Iscas Intelectuais
Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

Os Podcasts Café Brasil Musicais
Os Podcasts Café Brasil Musicais
Música é uma de nossas grandes paixões, por isso de ...

Ver mais

#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

670 – A nova Previdência
670 – A nova Previdência
No dia 12 de Junho fomos à Brasília e, no Ministério da ...

Ver mais

669 – Fora da Caixa 2
669 – Fora da Caixa 2
Você não precisa inventar a lâmpada para ser original. ...

Ver mais

668 – Fora da caixa
668 – Fora da caixa
Não é fácil hoje em dia ter uma ideia original, ...

Ver mais

667 – Ajuda, por favor
667 – Ajuda, por favor
Toda mudança implica em incomodação. Se não incomoda, ...

Ver mais

LíderCast 157 – Marcel Van Hattem
LíderCast 157 – Marcel Van Hattem
Marcel Van Hattem é um jovem Deputado Federal pelo ...

Ver mais

LíderCast 156 – Karina Oliani e Carlos Morey
LíderCast 156 – Karina Oliani e Carlos Morey
Aproveitando que o Everest está sendo discutido na ...

Ver mais

LíderCast Temporada 12
LíderCast Temporada 12
Vem aí a Temporada 12 do LíderCast, que será lançada na ...

Ver mais

LíderCast 155 – Emilio Dantas Costa
LíderCast 155 – Emilio Dantas Costa
Servidor público de carreira, que a partir das ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPITULO 2 – AMBIGUIDADE DA LINGUAGEM (parte 10)
Alexandre Gomes
Já que uma PALAVRA é um SÍMBOLO, um SIGNO ARBITRÁRIO ao qual é imposto um significado por convenção, é natural que esteja sujeita (a palavra) à AMBIGUIDADE. E isso pode surgir de alguns pontos: ...

Ver mais

O salário do professor brasileiro é um dos mais baixos do mundo
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Matéria de ontem no jornal O Globo nos lembra um fato que é amplamente reconhecido: os professores brasileiros estão entre os que recebem os menores salários no mundo inteiro. Em relação aos ...

Ver mais

As cigarras, as formigas e o tal do viés ideológico
Carlos Nepomuceno
RESUMO DA LIVE: LIVE COMPLETA.

Ver mais

Komsomol brasileiro
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Um dos métodos mais eficazes para garantir a lavagem cerebral nos jovens de tenra idade (muitas vezes órfãos, vítimas da guerra ou dos pavorosos assassinatos em massa ordenados por Stalin) na ...

Ver mais

Cafezinho 188 – O coeficiente de trouxidão
Cafezinho 188 – O coeficiente de trouxidão
É seu coeficiente de trouxidão, com a suspensão ...

Ver mais

Cafezinho 187 – Quem merece seu tempo de vida
Cafezinho 187 – Quem merece seu tempo de vida
Meu tempo de vida está sendo enriquecido ou só desperdiçado?

Ver mais

Cafezinho 186 – A disciplina intelectual
Cafezinho 186 – A disciplina intelectual
Na definição dos dicionários, disciplina é o conjunto ...

Ver mais

Cafezinho 185 – O princípio Eisenhower
Cafezinho 185 – O princípio Eisenhower
Dê uma olhada nas pautas em discussão nas mídias. Veja ...

Ver mais

Creche sem Partido

Creche sem Partido

Filipe Aprigliano - Iscas do Apriga -

Que tal comprar uma chupeta do Marx para o seu bebê? Ele ainda é considerado um filósofo por algumas pessoas de bem. Que tal do Che Guevara então? Não é assassino suficiente? Temos Mao Tsé-Tung… matou o suficiente pra você? Então beleza… vamos de combo: Marx, Engels, Lenin, Stalin e Putin…. Essa é a chupeta que rima com capeta!

Essas chupetas são de verdade, vendidas no site http://www.zazzle.com.br/. São o que aparece quando você faz uma busca por Marx+Chupetas. Será que eles fazem parte de alguma conspiração comunista?

Então façamos outra busca, pela palavra Marx apenas… aí já surgem adesivos para carros dizendo que ele é um idiota, que está no inferno rindo da nossa cara e que vive no coração de quem ocupa a Casa Branca atualmente.

Muito bem, bem vindo ao mercado das idéias, um mercado como outro qualquer, onde as coisas tem um preço, tem produtores e consumidores.

Adesivos

Em um mercado saudável precisamos deixar rolar. O sistema regulador de preços é a oferta e a procura. Até aí tudo bem, mas como em todo mercado, temos os produtores mais bem sucedidos tentando monopolizar a produção e pessoas insatisfeitas com a qualidade dos produtos solicitando regulações do Estado.

Cuidado com o que você deseja, pode acabar conseguindo. E nada é mais prejudicial do que regulações no mercado de idéias.

E quem ganha? Alguns ganham batalhas e muito dinheiro, mas ninguém ganha em definitivo, porque não é uma guerra, é um mercado, e mercado não tem vencedor definitivo, é um fluxo eterno.

Agora é a hora da treta. Vamos falar da creche sem partido. Você que está lendo esse texto, conhece como funciona uma escola pública no Brasil?

Para inicio de conversa, simplesmente não funciona. Eu não sou professor, mas tenho vários amigos e familiares que dão aula em escola pública e o problema raiz não é a doutrinação das crianças pelos professores. O problema é muito mais grave.

Os professores já são amordaçados hoje, por um sistema podre de aprovação automática, onde é vedada qualquer iniciativa de disciplinar os alunos. Por outro lado, os alunos mais violentos e problemáticos aprendem desde cedo, que vitimismo é sinônimo de carta branca para fazer qualquer desgraça impunemente.

Sabe o que as crianças não podem fazer em hipótese alguma? Faltar aula… Isso não!!! Faltar aula é inaceitável porque os pais recebem advertência, e eventual suspensão dos benefícios sociais (leia-se bolsa família).

O resto todo é de mentirinha. As escolas públicas são creches perenes, que entregam adolescentes de fraldas para as quotas do ENEM ou para sofrerem o pão que o diabo amassou no mercado de trabalho, por não saberem nem somar, nem ler, nem escrever.

Quem garante a perpetuação desse cenário lastimável, não é um grupo de professores Marxistas doutrinando as crianças na ponta, é uma burocracia estatal centralizadora da educação. Temos um exército de pedagogos adoradores de Paulo Freire para oprimir o professor que tiver a petulância de querer ensinar alguma coisa. O professor é o elo mais fraco desse imbróglio, normalmente mais fraco que os alunos.

Sinceramente, eu reconheço e abomino essa desgraça do marxismo cultural, e sei que muitos professores são de esquerda mesmo e puxam a sardinha para o discurso anti-capitalista. Mas sejamos sinceros, até uns 5 anos atrás 95% da população brasileira se dizia de esquerda. E graças às 10 pragas do Egito, todas filiadas ao PT, os 5% que gritavam:  Acordem, acordem!!!… Agora são amigos de Facebook de outros 45% da população.

Finalmente temos uma polarização real, que abriu espaço para o debate, o que é ótimo. Mas lembrem-se, o mundo das idéias não é uma guerra com dois lados, é um mercado de muito agentes e interesses.

Por isso, a chupeta do Che Guevara custa R$ 41,70 e a do Marx R$ 34,35… Um é mais POP que outro. A chupeta combo é mais barata ainda, porque precisa conhecer história para entender o conceito, a procura é menor.

O projeto da Escola sem partido é bem intencionado, mas é uma solução que pede para o Estado monitorar a si mesmo, será mais gasto público para não resolver nada.

Para termos uma escola sem partido (o que seria ótimo), precisamos primeiro ter escolas… E atualmente só temos creches, ou melhor, hospícios públicos para professores mal pagos e alunos de baixa renda.

Para início de conversa, precisamos acabar com a aprovação automática, se isso vai aumentar a evasão escolar, eu sinto muito, pelo menos quem fica aprende alguma coisa. O governo quer tapar o sol com a peneira, fingindo que está educando pessoas com estatísticas maquiadas, mas o preço social é muito alto.

Minha proposta é descentralizar a educação, acabar com esse negócio de currículo obrigatório. Acho que os professores de cada escola, de preferência com a participação da comunidade que faz uso dela, deveriam ter o direito de optar por uma grade que lhes pareça mais útil para a realidade regional daquelas crianças, só isso já seria uma enorme barreira para qualquer tipo de doutrinação sistêmica.

Mas aí vem um problema, estamos mais preocupados em entrar numa tribo para odiar outra tribo, do que em discutir a raiz dos problemas com a porcaria da mente aberta. Então lasquem-se pra lá. Fui!

Ver Todos os artigos de Filipe Aprigliano