Iscas Intelectuais
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

679 – Será que acordamos?
679 – Será que acordamos?
Adalberto Piotto apresenta o programa Cenário Econômico ...

Ver mais

678 – Dominando a Civilidade
678 – Dominando a Civilidade
Vivemos uma epidemia de incivilidade que ...

Ver mais

677 – Teorias da Conspiração
677 – Teorias da Conspiração
Vivemos numa sociedade assolada por grandes ...

Ver mais

676 – Homem na Lua 2
676 – Homem na Lua 2
Cinquenta anos atrás o homem pousou na Lua. Mas parece ...

Ver mais

LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
O Abbey é um imigrante africano, que chegou ao Brasil ...

Ver mais

LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
Um dos mais influentes profissionais de comunicação ...

Ver mais

LíderCast 164 – Artur Motta
LíderCast 164 – Artur Motta
Professor que fez transição de carreira e usa podcasts ...

Ver mais

LíderCast 163 – Amanda Sindman
LíderCast 163 – Amanda Sindman
Profissional de comunicação, jornalista e mulher trans. ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Resumo da Aula 2 do Curso On-line de Filosofia (COF)
Eduardo Ferrari
Resumos e Artigos
A segunda aula do COF, ministrada em 21 de março de 2009, teve a duração de 3h43min e foi resumida em menos de cinco minutos de leitura, com o objetivo de levar ao conhecimento do leitor uma ...

Ver mais

A quem interessa a divisão da sociedade?
Jota Fagner
Origens do Brasil
O atual estado de intolerância ao pensamento diferente, manifesto nas agressões que começam nas redes sociais e terminam em confrontos físicos no meio da rua, é o resultado de um processo de ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPÍTULO 3 – MORFOLOGIA CATEGOREMÁTICA (parte 2)
Alexandre Gomes
Depois de listar todas as CATEGORIAS DE PALAVRAS, de acordo com a Gramática Geral irei tratar com mais calma de cada categoria. Seguindo a lista da lição anterior, vamos começar pelo grupo das ...

Ver mais

Simples assim
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Simples assim Excelência em Educação Dia 10 de agosto, compareci a um evento muitíssimo interessante. Estimulado pela chamada do convite eletrônico – Avanços na educação pública: o que podemos ...

Ver mais

Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Ainda existe hoje uma cultura, muito estimulada por ...

Ver mais

Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Quem é o idiota que quer deliberadamente envenenar seus ...

Ver mais

Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Se não bastassem as dificuldades para comprar, ...

Ver mais

Cafezinho 201 – Agrotóxicos – melhor seria não usar
Cafezinho 201 – Agrotóxicos – melhor seria não usar
Agrotóxicos são a bola da vez. Da forma como é ...

Ver mais

E se fosse diferente?

E se fosse diferente?

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

A esquerda em geral, e oportunistas em particular, usaram a morte da vereadora carioca Marielle Franco, assassinada a tiros em 14/03, como palanque; e da forma mais vitimista possível. É óbvio que os assassinos devem ser encontrados, julgados e apodrecer na cadeia; mas usaram a morte dessa pobre mulher como munição contra algo que classificam como “extrema direita” – inexistente no Brasil. Se “ser de direita” já é praticamente um crime de pensamento, que dirá pertencer ao seu extremo. Enfim: Tratam a morte de Marielle como crime político maquinado por Temer, FHC e qualquer outro que não goste de Lula ou seu séquito de babões. Esqueceram convenientemente que crime político, queima de arquivo, foi a morte de Celso Daniel, que ia abrir a boca sobre fatos que só descobrimos com o advento da Lava Jato. Mas isso é outro assunto, morto e enterrado, com ou sem trocadilho.

Não se sabe quem matou Marielle, mas suponhamos, como alega a extrema esquerda (essa sim em índices epidêmicos aqui na Banânia), que os mandantes do crime foram Sérgio Moro, Donald Trump, FHC, Temer, o fantasma de Médici e outros que o momento possa sugerir, e que foi executado pela CIA, FBI, Exército Brasileiro e Polícia, todos juntos, babando de alegria por exterminar uma pobre mulher por puro prazer.

Vamos supor que esse bando de assassinos monstruosos, golpistas e sei-lá-mais-o-que sejam identificados como responsáveis pelo crime. E suponhamos que isso ocorra neste mês. Um inquérito policial seria aberto e que, em meio a perícias, análises de filmes, objetos, cápsulas de balas e testemunhas variadas, bem como inquiridos todos os bandidões neonazistas-racistas-genocidas-misóginos declarados, a investigação fosse concluída em um ou dois anos. Gleisi Hoffman, Lindbergh Farias, Maria do Rosário, Paulo Pimenta e toda a claque lulista estaria pedindo prisão imediata de todos eles, se possível sua decapitação com um machado pouco afiado pra aumentar o suplício dos infelizes. De preferência com Jean Wyllys recitando discursos de Fidel Castro ao megafone, à sombra de uma estátua de Stalin, esse apóstolo incompreendido.

E suponhamos que o ministério público denuncie esses vilões de filme de terror, sendo a denúncia aceita, e depois de uns 400 recursos de seus advogados (que a extrema esquerda vai chamar de bandidos, cafajestes, imundos, defensores de assassinos e etc), julgados, saia uma sentença em uns 10 ou 12 anos. Daí, novos recursos, uns 893 no mínimo, com juízes xingados e agredidos publicamente mas contando com o apoio de jornais-TVs-mídias (todas obviamente escravos dos EUA e odiando pobres, índios e nordestinos) e em mais uns 14 anos o processo chegaria, em 27 carretas, ao STJ, com todos os monstruosos assassinos e mandantes livres como pássaros. Mais uns 5 anos, e as carretas, agora em número de 43, levariam esse mar de papel ao STF, aguardando mais uma chuva de recursos, alguns deles importados do direito  islandês e tasmaniano. Lá, depois de uma intoxicação de papel, liminares, discursos e perorações intermináveis, bem como a leitura do parecer escrito por um ET advogado vindo de Saturno, o processo seria finalizado com uma sessão corrida de 17 dias, na qual 2 dos 11 ministros morreriam de exaustão, e outros 4.645 espectadores de pura chatice. Então, finalmente, em 2051, viria a condenação final. Ufa. Mas nada de prender ninguém. A lulada, Dilma à frente, recorreria à ONU, à banda da marinha da Bolívia e à associação de bairros de Piratininga denunciando demora proposital no julgamento. Os russos aplaudiriam o discurso de Dilminha, achando que ela falava em coreano; os coreanos do norte também, mas crendo que ela discursava em russo. Sucesso total.

No transcurso de todos esses anos, a extrema esquerda gritaria, berraria, esgoelaria, aqui e no exterior, nas ruas e nas mídias “progressistas” guevaristas-lulistas-cubânicas que essa demora toda era só para inocentar tais monstros, que os juízes eram comprados e os promotores nazistas, a polícia federal formada por torturadores sem coração; artistas “engajados”, militantes “ativistas” exigiriam o enforcamento imediato de todos – depois de linchados, obviamente – porque essa coisa de julgamento não passa de mania burguesa, muito chata. As luletes cacarejariam sobre a demora ser apenas álibi para atingir a prescrição e a impunidade, esse terror legalizado, aproveitado só por bandidos. Histéricos, repetiriam todo santo dia que bandido não pode ficar fora da cadeia, ou seja, prisão imediata dos assassinos; se desse, escalpelados. Até serem lembrados que a justiça estava cumprindo exatamente o que eles defendiam como privilégio exclusivo de Lula: Prisão só em ultimíssima instância, depois de percorridos todos os Tribunais e consultado o fantasma de Lênin no terreiro de Pai Chávez de Ogumzovitch.

Aí, nos embargos dos embargos dos embargos dos embargos dos embargos dos embargos dos embargos dos embargos, a plêiade nazi-imperialista seria totalmente inocentada. Motivo? A alegação, acolhida, de não serem criminosos; apenas fizeram o que todo mundo faz, vítimas de uma sociedade corrupta contaminando as pessoas, originalmente puras como anjos.

Sinal trocado, como na matemática ginasiana, essa insanidade, esse hospício jurídico, é tudo que a esquerda defende em prol de Lula como fosse a coisa mais correta do mundo. Mas aí seria justiça de primeiríssima qualidade, companheiro. Injustiça é só no caso de “nós” (eles) perderem, e “eles” (nós) vencermos.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes