho 115 – Um voto não vale uma amizade
Não gaste sua energia e seu tempo precioso de vida ...

Ver mais

Cafezinho 114 – E se?
Cafezinho 114 – E se?
Mudanças só acontecem quando a crise que sofremos for ...

Ver mais

Cafezinho 113 – Merdades e Ventiras
Cafezinho 113 – Merdades e Ventiras
Conte até dez antes de compartilhar uma merdade

Ver mais

O mito da solidão

O mito da solidão

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

“Nunca fui como todos/ Nunca tive muitos amigos

Nunca fui favorita/ Nunca fui o que meus pais queriam

Nunca tive alguém que amasse/ Mas tive somente a mim

A minha absoluta verdade/ Meu verdadeiro pensamento

O meu conforto nas horas de sofrimento/ Não vivo sozinha porque gosto

E sim porque aprendi a ser só” (Florbela-Espanca- Solidão)

Nestes 20 anos atuando como analista e psicólogo clinico, tenho notado uma crescente queixa em consultório sobre solidão. Tem sido rotineiro, comum ver que as pessoas reclamam cada dia mais da solidão, da dificuldade de ter vínculos, de estabelecer novas amizades, de criar laços afetivos. O dito por Vinicius de Moraes “mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão”, foi esquecido.

O primeiro grande fator que colabora com essa solidão é a timidez, que oculta por trás da personalidade o orgulho e a vaidade, o extremo da auto-importância, a cobrança exacerbada no que os outros vão pensar. Todo tímido sofre por antecipar a cobrança alheia, por ser perfeccionista. O pensamento: “A solidão é a sorte de todos os espíritos excepcionais”, proposto por  Arthur Schopenhauer exprime bem a temática.

O segundo fator de solidão hoje está nas pessoas que têm bom senso e/ou uma capacidade intelectual avançada. Ser racional em uma sociedade hedônica é extremamente complicado, principalmente se a inteligência é usada contra o próprio indivíduo que se isola em uma autocobrança. Pensar no meio do senso comum dói, especialmente no ápice de nossa educação bancária e de todo analfabetismo funcional. Ironicamente poderíamos citar Aristóteles: “O homem solitário é uma besta ou um deus!”

O terceiro fator liga-se diretamente a algumas doenças mentais, como a depressão, a distimia, o transtorno bipolar, a esquizofrenia, o pânico, patologias que tornam o isolamento inevitável, sobretudo quando não tratadas. A ruptura da consciência e da identidade é o descrito pela escritora Clarice Lispector: “E ninguém é eu, e ninguém é você. Esta é a solidão”.

Por último a solidão aparece especialmente quando existem problemas na estrutura da personalidade mais severos, como o egoísmo, a apatia, a falta de percepção do outro e de suas necessidades, a ruptura com vínculos sociais em um ciclo hedônico de vida, no qual muitos partem para um estado agressivo e de falta de educação, que demarca as grandes rupturas.

Todavia nada desses fatores é mais forte que a ilusão de se estar sozinho. O sentimento de autocomiseração, de autopiedade, o sentir-se o coitado dos coitados, como o descrito por Cecília Meireles em “Da solidão”. O abandono interior do amor próprio na busca de colo e conforto. Solidão é viver de mal com o mundo.

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima