Iscas Intelectuais
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

601 – Alfabetização para a Mídia II
601 – Alfabetização para a Mídia II
Publicamos um videocast sobre Alfabetização para a ...

Ver mais

600 – God Save The Queen
600 – God Save The Queen
Café Brasil 600... Chegou a hora de comemorar outra ...

Ver mais

599 – Gastando tempo
599 – Gastando tempo
Quem ouve o Café Brasil há algum tempo sabe da minha ...

Ver mais

598 – O bovárico
598 – O bovárico
Madame Bovary é um livro clássico que nos apresenta a ...

Ver mais

LíderCast 97 – Michael Oliveira
LíderCast 97 – Michael Oliveira
Michael Oliveira, que é criador e apresentador do ...

Ver mais

LíderCast 96 – Ricardo Geromel
LíderCast 96 – Ricardo Geromel
Ricardo Geromel, que sai do Brasil para jogar futebol, ...

Ver mais

LíderCast 95 – Pascoal da Conceição
LíderCast 95 – Pascoal da Conceição
Pascoal da Conceição, que fala sobre a vida de ator no ...

Ver mais

LíderCast 94 – Marcelo e Evelyn Barbisan
LíderCast 94 – Marcelo e Evelyn Barbisan
Marcelo e Evelyn Barbisan. O Marcelo é médico, a Evelyn ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Mostrem essa coragem toda!
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não há mais o que falar, esmiuçar ou palpitar sobre a intervenção federal na Segurança do Rio de Janeiro. Entre especialistas da área, especialistas do nada, gente se fingindo de especialista e ...

Ver mais

Como não combater a inflação
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Como não combater a inflação  O livro que, infelizmente, poucos leram “Os controles são profunda e intrinsecamente imorais. Substituindo o governo da lei e da cooperação voluntária no mercado ...

Ver mais

Como vencer um debate tendo razão
Bruno Garschagen
Ciência Política
O estrondoso sucesso do psicólogo canadense Jordan Peterson tem mostrado coisas extremamente interessantes sobre como parte da sociedade reage diante de alguém que sabe defender corajosamente as ...

Ver mais

O oitavo círculo
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Faz uns bons anos, no departamento de trânsito de uma pequena e pacata cidade do interior paulista. Um cliente sofreu alguns danos em seu carro, devido aos quebra-molas exagerados, muito acima ...

Ver mais

Cafezinho 48 – As reformas
Cafezinho 48 – As reformas
Reformas estruturais implicam em mudanças na forma como ...

Ver mais

Cafezinho 47 – Os poblema
Cafezinho 47 – Os poblema
Como as mídias sociais revelaram o tamanho do desastre ...

Ver mais

Cafezinho 46 – Experimente
Cafezinho 46 – Experimente
Experimente abrir uma empresa. Seja o dono.

Ver mais

Cafezinho 45 – O louco
Cafezinho 45 – O louco
Na semana passada, quase sete anos após a apresentação ...

Ver mais

Difícil até de dar nome

Difícil até de dar nome

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

Fica no ar aquele aperto no peito… Uma sensação estranha, difícil de nomear, algo indefinido, que não sabemos o que é, nem o que vai dar. Tontura, indecisão, fome de barriga cheia, tudo estranho e fora do comum. Choro sem lágrima. Sorriso sem alegria. Olhar sem vida. Vontade de fazer, mas o quê? E o tempo não espera… apenas passa…

A impotência, quando bate à porta de nossa vida, é  assim, cheia de contradições e de nuances peculiares. É o ser que não é, a boa ideia que não veio, ou, se veio, sumiu. Quem jamais se sentiu assim? Nos dias de hoje é comum tal vivência, pelo desmando político, pela corrupção do Judiciário, pela falta de ética em toda a sociedade, principalmente pela decadência na busca por um sentido de vida. Quem jamais se comoveu pelo choro de criança faminta, pelo irmão deficiente largado… tantos e tão frequentes abandonos pela vida afora. É aquele espelho, deixado com aquele pedacinho nosso, jogado nos barrancos do passado… Vivemos em um mundo onde cada um luta por si, e salve-se quem correr! Um blues de Cartola esquecido.

Mantemos constantemente uma casca de onipotência interessante, criada pelo aspecto social de manutenção do status. Sou melhor e mais forte que isto tudo, potente e bom, desde que se cumpram as regras de minhas duas pílulas excitantes antes de cada ato. Droga! A cada dia mais inventam tais comprimidos de tesão. Até isso tem de ser artificial nos dias de hoje? É muito super herói para tanta pasmaceira e apatia. Batman de cuecas e Mulher Maravilha de camisola.

E assim vivemos um elo paradoxo entre o ser maravilhoso e a inutilidade, entre o tesão desembestado e o broxa. Cindimos a vida em paralelos e perdemos a noção da dinâmica da existência. Negamos o caos da vida, fingindo que ele não existe, ou que ao menos está longe, bem longe.

O volume de pessoas sentindo-se impotentes progride geometricamente, tanto no aspecto físico, quanto no psicológico. Isto advém da visão mecanicista de um ser humano-máquina, capaz de “dar cinco sem tirar”, de dormir apenas três horas por noite, altamente rentável e produtivo, lindo e perfeito em tudo e em todas as situações. Às vezes acho que colocaram na água que bebemos extrato de amendoim mágico do super pateta. Quando ligo a televisão e vejo certas personalidades em entrevista, sinto-me tão mortal, tão falho e mesquinho, tão limitado e medíocre ante tantos feitos divinos. É muita gostosura para tanta patetice. Talvez meu Brasil seja muito mais nórdico que meus olhos conseguem perceber. Falta humildade e pés no chão pra sobreviver em nossa atualidade.

Jorge Antonio Monteiro de Lima

Visite nosso web site:www.olhosalma.com.br

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima