Iscas Intelectuais
Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

631 – O valor de seu voto – Revisitado
631 – O valor de seu voto – Revisitado
Mais discussão de ano de eleição: afinal o que é o ...

Ver mais

630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
Este é outro Café Brasil que reproduz na íntegra um ...

Ver mais

629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
Essa aparente doideira que aí está não é doideira. É ...

Ver mais

628 – O olhar de pânico
628 – O olhar de pânico
Aí você para, cansado, desmotivado, olha em volta e se ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
Segunda participação no LíderCast, com uma história que ...

Ver mais

LíderCast 123 – Augusto Pinto
LíderCast 123 – Augusto Pinto
Empreendedor com uma história sensacional de quem ...

Ver mais

LíderCast 122 – Simone Mozzilli
LíderCast 122 – Simone Mozzilli
Uma empreendedora da área de comunicação, que descobre ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Júlio de Mesquita Filho e a contrarrevolução cultural
Jota Fagner
Origens do Brasil
A ideia de concentração hegemônica não é exclusividade de Gramsci, outros autores de diferentes espectros ideológicos propuseram caminhos parecidos. Júlio de Mesquita Filho é um deles É preciso ...

Ver mais

Imagine uma facada diferente
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Imagine Fernando Haddad sendo vítima de uma tentativa de assassinato. Por um ex-militante do DEM ou do PSL, no mesmo dia em que Bolsonaro quase morreu pelas mãos de um ex-PSOL. Primeiramente, os ...

Ver mais

Uma discussão sobre inteligência artificial na educação
Mauro Segura
Transformação
Uma discussão sobre os benefícios que as novas tecnologias podem trazer para a educação brasileira. Mas será que estamos preparados para isso?

Ver mais

A burocracia e a Ignorância Artificial
Henrique Szklo
O Estado brasileiro, desde 1500, tem se esmerado em atravancar qualquer mecanismo da administração pública com um emaranhado de processos burocráticos de alta complexidade, difícil interpretação ...

Ver mais

Cafezinho 107 – O voto proporcional
Cafezinho 107 – O voto proporcional
Seu voto, antes de ir para um candidato, vai para um ...

Ver mais

Cafezinho 106 – Sobre fake news
Cafezinho 106 – Sobre fake news
Fake News são como ervas daninhas, não se combate ...

Ver mais

Cafezinho 105 – Quem categoriza?
Cafezinho 105 – Quem categoriza?
Quem define e categoriza o que será medido pode ...

Ver mais

Cafezinho 104 – A greta
Cafezinho 104 – A greta
Dois meio Brasis jamais somarão um Brasil inteiro.

Ver mais

Castelo de Areia

Castelo de Areia

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

Para que serve mesmo o código de defesa do consumidor? Tem praticidade real ou é apenas pra ser enrolado? Um cidadão vai ser protegido quando for lesado ao tentar adquirir um produto que é mostrado na propaganda e quando recebe esse produto, constata que pouco do que foi prometido condiz com o ofertado?

Hoje sou um crítico do marketing que faz satanás parecer anjo. Hoje vivemos um cenário em que os direitos são diariamente desconstruídos por bancos, empresas de telefonia, pelos governos (federal, estadual, municipal) que muito cobram em impostos e pouco nos oferecem, em total ineficácia. Hoje é cena rotineira em nossa sociedade ver excelentes vendedores, com ampla oratória mas com péssimos produtos e serviços. Hoje é lícito mentir, enganar, promover o que não presta. E o cidadão que se dane! Que gaste tempo e dinheiro indo a justiça para não receber o que lhe é devido pela morosidade do judiciário, que com consenso acoberta grupos como bancos telefonia, empresas de plano de saúde,…

E se aplicássemos a lei do código de defesa do consumidor em nossa política, no sistema eleitoral brasileiro, o que ocorreria? Teríamos um problema intenso por que existe muita mentira usada em horário eleitoral. Candidatos mentem muito, falam de números fictícios, de realidades inexistentes, falsas, vendem o que não vão entregar, falam do que não fizeram, maquiam os números ruins evidenciando falta total de ética e respeito com a inteligência. Mas a mentira do marketing não se sustenta e este produto, nossa política, está podre, não funciona direito, fede. A fábrica vai devolver? Mandamos pra assistência técnica? O que fazer com esta encrenca?

Os números absolutos da auditoria do tribunal de contas da união evidenciam que o Brasil é um pais ineficaz, que sofre de falta de gestão, que é incompetente na área de educação, saúde, transporte público,… as temáticas que ressoam no coletivo e que não vão mudar por falta de cabeças pensantes, por falta de gestão e competência. O tribunal de contas em sua auditoria chega as mesmas conclusões que o mercado fala há anos: o custo Brasil o torna ineficaz. Muito dinheiro arrecadado, muito desvio, corrupção institucionalizada e nenhum preso, aliás vários reeleitos. Pagamos pela construção de uma ponte quatro vezes e ela não fica pronta e ninguém sabe onde o dinheiro vai parar. O produto não é entregue, e se for entregue chega estragado com a culpa imposta ao cliente que o recebe.

Mas podemos aplicar a lei do código de defesa do consumidor na política? Por que tantas pessoas sabendo que este produto é estragado, que ele mata, que dá mais despesa que resultado, por que é que as pessoas persistem em adquiri-lo, dando vazão a ilusão de que ele um dia vai funcionar bem?

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima