Iscas Intelectuais
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

679 – Será que acordamos?
679 – Será que acordamos?
Adalberto Piotto apresenta o programa Cenário Econômico ...

Ver mais

678 – Dominando a Civilidade
678 – Dominando a Civilidade
Vivemos uma epidemia de incivilidade que ...

Ver mais

677 – Teorias da Conspiração
677 – Teorias da Conspiração
Vivemos numa sociedade assolada por grandes ...

Ver mais

676 – Homem na Lua 2
676 – Homem na Lua 2
Cinquenta anos atrás o homem pousou na Lua. Mas parece ...

Ver mais

LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
O Abbey é um imigrante africano, que chegou ao Brasil ...

Ver mais

LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
Um dos mais influentes profissionais de comunicação ...

Ver mais

LíderCast 164 – Artur Motta
LíderCast 164 – Artur Motta
Professor que fez transição de carreira e usa podcasts ...

Ver mais

LíderCast 163 – Amanda Sindman
LíderCast 163 – Amanda Sindman
Profissional de comunicação, jornalista e mulher trans. ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Resumo da Aula 2 do Curso On-line de Filosofia (COF)
Eduardo Ferrari
Resumos e Artigos
A segunda aula do COF, ministrada em 21 de março de 2009, teve a duração de 3h43min e foi resumida em menos de cinco minutos de leitura, com o objetivo de levar ao conhecimento do leitor uma ...

Ver mais

A quem interessa a divisão da sociedade?
Jota Fagner
Origens do Brasil
O atual estado de intolerância ao pensamento diferente, manifesto nas agressões que começam nas redes sociais e terminam em confrontos físicos no meio da rua, é o resultado de um processo de ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPÍTULO 3 – MORFOLOGIA CATEGOREMÁTICA (parte 2)
Alexandre Gomes
Depois de listar todas as CATEGORIAS DE PALAVRAS, de acordo com a Gramática Geral irei tratar com mais calma de cada categoria. Seguindo a lista da lição anterior, vamos começar pelo grupo das ...

Ver mais

Simples assim
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Simples assim Excelência em Educação Dia 10 de agosto, compareci a um evento muitíssimo interessante. Estimulado pela chamada do convite eletrônico – Avanços na educação pública: o que podemos ...

Ver mais

Cafezinho 205 – Agrotóxicos – melhor seria não usar V
Cafezinho 205 – Agrotóxicos – melhor seria não usar V
O problema do agrotóxico no Brasil não é dos ...

Ver mais

Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Ainda existe hoje uma cultura, muito estimulada por ...

Ver mais

Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Quem é o idiota que quer deliberadamente envenenar seus ...

Ver mais

Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Se não bastassem as dificuldades para comprar, ...

Ver mais

Legado olímpico deficitário nem sempre é ruim

Legado olímpico deficitário nem sempre é ruim

Luiz Alberto Machado - Iscas Econômicas -

Legado olímpico deficitário nem sempre é ruim

 Antes do início dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, publiquei um artigo bem amplo intitulado Olímpicas expectativas, em que analisava diversos aspectos relacionados ao evento. Como os Jogos ainda não acabaram, ainda não dá pra fazer um balanço completo, mas acho interessante compartilhar com os amigos uma breve reflexão acerca do legado olímpico.

Com a aproximação da Olimpíada do Rio de Janeiro, agora já em seu final, muito se falou sobre aspectos negativos dos dois grandes eventos esportivos internacionais realizados recentemente no Brasil, a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.

O saldo financeiro definitivo de eventos dessa magnitude leva muitas vezes um tempo considerável para ser conhecido, tal a complexidade envolvida e o amplo e diversificado conjunto de instituições envolvidas no seu financiamento.

Apesar dessas dificuldades, a percepção geral é de que a esmagadora maioria das edições recentes desses eventos deixou um saldo financeiro negativo, sendo duas importantes exceções Barcelona, que sediou os Jogos Olímpicos de 1992, e Los Angeles, que sediou os Jogos Olímpicos de 1984, sendo estes últimos os únicos que foram financiados integralmente por meio de investimentos privados.

Há casos em que o saldo foi catastrófico, deixando uma conta enorme a ser paga pelas autoridades e, em última instância, pelas populações de cidades ou países que sediaram grandes eventos esportivos. Montreal e Atenas, que sediaram, respectivamente, as edições de 1976 e 2004 dos Jogos Olímpicos, são bons exemplos disso.

Há um caso, porém, que deve ser examinado a partir de uma ótica diferente, visto que muito mais do que obter superávit, o grande objetivo de Seul, ao se candidatar para sediar os Jogos Olímpicos de 1988, era o de promover a cidade e o país, até então pouco conhecidos internacionalmente.

Nessa perspectiva, os Jogos Olímpicos de Seul atingiram plenamente seu objetivo, uma vez que a Coreia do Sul conseguiu mostrar ao mundo que era capaz de promover um evento de magnitude mundial de forma extremamente organizada, sendo elogiada por unanimidade por todos os que estiveram presentes aos Jogos, quer como atletas, quer como torcedores ou dirigentes.

Prova disso é que poucos anos depois a Coreia do Sul associou-se ao Japão na organização da Copa do Mundo de Futebol de 2002, quando, uma vez mais, evidenciou sua capacidade de organização, aliada, nesta oportunidade, à ativa e alegre participação de sua população, que encantou o mundo torcendo por sua surpreendente seleção, que chegou entre os quatro finalistas.

Com a aproximação do final dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, independentemente dos resultados definitivos – tanto esportivos como financeiros – uma coisa se pode afirmar com certeza: o maior legado da Olimpíada será para o povo do Rio de Janeiro, que poderá desfrutar de consideráveis melhorias em regiões que foram revitalizadas, em novos meios de transporte e em novas atrações culturais que poderão ampliar ainda mais o interesse de turistas pela Cidade Maravilhosa. Para isso, as autoridades, tanto da cidade como do estado do Rio de Janeiro, precisarão levar a cabo inúmeras ações, no sentido de oferecer mais segurança, saúde e condições mínimas de trabalho para servidores que se encontram, atual e compreensivelmente, bastante desestimulados.

Iscas para quem quiser se aprofundar

Referência webgráfica

MACHADO, Luiz Alberto. Olímpicas expectativas. Disponível em http://www.portalcafebrasil.com.br/iscas-intelectuais/olimpicas-expectativas/.

Ver Todos os artigos de Luiz Alberto Machado