Iscas Intelectuais
#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Ao longo de 2018 o Café Brasil Premium decolou e ...

Ver mais

#Retrospectiva PodSumários
#Retrospectiva PodSumários
Comece 2019 praticando o Fitness Intelectual. A barriga ...

Ver mais

657 – Brumadinho e a Challenger
657 – Brumadinho e a Challenger
A tragédia da explosão da Challenger em 1986 marcou ...

Ver mais

656 – Rua Ramalhete
656 – Rua Ramalhete
Este programa é uma homenagem ao Tavito, que faleceu em ...

Ver mais

655 – É carnaval
655 – É carnaval
Tem gente boa, muito boa, fazendo a legítima música de ...

Ver mais

654 – Sarau Café Brasil III
654 – Sarau Café Brasil III
Realizamos mais uma edição do Café Brasil Premium, ...

Ver mais

LíderCast 145 – Ana Paula Andrade
LíderCast 145 – Ana Paula Andrade
CEO de uma multinacional de trademarketing, a Marco ...

Ver mais

LíderCast 144 – Daniel Arcoverde e Rafael Belmonte
LíderCast 144 – Daniel Arcoverde e Rafael Belmonte
Os jovens empreendedores que criaram a netshow.me, uma ...

Ver mais

LìderCast 143 – Doug Alvoroçado
LìderCast 143 – Doug Alvoroçado
Esse alvoroçado não é nome não, é adjetivo. Um ...

Ver mais

LíderCast 142 – Marcelo Pimenta
LíderCast 142 – Marcelo Pimenta
O Menta é um facilitador da inovação, um inquieto ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Uma certa ideia de Brasil
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Uma certa ideia de Brasil Excelente retrospectiva de 2003 a 2018 “Precisamos ter uma ideia de como nos vemos como país, de nosso passado, nosso presente e nosso futuro.” Pedro Malan Este não é, ...

Ver mais

CAPÍTULO 2 – LINGUAGEM E SEUS SÍMBOLOS (parte 4)
Alexandre Gomes
O caminho até agora está ficando longo, não é? Por mais que eu use exemplos próximos da realidade; ainda assim, eu e você estamos buscando entender conceitos abstratos. Afinal, estamos falando ...

Ver mais

Só envelhece quem perde a curiosidade
Henrique Szklo
O mundo está muito óbvio. As coisas têm sido analisadas pelos pontos de vista mais superficiais e, em geral, equivocados. Julga-se por aparência, por condição financeira, por orientação sexual, ...

Ver mais

Defendam Douglas também
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não conhece Douglas Leandro Clizesqui? Sem problemas. Ninguém conhece. Ele é pai de Douglas Murilo, uma das oito vítimas fatais no massacre da escola estadual em Suzano; o caso todos conhecem. ...

Ver mais

Cafezinho 162 – Recado aos presidentes
Cafezinho 162 – Recado aos presidentes
Em negociações complexas, emoções que levam a ...

Ver mais

Cafezinho 161 – A prisão do ex-presidente
Cafezinho 161 – A prisão do ex-presidente
Embora pareça que tudo está dentro da esfera criminal, ...

Ver mais

Cafezinho 160 – Os cinco estágios
Cafezinho 160 – Os cinco estágios
Ajudando a compreender o cenário político brasileiro.

Ver mais

Cafezinho 159 – O bobo da corte
Cafezinho 159 – O bobo da corte
O palhaço, o bobo, o gozador, é o único a perceber a ...

Ver mais

Meio que por Acaso

Meio que por Acaso

Suely Pavan Zanella - Iscas Comportamentais -

Meio Que Por Acaso

acaso

Foi assim, meio que por acaso, que o técnico de celular se tornou estilista do funk e hoje exporta suas roupas para Nova Iorque. Foi assim, meio que por acaso, que eu há mais de dez anos resolvi escrever textos falando sobre o cotidiano e enviado-os por e-mail para um grupo seleto de amigos, e hoje escrevo textos e mais textos. Foi também assim, meio que por acaso, que ela começou a fazer unhas ou brigadeiros para ajudar a família, e hoje tem suas próprias empresas.

Há quem planeje carreiras e até horários para descanso de forma meticulosa criando planilhas e agendando minutos. Outros começam as coisas assim: meio que por acaso.

Muitas coisas são feitas no momento de descanso, onde a criatividade corre solta. É aí que o talento se expande e o reconhecemos, também meio que por acaso.

É o rapaz que desenha depois de voltar do trabalho enfadonho, é o outro que escreve e tem um blog, é a moça que é líder nos esportes… É uma brincadeira que pouco a pouco vai se tornando realidade. É aquilo que nos dá prazer, tesão, e nunca cansa. Seria o lugar real do trabalho em nossas vidas. É nossa alma clamando por fazermos algo que nem sequer percebemos fazer. Apenas o fazemos. Isso não é uma delicia?

Quantos frutos não nascem destas coisas feitas meio por acaso?

Quando as pessoas reclamam nas sessões de coaching ou psicoterapia dos trabalhos chatos ou estressanes que tem, sempre lhes faço a mesma pergunta: Porque você não faz o que gosta?

Normalmente a pergunta é entendida literalmente, a pessoa entende que eu esteja sugerindo que ela mude de emprego ou coisa do gênero. Há muitos anos escrevi sobre isso, e lembro dos comentários a meu texto – a maioria deles dizia que aquilo que eu propunha era romântico e inviável. Uma pena!

Mas do que eu falava? Dizia que no nosso tempo livre podemos fazer o trabalho que quisermos, já que ele não parece trabalho. Podemos pintar, escrever, estudar, interpretar, cantar, e sei lá mais o quê. Podemos também ter uma atividade voluntária através daquilo que nos faz bem. O que as pessoas não entendem é que nestas atividades que fluem como água estão escondidos os nossos verdadeiros talentos profissionais. Aqueles que ficam escondidos, muitas vezes atrás das portas dos grandes edifícios empresariais, que deixam nossos talentos nas ruas ao invés de aproveita-los.

O trabalho deve ser a expressão da alma, disse certa vez Moreno, o criador do Psicodrama. E quanto mais distantes estamos de nossa alma, maior também será o nosso adoecimento. Trabalhos nos tempos primitivos era subsistência, mas também expressão.

Já notei, por exemplo, que quando eu fico muito tempo sem dar aulas, cursos ou palestras vou ficando apagada, meio doente. Ao passo que já fui dar aulas, cursos e palestras muito doente, e sai do local curada. Sim, curada! É como se lá naquele local mágico e estando onde gosto de estar, junto às pessoas, eu esquecesse de tudo. E como se este prazer imenso, que só a troca cara a cara com os humanos proporciona, me fizesse tão bem que eu me curasse , contrariando até os médicos que diziam para eu ficar quieta e de cama.

É assim que funciona o meio por acaso. Ele não está atrelado a uma atividade extra para ganhar dinheiro. Ele ocorre aos poucos. No momento em que a maioria dorme, o outro sonha acordado e percebe o que nasceu ou está predestinado para realizar. Talvez até ele nunca ganhe um centavo com isso, mas com certeza transformará a sua vida e a dos outros. Pode até ser que se torne um milionário. A verdade é que quem funciona do jeito “meio por acaso” não está pensando nisso. Quer apenas fazer o que sente que precisa fazer, e mais nada.

Ver Todos os artigos de Suely Pavan Zanella