Iscas Intelectuais
#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Ao longo de 2018 o Café Brasil Premium decolou e ...

Ver mais

#Retrospectiva PodSumários
#Retrospectiva PodSumários
Comece 2019 praticando o Fitness Intelectual. A barriga ...

Ver mais

652 – A realidade real
652 – A realidade real
Vivemos um tempo no qual muita gente tem dificuldades ...

Ver mais

651 – Era uma vez…
651 – Era uma vez…
A melhor forma de ensinar política para crianças – e ...

Ver mais

650 – A Espiral do Silêncio
650 – A Espiral do Silêncio
Temos um sexto sentido para perceber a tendência da ...

Ver mais

649 – Quando eu tiver 64
649 – Quando eu tiver 64
Fui dar uma olhada nos comentários dos ouvintes do Café ...

Ver mais

LíderCast 140 – Carlos Nepomuceno
LíderCast 140 – Carlos Nepomuceno
Doutor em Ciência da Informação, jornalista, escritor e ...

Ver mais

Vem aí a Temporada 11 do LíderCast
Vem aí a Temporada 11 do LíderCast
Está chegando a Temporada 11 do LíderCast!

Ver mais

LíderCast 139 – Nívio Delgado
LíderCast 139 – Nívio Delgado
De carinha do Xerox a Diretor Superintendente da maior ...

Ver mais

LíderCast 138 – Ricardo Abiz
LíderCast 138 – Ricardo Abiz
Empreendedor também, um pioneiro em diversas áreas de ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

A vida é muito melhor com boechatividade
Henrique Szklo
Como a maioria dos brasileiros, fiquei consternado com a morte do jornalista Ricardo Eugênio Boechat. Não posso dizer que eu era exatamente um fã, mas como sob minha perspectiva, ele utilizou em ...

Ver mais

Noblesse Oblige
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não dá pra saber quem é pior: A autora da bobagem, orgulhosa de sua total falta de noção, ou quem a defende, alegando lutar contra uma misoginia tão falsa quanto a cara de pau do arrivismo ...

Ver mais

Venezuela, Reforma Previdência & Futuro PT
Carlos Nepomuceno
Resumo da Live: Assistir completa: Formação Digital Bimodal: Programa de Formação Bimodal Lives antigas: https://nepo.com.br/category/o-melhor-de-2019/lives-do-nepo-o-digital-na-politica/

Ver mais

Metade cheia do copo
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Metade cheia do copo Um pouco de otimismo, pra variar  “A troca está para a evolução cultural como o sexo está para a evolução biológica.” Matt Ridley Em agosto do ano passado, a convite do ...

Ver mais

Cafezinho 152 – 45 Dias
Cafezinho 152 – 45 Dias
Tem muita coisa importante acontecendo enquanto você ...

Ver mais

Cafezinho 151 – Chato à Bessa
Cafezinho 151 – Chato à Bessa
É impressionante ver como o mundo mudou.

Ver mais

Cafezinho 150 – O PAI
Cafezinho 150 – O PAI
No Brasil, imediato é longo prazo.

Ver mais

Cafezinho 149 – Nação, não governo
Cafezinho 149 – Nação, não governo
O Ministro da Educação anuncia que vai impulsionar o ...

Ver mais

Legado olímpico deficitário nem sempre é ruim

Legado olímpico deficitário nem sempre é ruim

Luiz Alberto Machado - Iscas Econômicas -

Legado olímpico deficitário nem sempre é ruim

 Antes do início dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, publiquei um artigo bem amplo intitulado Olímpicas expectativas, em que analisava diversos aspectos relacionados ao evento. Como os Jogos ainda não acabaram, ainda não dá pra fazer um balanço completo, mas acho interessante compartilhar com os amigos uma breve reflexão acerca do legado olímpico.

Com a aproximação da Olimpíada do Rio de Janeiro, agora já em seu final, muito se falou sobre aspectos negativos dos dois grandes eventos esportivos internacionais realizados recentemente no Brasil, a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.

O saldo financeiro definitivo de eventos dessa magnitude leva muitas vezes um tempo considerável para ser conhecido, tal a complexidade envolvida e o amplo e diversificado conjunto de instituições envolvidas no seu financiamento.

Apesar dessas dificuldades, a percepção geral é de que a esmagadora maioria das edições recentes desses eventos deixou um saldo financeiro negativo, sendo duas importantes exceções Barcelona, que sediou os Jogos Olímpicos de 1992, e Los Angeles, que sediou os Jogos Olímpicos de 1984, sendo estes últimos os únicos que foram financiados integralmente por meio de investimentos privados.

Há casos em que o saldo foi catastrófico, deixando uma conta enorme a ser paga pelas autoridades e, em última instância, pelas populações de cidades ou países que sediaram grandes eventos esportivos. Montreal e Atenas, que sediaram, respectivamente, as edições de 1976 e 2004 dos Jogos Olímpicos, são bons exemplos disso.

Há um caso, porém, que deve ser examinado a partir de uma ótica diferente, visto que muito mais do que obter superávit, o grande objetivo de Seul, ao se candidatar para sediar os Jogos Olímpicos de 1988, era o de promover a cidade e o país, até então pouco conhecidos internacionalmente.

Nessa perspectiva, os Jogos Olímpicos de Seul atingiram plenamente seu objetivo, uma vez que a Coreia do Sul conseguiu mostrar ao mundo que era capaz de promover um evento de magnitude mundial de forma extremamente organizada, sendo elogiada por unanimidade por todos os que estiveram presentes aos Jogos, quer como atletas, quer como torcedores ou dirigentes.

Prova disso é que poucos anos depois a Coreia do Sul associou-se ao Japão na organização da Copa do Mundo de Futebol de 2002, quando, uma vez mais, evidenciou sua capacidade de organização, aliada, nesta oportunidade, à ativa e alegre participação de sua população, que encantou o mundo torcendo por sua surpreendente seleção, que chegou entre os quatro finalistas.

Com a aproximação do final dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, independentemente dos resultados definitivos – tanto esportivos como financeiros – uma coisa se pode afirmar com certeza: o maior legado da Olimpíada será para o povo do Rio de Janeiro, que poderá desfrutar de consideráveis melhorias em regiões que foram revitalizadas, em novos meios de transporte e em novas atrações culturais que poderão ampliar ainda mais o interesse de turistas pela Cidade Maravilhosa. Para isso, as autoridades, tanto da cidade como do estado do Rio de Janeiro, precisarão levar a cabo inúmeras ações, no sentido de oferecer mais segurança, saúde e condições mínimas de trabalho para servidores que se encontram, atual e compreensivelmente, bastante desestimulados.

Iscas para quem quiser se aprofundar

Referência webgráfica

MACHADO, Luiz Alberto. Olímpicas expectativas. Disponível em http://www.portalcafebrasil.com.br/iscas-intelectuais/olimpicas-expectativas/.

Ver Todos os artigos de Luiz Alberto Machado