Iscas Intelectuais
Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

É tudo soda
É tudo soda
Isca intelectual de Luciano Pires lembrando que ...

Ver mais

A selhófrica da pleita
A selhófrica da pleita
Isca intelectual de Luciano Pires tratando do nonsense ...

Ver mais

579 – A arte de falar merda
579 – A arte de falar merda
Tenha um filtro, meu caro, minha cara. Para o bem do ...

Ver mais

578 – O Círculo de ouro
578 – O Círculo de ouro
Você já parou para pensar que talvez ninguém faça ...

Ver mais

577 – Dois pra lá, dois pra cá
577 – Dois pra lá, dois pra cá
Existe uma divisão política, social e cultural no ...

Ver mais

576 – Gratitude
576 – Gratitude
Gratitude vem do inglês e francês e significa que ...

Ver mais

LíderCast 081 Lucia Helena Galvão Maya
LíderCast 081 Lucia Helena Galvão Maya
LíderCast 081 – Lúcia Helena Galvão Maya é diretora da ...

Ver mais

LíderCast 080 Tito Gusmão
LíderCast 080 Tito Gusmão
LíderCast 080 – Tito Gusmão – Tito Gusmão é um jovem ...

Ver mais

LíderCast 079 Marcio Appel
LíderCast 079 Marcio Appel
LíderCast 079 –Marcio Appel executivo à frente da ...

Ver mais

LíderCast 078 Leo Lopes
LíderCast 078 Leo Lopes
LíderCast 078 – Leo Lopes – Leo Lopes é uma referência ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Os jacobinos da “nova direita”
Bruno Garschagen
Ciência Política
Quando os antissocialistas mimetizam a mentalidade e a ação política do inimigo, tornam-se o espelho da perfídia.

Ver mais

A hora e a vez da criatividade
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A hora e a vez da criatividade  Por que não no Brasil? “Eu olho para as coisas como elas sempre foram e pergunto: Por quê? Eu olho para as coisas como elas poderão vir a ser e pergunto: Por que ...

Ver mais

Cala a boca, Magdo!
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Quem não se lembra do “Cala a boca, Magda”, repetido por Caco Antibes no Sai de Baixo? Magda, sua esposa, era de uma estupidez oceânica, e o bordão era gritado a cada asneira dita pela bela ...

Ver mais

Síndrome de Deus
Tom Coelho
Sete Vidas
“Existe uma força vital curativa com a qual o médico tem de contar. Afinal, não é o médico quem cura doenças: ele deve ser o seu intérprete.” (Hipócrates)   Dediquei-me nas últimas semanas ...

Ver mais

Cafezinho 5 – Pimenta Azteca
Cafezinho 5 – Pimenta Azteca
O nome disso é livre mercado, goste você de Pimenta ...

Ver mais

Cafezinho 4 – A intolerância
Cafezinho 4 – A intolerância
Uma organização conhecida por investir em cultura ...

Ver mais

Cafezinho 3 – A inércia
Cafezinho 3 – A inércia
Issac Newton escreveu que “um objeto que está em ...

Ver mais

Cafezinho 2 – O bobageiro
Cafezinho 2 – O bobageiro
Quando se trata de falar bobagem, pesquisas já ...

Ver mais

Banimento

Banimento

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

Você já sofreu com a intolerância e com o preconceito? Consegue imaginar as consequências psicológicas de quem sofre com isto? Você já se sentiu excluído ou banido de um determinado grupo?

Era acadêmico de psicologia quando atendi meu primeiro caso, de uma jovem mulher que havia sido expulsa de casa por sua mãe,  por que havia se assumido lésbica. A paciente havia sido abusada sexualmente pelo pai, um ébrio durante cinco anos. Virou homossexual e passou a ser a vergonha da família, que se rebelou em um motim, que  se alastrou por toda família, avós, tios , primos. Era uma proscrita, banida, jogada no mundo e não podia voltar atrás. Era como o bode expiatório, no sacrifício descrito na antropologia clássica por Tylor e Frazer.

O abandono é uma ferida psíquica que maltrata muito quem a carrega. Um trauma. Todo preconceito machuca muito sua vítima. Os preconceitos são um tema ao qual venho me dedicando. Diariamente convivo com eles seja por ser deficiente, seja por tratar pessoas em sofrimento intenso. Problemas raciais, de gênero, classe evidenciam o quanto os preconceitos no Brasil são naturalizados, ou seja são comuns, fazem parte de uma construção cultural discursiva. O preconceito esta na legislação, na intolerância religiosa, na política, nas igrejas é a base do radicalismo, do fanatismo da violência urbana. Não aceitar o que é diferente. Diariamente vejo pacientes psiquiátricos que sofrem pelo preconceito.

Ao longo de minha vida como analista e psicólogo clínico atendi muitas pessoas com  a personalidade destruída, com a auto estima baixa, sentindo se mal por serem humilhados ao longo da vida, por serem constitutivamente diferentes do padrão coletivo.

Certa vez atendi um rapaz que brigava com Deus. Era profundamente revoltado com a sociedade e com as religiões. Um outro ser banido que morava longe de sua família, que além de não aceitá-lo o excluiu. Por ser um exímio profissional superou as dificuldades financeiras iniciais, mas passou fome, sentia muita solidão, abandono, havia se tornado um ser errante. Por ser habilidoso com as artes se refugiou em uma igreja protestante. Era recluso em sua intimidade e seguia as normas da igreja com fidelidade. Até que um pastor o alicia, passa a abusá-lo sexualmente, e quando o escândalo aparece o expulsa da igreja, lhe chamando de satanás de vergonha divina. Duplamente banido primeiro da família agora por deus da igreja.

Vi em minha vida profissional várias histórias dramáticas deste estilo.  Pessoas que começam a sofrer preconceito dentro da própria família, muitos vitima de pedofilia, de abuso sexual infantil, dentro do próprio núcleo familiar, e posteriormente banidos após se assumirem homoafetivos . E o que é esta família? Este é outro tema temido em nossa sociedade, pouco discutido, negado, abafado. No preconceito familiar para com as pessoas homoafetivas. Os traumas, o banimento familiar, intolerância,  a vergonha, o evitar, descaso, negação que ocorre nas relações familiares junto as pessoas homoafetivas. O preconceito que inicia dentro da família.

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima