Iscas Intelectuais
Palestra O Meu Everest
Palestra O Meu Everest
Meu amigo Irineu Toledo criou um projeto chamado ...

Ver mais

Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

691 – Os agilistas
691 – Os agilistas
Conversei com o Marcelo Szuster no LíderCast 175, um ...

Ver mais

690 – Vale quanto?
690 – Vale quanto?
Cara, você aceita pagar pelo ingresso de um show a ...

Ver mais

689 – A Missão
689 – A Missão
De quando em quando publicamos no Café Brasil a íntegra ...

Ver mais

688 – Doar órgãos é doar vida
688 – Doar órgãos é doar vida
A doação de órgãos é um ato de generosidade, é o ...

Ver mais

LíderCast 178 – Tristan Aronovich
LíderCast 178 – Tristan Aronovich
Ator, músico, escritor, diretor e produtor de cinema, ...

Ver mais

LíderCast 177 – Rodrigo Ricco
LíderCast 177 – Rodrigo Ricco
CEO da Octadesk, empresa focada na gestão de ...

Ver mais

LíderCast 176 – Willians Fiori
LíderCast 176 – Willians Fiori
Professor, podcaster e profissional de marketing e ...

Ver mais

LíderCast 175 – Marcelo Szuster
LíderCast 175 – Marcelo Szuster
O cara do “Business Agility", que trata da capacidade ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

A chave de fenda
Chiquinho Rodrigues
Toninho Macedo era um daqueles músicos de fim de semana. Amava música e tocava seu cavaquinho “de brincadeira” (como ele dizia) aos sábados e domingos em uma banda de pagode ali do bairro onde ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 3 – Morfologia Sincategoremática (parte 6)
Alexandre Gomes
A MORFOLOGIA SINCATEGOREMÁTICA se refere a PALAVRAS que só tem significado quando associadas a outras PALAVRAS.   Bom, se tais palavras se referente a outras palavras, então as funções delas ...

Ver mais

Vilmoteca
Chiquinho Rodrigues
Ser músico e ter viajado por esse imenso Brasil são dádivas que agradeço todo dia ao Papai do Céu! Ter colecionado experiências e conhecido os mais variados tipos de malucos acabaram fazendo de ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 3 – Palavras Atributivas: verbos, advérbios e adjetivos (parte 5)
Alexandre Gomes
Continuando a tratar de VERBOS, irei expor agora sobre as classes de verbos:   TRANSITIVOS: aqueles que expressam uma ação que começa no sujeito (agente) e “vai até” (trans + ire) o objeto ...

Ver mais

Cafezinho 229 – Manicômio Legal
Cafezinho 229 – Manicômio Legal
O manicômio legal no qual estamos presos.

Ver mais

Cafezinho 228 – O medo permanente
Cafezinho 228 – O medo permanente
Enquanto destruíam nosso sistema de justiça criminal ...

Ver mais

Cafezinho 227 – Paralisia por análise
Cafezinho 227 – Paralisia por análise
A falta de experiência e repertório dessa moçada ...

Ver mais

Cafezinho 226 – O MCSC
Cafezinho 226 – O MCSC
Um movimento que independe de partidos, de políticos, ...

Ver mais

Democracia?

Democracia?

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

Bandeira do brasil pegando fogo

 

Democracia?

 

Estes dias vi dois amigos discutindo sobre política. Eram no início da discussão amigos… depois de meia hora de contenda, os ânimos exaltados e a temática ficou acalorada. Mais dez minutos e a verborragia toma conta, impropérios, xingos, ofensas e o fim da amizade se consolida no desrespeito total e irrestrito. O fato que acabei assistindo tem me sido relatado em várias vezes em nossa atualidade. Passionalidade, o instinto que tomou conta, a razão obliterada, fanatismo, patrulhamento ideológico, intolerância, ataques, fofoca, maledicência. É proibido discordar, falar da realidade sem sofrer ataques ou perseguição.

 

Estecenário comum que hoje ocorre na sociedade tem início claro nas estratégias de campanha decretada pelos marqueteiros do horror. Dá audiência atacar, mostrar se truculento, agredir. Assim foi trucidada a candidata Marina no primeiro turno deste pleito. PT e PSDB desrespeitando a mulher, a candidata, a pessoa, a trajetória. E hoje ironicamente quem atacou sofre do mesmo mal feito a outrem.

 

Mas quem foi que falou que nossos políticos respeitam alguém? Acaso foi respeitada a população que foi as ruas em julho do ano passado pedir melhoria na área da educação e saúde? Não fez parte das estratégias dos políticos tirar a legitimidade dos movimentos sociais que queriam transformações? Quanto dinheiro não foi investido para classificar de arruaceiros, marginais os professores, os profissionais da saúde e educação que tinham reinvindicações objetivas? Eu que fui as ruas, que vi o povo querendo mudanças me vi silenciado, calado, amordaçado diante do discurso oficial e do jogo feito pela mídia.

 

Hoje vivemos uma ditadura que desrespeita a diversidade, a oposição, a democracia, o povo. Vivemos em uma ditadura velada que cerceia, que ataca, que é incapaz do debate e a construção de ideias a partir de pontos contraditórios, ou seja não existe consenso ou mediação. Isto para mim representa a falência de nosso sistema político e a falta total de habilidade de negociação dos futuros gestores de nossa nação. Sobra truculência, desrespeito, cinismo, ironia, mentiras, fofoca, e muito fanatismo de ambos os lados de uma polarização extremamente patológica.

 

As pessoas brigando nas redes sociais, nas ruas, com ofensas, humilhação são fiel retrato deste sistema, são o espelho da politica que pode ser traduzida em intolerância. Particularmente fiquei feliz ao ver que 46% de nossos políticos foram substituídos. Porém outros 54% ainda são os mesmos, muitos fundamentalistas, agressores, corruptos, moralistas de fachada.

 

Democracia é o jogo entre poder vigente e oposição em um sistema dialético. Isto é desconstruído em nossa atualidade que é permeada pela ideia de um poder eterno, vitalício e consequentemente burro.

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima