Iscas Intelectuais
Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

631 – O valor de seu voto – Revisitado
631 – O valor de seu voto – Revisitado
Mais discussão de ano de eleição: afinal o que é o ...

Ver mais

630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
Este é outro Café Brasil que reproduz na íntegra um ...

Ver mais

629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
Essa aparente doideira que aí está não é doideira. É ...

Ver mais

628 – O olhar de pânico
628 – O olhar de pânico
Aí você para, cansado, desmotivado, olha em volta e se ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
Segunda participação no LíderCast, com uma história que ...

Ver mais

LíderCast 123 – Augusto Pinto
LíderCast 123 – Augusto Pinto
Empreendedor com uma história sensacional de quem ...

Ver mais

LíderCast 122 – Simone Mozzilli
LíderCast 122 – Simone Mozzilli
Uma empreendedora da área de comunicação, que descobre ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Júlio de Mesquita Filho e a contrarrevolução cultural
Jota Fagner
Origens do Brasil
A ideia de concentração hegemônica não é exclusividade de Gramsci, outros autores de diferentes espectros ideológicos propuseram caminhos parecidos. Júlio de Mesquita Filho é um deles É preciso ...

Ver mais

Imagine uma facada diferente
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Imagine Fernando Haddad sendo vítima de uma tentativa de assassinato. Por um ex-militante do DEM ou do PSL, no mesmo dia em que Bolsonaro quase morreu pelas mãos de um ex-PSOL. Primeiramente, os ...

Ver mais

Uma discussão sobre inteligência artificial na educação
Mauro Segura
Transformação
Uma discussão sobre os benefícios que as novas tecnologias podem trazer para a educação brasileira. Mas será que estamos preparados para isso?

Ver mais

A burocracia e a Ignorância Artificial
Henrique Szklo
O Estado brasileiro, desde 1500, tem se esmerado em atravancar qualquer mecanismo da administração pública com um emaranhado de processos burocráticos de alta complexidade, difícil interpretação ...

Ver mais

Cafezinho 107 – O voto proporcional
Cafezinho 107 – O voto proporcional
Seu voto, antes de ir para um candidato, vai para um ...

Ver mais

Cafezinho 106 – Sobre fake news
Cafezinho 106 – Sobre fake news
Fake News são como ervas daninhas, não se combate ...

Ver mais

Cafezinho 105 – Quem categoriza?
Cafezinho 105 – Quem categoriza?
Quem define e categoriza o que será medido pode ...

Ver mais

Cafezinho 104 – A greta
Cafezinho 104 – A greta
Dois meio Brasis jamais somarão um Brasil inteiro.

Ver mais

Filé do Moraes

Filé do Moraes

Minas Kuyumjian - Memórias do Fracasso -

FILÉdomoraes

 

FILÉ DO MORAES

 

 

O filé do Moraes, prato famoso em São Paulo e hoje também em muitas cidades brasileiras, é um “tarugo” de filé mignon de 500 gramas, mal passado e alho e óleo. Foi criado em 1929 pelo português Salvador Domingos Vidal, que com seu irmão Manuel Pereira fundou, em 1914, na rua Conselheiro Crispiniano (centro de São Paulo), o “Restaurante Esplanadinha”, chamado pelos frequentadores de ‘Bife Sujo’ – pois funcionava 24 horas por dia e a limpeza era precária, feita com os clientes sendo atendidos. Contam que Salvador era mal educado, se recusava a servir chope sem colarinho e quem insistisse ouvia impropérios.

 

Em 1929, Salvador Vidal entrou como sócio do “Bar, Café e Confeitaria Moraes”, na praça Júlio Mesquita, e o restaurante mudou para o local. Segundo fontes da própria empresa é a razão do nome do prato. Segundo outras fontes o nome “filé do Moraes” deve-se ao chapeiro do restaurante, que tinha este nome e os clientes habituais do balcão gritavam para ele: “Solta um filé, Moraes!”.

 

Era um restaurante com estilo de botequim, frequentado por boêmios e artistas, pois o pessoal que saia dos shows e recitais do Teatro Municipal e do Avenida Dancing, onde se dançava pagando uma tarifa pelo tempo, iam jantar ali. Existe a lenda de que Adoniram Barbosa compôs seu clássico “Trem das Onze” tomando chope, sentado numa mesa do restaurante.

 

O medalhão de filé era cortado na frente do cliente e grelhado três minutos de cada lado. Ficava tostado na superfície e rosado por dentro. Só era temperado com sal e pimenta branca depois de pronto. O alho era colocado numa panela de água quente por dois minutos para amolecer e depois os dentes eram cortados ao meio e dourados numa frigideira e espalhados sobre o filé com um pouco de óleo usado na sua fritura.

 

Na década de 1960 a empresa trocou o nome para “Restaurante Moraes – O Rei do Filé”. Na época do Plano Cruzado, em outubro de 1986, chegou a ser fechado porque não conseguiam atender a clientela em razão do tabelamento de preços e da falta de carne. Mas foi reaberto quando o mercado voltou à normalidade.

 

Hoje o restaurante pertence a empresários que não são da família dos fundadores e funciona em São Paulo em dois endereços: na praça Júlio Mesquita (desde 1929) e na Alameda Santos.

 

RECEITA ORIGINAL

 

500 g de filé mignon num único pedaço

8 dentes grandes de alho

Óleo de amendoim ou de canola

Sal

Pimenta-do-reino moída na hora

 

Coloque os dentes de alho numa panela pequena com água fervente e afervente por um minuto. Retire, descasque e corte ao meio cada dente de alho. Leve uma frigideira alta (ou uma pequena panela) ao fogo, com um terço de sua altura de óleo e deixe ficar muito quente. Coloque as metades de alho na frigideira e frite rapidamente, até que dourem. Retire e reserve sobre papel toalha, sem abafar.

 

No mesmo óleo, frite o filé por 3 minutos de cada lado (se quiser mais bem passado, deixe mais 2 minutos). Retire a carne e só então tempere com sal e pimenta. Sobre o filé, espalhe o alho e um pouquinho do óleo da fritura.

 

Sirva com batatas fritas ou brócolis ao dente refogado em azeite.

E, sempre, com uma salada crua de agrião que, se quiser, o freguês tempera na mesa.

 

Ver Todos os artigos de Minas Kuyumjian