Iscas Intelectuais
#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Ao longo de 2018 o Café Brasil Premium decolou e ...

Ver mais

#Retrospectiva PodSumários
#Retrospectiva PodSumários
Comece 2019 praticando o Fitness Intelectual. A barriga ...

Ver mais

657 – Brumadinho e a Challenger
657 – Brumadinho e a Challenger
A tragédia da explosão da Challenger em 1986 marcou ...

Ver mais

656 – Rua Ramalhete
656 – Rua Ramalhete
Este programa é uma homenagem ao Tavito, que faleceu em ...

Ver mais

655 – É carnaval
655 – É carnaval
Tem gente boa, muito boa, fazendo a legítima música de ...

Ver mais

654 – Sarau Café Brasil III
654 – Sarau Café Brasil III
Realizamos mais uma edição do Café Brasil Premium, ...

Ver mais

LíderCast 145 – Ana Paula Andrade
LíderCast 145 – Ana Paula Andrade
CEO de uma multinacional de trademarketing, a Marco ...

Ver mais

LíderCast 144 – Daniel Arcoverde e Rafael Belmonte
LíderCast 144 – Daniel Arcoverde e Rafael Belmonte
Os jovens empreendedores que criaram a netshow.me, uma ...

Ver mais

LìderCast 143 – Doug Alvoroçado
LìderCast 143 – Doug Alvoroçado
Esse alvoroçado não é nome não, é adjetivo. Um ...

Ver mais

LíderCast 142 – Marcelo Pimenta
LíderCast 142 – Marcelo Pimenta
O Menta é um facilitador da inovação, um inquieto ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Uma certa ideia de Brasil
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Uma certa ideia de Brasil Excelente retrospectiva de 2003 a 2018 “Precisamos ter uma ideia de como nos vemos como país, de nosso passado, nosso presente e nosso futuro.” Pedro Malan Este não é, ...

Ver mais

CAPÍTULO 2 – LINGUAGEM E SEUS SÍMBOLOS (parte 4)
Alexandre Gomes
O caminho até agora está ficando longo, não é? Por mais que eu use exemplos próximos da realidade; ainda assim, eu e você estamos buscando entender conceitos abstratos. Afinal, estamos falando ...

Ver mais

Só envelhece quem perde a curiosidade
Henrique Szklo
O mundo está muito óbvio. As coisas têm sido analisadas pelos pontos de vista mais superficiais e, em geral, equivocados. Julga-se por aparência, por condição financeira, por orientação sexual, ...

Ver mais

Defendam Douglas também
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não conhece Douglas Leandro Clizesqui? Sem problemas. Ninguém conhece. Ele é pai de Douglas Murilo, uma das oito vítimas fatais no massacre da escola estadual em Suzano; o caso todos conhecem. ...

Ver mais

Cafezinho 161 – A prisão do ex-presidente
Cafezinho 161 – A prisão do ex-presidente
Embora pareça que tudo está dentro da esfera criminal, ...

Ver mais

Cafezinho 160 – Os cinco estágios
Cafezinho 160 – Os cinco estágios
Ajudando a compreender o cenário político brasileiro.

Ver mais

Cafezinho 159 – O bobo da corte
Cafezinho 159 – O bobo da corte
O palhaço, o bobo, o gozador, é o único a perceber a ...

Ver mais

Cafezinho 158 – O tempo que lhe resta
Cafezinho 158 – O tempo que lhe resta
Dê o primeiro passo para fazer com que o tempo de vida ...

Ver mais

O dólar e o X

O dólar e o X

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

                                    Sim, Albert Einstein estava certo mais uma vez, quando disse que só duas coisas não tinham limites: O universo e a estupidez humana – e não estava bem certo sobre o primeiro.

                                    Com a bancarrota brasileira, a economia em frangalhos, a inflação altíssima, o descalabro nas contas públicas, e todas as outras desgraças sindromicamente trazidas pelo lulismo, o resultado mais visível é a alta do dólar. Alta não, disparada.

                                    Mas como os lulistas vivem de ilusão, e não de fatos, resolveram botar a culpa no próprio; pululam experts de botequim pondo a culpa no dólar pela disparidade em relação à moeda brasileira. Ficou famosa uma senhora participante dessa facção (seita?) que afirmava, revoltada, que a culpa era toda dos EUA e do dólar, porque nossa economia estava “atrelada à moeda americana”. Deve ser o fantasma de Hugo Chávez soprando imbecilidade na orelha da lulista-economista-cubanista-fidelista.

                                    Na cabeça dessa simplista filhote (filhota?) de Gramsci, o dólar sobe por culpa dos americanos. Não, senhora. A culpa é nossa, que desvalorizamos o real. “Nossa” latu sensu, evidentemente. Outros efeitos da imundície lulista? Caímos de 7ª para 9ª economia do mundo, e nossa dívida interna quadruplicou. A externa (sim, ela existe) seguiu a desvalorização, aumentando 90%.

Não há nada “atrelado” ao dólar; essa moeda é uma referência, como a régua dividida em centímetros ou polegadas não altera o comprimento, nem a graduação do termômetro em Celsius ou Fahrenheit altera a temperatura. O real se esfarelou, não foi o dólar que se “valorizou” por pura maldade.

                                    A lulada conseguiu a proeza de desvalorizar o real em 53% APENAS neste ano. Uma imbecilidade digna de prêmio em hospício – ou presídio, dependendo do ponto de vista. Aliás, essa desvalorização acontece em geral, confrontando-se com as outras moedas do mundo, mesmo o cambaleante peso argentino. Não adianta tentar jogar a culpa nos outros, essa especialidade dos lulistas, que chamam de “fascista” qualquer um que discorde deles. São analfabetos não só em economia, mas também em história e política… e bons modos.

                                    Ah sim… falando em insanidade… e o X, então? Um primor de cretinice; transformaram a consoante cruzada em demência politicamente correta; a lulada “decidiu” que a flexão de gênero deve ser abolida na língua portuguesa. Traduzindo pro dialeto lulista: “Num pódi mais falá hómi nem muié; num podi ponhá mais eli i ela, nem deli i dela. É tudu xis.”Não, não é brincadeira. O politicamente correto, na verdade uma fórmula lulista/ gramscista/chavista/leninista que impede o pensamento, forçando a massificação do indivíduo, para que aja como manada domesticada (deixe de ser preguiçoso e vá ler 1984, de George Orwell).

                                    Exagero? Não mesmo. E a prova vem de um dos laboratórios de ensino lulista, o famoso Colégio Pedro II do Rio de Janeiro, que adotou a novilingua (confira no livro 1984) lulista, e a utiliza até em seus comunicados internos e impressos oficiais, como este abaixo e o que encabeça o texto:

O dolar e o X 24.9.15 imagem 2

                                    Essa besteira do politicamente correto começou como brincadeira, e depois como piada. Hoje é de um ridículo supremo, usado como arma para dissolver qualquer pensamento anti-gramscista. O que é ensinado no Brasil, para crianças indefesas, tentando estrangular qualquer pensamento livre ou individual, impedindo ideias próprias que fujam dessa cartilha escravizante, é motivo de gozação na Europa há mais de 30 anos, como no filme A vida de Brian, do genial grupo satírico britânico Monty Phyton: 

                                    A macroeconomia de botequim e o X da novilíngua lulista confirma o aforismo de Einstein… com uma boa ajuda da turma de Lula, o arrivista da ilusão. Dilma vai querer ser chamada de presidentx? E como se pronuncia isso? Será que novilingua baixa o dólar? Ou a dólar? Ou dólxr?

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes