Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 719 – Licença poética
Café Brasil 719 – Licença poética
Quem me acompanha há muitos anos sabe que tive um amigo ...

Ver mais

Café Brasil Especial – Heróis da Saúde 12 – The Dark Side Of The Moon
Café Brasil Especial – Heróis da Saúde 12 – The Dark Side Of The Moon
Olha, este é outro daqueles programas de sonho, ...

Ver mais

Café Brasil Especial – Heróis da Saúde 11 – Qual é seu propósito?
Café Brasil Especial – Heróis da Saúde 11 – Qual é seu propósito?
Eu acho que você já deve ter sido questionado sobre ...

Ver mais

Café Brasil 718 – No lugar do outro
Café Brasil 718 – No lugar do outro
É nos momentos de tempestade, de crise, quando não há ...

Ver mais

LíderCast 200 – Marcio Ballas
LíderCast 200 – Marcio Ballas
Apresentador de televisão, ator e palhaço profissional. ...

Ver mais

LíderCast 199 – Ricardo Corrêa
LíderCast 199 – Ricardo Corrêa
Empreendedor, fundador da Ramper, uma conversa ...

Ver mais

LíderCast 198 – Hélio Contador
LíderCast 198 – Hélio Contador
Ex-executivo de grandes empresas do setor automotivo, ...

Ver mais

LíderCast 197 – Luciana Cardoso
LíderCast 197 – Luciana Cardoso
A jovem executiva que coordena um dos grandes desafios ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Minuto da Produtividade 1 – A arte de dizer não!
Minuto da Produtividade 1 – A arte de dizer não!
Produtividade é a arte de dizer NÃO!

Ver mais

QI, educação e literatura
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
O QI médio em praticamente todos os países do mundo cresceu muito nos últimos 100 anos.   Na Alemanha e nos EUA, o crescimento do QI médio foi de mais de 30 pontos. No Quênia e na Argentina, foi ...

Ver mais

Perfeccionismo só é defeito quando mal utilizado
Henrique Szklo
Iscas Criativas
Ao ser questionada sobre quais são seus defeitos, muita gente coloca, envergonhadamente, o perfeccionismo como um dos mais tóxicos, como está na moda dizer. Muitos, inclusive, culpam este ...

Ver mais

A economia criativa pode ser essencial para o pós-pandemia?
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A economia criativa pode ser essencial para o pós-pandemia? “… as crises econômicas inevitavelmente dão origem a períodos críticos em que uma economia é refeita para que possa recuperar-se ...

Ver mais

Samba no céu
Chiquinho Rodrigues
Por volta dos anos 90 a Som Livre lançou um álbum com o infeliz nome de “Samba no Céu”. Eu me lembro de alguns nomes como Elis, Cartola, Pixinguinha, Gonzaguinha e outros artistas que já haviam ...

Ver mais

Cafezinho 284 – A polarização de araque
Cafezinho 284 – A polarização de araque
Assistir a rinha de galos diária tem o mesmo efeito que ...

Ver mais

Cafezinho 283 – COVID 20
Cafezinho 283 – COVID 20
Precisamos reconhecer quem fez um bom trabalho e punir, ...

Ver mais

Cafezinho 282 – O cochilo de 50 anos
Cafezinho 282 – O cochilo de 50 anos
Passada a pandemia, teremos de ser ainda mais ...

Ver mais

Cafezinho 281 – O freestyle cognitivo
Cafezinho 281 – O freestyle cognitivo
Você aí no seu pedaço tem valor, viu? E faz coisas que ...

Ver mais

Mas por que justamente o Bolsonaro?

Mas por que justamente o Bolsonaro?

Gustavo Bertoche - É preciso lançar pontes. -

Por que foi o Bolsonaro o escolhido pelos eleitores, e não o Alckmin, o Amoedo ou o Meirelles?

Pertenço ao grande campo das esquerdas e, para mim, é muito claro o porquê da ascensão da sua candidatura.

Nós não estamos conseguindo nos contrapor a ela – como também não conseguiram os outros candidatos anti-PT – porque não entendemos parte do problema.

Não é por meio de Foucault e Derrida que se pode compreender completamente o que está acontecendo; há um lado da questão que é mais simples e mais primal. Para lidar com ele, é preciso simplificar: urge voltarmos a um Hobbes.

Hobbes cria a doutrina do contratualismo ao notar que a razão essencial da vida em sociedade é a proteção física da própria vida.

Ele argumenta que, em nome da segurança, as pessoas estão dispostas a abrir mão de tudo – até de sua liberdade política. Em nome da preservação da vida – a sua e a da sua família -, os cidadãos tornar-se-ão, de bom grado, súditos de um tirano. Vimos isso acontecer há alguns anos em bairros da Zona Oeste do Rio de Janeiro, quando as milícias paramilitares expulsaram os assaltantes e traficantes e foram saudadas como forças libertadoras por parte da população.

Pois bem: nós, do campo das esquerdas, não percebemos que o problema fundamental de qualquer sociedade não é a educação, nem a saúde pública, o combate à corrupção, a economia, a igualdade civil ou as liberdades políticas: é, como diz Hobbes, a segurança.

Ora, todas as pesquisas de percepção da conjuntura indicam que o povo tem medo de andar nas ruas e considera que não há punição adequada para os crimes que sofre. Em qualquer lugar do Brasil, em todas as classes sociais. Ou seja: o povo acredita estar à beira da anomia.

O que permitiu a criação da onda Bolsonaro não foi, em primeiro lugar, o discurso (controverso) da incorruptibilidade nem a tríade machismo-rascismo-homofobia.

O que levantou a sua candidatura foi a promessa de aumentar a segurança – ou, no mínimo, a de permitir que cada um possa fazer a sua proteção armada. E o julgamento (correto ou não, o que importa neste momento?) de grande parte da população de que as políticas de segurança das esquerdas são as maiores responsáveis pelo aumento da violência urbana.

Em outras palavras: não adianta somente discutirmos economia, projetos educacionais, incentivo à ciência, privatização. Quem se percebe à beira da guerra civil não está preocupado com questões de longo prazo; o que importa é não correr o risco de ser preso ao dar um tiro em quem pretende sequestrá-lo ou invadir a casa em que mora a sua família.

Nessas horas mais brutas, não basta ler Foucault: é preciso ler Hobbes também.

O Bolsonaro percebeu isso, mas as esquerdas – assim como os outros candidatos anti-PT -, não. E isso pode levá-las a um retrocesso inimaginável pelos próximos anos.

* * *

Em tempo: hoje em dia, as milícias que “limparam” a Zona Oeste do Rio… pensando bem, deixa pra lá.

Ver Todos os artigos de Gustavo Bertoche