Iscas Intelectuais
#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Ao longo de 2018 o Café Brasil Premium decolou e ...

Ver mais

#Retrospectiva PodSumários
#Retrospectiva PodSumários
Comece 2019 praticando o Fitness Intelectual. A barriga ...

Ver mais

652 – A realidade real
652 – A realidade real
Vivemos um tempo no qual muita gente tem dificuldades ...

Ver mais

651 – Era uma vez…
651 – Era uma vez…
A melhor forma de ensinar política para crianças – e ...

Ver mais

650 – A Espiral do Silêncio
650 – A Espiral do Silêncio
Temos um sexto sentido para perceber a tendência da ...

Ver mais

649 – Quando eu tiver 64
649 – Quando eu tiver 64
Fui dar uma olhada nos comentários dos ouvintes do Café ...

Ver mais

LíderCast 140 – Carlos Nepomuceno
LíderCast 140 – Carlos Nepomuceno
Doutor em Ciência da Informação, jornalista, escritor e ...

Ver mais

Vem aí a Temporada 11 do LíderCast
Vem aí a Temporada 11 do LíderCast
Está chegando a Temporada 11 do LíderCast!

Ver mais

LíderCast 139 – Nívio Delgado
LíderCast 139 – Nívio Delgado
De carinha do Xerox a Diretor Superintendente da maior ...

Ver mais

LíderCast 138 – Ricardo Abiz
LíderCast 138 – Ricardo Abiz
Empreendedor também, um pioneiro em diversas áreas de ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

A vida é muito melhor com boechatividade
Henrique Szklo
Como a maioria dos brasileiros, fiquei consternado com a morte do jornalista Ricardo Eugênio Boechat. Não posso dizer que eu era exatamente um fã, mas como sob minha perspectiva, ele utilizou em ...

Ver mais

Noblesse Oblige
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não dá pra saber quem é pior: A autora da bobagem, orgulhosa de sua total falta de noção, ou quem a defende, alegando lutar contra uma misoginia tão falsa quanto a cara de pau do arrivismo ...

Ver mais

Venezuela, Reforma Previdência & Futuro PT
Carlos Nepomuceno
Resumo da Live: Assistir completa: Formação Digital Bimodal: Programa de Formação Bimodal Lives antigas: https://nepo.com.br/category/o-melhor-de-2019/lives-do-nepo-o-digital-na-politica/

Ver mais

Metade cheia do copo
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Metade cheia do copo Um pouco de otimismo, pra variar  “A troca está para a evolução cultural como o sexo está para a evolução biológica.” Matt Ridley Em agosto do ano passado, a convite do ...

Ver mais

Cafezinho 151 – Chato à Bessa
Cafezinho 151 – Chato à Bessa
É impressionante ver como o mundo mudou.

Ver mais

Cafezinho 150 – O PAI
Cafezinho 150 – O PAI
No Brasil, imediato é longo prazo.

Ver mais

Cafezinho 149 – Nação, não governo
Cafezinho 149 – Nação, não governo
O Ministro da Educação anuncia que vai impulsionar o ...

Ver mais

Cafezinho 148 – Os Hostis
Cafezinho 148 – Os Hostis
Neste final de semana o Brasil parou para assistir a ...

Ver mais

Jean Wyllys, o animal político que cospe e foge

Jean Wyllys, o animal político que cospe e foge

Bruno Garschagen - Ciência Política -

E ao fazê-lo dentro do Parlamento tentando alvejar o deputado Jair Bolsonaro violou o Código de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados, segundo observou o advogado Taiguara Fernandes.

O Art. 3º., inciso VII, diz que deputados devem “tratar com respeito e independência os colegas, as autoridades, os servidores da Casa e os cidadãos com os quais mantenha contato no exercício da atividade parlamentar, não prescindindo de igual tratamento”. E o Art. 4 º, inciso I, define como “procedimentos incompatíveis com o decoro parlamentar, puníveis com a perda do mandato (..) abusar das prerrogativas constitucionais asseguradas aos membros do Congresso Nacional (Constituição Federal, art. 55, § 1º).”

No prefácio ao panfleto “Como conversar com um fascista”, de Marcia Tiburi, uma espécie de autobiografia e radiografia de sua própria mentalidade e da de seus colegas esquerdistas – como o próprio deputado -, Jean Wyllys critica aquilo que ele mesmo faz: “não se responsabiliza pelo que faz de ruim ou acha que o que faz de ruim não tem consequências para os outros; não reflete, não pensa”. (p. 19).

Jean Wyllys afirma ainda rejeitar aquilo que ele mesmo parece ser, ou seja, a representação da banalidade do mal encarnada pelo nazista Adolf Eichmann: “um imbecil que não pensava; que repetia clichês e era incapaz de um exame de consciência – e que, por tudo isso, banalizava o mal que praticava”. Aquele que banaliza o mal é, na autoclassificação de Marcia Tiburi e Jean Wyllys, alguém “carente de pensamento crítico e, por isso, insensível à dor do outro e às consequências de seus atos” e “burro na medida em que não acessa o campo do outro porque lhe falta conhecimento e imaginação para tal” (p. 19).

O deputado afirma no prefácio que é preciso “ter alguma compaixão pelo analfabeto político” e “insistir para que ele tenha acesso à educação de qualidade” (p. 21). Para o hoje deputado, educação de qualidade é fazer o que ele fez quando era professor do curso de Comunicação Social da Faculdade Jorge Amado, em Salvador (BA): “humilhar, perseguir e reprovar universitários”, chamá-los de incompetentes e de insuportáveis que “caíram na faculdade de paraquedas”, e recomendar que procurassem “outra profissão para seguir como porteiro, caixa de supermercado, vendedor (…) pois jamais seriam jornalistas”.

Jean Wyllys define-se no mesmo texto como um “animal político”. Político ele já é. Mas terá que melhorar bastante para ser considerado como parte da fauna.

Pela sua trajetória política, coroada pela cuspida na Câmara dos Deputados, Jean Wyllys é o exemplo claro de quem sai do anonimato e desponta para a torpeza. Foi da desonra ao cuspe num só golpe.

Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/brasil/sem-mimimi/jean-wyllys-animal-politico-que-cospe-foge-19124537.html#ixzz46JIG7y1Z

Ver Todos os artigos de Bruno Garschagen