Assine o Café Brasil
Iscas Intelectuais
A rã e o escorpião
A rã e o escorpião
Isca intelectual de Luciano Pires, dizendo que é como ...

Ver mais

Fake News
Fake News
Isca intelectual lembrando da teoria dos Quatro Rês, ...

Ver mais

Matrizes da Violência
Matrizes da Violência
Isca intelectual lembrando que os presídios brasileiros ...

Ver mais

Mudei de ideia
Mudei de ideia
Isca intelectual de Luciano Pires incentivando que você ...

Ver mais

544 – Persuadível
544 – Persuadível
Podcast Café Brasil 544 - Persuadível. Vivemos numa ...

Ver mais

543 – Desengajamento moral
543 – Desengajamento moral
Podcast Café Brasil 543 - Desengajamento moral. Como é ...

Ver mais

542 – Tapestry
542 – Tapestry
Podcast Café Brasil 542 - Tapestry. Em 1971 uma cantora ...

Ver mais

541 – A festa do podcast
541 – A festa do podcast
Podcast Café Brasil 541 - A festa do Podcast. ...

Ver mais

LíderCast 056 – Paula Miraglia
LíderCast 056 – Paula Miraglia
LiderCast 056 - Hoje conversaremos com Paula Miraglia, ...

Ver mais

LíderCast 055 – Julia e Karine
LíderCast 055 – Julia e Karine
LiderCast 055 - Hoje vamos conversar com duas jovens ...

Ver mais

LíderCast 054 – Rodrigo Dantas
LíderCast 054 – Rodrigo Dantas
LiderCast 054 - Hoje vamos falar com o empreendedor ...

Ver mais

LíderCast 053 – Adalberto Piotto
LíderCast 053 – Adalberto Piotto
LiderCast 053 - Hoje vamos entrevistar Adalberto ...

Ver mais

045 – Recuperando do trauma
045 – Recuperando do trauma
Quando terminar o trauma, quando o Brasil sair deste ...

Ver mais

Vem Pra Rua!
Vem Pra Rua!
Um recado para os reacionários que NÃO vão às ruas dia ...

Ver mais

44 – Tudo bem se me convém – Palestra no Epicentro
44 – Tudo bem se me convém – Palestra no Epicentro
Apresentação de Luciano Pires no Epicentro em Campos de ...

Ver mais

43 – Gloria Alvarez – Sobre República e Populismo
43 – Gloria Alvarez – Sobre República e Populismo
Gloria Alvarez, do Movimento Cívico Nacional da ...

Ver mais

A verdade inconveniente da política atual
Bruno Garschagen
Ciência Política
Isca Intelectual de Bruno Garschagen, lembrando que o risco imediato para o futuro do mundo não é a desgraça do populismo: é o casamento incestuoso entre a degradação da política de hoje com a ...

Ver mais

A força da vocação
Tom Coelho
Sete Vidas
“Eu nunca quis ser o maior ou o melhor. Queria apenas desenhar.” (Mauricio de Sousa)   Mônica, Cebolinha, Cascão, Magali. É quase impossível que estes personagens de histórias em quadrinhos ...

Ver mais

O caos no Rio de Janeiro tem muitos culpados. E uma explicação
Bruno Garschagen
Ciência Política
Isca intelectual de Bruno Garschagen, lembrando que o que está acontecendo neste momento no Rio de Janeiro revela que a relação do carioca com a política não mudou muito desde o final do século 19.

Ver mais

Que grandeza…
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Ah… nada como o amor sincero à Pátria, o dar-se pelo povo… Nada como ver políticos desprendidos, servindo à nação uma verdadeira aula de civismo, espalhando sabedoria e exemplo de ...

Ver mais

Bate o pé, arrebita, arrebita

Bate o pé, arrebita, arrebita

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

Já pregava o filósofo do cotidiano, Homer Simpson: “A culpa é minha e ponho ela em quem eu quiser!” Sábias, tais palavras realmente não são… Mas, extremamente reveladoras do pensamento inerente ao safado que foge às responsabilidades culpando o incauto mais à mão.

Dessa prática, Lula é recorrente. Nunca um sujeito lançou tanto esse argumento podre, pós-doutorado em tirar o corpo fora. Lula não se corrige; motivo de riso (antigamente) e de desprezo (atualmente) em todo o mundo evoluído, parece não se dar conta da plena estupidez exibida em seus surtos de demência – ou embriaguez total, sabe-se lá. A gama é variada; da ocasião na qual disse que Napoleão esteve na China várias vezes, passando pela explicação de que a poluição não seria problema se a Terra fosse quadrada, ou afirmando que a Bolívia não faz fronteira com o Brasil, até a novidade de que o Atlântico separa EUA e nosso País. Melhor nem comentar sua imbecilidade no plano econômico.

Mas o duende inova, e junta sua ignorância à mania de culpar os outros pela própria desídia: Noutro arroubo dialético, zurrado em Madri na última sexta (dia 11), debitou aos portugueses a desgraça da Educação brazuca. Para o sujeitinho, nosso ensino sofrível é culpa dos portugas, que teriam demorado a instalar aqui a 1ª universidade; de acordo com as informações fornecidas por seu cérebro baleado pelo álcool e pelo esquerdismo caviar, só em 1922 teríamos inaugurado a primeira. Pelas barbas de Heródoto, quanta asneira!

O governo luso ainda não se pronunciou, mas a imprensa e a mídia de lá caíram de pau, sem dó; dançaram um fado na cabeça do ignorante. Informativos como Observador e Diário de Notícias, entre outros, tanto quanto jornais e redes sociais, brincaram de Roberto Leal na apodrecida moral desse morto vivo político, que só espera a visita do japonês da Polícia Federal pra deitar pra sempre.

A ironia (sempre há uma!) é que foram justamente os portugas que ofertaram ao apedeuta seu primeiro título honoris causa, mesmo sem haver causa – muito menos honra. Castigo? Talvez. É o preço que se paga por afagar o ego monstruoso de quem deveria discursar apenas em reunião no pátio da cadeia durante o banho de sol.

E pior: Tudo isso saindo da boca de esgoto de um sujeitinho que não apenas se julgava merecedor, mas alardeava que seria eleito secretário geral da ONU e merecia o Nobel da Paz; chegou a prometer a solução para o conflito no Oriente Médio apenas com suas arengas de estupidez abissal. Delírios de egolatria espantosa até mesmo para ele.

Três dias depois do escândalo e de muita indignação pelo mundo, Lula se acadelou: “Fui mal interpretado.” É tão ignorante quanto covarde. Não entra em bola dividida e tem um discurso pra cada plateia… Embora às vezes erre o discurso da plateia. Deve ser a marvada.

Resumindo: Nossos primos portugas não têm culpa da falência de nossa educação; têm, e muita, em dar ouvidos a esse sujeitinho, adulando-o no passado. Porém, considerando as atuais investigações da polícia portuguesa, a redenção desse pecadilho está tão próxima quanto a publicidade das ligações espúrias entre Lula e seu amigo e comparsa (hoje presidiário) lisboeta, o ex-premiê português José Sócrates. Em lugar de cátedras, podem oferecer a ambos uma cela contígua, a embalar suas tertúlias penitenciárias; vão concluir que a culpa de nosso naufrágio econômico é dos fenícios, vikings ou dos hititas. A mamulenga concorda, “diuturna e noturnamente”. Bate o pé, arrebita.

***

Falando na mamulenga Dilma e sua “nova matriz econômica”, espelhada na nossa desgraça econômica e na falência venezuelana, basta esse trecho de Roberto Campos:

No meu dicionário, ‘socialista’ é o cara que alardeia intenções e dispensa resultados, adora ser generoso com o dinheiro alheio, e prega igualdade social, mas se considera mais igual que os outros… – Segundo Marx, para acabar com os males do mundo, bastava distribuir. Foi fatal. Os socialistas nunca mais entenderam a escassez. – Os socialistas, e em especial os marxistas, sempre pensaram que existia um estado natural de abundância. Nada mais simples, portanto, que a economia de Robin Hood: tirar dos ricos para dar aos pobres. – Os esquerdistas, contumazes idólatras do fracasso, recusam-se a admitir que as riquezas são criadas pela diligência dos indivíduos, e não pela clarividência do Estado.”

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes