Iscas Intelectuais
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

678 – Dominando a Civilidade
678 – Dominando a Civilidade
Vivemos uma epidemia de incivilidade que ...

Ver mais

677 – Teorias da Conspiração
677 – Teorias da Conspiração
Vivemos numa sociedade assolada por grandes ...

Ver mais

676 – Homem na Lua 2
676 – Homem na Lua 2
Cinquenta anos atrás o homem pousou na Lua. Mas parece ...

Ver mais

675 – Homem na lua
675 – Homem na lua
Em 20 de Julho de 1969 uma nave feita pelo homem pousou ...

Ver mais

LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
Um dos mais influentes profissionais de comunicação ...

Ver mais

LíderCast 164 – Artur Motta
LíderCast 164 – Artur Motta
Professor que fez transição de carreira e usa podcasts ...

Ver mais

LíderCast 163 – Amanda Sindman
LíderCast 163 – Amanda Sindman
Profissional de comunicação, jornalista e mulher trans. ...

Ver mais

LíderCast 162 – Aldo Pini
LíderCast 162 – Aldo Pini
Ex-diretor de planejamento da agência África, que ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Simples assim
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Simples assim Excelência em Educação Dia 10 de agosto, compareci a um evento muitíssimo interessante. Estimulado pela chamada do convite eletrônico – Avanços na educação pública: o que podemos ...

Ver mais

Homenagem aos Economistas 2019
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Homenagem aos Economistas 2019 Memoráveis citações “O Brasil é um país onde você passa quinze dias fora e muda tudo, mas passa quinze anos fora e não muda nada.” Cássio Casseb  “Quando alguém tem ...

Ver mais

O que podemos aprender com a tragédia que virá da Argentina?
Carlos Nepomuceno
O que podemos aprender com a tragédia que virá da Argentina? Live completa.

Ver mais

Ni nóis não
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A história todo mundo conhece, pelo menos no enredo do samba: Criminosos de extenso currículo (estelionatários, ladrões, traficantes) foram contratados para espionar telefones privados de ...

Ver mais

Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Ainda existe hoje uma cultura, muito estimulada por ...

Ver mais

Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Quem é o idiota que quer deliberadamente envenenar seus ...

Ver mais

Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Se não bastassem as dificuldades para comprar, ...

Ver mais

Cafezinho 201 – Agrotóxicos – melhor seria não usar
Cafezinho 201 – Agrotóxicos – melhor seria não usar
Agrotóxicos são a bola da vez. Da forma como é ...

Ver mais

Assuma o Brasil de vez

Assuma o Brasil de vez

Adalberto Piotto - Olhar Brasileiro -

No Brasil, tem coisas que só acontecem no Brasil. Mesmo que a concentração de empresas de um mesmo ramo seja natural no capitalismo, os brasileiros, capitalistas que são, tendem a rejeitar tal modelo porque, historicamente, querem e admiram mais a concorrência, diversidade de marcas e a divisão do capital, do que a média mundial. Por obra da imigração, temos consciência mais europeia que americana.

O que é bom e ruim.

Ruim porque temos dificuldade em estabelecer uma identidade nacional, um orgulho de nós mesmos. Nossa crise existencial brasileira é imensa.

Bom porque, no fundo, embora nos deixemos embriagar pelos americanismos, do irmão do Norte mais rico e bem resolvido, não nos contentamos de verdade.

Queremos, no fundo, uma lógica mais classe média espraiada, menos dos muitos ricos e dos muitos pobres. Um americano do Norte não sente culpa quando outros dão errado, embora ele tenha dado muito certo, mesmo que honestamente.

Nesta Terra de Santa Cruz é diferente. Óbvio que há insensíveis, mas a maioria deles e dos outros se incomoda pelo lado paupérrimo da reta, talvez longe dos seus, mas se envergonha. De uma forma ou outra, se vê obrigado a, no mínimo, explicar a desigualdade.

Somos diferentes do restante do mundo. É melhor aceitarmos isso logo e termos coragem de fazer o que precisamos do nosso modo, porque os modelos estrangeiros têm vida curta aqui.

A alta concentração de mercado de alguns grupos incomoda os brasileiros, apesar de consumirmos seus produtos e programas, novelas, e até os admirarmos.

Mas não gostamos, pra falar as verdade, de grupos quase hegemônicos no setor de carne, construção ou de comunicação, etc, que não raro se aliam em torno de uma causa que lhes interessa e convém, mesmo que contra o bem-estar da maioria de nós.

Diante de um poder econômico massacrante, tem faltado à maioria dos brasileiros coragem pra fazer diferente e defender seus pontos de vista reais.

As sucessivas crises econômicas, reais ou fabricadas por escândalos, tiram dos filhos desta terra, temerosos em perder seu sustento, a personalidade e a determinação de serem como gostariam de ser.

Cabral e os portugueses já descobriram o Brasil e fizeram dele o que quiseram.

Falta-nos descobrir-nos e assumirmos quem somos e a nosso país.

E fazer à maneira real que realmente desejamos.

 

* Adalberto Piotto é jornalista e documentarista, autor, diretor e produtor do filme “Orgulho de Ser Brasileiro”, filme independente que, ao rejeitar e romper com a hegemonia do favela-movie e do coitadismo que tomam conta dos roteiros do cinema nacional, fez um filme de discussão brasileira honestamente intelectual, olhando pra frente, sem ficar no lengalenga do sentir pena de si mesmos. O filme viajou o Brasil e o mundo em exibições em várias escolas brasileiras de muitos estados e em algumas das mais importantes universidades do mundo.

Ver Todos os artigos de Adalberto Piotto