Iscas Intelectuais
#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Ao longo de 2018 o Café Brasil Premium decolou e ...

Ver mais

#Retrospectiva PodSumários
#Retrospectiva PodSumários
Comece 2019 praticando o Fitness Intelectual. A barriga ...

Ver mais

657 – Brumadinho e a Challenger
657 – Brumadinho e a Challenger
A tragédia da explosão da Challenger em 1986 marcou ...

Ver mais

656 – Rua Ramalhete
656 – Rua Ramalhete
Este programa é uma homenagem ao Tavito, que faleceu em ...

Ver mais

655 – É carnaval
655 – É carnaval
Tem gente boa, muito boa, fazendo a legítima música de ...

Ver mais

654 – Sarau Café Brasil III
654 – Sarau Café Brasil III
Realizamos mais uma edição do Café Brasil Premium, ...

Ver mais

LíderCast 145 – Ana Paula Andrade
LíderCast 145 – Ana Paula Andrade
CEO de uma multinacional de trademarketing, a Marco ...

Ver mais

LíderCast 144 – Daniel Arcoverde e Rafael Belmonte
LíderCast 144 – Daniel Arcoverde e Rafael Belmonte
Os jovens empreendedores que criaram a netshow.me, uma ...

Ver mais

LìderCast 143 – Doug Alvoroçado
LìderCast 143 – Doug Alvoroçado
Esse alvoroçado não é nome não, é adjetivo. Um ...

Ver mais

LíderCast 142 – Marcelo Pimenta
LíderCast 142 – Marcelo Pimenta
O Menta é um facilitador da inovação, um inquieto ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Uma certa ideia de Brasil
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Uma certa ideia de Brasil Excelente retrospectiva de 2003 a 2018 “Precisamos ter uma ideia de como nos vemos como país, de nosso passado, nosso presente e nosso futuro.” Pedro Malan Este não é, ...

Ver mais

CAPÍTULO 2 – LINGUAGEM E SEUS SÍMBOLOS (parte 4)
Alexandre Gomes
O caminho até agora está ficando longo, não é? Por mais que eu use exemplos próximos da realidade; ainda assim, eu e você estamos buscando entender conceitos abstratos. Afinal, estamos falando ...

Ver mais

Só envelhece quem perde a curiosidade
Henrique Szklo
O mundo está muito óbvio. As coisas têm sido analisadas pelos pontos de vista mais superficiais e, em geral, equivocados. Julga-se por aparência, por condição financeira, por orientação sexual, ...

Ver mais

Defendam Douglas também
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não conhece Douglas Leandro Clizesqui? Sem problemas. Ninguém conhece. Ele é pai de Douglas Murilo, uma das oito vítimas fatais no massacre da escola estadual em Suzano; o caso todos conhecem. ...

Ver mais

Cafezinho 161 – A prisão do ex-presidente
Cafezinho 161 – A prisão do ex-presidente
Embora pareça que tudo está dentro da esfera criminal, ...

Ver mais

Cafezinho 160 – Os cinco estágios
Cafezinho 160 – Os cinco estágios
Ajudando a compreender o cenário político brasileiro.

Ver mais

Cafezinho 159 – O bobo da corte
Cafezinho 159 – O bobo da corte
O palhaço, o bobo, o gozador, é o único a perceber a ...

Ver mais

Cafezinho 158 – O tempo que lhe resta
Cafezinho 158 – O tempo que lhe resta
Dê o primeiro passo para fazer com que o tempo de vida ...

Ver mais

Mandioca para todos!

Mandioca para todos!

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

                        Te cuida, Mulher Melancia. Vocês também, Mulher Melão e Mulher Morango. Tremei, todas as Mulheres-Algo, pois brota do chão a mais nova tendência feminina para o fim de feira ao qual o Brasil foi relegado: A Mulher Mandioca.

                        Dilma voltou de seu improdutivo passeio nos EUA com algumas certezas enfiadas naquela terra de ninguém que traz entre as orelhas e ousa apelidar de cérebro: Ela é simplesmente o máximo e o mundo, principalmente os americanos, tem muito a aprender com ela. É mandioca demais pra nossa barraquinha de feira.

                        Ela decolou daqui pouco se lixando com o barranco que estamos rolando, sem esperança de um mísero galhinho que nos ampare. E o chão duro ainda tá longe.

                        É impressionante (mesmo para os mais empedernidos puxassacos e intere$$ados), até mesmo para Jô Soares, nomeado Elogiador Geral da República e condecorado pela cara de pau demonstrada na sua entrevista-palanque, a forma como Dilma simplesmente ignora a realidade. Claro, a aversão da esquerda caviar aos fatos é conhecida; Lênin, sua múmia-mor, já dizia que a diferença entre mentira e verdade é apenas um conceito burguês. Quero ver quem, do atual desgoverno, vai ter coragem de explicar isso aos trabalhadores que ficarão sem abono este ano por pura falta de dinheiro para pagar o benefício. Enfim, mais do Dilmismo, essa praga, essa peste negra que assola o País. E madame passeia nos EUA, gostosamente instalada numa suíte de US$ 11 mil a diária. Que coisa meiga.

                        A despedida antes das férias ao estilo Rainha de Copas foi inesquecível; será sempre lembrada como a presidente que louva a mandioca (os trocadilhos estão em êxtase) e criou uma tal de mulher sapiens, algo que nem mesmo o mais heterodoxo antropólogo saberia definir de onde surgiu. Sua única atitude esperta (tão esperta quanto calhorda) foi excluir Aluízio Mercadante do convescote internacional. Afinal, o sujeito está enrolado até o pescoço com as delações premiadas da Operação Lava Jato e madame não queria explicar esses detalhes sórdidos. Dá muito trabalho, mesmo para uma mulher sapiens, enfrentar jornalistas num país sério.

Em suas férias no império do mal, no qual todo comunista se rende às delícias do consumismo e do capitalismo podre, a Mulher Mandioca não deixou por menos, e deu aulas de arrogância explícita, como se estivesse aqui na Banânia. Ficou muito irritada com essa mania americana de ter de responder a perguntas de jornalistas, ora veja que ousadia!

                        De resto, disse todas as bobagens possíveis, dignas de anedota, desenvolvendo novos ramos do Dilmês, a língua que criou para dizer muita besteira sem explicar fato algum. Coisa de hospício. Deu ao mundo a certeza de que não passa de uma irresponsável que conseguiu destruir a economia e o sistema político de um dos maiores países do mundo. Dilma é uma piada, e de mau gosto. Mesmo os 9% que (ainda) a apóiam não conseguem, nem com muita mandioca (em ambos os sentidos), demonstrar que seu fracasso retumbante é apenas um sucesso com pouca publicidade.

                        O Brasil ainda não acabou. Mas Dilma retorna à presidência do bordel com a mesma certeza com a qual viajou: Tudo está bem, ela é simplesmente o máximo, e esses 91% que a reprovam não passam de uma elite fascista, sexista, maldosa, que odeia os pobres.

                        A mandioca, com areia grossa, vai ser o prato mais servido na porta dos fundos de qualquer dos percentuais representativos.

                        Saúdem, pois, essa conquista que ilustra bem o passado e decora nosso futuro – A Mandioca: 

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes