Iscas Intelectuais
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

591 – Alfabetização para a mídia
591 – Alfabetização para a mídia
Hoje em dia as informações chegam até você ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

LíderCast 91 – Saulo Arruda
LíderCast 91 – Saulo Arruda
Saulo Arruda, que teve uma longa carreira como ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Vale fazer um curso universitário se as profissões vão desaparecer?
Mauro Segura
Transformação
Numa perspectiva de que tudo muda o tempo todo, será que vale a pena sentar num banco de universidade para se formar numa profissão que vai desaparecer ou se transformar nos próximos anos?

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Cafezinho 24 – Não brinco mais
Cafezinho 24 – Não brinco mais
Pensei em não assistir mais, até perceber que só quem ...

Ver mais

Democracia?

Democracia?

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

Bandeira do brasil pegando fogo

 

Democracia?

 

Estes dias vi dois amigos discutindo sobre política. Eram no início da discussão amigos… depois de meia hora de contenda, os ânimos exaltados e a temática ficou acalorada. Mais dez minutos e a verborragia toma conta, impropérios, xingos, ofensas e o fim da amizade se consolida no desrespeito total e irrestrito. O fato que acabei assistindo tem me sido relatado em várias vezes em nossa atualidade. Passionalidade, o instinto que tomou conta, a razão obliterada, fanatismo, patrulhamento ideológico, intolerância, ataques, fofoca, maledicência. É proibido discordar, falar da realidade sem sofrer ataques ou perseguição.

 

Estecenário comum que hoje ocorre na sociedade tem início claro nas estratégias de campanha decretada pelos marqueteiros do horror. Dá audiência atacar, mostrar se truculento, agredir. Assim foi trucidada a candidata Marina no primeiro turno deste pleito. PT e PSDB desrespeitando a mulher, a candidata, a pessoa, a trajetória. E hoje ironicamente quem atacou sofre do mesmo mal feito a outrem.

 

Mas quem foi que falou que nossos políticos respeitam alguém? Acaso foi respeitada a população que foi as ruas em julho do ano passado pedir melhoria na área da educação e saúde? Não fez parte das estratégias dos políticos tirar a legitimidade dos movimentos sociais que queriam transformações? Quanto dinheiro não foi investido para classificar de arruaceiros, marginais os professores, os profissionais da saúde e educação que tinham reinvindicações objetivas? Eu que fui as ruas, que vi o povo querendo mudanças me vi silenciado, calado, amordaçado diante do discurso oficial e do jogo feito pela mídia.

 

Hoje vivemos uma ditadura que desrespeita a diversidade, a oposição, a democracia, o povo. Vivemos em uma ditadura velada que cerceia, que ataca, que é incapaz do debate e a construção de ideias a partir de pontos contraditórios, ou seja não existe consenso ou mediação. Isto para mim representa a falência de nosso sistema político e a falta total de habilidade de negociação dos futuros gestores de nossa nação. Sobra truculência, desrespeito, cinismo, ironia, mentiras, fofoca, e muito fanatismo de ambos os lados de uma polarização extremamente patológica.

 

As pessoas brigando nas redes sociais, nas ruas, com ofensas, humilhação são fiel retrato deste sistema, são o espelho da politica que pode ser traduzida em intolerância. Particularmente fiquei feliz ao ver que 46% de nossos políticos foram substituídos. Porém outros 54% ainda são os mesmos, muitos fundamentalistas, agressores, corruptos, moralistas de fachada.

 

Democracia é o jogo entre poder vigente e oposição em um sistema dialético. Isto é desconstruído em nossa atualidade que é permeada pela ideia de um poder eterno, vitalício e consequentemente burro.

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima