Iscas Intelectuais
Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
MUDANÇAS IMPORTANTES NO CAFÉ BRASIL PREMIUM A você que ...

Ver mais

710 – Todo mundo junto
710 – Todo mundo junto
Cara... que tempo louco estamos vivendo, não é? E no ...

Ver mais

709 – Sobre perguntas
709 – Sobre perguntas
O Sandro Magaldi e o José Salibi Neto são dois ...

Ver mais

708 – Manifesto do Educador Honesto
708 – Manifesto do Educador Honesto
Afinal de contas, o que é um educador? É uma professora ...

Ver mais

707 – O benefício da dúvida – Revisitado
707 – O benefício da dúvida – Revisitado
O programa de hoje é a revisita a um episódio publicado ...

Ver mais

LíderCast 192 – Eduardo Villela
LíderCast 192 – Eduardo Villela
Homem dos livros, mas de fazer livros. Com extensa ...

Ver mais

LíderCast 191 – Giovani Colacicco
LíderCast 191 – Giovani Colacicco
Professor do Departamento de Ciências Contábeis da ...

Ver mais

LíderCast 190 – Alcides Braga
LíderCast 190 – Alcides Braga
De office boy a dono da Truckvan, uma história ...

Ver mais

LíderCast 189 – Deborah Alves
LíderCast 189 – Deborah Alves
Jovem empreendedora, formada em Ciência da Computação e ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Aprenderemos algo?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Sim… afinal, não é possível que atravessemos esse inferno “coronário” sem tirar algum ensinamento, alguma aprendizagem, disso tudo. No caso do brasileiro, alguma disciplina e respeito, e já ...

Ver mais

Liga e desliga
Chiquinho Rodrigues
Ela disse pra mim que gostar e desgostar eram coisas simples! Que existia dentro dela um botão de “liga e desliga”. Quando esse botão estava no “liga” era porque ela ...

Ver mais

Vivendo e aprendendo
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Vivendo e aprendendo  Lições da quarentena “Vivendo e aprendendo a jogar Vivendo e aprendendo a jogar Nem sempre ganhando Nem sempre perdendo Mas, aprendendo a jogar.” Guilherme Arantes O mundo ...

Ver mais

Analogias inusuais
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Analogias inusuais  Para desenvolver a criatividade… e para entender as crises econômicas “Para os historiadores cada evento é único. Os economistas, entretanto, sustentam que as forças da ...

Ver mais

Cafezinho 268 – Skin In The Game
Cafezinho 268 – Skin In The Game
Faça o exercício de imaginar que decisão você tomaria ...

Ver mais

Cafezinho 267 – Cafezinho.Live
Cafezinho 267 – Cafezinho.Live
Escolha bem suas conexões para não infectar também a mente.

Ver mais

CAFEZINHO 266 – O QUE NÃO SE VÊ
CAFEZINHO 266 – O QUE NÃO SE VÊ
Neste momento em que para deter uma epidemia os ...

Ver mais

Cafezinho 265 – O Lado Cheio do Copo
Cafezinho 265 – O Lado Cheio do Copo
Vamos combater o novo Coronavirus com Fitness Intelectual.

Ver mais

Documentira

Documentira

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

Até anteontem, os Estados Unidos eram o império do mal, a síntese de tudo de ruim que há no universo; um inferno habitado por seres inumanos, que massacram sul-americanos por puro prazer sádico, e cujo produto da indústria cinematográfica não passava de lixo enlatado a serviço da colonização mental de cucarachas abaixo do Equador. Em suma, o grande satã do Norte usava seus péssimos filmes como ferramenta imperialista, e devia ser combatido a qualquer custo.

Da noite para o dia, tudo mudou. Hollywood, a Meca do cinema, bem como seu prêmio maior, o Oscar, passaram a ser tratados pela lulada como apoteose do progressismo, liberdade e bom gosto. A partir de agora (veremos por quanto tempo), os EUA não servem só para Fernando Haddad, Manuela D’ávila, Márcia Tiburi e tantos lulistas-caviar fazerem compras. Agora, o cinema ianque e o american way of life são a quintessência da Justiça, tanto política quanto social. Vai durar pouco, mas assim é hoje.

O motivo? Um panfleto vermelhoide denominado “Democracia em Vertigem”, dirigido (!?) por Petra Costa (militante lulista confessa e milionária herdeira do grupo Andrade Gutierrez) foi indicado ao Oscar de melhor “documentário”. A lulada está em êxtase. Só rindo. Não é Documentário, nem sonho, nem mesmo pesadelo. É puro(a) Documentira. Típica destes tempos, nos quais a lulada repete uma mentira milhões de vezes para torná-la não uma verdade, mas pelo menos uma desculpa esfarrapada palatável para terminar qualquer discussão; por exemplo, a “falta de provas” nas condenações de Lula, o santo que enriqueceu, bem como seus filhos, por puro milagre.

Pois bem: O Documentira. Essa nova vertente de cinema, inspirada na escola soviético-cubana da mentira contada em escala industrial, foi construída sobre um ajuntamento de desculpinhas no intuito de fazer crer que o impeachment da pior presidente da História do Brasil foi apenas uma manobra suja, maldade dos ricos e poderosos. O Documentira (ou só Docu, pra facilitar) se esquece, convenientemente, que a lulada aplaudiu em pé o impeachment de Fernando Collor em 1992, e que o procedimento é legítimo. Também finge esquecer que os ricos e poderosos do País, de banqueiros a empreiteiros, apoiaram Lula e Dilma por 16 anos – sem olvidar toda a descoberta da Lava Jato. Bancos, empreiteiras, Petrobrás, políticos comprados (vendidos?) através de mesadas generosas de dinheiro público… Na visão do Docu, tudo isso é mentira. Dilma caiu porque estocava vento muito bem, e só.

Seguindo a cartilha lulista de desinformação a qualquer custo, só devotos da seita foram ouvidos no Documentira, embora todos os adversários sejam acusados de participar de um imaginário “golpe” que uniu judiciário, congresso, jornais, TV, população… ou seja, um complô de quase todos contra a pobre Dilminha, inocente em seu castelo construído com ferrugem vinda de Pasadena.

Docu não se lembra dos quatro anos de recessão brutal, do desemprego de 14% da população, dos empréstimos a fundo perdido fornecidos a ditaduras caloteiras, pedaladas fiscais, discursos ininteligíveis em Dilmês castiço, inflação de 11%, juros altíssimos pagos ao bancos em razão da dívida pública, nem da falência da Petrobrás. Tudo isso é bobagem. Detalhes tão pequenos de nós… duzentos milhões, Roberto.

O mais interessante, como lembrou o jornalista Josias de Souza, é quando Docu chega ao fim: Termina com um discursinho ridículo do condenado Lula da Silva durante a campanha de Fernando Haddad, o poste 2, à presidência. Diz o sujeitinho, nas derradeiras cenas, numa frase ridícula, piegas, ao estilo Che Guevara, que podem matar as rosas, mas não vão impedir a chegada da primavera, jactando a vitória deles nas eleições. Infelizmente, Docu não veio com o final completo, real: O povo rejeitou Haddad na presidência e Dilma no Senado. Para eles, veio apenas o inverno merecido.

Muito provavelmente, Docu não vai ganhar nada no Oscar, e a lulada poderá voltar ao ódio antiamericano eterno. Como sempre, vão alegar que “foi uma vitória”, e todas as outras desculpas que dão quando perdem. Lembrando o grande Roberto Campos, para a esquerda não há derrotas, só sucessos mal explicados.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes