Iscas Intelectuais
O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Café Brasil 613 – Biologia política
Café Brasil 613 – Biologia política
E aí? Você é de direita ou de esquerda? Se incomoda com ...

Ver mais

612 – O Efeito Genovese
612 – O Efeito Genovese
Em 1964, Kitty Genovese foi assassinada em Nova York. ...

Ver mais

611 – Momentos felizes
611 – Momentos felizes
Felicidade não existe. O que existe na vida são ...

Ver mais

610 – Abre-te Sésamo
610 – Abre-te Sésamo
Abre-te Sésamo é a frase mágica do conto de Ali-Babá e ...

Ver mais

LíderCast 109 – Romeo Busarello
LíderCast 109 – Romeo Busarello
LíderCast 109 - Hoje conversamos com Romeo Busarello, É ...

Ver mais

Lídercast 108 – Leandro Nunes
Lídercast 108 – Leandro Nunes
LíderCast 108 - Hoje conversamos com Leandro Nunes, um ...

Ver mais

Lídercast 107 – Lucia Bellocchio
Lídercast 107 – Lucia Bellocchio
Hoje conversamos com Lucia Bellocchio, uma jovem ...

Ver mais

LíderCast 106 – Labi Mendonça
LíderCast 106 – Labi Mendonça
LíderCast 106 - 106 - Hoje conversamos com Labi ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Interpretações do Brasil X – As escolhas públicas e as instituições como pano de fundo
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Interpretações do Brasil X As escolhas públicas e as instituições como pano de fundo “Bons jogos dependem mais de boas regras do que de bons jogadores.” James Buchanan  Considerações iniciais A ...

Ver mais

O que aprender quando o futuro já era
Mauro Segura
Transformação
A minha experiência no ano passado mostrou que a história de viver cada dia como se fosse o último é uma baboseira. Aprendi que eu não preciso ter planos mirabolantes para ter uma vida digna, ...

Ver mais

MInha culpa é sua, camarada!
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A tragédia do edifício que pegou fogo e desabou no Largo do Paissandu, em São Paulo, desvendou mais um bem bolado golpe; e golpe, novamente, travestido de “movimento social”: A máfia das invasões ...

Ver mais

O domínio esquerdista na dramaturgia brasileira
Bruno Garschagen
Ciência Política
Hoje, não há qualquer ameaça ao domínio da esquerda nas novelas, filmes, séries, teatro, programas de TV, jornalismo. Por isso a reação agressiva quando alguma obra fura a ditadura cultural.

Ver mais

Cafezinho 72 – Fake News 1
Cafezinho 72 – Fake News 1
Quem julga o juiz?

Ver mais

Cafezinho 71 – Reenquadre o hater
Cafezinho 71 – Reenquadre o hater
Reenquadre o otário e ele vira ouro. Reenquadre a ...

Ver mais

Cafezinho 70 – O Efeito Genovese
Cafezinho 70 – O Efeito Genovese
O comportamento de quem vê algo errado e nada faz a ...

Ver mais

Cafezinho 69 – Quatro Formas de Gastar Dinheiro
Cafezinho 69 – Quatro Formas de Gastar Dinheiro
Gastar nosso dinheiro conosco; nosso dinheiro com ...

Ver mais

O mito da solidão

O mito da solidão

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

“Nunca fui como todos/ Nunca tive muitos amigos

Nunca fui favorita/ Nunca fui o que meus pais queriam

Nunca tive alguém que amasse/ Mas tive somente a mim

A minha absoluta verdade/ Meu verdadeiro pensamento

O meu conforto nas horas de sofrimento/ Não vivo sozinha porque gosto

E sim porque aprendi a ser só” (Florbela-Espanca- Solidão)

Nestes 20 anos atuando como analista e psicólogo clinico, tenho notado uma crescente queixa em consultório sobre solidão. Tem sido rotineiro, comum ver que as pessoas reclamam cada dia mais da solidão, da dificuldade de ter vínculos, de estabelecer novas amizades, de criar laços afetivos. O dito por Vinicius de Moraes “mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão”, foi esquecido.

O primeiro grande fator que colabora com essa solidão é a timidez, que oculta por trás da personalidade o orgulho e a vaidade, o extremo da auto-importância, a cobrança exacerbada no que os outros vão pensar. Todo tímido sofre por antecipar a cobrança alheia, por ser perfeccionista. O pensamento: “A solidão é a sorte de todos os espíritos excepcionais”, proposto por  Arthur Schopenhauer exprime bem a temática.

O segundo fator de solidão hoje está nas pessoas que têm bom senso e/ou uma capacidade intelectual avançada. Ser racional em uma sociedade hedônica é extremamente complicado, principalmente se a inteligência é usada contra o próprio indivíduo que se isola em uma autocobrança. Pensar no meio do senso comum dói, especialmente no ápice de nossa educação bancária e de todo analfabetismo funcional. Ironicamente poderíamos citar Aristóteles: “O homem solitário é uma besta ou um deus!”

O terceiro fator liga-se diretamente a algumas doenças mentais, como a depressão, a distimia, o transtorno bipolar, a esquizofrenia, o pânico, patologias que tornam o isolamento inevitável, sobretudo quando não tratadas. A ruptura da consciência e da identidade é o descrito pela escritora Clarice Lispector: “E ninguém é eu, e ninguém é você. Esta é a solidão”.

Por último a solidão aparece especialmente quando existem problemas na estrutura da personalidade mais severos, como o egoísmo, a apatia, a falta de percepção do outro e de suas necessidades, a ruptura com vínculos sociais em um ciclo hedônico de vida, no qual muitos partem para um estado agressivo e de falta de educação, que demarca as grandes rupturas.

Todavia nada desses fatores é mais forte que a ilusão de se estar sozinho. O sentimento de autocomiseração, de autopiedade, o sentir-se o coitado dos coitados, como o descrito por Cecília Meireles em “Da solidão”. O abandono interior do amor próprio na busca de colo e conforto. Solidão é viver de mal com o mundo.

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima