Iscas Intelectuais
Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
MUDANÇAS IMPORTANTES NO CAFÉ BRASIL PREMIUM A você que ...

Ver mais

Café Brasil no Top 10 Podbean
Café Brasil no Top 10 Podbean
O Café Brasil está entre os Top 10 numa das maiores ...

Ver mais

701 – Sorte
701 – Sorte
E aí? Você se considera uma pessoa sortuda ou azarada? ...

Ver mais

700 – Girl Power
700 – Girl Power
Bem, você sabe que sempre que chegamos num programa ...

Ver mais

699- Um brasileiro
699- Um brasileiro
Como sabemos que muitos ouvintes do Café Brasil não ...

Ver mais

698 – A Mente Moralista
698 – A Mente Moralista
Somos criaturas profundamente intuitivas cujas ...

Ver mais

LíderCast 184 – Michelle Susan
LíderCast 184 – Michelle Susan
Uma lutadora, que sai do zero para trabalhar em ...

Ver mais

LíderCast 183 – Antonio Mamede
LíderCast 183 – Antonio Mamede
Ex-executivo de grandes empresas, hoje consultor e ...

Ver mais

LíderCast 182 – Alexis Fontaine
LíderCast 182 – Alexis Fontaine
Segunda participação do Deputado Federal do partido ...

Ver mais

LíderCast 181 – Christian Gurtner
LíderCast 181 – Christian Gurtner
Christian Gurtner – O homem que leva a gente para ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Minha despedida
Chiquinho Rodrigues
Como você bem sabe, sou músico e tenho uma produtora de vídeo aqui em São Paulo que é o Estúdio Bandeirantes. Atendemos clientes de quase todo o Brasil. Seja fazendo arranjos, produção de Cds, ...

Ver mais

Documentira
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Até anteontem, os Estados Unidos eram o império do mal, a síntese de tudo de ruim que há no universo; um inferno habitado por seres inumanos, que massacram sul-americanos por puro prazer sádico, ...

Ver mais

A harpa elétrica
Chiquinho Rodrigues
Valdenir era um cara que acreditava piamente em reencarnação. Mas não era só isso… Acreditava também em vidas passadas, ufos e astrologia. Flertava com o candomblé, o budismo e era também ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 3 – Classificação dos Termos (parte 9)
Alexandre Gomes
Continuando os resumos depois de um belo fim de ano, vou continuar detalhando mais sobre os o que são os termos e suas variedades. Perceba que isso é muito mais uma base de compreensão lógica das ...

Ver mais

Cafezinho 249 – Na vanguarda do atraso
Cafezinho 249 – Na vanguarda do atraso
Para que, daqui a 40 anos, os jovens que hoje têm ido ...

Ver mais

Cafezinho 248 – O meiostream
Cafezinho 248 – O meiostream
Sobre se considerar bem-sucedido sendo o que se é.

Ver mais

Cafezinho 247 – Compartilhe!
Cafezinho 247 – Compartilhe!
Sobre o hábito de compartilhar aquilo que vale a pena.

Ver mais

Cafezinho 246 – Setecentos
Cafezinho 246 – Setecentos
São 74 minutos de puro deleite.

Ver mais

Mudanças, não. Avanços!

Mudanças, não. Avanços!

Adalberto Piotto - Olhar Brasileiro -

Por Adalberto Piotto

O Brasil está fértil. O solo deste país está pronto para fazer nascer uma nação. E baseio minha análise nos fatos. Todas essas sementes que foram injetadas no chão brasileiro, de pequenas cidades a imensas capitais com chuva de debates reais é algo novo, inovador no nosso cenário político.
O momento do Brasil está fértil para avanços reais, não apenas mudanças.
É o que procuramos há tempos, nós os incomodados.
Mas fato é que não me recordo de um tempo tão propício para avançarmos de vez e superarmos alguns de nossos próprios vícios.
Não é otimismo, não. É uma depuração de análise histórica. Vejamos:

– A crença em mitos e salvadores da pátria, por exemplo, caiu.
Os mitos se foram, assim como os populistas que se imagivavam enviados especiais da divindade para nos tirar do subdesenvolvimento.
E não existe mais ninguém de bom senso que acredite neles, seja porque nunca existiram ou porque são tiranos disfarçados. O único que restou no imaginário dos incautos chama tríplex de 215 metros em frente à praia de “Minha Casa, Minha Vida”, revelando-se jocoso e arrogante com um dos problemas mais graves do Brasil que é o acesso à moradia. Não bastasse isso tudo, ainda zomba das instituições ao se imaginar acima delas. Nunca esteve. Não está. Chamado a depor ou vai por bem ou por mal…coercitivamente pelo bem da democracia deste país.

– A crença que não existe atalho para a superação de problemas, tampouco terceirização da suas obrigações com seu país e a sociedade que almeja são sentimentos que estão cada vez mais fortes. Vimos isso ao ver muito mais gente nas manifestações de domingo.

– Embora ainda haja exageros pretensiosamente anarquistas de excomungar todos os políticos, como se não fossem brasileiros colocados lá por outros brasileiros, a maioria sabe que a democracia brasileira é de representação e, portanto, sempre haverá representantes nas casas do Parlamento.
O avanço neste caso é que parece estar mudando de forma vigorosa é a percepção de que a sua participação na democracia não acaba no dia da eleição e que votar é só uma pequena parte da sua obrigação com seu país.

– Não haverá uma simples troca de poder a partir de agora.
Os apupos a membros da oposição no protesto da avenida Paulista, como Alckmin e Aécio, embora infinitamente menores à ojeriza e desejo de deposição que os brasileiros nutrem por Lula, Dilma e o PT, tamanha a tragédia política e social que provocaram, dão mostras claras que não se quer apenas a troca de comando no país, quer-se um avanço institucional na admininstração pública e na relação com o cidadão. O convencimento passa por aí agora.

– Movimentos sociais, estudantis e de trabalhadores como UNE, MSTs e sindicatos, antes catalizadores dos anseios populares, não representam nada mais ao brasileiros que trabalham (salvo uma ou outra exceção que terá de provar diariamente seu caráter).
Instrumentalizados, manipulados ou com “donos” partidários, perderam a representatividade e a essência da luta social. Reduziram-se a condomínios ideológicos, massas de manobra ou nos bichos do George Orwell, mais despóticos do que aqueles aos quais criticavam.
Foram todos substituídos pelas instituições de Estado, porque realmente de todos, como a Polícia Federal, o Ministério Público e a Justiça, sem pegágio ou intermediário para serem acessados. Já escrevi sobre isso. O divórcio litigioso que existia entre os cidadãos e as instituições, porque aprisionadas a governos, opressivas ou inalcançáveis à maioria, está acabando e se tornando numa nova e feliz união. Essas instituições deram o passo decisivo de olharem para a população e se aterem apenas aos preceitos constitucionais que as regem, servindo-as legalmente.

A consciência de tudo isso que está acontecendo por nossa intervenção no país – antes ausente, hoje presente – é que tem fertilizado o solo deste país.

E como tem chovido milhões de incomodados país afora é hora de fazer nascer o Brasil prometido.

Afinal, são os incomodados que movem o mundo e plantam a nação que queremos.

Ver Todos os artigos de Adalberto Piotto