Iscas Intelectuais
1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

Os Podcasts Café Brasil Musicais
Os Podcasts Café Brasil Musicais
Música é uma de nossas grandes paixões, por isso de ...

Ver mais

#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

661 – A teoria do valor subjetivo
661 – A teoria do valor subjetivo
O mercado é o resultado da interação entre milhões de ...

Ver mais

660 – Na esquina da sua casa
660 – Na esquina da sua casa
Não espere que o Estado se preocupe com o indivíduo. O ...

Ver mais

659 – Empreendedorismo no Palco
659 – Empreendedorismo no Palco
Muitos anos atrás, acho que uns 20, fui convidado para ...

Ver mais

658 – Chá com a gente
658 – Chá com a gente
Este programa reproduz a edição especial do Podcast Chá ...

Ver mais

LíderCast 149 – Ronaldo Tenório
LíderCast 149 – Ronaldo Tenório
Empreendedor, que vem lá do nordeste para mudar a vida ...

Ver mais

LíderCast 148 – Bruno Busquet
LíderCast 148 – Bruno Busquet
CEO da Tupiniq,In Inside Out Agency e president do ...

Ver mais

LíderCast 147 – Sherlock Gomes
LíderCast 147 – Sherlock Gomes
Músico, um guitarrista e baixista excepcional cuja ...

Ver mais

LíderCast 146 – Cândido Pessoa
LíderCast 146 – Cândido Pessoa
Um intelectual, professor no Paradigma centro de ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

CAPITULO 2 – AS DEZ CATEGORIAS DO SER (parte 6)
Alexandre Gomes
Eu tenho que ser sincero com você guria (ou velhinho…) esta parte do segundo capítulo será bem chata, pois iremos tratar de algo realmente formal e de certa forma, burocrático: as Dez ...

Ver mais

Que falta faz Roberto Campos!
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Que falta faz Roberto Campos!  Homenagem em três livros “O bem que o Estado pode fazer é limitado; o mal, infinito. O que ele nos pode dar é sempre menos do que nos pode tirar.” Roberto Campos ...

Ver mais

O copo, a água e o STF
Carlos Nepomuceno
RESUMO DA LIVE: LIVE COMPLETA: https://web.facebook.com/carlos.nepomuceno/videos/10157256876268631 RESUMO DAS LIVES ANTERIORES: https://www.youtube.com/playlist?list=PL7XjPl0uOsj8TxfUISqzcl4YrxYBC0vOw

Ver mais

O Rock, Bruce Springsteen e uma lição sobre liderança!
Jeison Arenhart De Bastiani
Outro dia assisti boquiaberto algo que não sei muito bem como descrever, mas posso afirmar que foi incrível e vou contar para você como um músico (que confesso não acompanhar muito) me deu uma ...

Ver mais

Cafezinho 169 – O silêncio das pedras
Cafezinho 169 – O silêncio das pedras
Há silêncios e silêncios. Há o silêncio das pedras. Há ...

Ver mais

Cafezinho 168 – O que nos define
Cafezinho 168 – O que nos define
O que nos define são os adversários que vencemos.

Ver mais

Cafezinho 167 – Monstros da negatividade
Cafezinho 167 – Monstros da negatividade
“O otimista é o pessimista bem informado”, lembra ...

Ver mais

Cafezinho 166 – O nobre
Cafezinho 166 – O nobre
Este Brasil de 2019 é muito diferente daquele de 2015.

Ver mais

Difícil até de dar nome

Difícil até de dar nome

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

Fica no ar aquele aperto no peito… Uma sensação estranha, difícil de nomear, algo indefinido, que não sabemos o que é, nem o que vai dar. Tontura, indecisão, fome de barriga cheia, tudo estranho e fora do comum. Choro sem lágrima. Sorriso sem alegria. Olhar sem vida. Vontade de fazer, mas o quê? E o tempo não espera… apenas passa…

A impotência, quando bate à porta de nossa vida, é  assim, cheia de contradições e de nuances peculiares. É o ser que não é, a boa ideia que não veio, ou, se veio, sumiu. Quem jamais se sentiu assim? Nos dias de hoje é comum tal vivência, pelo desmando político, pela corrupção do Judiciário, pela falta de ética em toda a sociedade, principalmente pela decadência na busca por um sentido de vida. Quem jamais se comoveu pelo choro de criança faminta, pelo irmão deficiente largado… tantos e tão frequentes abandonos pela vida afora. É aquele espelho, deixado com aquele pedacinho nosso, jogado nos barrancos do passado… Vivemos em um mundo onde cada um luta por si, e salve-se quem correr! Um blues de Cartola esquecido.

Mantemos constantemente uma casca de onipotência interessante, criada pelo aspecto social de manutenção do status. Sou melhor e mais forte que isto tudo, potente e bom, desde que se cumpram as regras de minhas duas pílulas excitantes antes de cada ato. Droga! A cada dia mais inventam tais comprimidos de tesão. Até isso tem de ser artificial nos dias de hoje? É muito super herói para tanta pasmaceira e apatia. Batman de cuecas e Mulher Maravilha de camisola.

E assim vivemos um elo paradoxo entre o ser maravilhoso e a inutilidade, entre o tesão desembestado e o broxa. Cindimos a vida em paralelos e perdemos a noção da dinâmica da existência. Negamos o caos da vida, fingindo que ele não existe, ou que ao menos está longe, bem longe.

O volume de pessoas sentindo-se impotentes progride geometricamente, tanto no aspecto físico, quanto no psicológico. Isto advém da visão mecanicista de um ser humano-máquina, capaz de “dar cinco sem tirar”, de dormir apenas três horas por noite, altamente rentável e produtivo, lindo e perfeito em tudo e em todas as situações. Às vezes acho que colocaram na água que bebemos extrato de amendoim mágico do super pateta. Quando ligo a televisão e vejo certas personalidades em entrevista, sinto-me tão mortal, tão falho e mesquinho, tão limitado e medíocre ante tantos feitos divinos. É muita gostosura para tanta patetice. Talvez meu Brasil seja muito mais nórdico que meus olhos conseguem perceber. Falta humildade e pés no chão pra sobreviver em nossa atualidade.

Jorge Antonio Monteiro de Lima

Visite nosso web site:www.olhosalma.com.br

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima